0

Vigilância Sanitária suspende venda de “Noz da Índia” no Maranhão…

Após morte de uma funcionária do Tribunal de Justiça por suposto uso do produto, órgão do Governo do Estado decidiu agir, fechando a porta depois de arrombada

 

A Noz da Índia pode ser confundida com sementes tóxicas; e aí pode estar o problema

Só após a polêmica envolvendo a morte de uma servidora do Tribunal de Justiça, por suposto uso do produto conhecido por “Noz da Índia”, a Superintendência de Vigilância Sanitária do Maranhão decidiu suspender a comercialização do produto em todo o estado.

– A Suvisa informa que o produto, indicado para emagrecimento, não possui comprovação da eficácia e da segurança do seu uso, além de não possuir registro no Ministério da Saúde – afirma nota.

A “Noz da Índia é vendida livremente em todo o país há pelo menos dois anos, sem nenhuma fiscalização.

A própria Vigilância Sanitária maranhense reconhece em sua nota que o produto vem sendo comercializado, mesmos em registro.

A Suvisa admite também “relatos recentes de pessoas doentes” após uso do produto.

Mas só agora, após a primeira suspeita de morte relacionada à semente, é que o órgão de vigilância resolve agir.

E ainda faz o alerta tardio:

– Por fim, a Superintendência esclarece que por se tratar de produto sem registro, os estabelecimentos que estão comercializando a Noz da Índia estarão sujeitos às penalidades sanitárias previstas em lei.

É simples assim?!?

6

Moradores reclamam de transtornos da Secretaria de Saúde em via do Calhau…

Instalada desde o início do governo Flávio Dino na rua Taguatinga, a secretaria adjunta da pasta abusa dos estacionamentos duplos e geraram um caos no trânsito em uma área considerada a mais tranquila da região

 

A rua onde fica o prédio alugado é estreita, mas os servidores da pasta não respeitam e estacionam dos dois lados

A rua onde fica o prédio alugado é estreita, mas os servidores da pasta não respeitam e estacionam dos dois lados

Moradores da Rua Taguatinga, no Calhau, estão sofrendo transtornos constantes por causa da implantação da Secretaria Adjunta da Política da Atenção primária e Vigilância em Saúde na área, desde o início do governo Flávio Dino (PCdoB).

A via, paralela à Avenida dos Holandeses e no limite da Reserva do Rangedor, era uma das mais tranquilas até a implantação do órgão, que levou o caos para a via.

Curiosamente, a frente do prédio, onde há vagas, fica vazia

Curiosamente a frente do prédio, onde há vagas, fica vazia

Os transtornos foram até denunciados por alguns dos moradores em suas páginas no Facebook.

Os funcionários não respeitam as normas de trânsito na área, estacionam em frente às garagens das casas, dos dois lados da rua e não respeitam limites de velocidade, de preferência e de ultrapassagem.

E nenhum órgão da prefeitura ou do governo – apesar de alertados – passa pelo local durante o horário de expediente…

1

Prefeitura de Lago da Pedra lança Projeto Educanvida em parceria com a Anvisa…

educa

A Prefeitura de Lago da Pedra através das Secretarias de Educação e Saúde, lançou no município o Projeto Educanvisa, fruto de uma parceria com a Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

O Educanvisa é um projeto que prepara os profissionais de educação da rede pública e de vigilância sanitária para que possam disseminar conceitos de saúde que tem relação direta com o trabalho da Anvisa, como a prevenção aos riscos associados ao consumo de medicamentos e de alimentos industrializados.

A coordenadora da vigilância sanitária de Lago da Pedra, Dalva Leite, destacou os esforços da Gestão Municipal para trazer o projeto para Lago da Pedra, ressaltando que o objetivo da Anvisa é educar, expandindo a vigilância sanitária para a população, começando pelas crianças.

– É um casamento, saúde e educação, é um casamento que dá certo, porque somente com uma educação de qualidade e da união educação e saúde, nós podemos mudar a política, mudar a economia e mudar a sociedade – disse a coordenadora.

Os professores que foram inseridos no projeto passaram por uma formação em São Luís, para estarem preparados para atuarem no programa.

educa2

Para a professora Raimunda Cruz, fazer parte do projeto é sem dúvida muito importante.

– Falar de saúde é muito importante e nós temos que começar pela base que são nossas crianças porque eles já vão crescendo com essa consciência de saber utilizar os medicamentos, saber o perigo dos agrotóxicos, então pra mim é muito importante, estou muito orgulhosa de está participando desse trabalho – disse a educadora.

Metodologia do Projeto

No Educanvisa, os conteúdos são passados por meio de minicursos fundamentados em quatro temas:
• A Saúde e a Promoção da Saúde
• A Vigilância Sanitária
• Os Medicamentos / Os Alimentos 
• A Propaganda de Medicamentos e de Alimentos

Nos minicursos, os professores são preparados para aplicar os temas em sala de aula. O que se espera como resultado é a formação de estudantes capazes de disseminar conhecimentos de Vigilância Sanitária em suas comunidades.

4

Fornecedora gera crise na gestão da Vigilância Sanitária…

Após ter sido interditada pelo superintendente do órgão – por falta de registro dos produtos – a empresa Nutrilar, que fornece material de limpeza, foi reabilitada pelo secretário-adjunto de Saúde

 

vigilânciaUma crise de poder vem tomando conta da Agência de Vigilância Sanitária do governo Flávio Dino, desde que o secretário-adjunto de Saúde, veterinário Arnaldo Muniz, decidiu envolver-se diretamente no setor.

Como pivô da crise, a empresa Nutrilar, fornecedora de material de limpeza.

A Nutrilar foi interditada pelo superintendente de Vigilância Sanitária, Marcelo Rosa, por não ter registro dos produtos fabricados. Mas o adjunto Arnaldo Muniz decidiu interferir diretamente e “desinterditou” a empresa, ignorando os procedimentos legais exigidos para o setor.

Muniz teve o consentimento do próprio setor jurídico da Vigilância Sanitária, que, coincidentemente, foi indicado por ele próprio.

O clima é de insegurança na agência, por conta da falta de autonomia da superintendência.