7

Histórias de vida e disputa de poder…

Eliziane Gama, Wellington do Curso e Fábio Câmara  utilizaram o primeiro dia da propaganda eleitoral no rádio e na TV para se apresentar ao eleitor, com histórias de vida parecidas, mas com narrativas diferentes

 

Os três adversários do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) que dispõem de tempo na propaganda para fazer contraponto á sua gestão utilizaram o primeiro dia do Horário Eleitoral Gratuito para contar suas histórias de vida.

Wellington do Curso (PP) lembrou que perdeu o pai muito cedo, teve que trabalhar ainda menino para se sustentar e venceu na vida após passar pelo Exército.

E lembrou que sua história é a mesma de muitos maranhenses.

Fábio Câmara (PMDB) também mostrou sua trajetória desde a saída de Cajari, muito pobre, sua infância pobre no bairro do Codozinho,  até alcançar o posto de vereador de São Luís e candidato a prefeito.

O peemedebista se mostra como exemplo para milhares iguais a ele.

Eliziane Gama (PPS) também saiu muito cedo do interior empobrecido do Maranhão, estudou na cidade, chegou ao Ensino Superior, elegeu-se deputada estadual e federal e é hoje candidata a prefeita de São Luís pela segunda vez.

Sua trajetória, segundo seu programa, inspira confiança e dá experiência para fazer uma “São Luís de verdade”.

São belas histórias de vida, exemplos de superação e atitude.

Mas a repetição pode cansar o eleitor.

E para vencer o prefeito Edivaldo Júnior (PDT), um dos bem-nascidos de São Luís, é preciso bem mais que histórias de vida.

O cidadão vai esperar os próximos programas…

1

Wellington vê cenário desolador na cultura de São Luís…

Candidato participou nesta quinta-feira de entrevista à rádio Universidade FM e garantiu que em sua gestão, irá banir práticas de apadrinhamento dos movimentos culturais da cidade

 

Wellington fala à jornalistta Gisa Franco, na Universidade FM

Wellington fala à jornalistta Gisa Franco, na Universidade FM

O candidato da coligação “Por Amor a São Luís”, Wellington do Curso (PP), apresentou nesta quinta-feira (25),  ações que ele implantará para resgatar o setor cultural de São Luís.

Wellington foi sabatinado na rádio Universidade FM.

– O cenário, hoje, é desolador. A atual administração renega as leis municipais que norteiam o setor e, por conta disso, não ocorreram investimentos corretos. Muito pelo contrário. O que se vê são as manifestações culturais sem nenhum apoio; festas tradicionais, como Carnaval e São João, sendo desprezadas; e as pessoas que fazem a cultura sendo humilhadas com o não pagamento, por parte da prefeitura, de caches, por exemplo – afirmou o candidato no programa Santo de Casa, comandado pela radialista Gisa Franco.

O candidato do PP pretende revitalizar o setor, com incentivo ás festas populares e ao descobrimento de talentos culturais em todas as áreas.

5

Vereadores se dizem enganados por Edivaldo e anunciam apoio incondicional a Wellington…

Chaguinhas, Manoel Rego e Estevão Aragão estiveram em bairros como Coroadinho, São Cristovão e João de Deus e apresentaram o candidato do PP como único em condições de administrar São Luís

 

Com Chaguinhas no São Cristovão: centenas de pessoas apresentadas ao candidato do PP

Com Chaguinhas no São Cristovão: centenas de pessoas apresentadas ao candidato do PP

O candidato do PP a prefeito de São Luís, Wellington do Curso, finalizou sua agenda no fim de semana com uma rodada de encontros com cerca de 1,6 mil pessoas nos bairros São Cristóvão, Coroadinho e João de Deus.

Nos encontros, organizados por candidatos a vereador, Wellington foi apresentado como único com capacidade para administrar São Luís.

O vereador Chaguinhas, por exemplo, fez coro ao discurso do companheiro de partido, criticou a gestão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) e convocou as cerca de 700 pessoas presentes no São Cristovão a votar em Wellington. 

– Ele é jovem, mas além de jovem ele é competente, é trabalhador, é um homem que venceu lutando, homem de bem que não será contaminado pelos maus políticos. Ele é o único com atitude para resolver os problemas que a população precisa – declarou.

Manoel Rêgo levou Wellington ao Coradinho; e também revelou-se enganado por Edivaldo Júnior

Manoel Rêgo levou Wellington ao Coroadinho e também revelou-se enganado por Edivaldo

No segundo encontro, no Coroadinho, o vereador Manoel Rêgo reuniu cerca de 400 pessoas para declarar seu apoio incondicional à candidatura de Wellington.

– Estamos com Wellington de corpo e alma e vamos vencer essa eleição. Ele é um candidato diferenciado dos demais e com todo potencial para administrar nossa cidade – disse.

O vereador também não poupou críticas ao prefeito. Segundo ele, Edivaldo Júnior enganou a todos com falsas promessas e falso discurso de mudança.

– Esse prefeito nos enganou. Nunca nos ajudou e agora próximo da eleição tenta nos enganar novamente com algumas obras que nem são suas. Não cairemos nessa. Nosso prefeito é Wellington – disse Manoel Rêgo.

O encontro com Estevão Aragão teve forte repercussão pela históra de relação dov ereador com o atual prefeito: "fui enganado", disse ele

O encontro com Estevão Aragão teve forte simbolismo: “fui enganado por Edivaldo”, disse ele

No último encontro do domingo, o vereador Estevão Aragão, uma dos principais aliados do prefeito Edivaldo Júnior, que preparou uma festa para receber o candidato a prefeito Wellington o vice Roberto Rocha Júnior (PSB), no bairro João de Deus.

– Ele [Edivaldo Júnior]  me enganou. Enganou a todos nós. Nunca atendeu um requerimento meu para ajudar minha comunidade. E eu fiz muitas solicitações que eram para beneficiar o povo e ele não me atendeu – lamentou Aragão.

A postura dos parlamentares animou o candidato do PP nos bairros…

3

“Com os R$ 33 milhões do ISEC, Edivaldo poderia ter construído todas as creches prometidas”, aponta Wellington

Candidato do PP partiu pra cima do prefeito  na Sabatina do jornal O EstadoMaranhão e disse que o pedetista deveria ter vergonha de se candidatar à reeleição

 

Wellington foi duro contra Edivaldo na Sabatina O Estado

Wellington foi duro contra Edivaldo na Sabatina O Estado

 

O candidato do PP à Prefeitura de São Luís, Wellington do Curso (PP) voltou a falar do desvio de R$ 33 milhões da prefeitura, em um esquema com o Instituto Superior de Educação Continuada (ISEC) já sob investigação do Ministério Público.

– Com estes R$ 33 milhões, ele poderia ter construído todas as 25 creches prometidas em 2012. Mas não construiu nenhuma, e preferiu entregar o dinheiro na mão de cabos eleitorais e aliados políticos para comprar a eleição antecipadamente – acusou Wellington, nesta quarta-feira, 17, durante a sabatina do jornal O EstadoMaranhão.

Para o candidato do PP, que utilizou quase todo o tempo para chamar a atenção do eleitor sobre as promessas não cumpridas por Edivaldo, o prefeito deveria ter vergonha de se candidatar à reeleição.

– Ele prometeu  viaduto da Forquilha, Hospital Jackson Lago, 25 creches, prometeu muito em 2012 para enganar a população, hoje frustrada coma  decepção do seu mandato. Se eu fosse ele, teria vergonha de concorrer à reeleição – bateu Wellington.

O deputado ressaltou que o dinheiro do desvio de R$ 33 milhões do ISEC, somados aos R$ 23 milhões gastos com propaganda seriam suficientes para ele salvar o próprio mandato, se cumprisse o que prometeu.

A propósito, o desvio dos R$ 33 milhões do ISEC será alvo de uma das ações que podem tirar Edivaldo Júnior da disputa em São Luís, por corrupção eleitoral.

Mas esta é uma outra história…

0

Todos juntos e misturados….

Os três principais candidatos a prefeito de São Luís reúnem – todos eles – membros do Grupo Sarney e do governo Flávio Dino em suas coligações, além de membros de partidos que estão em um e outro lado, o que forma uma salada política em cada palanque

 

 

Edivaldo e seus sarneysistas e dinistas: todos juntos e misturados

Edivaldo e seus sarneysistas e dinistas: todos juntos e misturados

 

A campanha eleitoral começou com a evidência de um fato que vinha se desenhando nos bastidores: nenhum dos candidatos a prefeito de São Luís poderá se apresentar como independente ou sem vínculo com grupos políticos ou chefes de poder.

Afinal, em todas as principais coligações tem gente de todas as correntes políticas.

Nesta salada política, há, por exemplo, militantes do PT,que está coligado com Edivaldo Júnior (PDT), e do PSB, da aliança em torno de Wellington do Curso (PP), em campanha aberta pela eleição de Eliziane Gama (PPS). Membros do PV, por sua vez, oficialmente alinhados ao projeto da popular-socialista, estão na campanha de Wellington.

Eliziaen Gama: PV de Sarney Filho, PSDB do vice-governador e PSB do secretário Marcelo Tavares

Eliziaen Gama: PV de Sarney Filho, PSDB do vice-governador e PSB do secretário Marcelo Tavares

Em todas as campanhas há membros do chamado grupo Sarney e membros do governo Flávio Dino (PCdoB).

Os sarneysistas com Edivaldo são Gastão Vieira (Pros), Pedro Fernandes (PTB), Juscelino Filho (DEM), Hélio Soares (PR) e uma centena de candidatos a vereador. Já os que somam com Eliziane são Sarney Filho (PV), Edinho Lobão (PMDB), Adriano Sarney (PV), Aluísio Mendes (PTN), Márcio Coutinho (PRTB) e Maura Jorge (PTN).

Wellington do Curso recebeu o apoio dos sarneysistas André Fufuca (PP), Cláudio Trinchão (PSD) e Edilázio Júnior.

No palanque de Wellington tem de Roberto Rocha a Edilázio Júnior (PV); de Waldir Maranhão (PP) a Cláudio Trinchão (PSD)

Wellington tem de Roberto Rocha a Edilázio Júnior (PV); de Waldir Maranhão (PP) a Trinchão (PSD)

O PCdoB de Flávio Dino tem a vice de Edivaldo Júnior, além dos aliados do PT e do PDT. Mas há membros do governo Flávio Dino, como o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) e os secretários Marcelo Tavares (PSB) e Simplício Araújo (SD) também na campanha de Eliziane. E um dos principais aliados do governador atualmente, o deputado Waldir Maranhão (PP) é do mesmo partido de Wellington do Curso.

Assim será a campanha em São Luís, com os membros dos dois principais grupos políticos maranhenses espalhados nas três principais candidaturas.

Tudo junto e misturado…

Da coluna EstadoMaior, de O EstadoMaranhão, com ilustração do blog
0

PV e PHS devem mesmo fechar com Wellington…

Partido do deputado Adriano Sarney e legenda que tinha Bentivi como candidato se aproximaram mais do PP nos últimos dias; Apenas PRP, PSDC e Solidariedade ainda não definiram seus caminhos

 

Adriano Sarney com Wellington: parceria

Adriano Sarney com Wellington: parceria

O Partido Verde, presidido pelo deputado estadual Adriano Sarney, e o PHS, que tinha o médico João Bentivi como pré-candidato a prefeito, devem fechar aliança com o candidato do PP, Wellington do Curso.

As duas legendas se aproximaram mais do candidato progressista e praticamente encerraram negociações com outros pré-candidatos.

Nos últimos dias, o  PV chegou a abrir conversas com Eliziane, que não avançaram por decisão dos próprios verdes.

Com relação ao PHS, pesa a relação que tem o seu vice-presidente nacional, Jorge Arturo, com o presidente do PP, deputado federal André Fufuca.

Pendências

Com a provável definição de PV e PHS, apenas três partidos continuam indefinidos nas eleições de São Luís: Solidariedade, PSDC e PRP.

O solidariedade é comandado pelo secretário de Indústria e Comércio Simplício Araújo. Chegou a conversar com Eliziane Gama, mas, pressionado pelo governador Flávio Dino (PCdoB), buscou também Eduardo Braide (PMN).

O PRP tem o comando do ainda secretário municipal Severino Sales, que diz ter rompido com Edivaldo Júnior (PDT). Já conversou com Wellington, com Eliziane, mas também com Fábio Câmara (PMDB).

Ainda não fechou com nenhum dos três.

Por último o PSDC, que tem o vereador Armando Costa como principal nome.

O partido é vinculado politicamente ao deputado federal Aluisio Mendes (PTN), que já está apoiando a colega Eliziane Gama. Natural, portanto, que a legenda também se alinhe ao projeto popular-socialista.

Pesam apenas questões inerentes à ampliação das chances de reeleição para Armando Costa; se isso for conseguido, provável que o partido siga com a candidata do PPS.

Os partidos têm até a próxima sexta-feira para definir suas alianças e realizar suas convenções.

A partir de então, a sorte estará lançada…

4

Há algo de estranho….

Até o carro de Wellington tem que ser descaracterizado; enquanto Holandinha faz a farra

Até o carro de Wellington tem que ser descaracterizado; enquanto Holandinha faz a farra

Desde janeiro, blogs, jornais, rádios e adversários denunciam a farra do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) de utilizar tempo de partidos que não estão oficialmente em sua coligação para fazer propaganda eleitoral na TV.

Mas o Ministério Público Eleitoral mostrava-se até irritado quando questionado sobre o crime do prefeito.

Agora, de uma só vez, a Justiça Eleitoral resolveu agir em bloco contra o pré-candidato Wellington do Curso (PP).

E quando agiu contra Holandinha resolveu incluir também no processo o também candidato Eduardo Braide (PMN).

Coisas de uma justiça que vê o governador Flávio Dino (PCdoB), atual donatário do Maranhão, como “homem público de qualidade intelectual”. (Leia aqui)

Coisas do Maranhão…

0

Márcio Jerry diz que não incluiu Wellington por respeito à sua “independência política”…

O já folclórico “pool de candidatos” do Palácio dos Leões a prefeito de São Luís, criado hoje pelo secretário de Articulação política, tem Edivaldo Júnior, Eliziane Gama, Bira do Pindaré e Eduardo Braide

 

O novo twitter de Márcio jerry: emenda pior que o soneto

O novo twitter de Márcio jerry: emenda pior que o soneto

Após fortes críticas da blogosfera política, o secretário de Articulação Política e presidente regional do PCdoB, jornalista Márcio Jerry, explicou na noite desta segunda-feira, 11, por que não incluiu o deputado Wellington do Curso (PP), entre os candidatos do Palácio dos Leões nas eleições de São Luís.

– Não citei o deputado Wellington em respeito à posição dele, de independência política. Apóia o governo na Alema, mas sempre  crise postura independente – explicou Jerry, por meio de sua conta na rede social Twitter.

Pela manhã, em meio à repercussão das notícias de que parte do PCdoB  não se alinhava ao projeto de candidatura do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), Márcio Jerry foi ao Twitter para dizer que o Palácio dos Leões tinha, além de Holandinha, também os deputados Bira do Pindaré e Eliziane Gama como pré-candidatos a prefeito.

A revelação gerou ainda mas críticas – sobretudo pelo fato de ele não haver citado os também deputados Eduardo Braide (PMN) e Wellington do Curso.

No meio tarde, em uma espécie de correção ao que escrevera anteriormente, Jerry incluiu também o nome de Eduardo Braide, mas continuou a ignorar Wellington, justificando agora à noite seu posicionamento.

Wellington: meu palácio são as ruas..

Wellington: meu palácio são as ruas..

Mas o próprio Wellington do Curso já havia desqualificado as revelações de Márcio Jerry.

Meu palácio é o povo, meu palácio são as ruas. Eu sigo trabalhando e em silêncio – declarou parlamentar, ao blog de Gilberto Léda.

E assim se deu o primeiro dia do “consórcio de candidatos” criados por Flávio Dino…

0

Civilidade e respeito eleitoral…

Fábio Câmara, Wellington e Eliziane: relação próxima e respeitosa na campanha

Fábio Câmara, Wellington e Eliziane: relação próxima e respeitosa na campanha

A imagem acima, da repórter fotográfica Flora Dolores, de O EstadoMaranhão, mostra que a o acirramento da campanha eleitoral não impediu – pelo menos por enquanto – a relação cordial entre os candidatos.

Na imagem, Fábio Câmara (PMDB), Wellington do Curso (PP) e Eliziane Gama (PPS), sorridentes em descontraído bate-papo, no intervalo da Sabatina Verde, evento promovido pelo PV, nesta sexta-feira, 8, na Assembleia Legislativa.

Sinal de que podem conversar bem.

Antes ou depois do primeiro turno…

3

Até onde vai Wellington do Curso?!?

Pesquisa Escutec confirmou o que já vinham dizendo Econométrica, Exata e Prever: o deputado do PP tem hoje índices que variam entre 17% e 20% das intenções de voto. Agora é consolidar a estrutura político-partidária para avançar

 

Wellington tem avançado consistentemente nas pesquisa

Wellington tem avançado consistentemente nas pesquisa

Primeiro veio o Instituto Exata, depois a Econométrica, o Prever e agora a Escutec.

E todos mostraram que Wellington do Curso (PP) é o atual fenômeno das eleições em São Luís, com índices que variam entre 17% e 20% das intenções de votos.

Consolidado como terceira força, o parlamentar tem agora outro desafio: manter-se entre os principais candidatos e com chances de chegar ao já garantido segundo turno em São Luís.

E para isso, Wellington vai precisar muito mais que as propagandas do seu curso, suas incursões pelos eventos populares ou seu envolvimento indiscriminado em tudo o que é ação pública.

O deputado precisa agora de cacife partidário, alianças sólidas e estrutura profissional de campanha, sem a qual não terá como avançar.

E só os próximos números, de cada instituto, poderão dizer se ele chegou ao teto, ainda pode avançar ou tende a cair.

É aguardar e conferir…