1

Estado “ocupa” 25% dos leitos e inviabiliza atendimentos em Imperatriz

A paralisação, por parte do estado, de serviços vitais no sistema de saúde pública, está sufocando o Hospital Municipal de Imperatriz, o Socorrão. Na última segunda-feira, 19, eram quase 25% dos leitos das enfermarias do único centro regional de urgência e emergência ocupados por pacientes que não deveriam estar ali.

Por falta de funcionamento de etapas que são da conta do Governo do Maranhão, dezenas de doentes formam uma espécie de dolorosa fila do desespero e ainda impossibilitam o acolhimento de outros pacientes.

Na segunda-feira, nove leitos do HMI estavam ocupados por pacientes já indicados para o TFD, Tratamento Fora de Domicílio, que nas regras da pactuação do SUS, Serviço Único de Saúde, dependem de especializações que não existem em Imperatriz, e já eram para estar em São Luís. Isso não ocorre porque a secretaria de Saúde do Estado não providencia o deslocamento e nem abre vagas das unidades da capital.

Tem paciente em leito do HMI há cinco meses, esperando transferência.

A direção do Socorrão não pode precisar quantos doentes, em condições menos emergenciais estão em casa, vítimas da mesma situação, e que vez por outra precisam ser acolhidos pelo HMI, ainda que temporariamente. Estima-se que pelo menos 50 pacientes aguardam o TFD do Estado, em suas residências.

Conta maior gerada pelo Estado para o Município se dá pela suspensão do atendimento, por parte do Hospital São Rafael, que reclama atrasos de até sete meses para receber pelos serviços prestados ao Governo do Maranhão. São procedimentos da hemodinâmica, indispensáveis para o tratamento de pacientes cardíacos graves. Ontem, eram 23 os doentes dessa categoria perdendo tempo e vendo agravar-se o estado de saúde.

Outra fatura pesada para o Socorrão (com desdobramentos na ocupação de leitos que poderiam acolher outros doentes) é a redução de ofertas das UTI’s. Do município, funcionam integralmente os 20 leitos de adultos e os 10 de crianças, mas, dos contratados pelo Estado, com recursos que são de Imperatriz, dos 15 leitos do Hospital da Unimed, nem todos acolhem pacientes dos SUS (a média dos últimos meses é de dez ocupações por mês).

Antes, esse 15 leitos eram 20, mas 5 deles, que permanecem na conta de Imperatriz, foram transferidos pelo Governo para a capital, São Luís.

Situação na manhã do dia 20/08:

01

Pacientes à espera do Tratamento Fora do Domicílio (TDF)

9

02

Pacientes à espera de exames e procedimentos da HEMODINÂMICA

23

03

Pacientes GRAVES, MUITO GRAVES e GRAVÍSSIMOS, na fila da UTI

23

 

Total de leitos “interditados”, no Socorrão

55

 

0

Imperatriz: Socorrão estará na tela 24h por dia…

Prefeito Assis Ramos quer população inteira com acesso irrestrito ao funcionamento do Hospital Municipal

 

Alvo constantes das Fakes News e figura de retórica dos discursos oposicionistas, o Hospital Municipal de Imperatriz, Socorrão, estará na tela do computador do mundo inteiro, a partir dos próximos dias, por ordens expressas do prefeito Assis Ramos, DEM.

“Através de um aplicativo, qualquer pessoa, de qualquer lugar, poderá conferir a ocupação leito por leito, de enfermaria ou da UTI, e todos os procedimentos ali praticados. Eu quero o testemunho das pessoas bem intencionadas, em lugar do falso alarmismo que acaba por gerar um pânico coletivo. Eu não tenho o direito de esconder nada, nem as nossas limitações, muito menos o nosso trabalho pela melhoria da Saúde”, anunciou, Assis Ramos, no encontro realizado no domingo, 02, com sua assessoria de comunicação.

A decisão do prefeito foi amadurecida a partir de um dos últimos ataques dos oposicionistas que se valeram da imagem de um idosa deitada no chão e que, segundo eles, morreu sem ser atendida. “Na realidade, a mulher, de 82 anos, de outro município, recebeu toda assistência, mas no momento de crise aguda, ela própria desceu da poltrona e deitou no chão, instante em que foi fotografada por gente infiltrada pelos fabricantes das fake news”, atesta um funcionário do Socorrão. Outra prática que vem se repetindo é a publicação de fotografias de corredores de outros hospitais, inclusive da capital, como se fossem do Socorrão de Imperatriz.

Pelo sistema que está sendo implantado, quem quiser pode monitorar leito por leito, seja da UTI ou das enfermarias, com as iniciais do paciente, idade, tempo de internação, de onde veio e causa do tratamento. Terá câmeras abertas 24 horas por dia dos corredores, recepção e portaria. Também imagens ao vivo, panorâmicas, das enfermarias e das UTI’s, sem identificar pacientes (por questões de privacidade) mas demonstrando o trabalho de todo corpo clínico.

“Essa campanha maléfica feita por esse tipo de política destrutiva vem gerando pânico na população que depende do Socorrão. É falso esse clima de terra arrasada, muito pelo contrário, temos muitos avanços. Atravessamos alguns problemas, de abastecimento, por exemplo, por conta de questões burocráticas, mas isso está sendo superado. A gente democratizando a real ocupação dos leitos, imagens ao vivo e a contabilidade do Socorrão, a realidade fica democratizada, se esvazia o discurso alarmista, e vai obrigar essa gente a ir atrás de um outro tema, esperamos que seja do bem”, observa o prefeito Assis Ramos.

0

Imperatriz quer qualificar atendimento a pacientes de outros municípios no Socorrão

Secretaria de Saúde reuniu representantes dos municípios que têm pactuação para discutir medidas que agilizem o transporte e a entrada de pacientes no hospital

 

A Secretaria Municipal de Saúde de Imperatriz (Semus)  reuniu secretários de municípios que fazem pactuação para discutir formas de melhorias de atendimento a pacientes de outras cidades no Hospital Municipal.

A proposta foi apresentada pelo secretário Alair Firmiano e reafirmada pela direção e médico regulador do Socorrão.

– Estava faltando comunicação, o encaminhamento médico, e isso é importantíssimo para que se receba o paciente com mais agilidade, se saiba o que é urgência e o que não é urgência e assim acelerar o atendimento – explicou o titular da Semus.

A principal pauta foi a discussão sobre os avanços na regulação de pacientes de outros municípios que deverão, a partir de agora, enviar seus pacientes com o respectivo encaminhamento médico, justificativa e o quadro clínico atual antes da transferência.

A secretária de Saúde de Campestre do Maranhão, Bruna Ribeiro aprovou a reunião em que definiu como importante propor um consenso sobre a regulação de pacientes de municípios pactuados.

– Esperamos que melhore a regulação e o paciente demore menos tempo esperando a vaga no HMI a partir de agora – destacou.

A reunião da CIR é realizada todos os meses para discutir temas diversos, mas sempre comuns e de interesse dos municípios pactuados com Imperatriz.

Participaram os secretários de Saúde de Senador La Rocque, Carlos Almeida; de Montes Altos, Jeová Santana; de Campestre, Bruna Ribeiro e de Estreito, Cássio Batista.

0

Imperatriz: Socorrão ganha novos leitos, enfermarias e equipamentos…

Reformas na unidade de saúde, cujo prédio a prefeitura já mostrou interesse em comprar, representam avanço na urgência e emergência do município

 

O final de semana foi de renovação para o Hospital Municipal de Imperatriz, com a abertura de novos espaços para acomodação de pacientes, tais como postos de enfermagem, sala de observação climatizada com 15 poltronas, reforma total da ala de cirurgia vascular, enfermarias, sala amarela com quatro leitos e sala de reanimação.

Socorrão recebeu, também, novos equipamentos para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e para o bloco cirúrgico.

Prefeito Assis Ramos, acompanhado do vice, Pastor Alex Nunes Rocha, e do secretário de Saúde, Alair Firmiano, vistoriou o local e destacou a importância dessas medidas para o atendimento. 

– Ainda faltam muitos aspectos a serem melhorados, mas, com toda dedicação, conseguiremos. Esses espaços já representam um avanço na saúde e nas condições de trabalho, dentro da urgência e emergência – ressaltou o prefeito.

Para a técnica em enfermagem, Simone Cavalcante, essas reformas estão mudando a cara do HMI.

– Além de otimizar a logística do atendimento, pois são concentrados os prontuários da observação em um posto só, os pacientes ficam numa única enfermaria – comemora a servidora.

De acordo com o secretário Alair Firmiano, as reformas e aquisição de novos equipamentos fazem parte do projeto de modernização da saúde pública de Imperatriz, que prevê ações mais amplas.

– Isso é só o começo, mas entendemos que é necessário fazer ajustes enquanto não temos um novo hospital. Por isso, pequenas melhorias e entrega de materiais serão constantes, para que nossos profissionais tenham condições adequadas de trabalho – observou.

Segundo o angiologista Janduí Lopes, a cirurgia vascular é uma especialidade que historicamente ficou sempre de escanteio, esquecida dentro do hospital, e agora foi contemplada.

– É muito gratificante ver que em tão pouco tempo nosso atendimento está tendo destaque, com a reforma, em que os pacientes podem ser melhor tratados – pontuou.

0

Exemplo a Flávio Dino! Assis Ramos quer comprar prédio do Socorrão e livrar Imperatriz de aluguel…

Prefeito entende que os gastos mensais para manter o edifício onde funciona o principal hospital da cidade pode ser considerado sem-retorno, e vai partir para negociação de compra com os proprietários

 

 

O prédio do Socorrão que Assis Ramos quer comprar para economizar recursos com aluguel

O prefeito de Imperatriz Assis Ramos (PMDB) deve chamar os proprietários do prédio onde funciona o Socorrão do município para abrir negociação e se livrar do aluguel de R$ 82 mensais, pagos há mais de 20 anos.

– Só com alugueis, neste período, são R$ 19 milhões. Se considerarmos as reformas, os puxadinhos, as pinturas e repinturas, os telhados, reforços e trocas de instalações elétricas e hidráulicas, são mais uns R$ 15 milhões nessa conta de investimento sem volta. Com esses R$ 34 milhões, já teríamos comprado esse Socorrão mais de 3 vezes – calcula.

Para ganhar fôlego e abrir negociação de compra do prédio, Assis Ramos conta com o apoio do governo Flávio Dino (PCdoB).

O prefeito na reunião com Flávio Dino que liberou os recursos; só faltou dizer “é assim que se faz, governador”

De acordo com o peemedebista, em recente reunião no Palácio dos Leões, o comunista garantiu um reforço de caixa no setor de Saúde de Imperatriz da ordem de R$ 5 milhões.

– Aos R$ 5 milhões que ele nos deu, eu somo as economias que tenho feito aqui, com muito sacrifício, e passo a sentir poder e plena capacidade para passar de inquilino a proprietário. Aí, sim, passaremos a investir no que é nosso, sem essa de fazer benfeitorias na casa dos outros – declarou o prefeito.

Curiosamente, o mesmo Flávio Dino tem sido criticado por manter aluguel de R$ 90 mil mensais, há mais de um ano, em um hospital fechado em São Luís.

Sem dúvidas, Assis Ramos dá um belo exemplo de como se faz economia ao governador…

11

Socorrão continua com pacientes jogados no corredor…

Propaganda da prefeitura tenta vender para o eleitor a informação de que não há mais macas espalhadas nos corredores do Hospital Djalma Marques, o que é desmentido por esses flagrantes obtidos pelo blog em pleno domingo, 12

 

 

Nos corredores s~çao atendidas crianças, adultos e idosos, em macas espalhadas

Crianças, adultos e idosos são atendidos em macas espalhadas pelos corredores do Socorrão I

exclusivoRejeitado eleitoralmente e com a gestão reprovada pela maioria da população, o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) tenta usar a propaganda de TV para criar uma imagem positiva do seu mandato.

E uma dessas peças publicitárias exibe imagens de um Hospital Djalma Marques, o Socorrão I, sem pacientes nos corredores e atendimento humanizado.

Tudo mentira.

nas enfermarias, onde faltam tudo, até sacos de lixo ocupam lugar em poltronas

nas enfermarias, onde faltam tudo, até sacos de lixo ocupam lugar em poltronas

Este blog obteve imagens deste domingo, 12, que mostram pacientes jogados em macas pelos corredores do hospital sem qualquer atendimento hospitalar.

Nem medicamentos tem para tratar os que chegam na emergência.

– Fiquei horrorizada com o que vi lá. Está uma calamidade. Até para medir pressão só tem um aparelho – revelou uma das acompanhantes, que fez as imagens divulgadas neste post.

A propaganda da TV não mostra a realidade do Socorrão, como esta

A propaganda da TV não mostra a realidade do Socorrão, como esta

Há pacientes internados em plena sala de medicação.

os milhões gastos na propaganda para mostrar um Socorrão diferentes do que ele é poderia ser usado, ao menos, para comprar medicamentos para os pacientes.

É simples assim…

10

Reconhecimento em todas as instâncias…

Edivaldo conversa com paciente no Socorrão, agora mais humanizado

Edivaldo conversa com paciente no Socorrão, agora mais humanizado

É notório o esforço feito pela gestão de Edivaldo Júnior (PDT) para resgatar de uma vez por todas a dignidade e a estrutura do sistema público de saúde de capital.

Mesmo em meio às dificuldades financeiras pelas quais o país inteiro tem passado, as gestões municipais por todo o Brasil têm feito a tarefa sobre humana de manter suas contas em dias.

Neste esforço, a gestão de Edivaldo Júnior tem se destacado.

Com planejamento, tem conseguido manter o compromisso com aqueles que depositaram sua confiança, ainda em 2012.

E o reconhecimento chegou em grande escala.

Pelo Ministério da Saúde e na Assembleia Legislativa. O primeiro validou, em publicação no Diário Oficial da União, os Hospitais Socorrão II e Hospital da Mulher como referências em atendimento em ortopedia e traumatologia e em neurocirurgia, respectivamente.

Corredores limpos no Djalma Marques: ação reconhecida

Corredores limpos no Djalma Marques: ação reconhecida

Já na Assembleia, a saúde municipal tem sido motivo de  elogio entre os parlamentares.

Os deputados Stênio Rezende (PMB), Fábio Macêdo (PDT), Othelino Neto (PCdoB) e Edivaldo Holanda (PTC) destacaram, neste início de semana, a transferência dos pacientes do Socorrão I para a Santa Casa. Reconhecendo assim o ato histórico em retirar os pacientes de uma situação desconfortável, que eram os corredores do Hospital.

A humanização da saúde são garantias de frutos a serem colhidos em forma de satisfação da população e de reconhecimento estadual e nacional.

3

Othelino destaca transferência de pacientes do Socorrão I para a Santa Casa…

othelinoO deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) destacou, na sessão desta segunda-feira,02, a transferência de todos os pacientes do Socorrão I – que estavam em macas e nos corredores – para a Santa Casa.

“É claro que isso deveria ter acontecido há muito tempo, mas nem por isso nós deveremos ou poderíamos deixar de fazer referência a este avanço que humaniza mais o atendimento no Socorrão I”, disse o parlamentar.

Othelino destacou que essa transferência está acontecendo desde o final de semana. Segundo o deputado, isso só foi possível por meio de um convênio entre a Prefeitura de São Luís e a Santa Casa com a aquisição de 60 leitos, que estão sendo utilizados não só para casos de urgência e emergência, mas para pacientes clínicos crônicos, que precisam ainda de cuidados.

“Não é apenas um ganho no aspecto de humanizar o atendimento, de fazer com que o paciente que precise do atendimento do Socorrão fique bem acomodado, melhor assistido, mas também vai permitir, ao passo em que resolve o problema da superlotação, que comprometia, no geral, a qualidade do atendimento, que o Socorrão cumpra mais sua finalidade específica que é o atendimento de urgência e emergência”, enfatizou Othelino Neto.

Segundo o deputado, o Socorrão I – que tem uma grande demanda – vai se tornar um hospital mais humanizado e irá qualificar o seu atendimento, além de possibilitar mais conforto aos pacientes.

“É um avanço que merece o registro porque são dezenas de pessoas que ficavam numa situação difícil. Além de já estarem doentes, ainda ficavam mal acomodadas. E agora passaram a ficar num leito de hospital e também mais bem assistidos pelas equipes médicas”, comentou.

Transferência

Na tribuna, Othelino destacou também que o prefeito Edivaldo Holanda Júnior foi pessoalmente acompanhar a transferência dos pacientes, acompanhado da secretária Helena Duailibe, a quem ele fez referências, durante o pronunciamento, pelo trabalho que, apesar das graves dificuldades financeiras, ela tem conseguido desenvolver no sentido de melhorar o atendimento público no município de São Luís.

“Evidentemente que ainda precisaria avançar mais para que o atendimento ficasse do jeito que a população espera, mas são com essas conquistas, firmando um convênio com a Santa Casa, pois há mais de um ano que o segundo andar já não tinha mais pacientes no corredor, que esse quadro vai mudando. Isso foi possível graças a uma parceria entre a Prefeitura de São Luís e o governo do Estado que cedeu uma parte da Maternidade Benedito Leite para acomodação da pediatria que antes ficava no Socorrão I”, disse.

Segundo o deputado, são parcerias que permitem com que problemas graves, crônicos, sejam resolvidos.

“Essa é a nova realidade da cidade de São Luís, que outrora era abandonada pelo governo do Estado, mas que agora tem a parceria do Executivo e o esforço, cada vez maior, apesar das limitações financeiras, do prefeito para ir corrigindo essas distorções e construindo assim um sistema de saúde pública que possa atender com qualidade e com equipes médicas que agora poderão se dedicar mais à urgência e emergência”, concluiu.

2

Clínica esclarece contrato em Presidente Dutra…

Em nota encaminhada ao blog, a Clínica Biocentro esclarece informações do post E este caso, não é digno de CPI?!?, e fala a respeito do contrato para prestação de serviços ao Socorrão de Presidete Dutra. Abaixo, a íntegra da Nota:

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A propósito da nota “E este caso, não é digno de CPI?!?” postada no site ‘marcoaureliodeca’ em 08/07/2015, a Clínica Biocentro, por meio do seu corpo administrativo, gostaria de fazer as seguintes ponderações / esclarecimentos:

Na referida matéria, o blog repercute “denúncias” sobre suposto “esquema” de terceirização do serviço de tomorafia computadorizada do Socorrão para um ambiente privado extra-hospitalar, fazendo ilações equivocadas sobre eventual “favorecimento” da Clínica Biocentro, que teria sido, segundo informações repercutidas pelo nobre jornalista, instalada recentemente na cidade com o fim específico de atender a demanda advinda de exames urgentes do Socorrão. Nada disso corresponde a verdade, conforme demonstraremos a seguir:
1) A Clínica Biocentro existe há mais de dois anos em Presidente Dutra e funciona como um centro médico multi-disciplinar de várias especialidades clínicas e cirúrgicas, realizando consultas ambulatoriais com médicos do mais alto gabarito, vindos de Teresina – PI, São Luís – MA e outros grandes centros da região. A clínica conta, além do atendimento especializado em consultas, com um pequeno núcleo de exames de cardiologia, posto de coleta de exames laboratoriais e, finalmente, com um centro de imagem que abrange as seguintes modalidades: RX digital, ultrassonografia e tomografia computadorizada (brevemente estaremos contando também com mamografia digital e densitometria óssea). O faturamento do nosso pequeno serviço de saúde sempre decorreu, portanto, desde sua inauguração, de uma modesta demanda de consultas e exames particulares e de alguns poucos convênios de saúde locais.
2) Em meados de abril do corrente ano, membros da Secretaria Estadual de Saúde procuraram os proprietários da clínica para firmar acordo emergencial no intuido de suprir a demanda de exames tomográficos de urgência do Socorrão, pois como se sabe, o aparelho de tomografia do hospital está sem funcionar desde o início de novembro do ano passado, portanto, ainda no decorrer da gestão anterior. Em acordo firmado entre as partes – por sinal, extremamente vantajoso para a Secretaria de Saúde – ficou resolvido que a Clínica Biocentro funcionaria temporariamente como centro de retaguarda para os exames tomográficos do Socorrão, realizando todos os procedimentos necessários com preço pautado na tabela SUS. Vejam bem, remunerados unicamente pela tabela SUS!!! Para se ter uma idéia, a clínica cobra cerca de R$ 300,00 a R$ 450,00 reais numa tomografia particular (dependendo da modalidade do exame), enquanto que pela tabela SUS o preço varia de R$ 97,44 a no máximo R$ 138,63 pelos mesmos procedimentos. Não existe, pois, ônus financeiro para os pacientes e o hospital repassa para a clínica o mesmo montante que lhe é repassado pelo governo para realizar tais procedimentos. Onde está a irregularidade nisso? Em cobrar mais barato?
3) Sobre suposto “desvio de conduta” dos proprietários da clínica, que segundo o jornalista, também prestariam serviço no socorrão e estariam encaminhando os pacientes para realizar exames em seu próprio estabelecimento privado, temos a dizer que não há e nunca houve tal procedimento, nem tampouco existe conflito de finalidade entre a função que os médicos exercem no hospital e o serviço prestado pela clínica, já que o plantão dado no socorrão é destinado apenas à realização de exames ultrassonográficos e a clínica realiza tão somente os exames de tomografia do hospital.
Os médicos radiologistas também não solicitam os exames de imagem que são feitos na clínica: todos os exames encaminhados à Biocentro são solicitados por médicos urgentistas, neurocirurgiões, intensivistas ou cirurgiões gerais, pois estes são os especialistas que estão na lida direta com o paciente grave.
Ademais, nossa legislação brasileira, bem como o código de conduta médica, não impede que o profissional de saúde exerça função em estabelecimento público e possua algum serviço privado. Quantos são os exemplos de profissionais e colegas médicos (da própria cidade de Presidente Dutra, por sinal) que possuem clínicas e consultórios privados e exercem brilhantemente seu ofício em postos de trabalho da saúde pública, quais sejam: PSFs, SAMU, INSS, plantonistas clíncos e cirúrgiões, etc…
4) Finalmente, ansiamos sinceramente que o serviço de tomografia computadorizada volte à normalidade e torne a ser feito no próprio ambiente hospitalar do Socorrão. Isso é o mais desejável e o melhor para todos. Ao contrário do que se possa pensar, não há vantagem para nós que o modelo de ação estabelecido emergencialmente e ainda vigente, se prolongue por muito mais tempo. Nosso ambiente da clínica foi planejado para atender uma demanda ambulatorial modesta de clientes, e a presença frequente de pacientes graves realizando exames, muda drasticamente a rotina de qualquer serviço dessa natureza, aumentando sobremaneira (inclusive) os custos de manutenção dos aparelhos e do serviço, bem como o risco de uma pane na máquina por sobrecarga de trabalho, tal qual ocorreu no Socorrão.
5) Ressaltamos, ainda, que não é a primeira vez que pane semelhante acontece no socorrão. Há pouco mais de dois anos, assim que chegamos para prestar serviço no hospital, antes mesmo de existir sequer a idéia de se constituir a Biocentro, o Socorrão passou mais de seis meses sem aparelho de tomografia.
Naquela época, não existia outro aparelho de retaguarda próximo, público ou privado, para suprir, mesmo que emergencial e temporariamente, a demanda de exames urgentes normalmente gerada, e não foram poucos os casos de pacientes que faleceram ou tiveram sequelas graves por não terem tido um atendimento no tempo hábil desejado. À época, a grande maioria desses doentes era deslocada para Coroatá a fim de fazer o exame de tomografia, sendo que muitos não resistiam ao percurso.
Seria até desumano de nossa parte se nos furtássemos a fornecer nossa estrutura em uma situação como emergencial como essa. Aliás, antes mesmo de se firmar qualquer convênio com a SES-MA, no início da pane do aparelho de tomografia, inúmeras foram as ocasiões em que realizamos exames gratuitamente para pacientes graves, que ou não tinham condições de deslocamento para centros públicos mais distantes, ou que não poderiam arcar com as despesas da realização de um exame privado: tudo a fim de que pudessem receber a intervenção neurocirúrgica mais rápida e correta possível. Esse fato certamente também há de ser confirmado por colegas médicos e funcionários dessa casa de saúde.
6) Por fim, encerramos dizendo que a Clínica Biocentro não possui cor partidária ou bandeira ideológica. O nosso estandarte – esse sim – é o da prática da boa medicina: aquela tecnicamente qualificada e humanamente acolhedora. Estamos em Presidente Dutra para contribuir e ajudar a engrandecer a saúde da região. Exercemos a saúde em âmbito privado, mas não nos negamos, nem nesse nem em qualquer outro governo, a fazer parcerias público-privadas que possam trazer benefícios à população.

Atenciosamente, subescrevemos:

Evandro Abreu
Everardo Abreu
Sócios-proprietários.

4

Enfermeiros retratam o caos no Socorrão…

Enfermeiros são obrigados a cuidar de dezenas de pacientes ao mesmo tempo

Enfermeiros são obrigados a cuidar de dezenas de pacientes ao mesmo tempo

Um grupo de enfermeiros do Hospital Djalma Marques, o Socorrão, assinaram documento protestando contra o estado de coisas na unidade de saúde.

Esta é a comida servida no hospital

Esta é a comida servida no hospital

Técnicos de enfermagem estão sendo obrigados a cuidar, simultaneamente, de até 15 pacientes, o que acaba sobrecarregando os profissionais e prejudicando os próprios pacientes.

As fotos que ilustram este post, por exemplo, foram tiradas na semana passada, e mostram que a propaganda da secretária Helena Duailibe não condiz com a realidade no dia a dia do hospital.

Os funcionários do anexo, que funciona na Santa Casa, são obrigados a rotinas estafantes.

E o nepotismo corre solto, com nomeações de parentes de diretores para cargos de chefia.

O profissionais iriam se reunir hoje pela manhã com adireção, para tentar expor a situação nos corredores do Socoirrão, escondida na propaganda da Semus.

A situação real do Socorrão: diferente da propaganda..

A situação real do Socorrão: diferente da propaganda..