1

PDT quer formar bancada gigante na Assembleia…

Partido que tem como meta chegar ao Senado em 2018 quer se fortalecer a partir do Parlamento, com atração de vários deputados estaduais

 

Weverton pretende fortalecer a bancada do PDT na Assembleia

Weverton pretende fortalecer a bancada do PDT na Assembleia com nomes de peso na Casa

Pelo menos três deputados estaduais estão na mira de curto prazo do PDT, e devem entrar no partido ainda em 2016.

Isolado no PSB, e sem identidade alguma com o partido socialista, o deputado Bira do Pindaré deve fechar com a legenda comandada pelo deputado federal Weverton Rocha.

Além dele, cogitam trocar de legenda o presidente em exercício da Casa, Othelino Neto (PCdoB) e o líder do governo, Rogério Cafeteira (PSB).

Caso confirme a entrada destes parlamentares, o PDT se consolida como a maior bancada da Assembleia.

Mas, se ganha uns, o partido deve perder outros. Está quase certa, por exemplo, a saída do presidente Humberto Coutinho.

Ele deve se transferir para o PP.

Mas esta é uma outra história…

2

Wellington deixa o PPS, que deve ser o caminho de Eliziane…

Deputado estadual anunciou sua desfiliação nesta sexta-feira, 18, mas não disse para onde vai. “Só sei que manterei minha independência”, frisou; Eliziane Gama estuda retorno à legenda

 

Eliziane Gama e Wellington: ela entra e ele sai do PPS...

Eliziane Gama e Wellington: ela entra e ele sai do PPS…

O deputado estadual Wellington do Curso anunciou no final da tarde desta sexta-feira, 18, a sua desfiliação do PPS, partido pelo qual foi eleito em 2014.

O parlamentar, no entanto, não revelou qual o seu novo destino partidário.

– Ainda não sei. Só sei que manterei minha independência – ressaltou.

A decisão de Wellington reflete que ele ainda sonha ser candidato a prefeito de São Luís, embora não saiba ainda por qual legenda.

E aponta também para um provável retorno da deputada Eliziane Gama ao PPS.

A deputada federal decidiu deixar a Rede Sustentabilidade, embora não tenha feito anúncio oficial, mas recuou na indicação de ir para o PSB.

O caminho de Eliziane Gama deve ser mesmo o próprio PPS, legenda que ela dirigiu até 2015.

Mas esta é uma outra história…

3

Juscelino explica crise com deputados do DEM na Assembleia Legislativa…

Deputado federal que controla o partido no Maranhão diz que indicou a composição dos blocos porque os dois parlamentares da legenda não se entenderam; polêmica levou César Pires a anunciar saída

 

Juscelino; "DEM não tem diálogo com governo"

Juscelino; “DEM não tem diálogo com governo”

O deputado federal Juscelino Filho (PRP), que controla o DEM no Maranhão, explicou ontem que a legenda só decidiu interferir na questão da formação dos blocos na Assembleia Legislativa por que os dois deputados – César Pires e Antonio Pereira – não se entenderam.

pires

Pires: em busca de um novo caminho

– O problema é que Antonio Pereira queria formar com o bloco União Parlamentar, mas César Pires queria entrar no bloco do governo. Como o DEM não tem qualquer diálogo com o governo, decidiu encaminhar documento pela formação no União Parlamentar – explicou Juscelino.

A crise no DEM levou ontem o deputado César Pires a anunciar sua saída do partido.

Ele deve aproveitar a janela partidária para decidir novo futuro partidário.

Mas esta é uma outra história…

2

Janela partidária pode alterar correlação de forças em São Luís…

Pelo menos cinco lideranças diretamente ligadas às eleições na capital maranhense podem trocar de partido até abril

 

candidatosOs deputados Eliziane Gama (Rede), Andrea Murad (PMDB), Bira do Pindaré (PSB) e Wellington do Curso, além do senador Roberto Rocha (PSB), têm o futuro eleitoral em São Luís atrelado ao futuro partidário.

Todos eles estão na disputa pela Prefeitura de São Luís – ou pelo menos pretendem entrar – mas ainda precisam consolidar um projeto de partido.

Favorita na capital, Eliziane trocou o PPS pela Rede Sustentabilidade  em setembro do ano passado. Mas pode buscar novo rumo – PSB ou PSDB – ou até mesmo retornar ao PPS.

Aliado de Eliziane no PPS, Wellington pode fazer o caminho inverso. Ainda com projeto de entrar na disputa, ele pode deixar o partido para viabilizar seu nome.

O PSDB pode ser também o destino de Roberto Rocha, que nunca foi, de fato, um socialista. Ele tem convites nacionais para retornar ao ninho tucano e conduzir o processo eleitoral à frente da legenda.

Mas pode permanecer no PSB se Bira do Pindaré sair.

O deputado que ora ocupa a Secretaria de Ciência e Tecnologia reconhece as dificuldades de viabilização no PSB. E pode até retornar ao PT, projeto que tentou ainda no ano passado.

Por fim, a deputada Andrea Murad admitiu, ela própria, que pode até deixar o PMDB se não conseguir viabilizar o seu projeto de ser candidata a prefeita.

E qualquer uma dessas mudanças que se efetivar altera, fortemente, a correlação de forças na disputa em São Luís.

É aguardar e conferir…

0

Flávio Dino e as mudanças no secretariado…

dinoEstão sendo cogitadas, sim, e serão feitas. Porque a mudança é uma lei da vida. Nós sempre temos de estar nos adequando aos novos desafios. Nós temos neste momento um processo de debate em relação a alguns casos, envolvendo não só a figura do secretário, mas também as equipes. Porque eu considero que a atividade de governar é necessariamente coletiva. Então nós estamos debatendo simultaneamente. Alguns casos vão resultar em mudança de secretários e, em outros casos, vão resultar apenas em mudanças de equipes”

governador Flávio Dino, em entrevista ao Jornal Pequeno…

1

Reforma ampla e irrestrita no governo Dino…

Os secretários de Flávio Dino: muitos não emplacarão em 2016

Os secretários de Flávio Dino: muitos não emplacarão em 2016

É bem maior do que tentam passar os próprios governistas a reforma administrativa que deve ser implementada pelo governador Flávio Dino a partir de janeiro. Para começar, as mudanças que ele pretende fazer devem atingir, inclusive, a base parlamentar na Assembleia Legislativa, com troca de lideranças e retorno de deputados à Casa.

O próprio governador admitiu a possibilidade de mudança no secretariado, ao fazer visita à UFMA, esta semana. E deixou claro que nenhum secretário tem vínculo garantido até 2018.

No campo das especulações, apontam-se, pelo menos, seis secretários com possibilidade de saída. São eles: Marcos Pacheco, da Saúde; Robson Paz, da Comunicação; Jefferson Portela, da Segurança; Áurea Prazeres, da Educação; Neto Evangelista, do Desenvolvimento Social, e Bira do Pindaré, da Ciência e Tecnologia.

Entre os mais cotados a sair de cena, Portela tem maiores chances de se manter, pela forte ligação ideológica com o PCdoB. Já Áurea Prazeres estaria em rota de colisão com a cúpula do PDT maranhense, que a indicou para o posto. E deve ser substituída por outro membro do partido.

Neto Evangelista (PSDB) e Bira do Pindaré (PSB) devem deixar o governo para retornar à Assembleia, onde têm mandato de deputado estadual. Evangelista volta à Casa para amenizar o desgaste que sofreu pelo imbróglio vivido entre Flávio Dino e a prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, sua sogra.

Pindaré, por sua vez, deve assumir a liderança do governo.

E será a partir daí que Dino implementará, também, mudanças na relação com sua base.

Da coluna Estado Maior, com ilustração do blog
3

Flávio Dino admite mudança e deixa secretariado tenso na virada do ano…

Governador afirmou que apenas ele e o vice Carlos Brandão – porque foram eleitos – têm cargos garantidos até 2018

 

Flávio Dino não esconde a decepção com auxiliares

Flávio Dino não esconde a decepção com auxiliares

O governador Flávio Dino (PCdoB) acabou por tornar o fim de ano do seu secretariado numa tensa expectativa sobre o futuro.

Em reunião na Universidade Federal do Maranhão, o comunista garantiu: “tudo pode mudar”.

– Eu tenho a garantia de dois nomes não vão mudar: Flávio Dino e Carlos Brandão. Esses foram eleitos até 2018 – afirmou o governador.

Leia também:

As mudanças que Flávio Dino quer…

Especulações sobre mudanças no secretariado de Dino – inclusive com nomes de possíveis quedas – vêm sendo especulado dede o início do segundo semestre.

Mas é a primeira vez que o próprio Flávio Dino admitiu esta possibilidade.

E justo nas proximidades do Natal…

4

Destinos na reta final…

O fim do prazo para que os interessados nas eleições de 2016 possam trocar de partido termina na próxima sexta-feira, 2. E a movimentação ontem aumentou fortemente nos bastidores partidários, sobretudo na capital maranhense. E o troca-troca deve atingir não apenas pré-candidatos, mas também lideranças políticas interessadas no reposicionamento partidário.

Entre os candidatos, é quase certo que buscarão novos partidos o ex-secretário Ricardo Murad – que deve trocar o PMDB pelo PTN – e a vereadora Rose Sales, que estuda ir para o PV ou para o PEN. Mas há a possibilidade, também, de que a própria deputada Eliziane Gama deixe o PPS. Não se descarta a sua filiação ao Rede Sustentável, partido da ex-ministra Marina Silva.

Outro ainda sem rumo partidário definido é o deputado federal João Castelo, que não tem a garantia do PSDB de que poderá ser candidato em 2016. Mas Castelo não tem qualquer noção de para onde ir se precisar mesmo deixar o ninho tucano.

 

A mudança partidária dos pré-candidatos – sobretudo uma eventual mudança de Eliziane – mexerá também com políticos que, aparentemente, nada têm a ver com as eleições do ano que vem.

 

A mudança partidária dos pré-candidatos – sobretudo uma eventual mudança de Eliziane – mexerá também com políticos que, aparentemente, nada têm a ver com as eleições do ano que vem. O deputado federal José Reinaldo Tavares, por exemplo, deve mesmo deixar o PSB. Seu destino mais provável é o Partido Novo (PN), criado recentemente.

A caminho do mesmo partido estaria também o deputado estadual Wellington do Curso (PPS).
Para a mesma Rede Sustentável está sendo cogitada a entrada do deputado Cabo Campos (atualmente no PP).

E até o presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho (PDT) pode trocar de legenda.

Como se vê, a movimentação partidária deve ser intensa durante toda esta semana, com mudanças significativas – relacionadas direta ou indiretamente às eleições de 2016.

0

Suplente também pode perder condição de assumir com troca de partido…

troca-troca-partidárioUma intensa movimentação de suplentes por troca de partidos tem marcado os bastidores da política, sobretudo no interior maranhense.

Com a proximidade do fim do prazo para filiação partidária daqueles que pretendem disputar as eleições de 2016, muitos estão deixado as legendas pelas quais concorreram em 2012, em busca de outros partidos.

Ocorre que, para os suplentes, vale a mesma regra que marca a relação partidária dos vereadores: se deixar o partido, perde a condição de assumir mandato, já que, pela Lei da Fidelidade Partidária, o mandato pertence a legenda.

O prazo para troca de partido te3rmina em 30 de setembro.

Mas, até lá, será intensa a movimentação por mudança partidária…

3

Mais um deve deixar a Prefeitura de São Luís…

Eliana, ligada a Astro, deve ir para a Semapa

Eliana, ligada a Astro, deve ir para a Semapa

Desde a semana passada, surgem nos bastidores informações de que o secretário municipal de Abastecimento, Aldo Rogério, vai deixar o cargo.

Já teria até substituto, Eliana Bezerra, atual chefe de gabinete do presidente da Câmara Municipal,  vereador Astro de Ogum (PMN).

Aldo Rogério não durou nem seis meses no cargo. Ligado ao senador Roberto Rocha (PSB), não disse a que veio. (Releia aqui)

Mas sua substituição não significa esvaziamento do senador, pelo contrário.

Desde as festas juninas, quando fizeram dobradinha no Arraial da Cidade, Roberto Rocha e Astro de Ogum estão fortemente entrosados.

E a troca deve ser também orientada por ele…