0

Aliada de Weverton, presidente da Fetaema é vítima de fake news comunistas…

Blogs alinhados ao Palácio dos Leões – e o próprio presidente estadual do PCdoB, deputado Márcio Jerry – tentam desqualificar Ângela Silva, primeira mulher a presidir a entidade em 50 anos e com histórica luta em defesa do trabalhador do campo

 

Apoiadora de Weverton, Ângela Silva tem sido atacada por comunistas e aliados do Palácio dos Leões

Blogs e perfis alinhados ao Palácio dos Leões seguem na tentativa desqualificar o apoio da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Maranhão ao senador Weverton Rocha (PDT), candidato ao governo do Maranhão.

O alvo tem sido a presidente da entidade, Ângela Silva, primeira mulher em 50 anos a presidir a Fetaema.

Na semana passada o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB), jogou seu veneno num vídeo em que insinua que a presidente da Fetaema é bolsonarista, num claro desrespeito à Ângela Silva e à Fetaema, uma entidade que defende os trabalhadores e trabalhadoras do campo.

– Vimos nos últimos anos o número de conflitos no campo aumentarem. Vimos as terras serem invadidas e muitos companheiros tombando. O senador Weverton sempre esteve do nosso lado e sempre esteve pronto a ajudar a Fetaema nestes conflitos e, por isso, ainda em 2021 declaramos o nosso apoio. É inadmissível tentarem nos calar com mentiras e com insinuações sem sentido – rebateu Ângela Silva.

Ângela fez contundente discurso de apoio a Lula e Weverton durante convenção pedetista, o que irritou os comunistas aliados de Carlos Brandão

Agora, mais recente, a rede de fake news palaciana espalha que durante a fala de Ângela, na convenção que oficializou a candidatura do senador  pedetista, Ângela foi vaiada ao falar que a Fetaema apoia Weverton e Lula.

Nada poderia estar mais longe da verdade.

Nos vídeos do evento, é possível ver e ouvir os aplausos quando Ângela falou que a Fetaema apoia Weverton para o governo e Lula para presidente.

– Quero dizer que a Fetaema sempre teve lado. Sempre lutou pela democracia. Que a Fetaema tem autonomia para representar o nosso povo do campo. Ninguém vai nos calar. A agricultura familiar tem nome, que é Weverton Rocha. Nós queremos o Maranhão mais feliz com Weverton no Governo do Maranhão e Lula presidente – disse Ângela durante a convenção, sendo bastante aplaudida.

Para tristeza de muitos, que pregam mentiras e tentam pisotear as instituições.

2

Brandão comemora apoio de petistas que já estavam com ele

Militantes que defenderam a vontade de Flávio Dino no encontro de tática do PT são, inclusive, todos empregados no Palácio dos Leões, que não conseguiu a unidade esperada na base do partido, toda fechada com Weverton Rocha

 

Flávio Dino com os petistas empregados no Palácio dos Leões ou com indicação de cargos no governo Brandão

Nenhuma novidade foi registrada no encontro de tática do PT maranhense, no final de semana.

As mesmas brigas de sempre, os mesmos interesses e as mesmas figuras carimbadas empregadas no Palácio do Leões, seja qual for o governo de plantão.

Mesmo com todo o poderio de Flávio Dino, o governador-tampão Carlos Brandão não conseguiu a unidade esperada, com a base do partido toda fechada com o senador Weverton Rocha (PDT).

O encontro, como sempre, gerou muito bate-boca, acusações e agressões de lado a lado.

Com Brandão ficaram todos os empregados no Palácio dos Leões; com Weverton, a base partidária, formada por sindicalistas, servidores públicos e trabalhadores.

O PT fechado com Weverton já articula, inclusive, encontro próprio para reforçar a aliança…

2

De como as ações de Weverton em favor dos trabalhadores consolidam sua base nos segmentos sociais progressistas

Senador que já tem o apoio da Fetaema, do Sindsep e de diversos sindicatos ligados à CUT e ao PT atuou diretamente em Brasília em favor dos agentes de Saúde, agentes de endemias e enfermeiros do Maranhão

 

Weverton em plenária da Federação dos Agentes Comunitários de Saúde, comemorando aprovação do piso da categoria

Os agentes comunitários de Saúde também tiveram o apoio de Weverton em sua luta salarial

Historicamente ligado às lutas dos trabalhadores, como liderança de esquerda filiado desde sempre ao PDT, o senador Weverton Rocha tem base consolidada nos setores mais progressistas dos movimentos sociais.

O apoio oficial da Fetaema e do Sindsep, além de vários outros sindicatos filiados à CUT e ligados ao PT, é um reconhecimento da esquerda à atuação do senador em favor da classe trabalhadora.

Esta semana, ele reuniu-se com a Federação Maranhense dos Agentes Comunitários de Saúde (Femacs) para comemorar a aprovação da Emenda Constitucional que criou o piso salarial da categoria.

– A proposta estava parada há dez anos no Congresso e ajudei a aprovar – conta Weverton.

 

Este ano, Weverton também já comemorou com enfermeiros a aprovação do piso salarial da categoria.

Ligado historicamente à esquerda, o senador pedetista já recebeu apoio à sua candidatura de setores do PT, do PSB e do PSOL; é um dos mais fortes candidatos entre os servidores públicos e tem forte identificação com as lutas do trabalhador no campo.

Sua bandeira de esquerda Weverton levanta desde jovem, no movimento estudantil e na luta da juventude socialista.

No Congresso, primeiro como deputado federal, depois como senador, sempre votou a favor das pautas progressistas, na defesa do trabalhador e contra o autoritarismo.

Na política, Weverton sempre esteve ao lado do ex-governador Jackson Lago, uma das lendas da esquerda brasileira, referência internacional socialista; a relação é tão forte que o senador é visto nacionalmente como o herdeiro político do pedetista.

Com os agentes de endemias, categoria que também conta com o apoio do senador pedetista em Brasília

No Maranhão, sempre esteve na oposição ao chamado grupo Sarney, atuando diretamente nas ruas, em passeatas, movimentos grevistas e atos públicos.

Em Brasília, como deputado e senador, combateu o golpe contra a ex-presidente Dilma e denunciou a prisão do ex-presidente Lula.

É por sua história em favor da classe trabalhadora que Weverton é procurado primeiramente em Brasília pelas categorias que buscam ajuda dos congressistas maranhenses.  

E é por sua história que ele tem base tão consolidada nos setores progressistas e nos movimentos sociais maranhenses.

Uma base histórica e natural…

4

PT ideológico fica com Weverton; PT fisiológico vai com Brandão

Dirigentes partidários com cargos no governo-tampão para si e para parentes – controlados por Flávio Dino – estão alinhados à candidatura do governador tucano-socialista; a parte tradicionalmente ligada às pautas da esquerda, aos movimentos sociais e às lutas dos trabalhadores fecham com o senador pedetista

 

A relação de Lula com Weverton é natural por que é histórica, desde que o senador ainda era militante do movimento estudantil

Ensaio

As eleições para governador do Maranhão produziram neste 2022 uma das mais claras e reluzentes divisões de conceito no PT maranhense.

O partido hoje tem duas caras absolutamente definidas: uma ideológica, alinhada às lutas da esquerda, à classe trabalhadora e ao aos movimentos sociais, e outra que se mostra fisiológica, ávida por cargos para dirigentes e parentes.

A parte ideológica, que se mostrará nesta quarta-feira, 20, em encontro na sede da Fetaema, está abertamente apoiando a candidatura do senador Weverton Rocha (PDT).

A outra parte, a fisiológica, está alinhada ao governador-tampão Carlos Brandão (PSB), que distribui cargos a torto e à direita na tentativa de se mostrar ao aldo do ex-presidente Lula.

A divisão no PT se dá também pelo histórico dos próprios candidatos a governador.

Brandão é historicamente ligado ao coronelismo e à política tradicional no interior do estado; não compreende o movimento sindical, não tem relação com a luta dos trabalhadores e vê com estranheza pautas modernas como o empoderamento feminino, a concessão de direitos LGBTQIA+, a luta dos negros e quilombolas e a divisão de terras improdutivas no interior.

Agora filiado ao PSB, Carlos Brandão é, na verdade, tucano histórico, ligado ao presidenciável João Dória, do PSDB

Weverton, por sua vez, filiado desde sempre ao PDT, atua na esquerda desde o movimento estudantil; comandou a UNE, atuou sempre em pautas trabalhistas, na defesa dos trabalhadores, é militante da causa de negros, mulheres, LGBTQIA+ e tem relação direta com os sindicatos e centrais sindicais, como Fetaema, CUT, Sindsep e outras entidades da classe trabalhadora.

Enquanto Brandão esteve calado durante o golpe contra a presidente Dilma e chegou a chamar Lula de estelionatário, Weverton pregou contra o golpe e foi o primeiro maranhense a visitar a cadeia em Curitiba, para onde foi levado o ex-presidente.

Não há dúvidas, portanto, de que há dois PT’s atuando nas eleições maranhenses: um fisiológico e outro ideológico.

E a atuação de cada um, com todos seus instrumentos de persuasão, definirá também de que lado estará o eleitor comum.

Simples assim…

0

Assembleia vai debater utilização de mão de obra local no Maranhão…

Proposta do deputado Zé Inácio é discutir o aproveitamento de trabalhadores em serviços de construção civil, construção pesada, montagem e manutenção industrial em todo o estado

 

A Assembleia Legislativa realiza nesta terça-feira, 17, audiência pública que vai discutir o aproveitamento de mão de obra maranhense em obras e serviços em todo o Maranhão.

A proposta é do deputado Zé Inácio (PT), que vai ouvir empreiteiras, sindicatos, formadores de mão de obra e trabalhadores sobre as forma de aproveitamento.

O objetivo do parlamentar é garantir mão de obra local em serviços de construção civil, construção pesada, montagem e manutenção industrial em todo o Maranhão.

A audiência está prevista para as 14h…

0

“A reforma vai ajudar a diminuir desigualdades”, afirma Pedro Lucas…

Deputado federal reconheceu que o tema é difícil, mas justificou o voto a favor do projeto do governo Bolsonaro apostando também no crescimento da economia

 

PEDRO LUCAS APRESNTA MAIS UM PROJETO DE IMPACTO SOCIAL à Câmara dos Deputados

O deputado Pedro Lucas Fernandes (PTB) justificou assim seu voto a favor do projeto do governo Bolsonaro (PSL) para a Reforma da Previdência;

– Não é uma tema fácil, mas a reforma vai ajudar a reduzir desigualdades e ajudar a economia do país a crescer!

Pedro Lucas foi um dos 14 maranhenses que votaram a favor da Reforma da Previdência. Líder do PTB na Câmara, ele seguiu no posicionamento partidário.

– Como líder do PTB, reafirmo o posicionamento do nosso partido em proteger os trabalhadores rurais, idosos e pessoas com deficiência que são assistidas pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC) que estão fora da reforma da Previdência – ratificou.

0

Pedro Lucas assina manifesto contra pontos da reforma da Previdência..

Líder do PTB, maranhense foi um dos parlamentares a se posicionar contra perda de direitos de trabalhadores no projeto encaminhado pelo governo Jair Bolsonaro para análise na Câmara

 

O deputado federal maranhense Pedro Lucas Fernandes (PTB) foi um dos líderes partidários que se manifestaram contra a perda de direitos previdenciários dos trabalhadores rurais e pessoas do programa de prestação continuada .

– Em nome do partido o qual represento não deixarei que a população mais pobre e vulnerável seja tão gravemente impactada por esta importante e necessária reforma – disse o parlamentar.

Na prática, com a assinatura do ato, o deputado maranhense se posiciona, e encaminha o mesmo posicionamento á sua bancada, contra pontos da reforma apresentada por Jair Bolsonaro.

Os partidos assumiram compromisso com a reforma, mas apontaram os pontos que precisam ser retirados da proposta de Bolsonaro.

1

Mulheres, trabalhadores rurais e idosos pobres sofrerão com a nova Previdência, diz Weverton

O senador Weverton (PDT-MA) demonstrou preocupação com os aspectos da reforma da Previdência que tratam das regras de aposentadoria para mulheres e trabalhadores rurais, além do valor previsto para o pagamento do benefício da prestação continuada.

“É preciso dialogar desarmado”, afirmou, “mas alguns trechos são piores que a reforma enviada por Temer”.

Weverton destacou como inaceitável a proposta de aumentar para 70 anos a idade em que os idosos muito pobres recebem um salário mínimo no Benefício da Prestação Continuada e de pagar apenas 400 reais no BPC entre os 60 e os 70 anos. E afirmou que o regime de capitalização é ruim para os idosos pobres.

“Estamos decretando, de forma oficial, que a maioria da população idosa do nosso país será miserável”, afirmou.

O senador também criticou o tempo de contribuição de 40 anos para atingir a aposentadoria integral e afirmou que as mulheres serão as grandes prejudicadas, porque mesmo com a idade mínima exigida para aposentadoria menor, elas terão que contribuir pelo mesmo tempo que os homens.

“Isso é o mesmo que colocar idade mínima igual para homens e mulheres, o que não é justo”, comentou.

Reunião técnica

Na segunda-feira (25), Weverton se reuniu com sua equipe técnica para avaliar a proposta da reforma da Previdência enviada pelo presidente Bolsonaro ao Congresso Nacional.

Ele afirmou que aguardará para ver qual texto será enviado da Câmara para o Senado, mas já estuda apresentar emendas para reduzir o tempo de contribuição e estabelecer regra de transição para mulheres, voltar o pagamento do BPC para as atuais condições e retirar a obrigatoriedade de contribuição anual de 600 reais para os trabalhadores da agricultura familiar.

“Nós, que somos da oposição, queremos ouvir o ministro da Fazenda, Paulo Guedes, e o secretário geral da Previdência, Rogério Marinho, e saber deles como vão construir os ajustes dessa reforma”, explico. “Mas não aceitaremos que os trabalhadores lá da ponta paguem a conta sozinhos.”

0

Zé Inácio destaca papel dos trabalhadores do campo no debate contra o governo Temer

Parlamentar participou da posse do Sindicato dos Trabalhadores rurais de Presidente Vargas e ressaltou importância da classe na organização política

 

Com um discurso em defesa dos trabalhadores, Zé Inácio (PT) participou da posse do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Presidente Vargas

“Os trabalhadores do campo também contribuíram para que fossem barradas as reformas do Governo Michel Temer”, afirmou o Deputado Zé Inácio (PT) neste domingo 25, durante a posse da diretoria eleita do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Presidente Vargas.

O ato de posse foi realizado na sede do sindicato e contou com a participação do Presidente do Sindicato José Barto, do Prefeito do município Welington Costa Uchôa, do Coordenador da Fetaema Carlos Magno e do Secretário Municipal de Saúde Erinaldo Pimentel.

Zé Inácio realizou um discurso falando da importância dos trabalhadores rurais que “lutaram para barrar as reformas Trabalhista e Previdenciária do Governo Michel Temer, assim como o mandato que vem sido desenvolvido em prol dos trabalhadores do campo, da agricultura familiar, dos pescadores”.

Foram empossados na diretoria o Presidente José Barto; o Secretário Geral Francisco das Chagas; o Secretário de Finanças Joventino da Silva; o Secretário de Política Agrária Raimundo Nonato; o Secretário de Políticas Sociais Francineide Rodrigues; a Secretária de Formação Maria Arlete, Conselho Fiscal e os suplentes. 

Da assessoria

1

Imagem do dia: clima de guerra na Rua Grande…

Militantes da CUT e do PT tentaram impedir os lojistas de abrir seus estabelecimentos na manhã desta sexta-feira. O grupo ameaçou em frente às lojas até mesmo aos trabalhadores que decidiram não aderir à greve. A polícia foi chamada para conter os manifestantes. Empresários repudiaram a ação. Este blog também, já que a greve deve ser uma escolha pessoal de cada cidadão