1

Astro de Ogum dá voto de confiança pelo Uber…

Presidente da Câmara Municipal não irá recorrer da decisão judicial que suspendeu os efeitos da lei que proibia o aplicativo em São Luís, garantindo o funcionamento do serviço

 

Astro vai aguardar a votação da regulamentação do serviço de Uber, por isso não recorrerá de decisão judicial

O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PR) garantiu que não pretende recorrer da decisão que liberou o Uber na capital maranhense.

– Como já vamos votar o projeto para regulamentar esse tipo de serviço, acredito que não precisamos recorrer – afirmou o presidente da Casa.

A informação é de O EstadoMaranhão.

A própria Câmara, informa Astro, deve iniciar na próxima semana a discussão para regulamentação dos serviços prestados pelo aplicativo.

A proposta será apreciada na segunda-feira, 4, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

E, na sessão seguinte, deverá entrar em pauta…

5

Melhore o serviço, taxista; só isso resolve…

Categoria insiste em criar problemas para a população e a ameaçar membros do Uber, mas esquece que, para recuperar o mercado, precisa ter duas coisas fundamentais: preço baixo e qualidade no atendimento

 

Taxistas na cabeceira da ponte: ação que só afasta mais a população (imagens: Flora Dolores/O EstadoMaranhão)

Os motoristas de taxi de São Luís voltaram a criar transtornos nesta segunda-feira, 21, em protesto contra a implantação do aplicativo de transportes Uber em São Luís.

E mais uma vez erraram na dose.

Não é pela força, com a habitual violência, com ameaças ao Uber ou com transtornos à população que os taxistas recuperarão o mercado de transportes na capital maranhense.

Para reconquistar o passageiro, motoristas de taxi precisam ter preço baixo e qualidade no atendimento, coisas que a maioria não conseguiu implantar, mesmo após o advento do Uber.

Leia também:

Porque o problema com o Uber?!?

Uber é o futuro; perda de tempo lutar contra ele…

Lei que determina fim do Uber é natimorta…

Com o protesto, trânsito foi de transtorno durante quase toda a manhã no Centro de São Luís

Geralmente com pouca formação cultural, grosseiros e mal educados, os taxistas de São Luís sempre se deram ao luxo de cobrar quanto quisessem por uma corrida; e até a escolher que trajeto fazer para levar o passageiro.

O Uber mudou esta lógica, com garantia de segurança, atendimento de qualidade e, sobretudo, preço baixo, às vezes até 1/3 do que cobram taxistas.

E não adianta os donos de taxi gritar, espernear, agredir e ameaçar sem mudar a lógica de seu atendimento.

Mesmo diante de tudo isso, o passageiro ainda continua preferindo o Uber.

É simples assim…

9

Porque o problema com o Uber?!?

São Luís se torna a única capital do mundo a barrar um serviço que é visto em todo o mundo como exemplo de avanço no setor de transporte

 

ACOSSADO. Além da perseguição de taxistas, o Uber enfrenta também a perseguição estatal

Em todo o mundo, o aplicativo utilizado para chamadas de transporte de passageiros – conhecido por Uber – já é uma realidade aplaudida e reconhecida por usuários e autoridades.

Em muitos países, e em grandes cidades brasileiras, este sistema já tem até concorrentes, que ajudam a melhorar ainda mais o setor de transportes.

Mas aqui em São Luís, o Uber, como quase todos os assuntos – da cultura ao futebol; do Turismo ao Meio Ambiente e aos negócios – também virou uma questão política.

E fica claro que as ações a respeito do aplicativo tendem a levar em consideração as eleições.

Primeiro foi o prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PDT), que perdeu todos os prazos para sancionar uma lei da ex-vereadora Luciana Mendes, que proibia este tipo de transporte em São Luís – na contramão, diga-se, de todo o mundo moderno.

Preocupado em se queimar com o eleitorado formado pela ativa categoria dos taxistas, que se recusam a conviver no mesmo espaço com os motoristas do Uber, Edivaldo deixou que o prazo esgotasse para jogar a batata quente nas mãos do presidente da Câmara, Astro de Ogum (PR). E ele não pestanejou em promulgar a lei, tornando o aplicativo ilegal na única capital brasileira a legislar sobre o tema.

Para tentar corrigir o problema criado, o deputado Edilázio Júnior (PV) – que muito viaja e conhece como as coisas funcionam mundo afora – apresentou projeto de lei regulamentando o Uber. E a foi a vez da bancada do governador Flávio Dino (PCdoB) ajudar a derrubar a proposta.

Aos que conhecem o serviço em outros estados e países, resta agora a ação pretendida pela promotora Lítia Cavalcanti, que quer anular a lei da Câmara.

Até lá, no entanto, Uber é um serviço clandestino na única capital mundial que tomou este tipo de medida.

Da coluna EstadoMaior, de O EstadoMaranhão

3

Além de ultrapassada, lei que determina o fim do Uber é natimorta…

Determinação da Câmara de São Luís em benefício de taxistas, será solenemente ignorada por usuários e trabalhadores da categoria, pelo simples fato da impossibilidade de fiscalização

 

LEI DA CAVERNA
A proibição ao Uber é uma espécie de reserva de mercado aos taxistas contra o Uber

Trata-se de uma lei morta a proibição ao aplicativo Uber de operar em São Luís.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Astro de Ogum (PMN), assinou a promulgação da Lei 119/205, um dia após protesto agressivo dos taxistas.

A lei, de autoria da ex-vereadora Luciana Mendes, foi aprovada na Câmara ainda em 2016, mas não foi sancionada pelo prefeito Edivaldo Júnior (PDT), por isso voltou à Câmara.

Mas seus efeitos são praticamente nulo.

Isso porque, é quase impossível manter a fiscalização em cada carro de São Luís – já que não há identificação do Uber – para saber qual está levando passageiros pagos.

RESERVA DE MERCADO
Taxistas usam até de violência, caso necessário, para impedir que entrem em seus domínios

A menos que os próprios taxistas montem barricadas para impedir também o direito de ir e vir do cidadão.

Tanto que os Uber continuaram a circular mesmo após a promulgação da lei.

E a população agradece…

4

SMTT discute na Câmara realidade dos defensores de taxi…

Com a presença do secretário Canindé Barros, audiência organizada pelo vereador Marcial Lima reuniu 16 vereadores, líderes comunitários e população envolvida no debate

 

Canindé Barros participou da audiências e explicou as questões inerentes aos taxis

O secretário Canindé  Barros , titular da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) participou de audiência pública na Câmara Municipal de São Luís, nesta sexta-feira, 31, para discutir questões sobre a realidade dos defensores de taxis da capital.

A audiência, promovida pelo vereador Marcial Lima (PEN), contou com a participação de 16 vereadores, líderes de comunidade, ex-vereadores, imprensa e a comunidade envolvida nas discussões.

Com grande participação de público, a audiência foi uma oportunidade para serem levantadas várias questões  ligadas ao serviço de táxis, demandadas tanto pela categoria que executa esse serviço com pelos respectivos usuários.

Mesmo numa sexta-feira, a audiência reuniu 16 vereadores, lideranças comunitárias e profissionais do setor

Para o secretário Canindé Barros a audiência foi uma oportunidade satisfatória para discutir vários problemas que envolvem atualmente o serviço de taxis na capital e que, vez por outra, gera muita polêmica.

Entre essas questões estão a regulamentação do serviço de vários defensores.

– Diante das questões levantadas, visando solucionar vários problemas do setor, foi formada uma comissão para tal fim. Essa comissão é formada tanto pela comissão de transporte que já existe na Câmara, como por outros membros representantes da classe de taxistas e afins – disse o secretário.

Na oportunidade, vários vereadores  destacaram a importância do trabalho que está sendo realizado na Secretaria de Trânsito e Transporte, através do Secretário Canindé Barros.

Ressaltaram  ação como a licitação do Sistema de Transporte Público de São Luís, que trouxe grandes avanços e melhorias em todo o sistema.