0

Civilidade e respeito eleitoral…

Fábio Câmara, Wellington e Eliziane: relação próxima e respeitosa na campanha

Fábio Câmara, Wellington e Eliziane: relação próxima e respeitosa na campanha

A imagem acima, da repórter fotográfica Flora Dolores, de O EstadoMaranhão, mostra que a o acirramento da campanha eleitoral não impediu – pelo menos por enquanto – a relação cordial entre os candidatos.

Na imagem, Fábio Câmara (PMDB), Wellington do Curso (PP) e Eliziane Gama (PPS), sorridentes em descontraído bate-papo, no intervalo da Sabatina Verde, evento promovido pelo PV, nesta sexta-feira, 8, na Assembleia Legislativa.

Sinal de que podem conversar bem.

Antes ou depois do primeiro turno…

3

Até onde vai Wellington do Curso?!?

Pesquisa Escutec confirmou o que já vinham dizendo Econométrica, Exata e Prever: o deputado do PP tem hoje índices que variam entre 17% e 20% das intenções de voto. Agora é consolidar a estrutura político-partidária para avançar

 

Wellington tem avançado consistentemente nas pesquisa

Wellington tem avançado consistentemente nas pesquisa

Primeiro veio o Instituto Exata, depois a Econométrica, o Prever e agora a Escutec.

E todos mostraram que Wellington do Curso (PP) é o atual fenômeno das eleições em São Luís, com índices que variam entre 17% e 20% das intenções de votos.

Consolidado como terceira força, o parlamentar tem agora outro desafio: manter-se entre os principais candidatos e com chances de chegar ao já garantido segundo turno em São Luís.

E para isso, Wellington vai precisar muito mais que as propagandas do seu curso, suas incursões pelos eventos populares ou seu envolvimento indiscriminado em tudo o que é ação pública.

O deputado precisa agora de cacife partidário, alianças sólidas e estrutura profissional de campanha, sem a qual não terá como avançar.

E só os próximos números, de cada instituto, poderão dizer se ele chegou ao teto, ainda pode avançar ou tende a cair.

É aguardar e conferir…

4

Eliziane Gama e o início da campanha em São Luís…

Ainda liderando a corrida eleitoral e à frente de todos os adversários em eventual segundo turno, candidata do PPS precisa corrigir rumos, superar dogmas – políticos e religiosos – e cobrar posicionamento dos partidos aliados para recuperar força eleitoral

Eliziane tem força e carisma, mas precisa corrigir erros

Eliziane tem força e carisma, mas precisa corrigir erros

A deputada Eliziane Gama (PPS) é um fenômeno de carisma e de empatia popular, o que se reflete na sua força pessoal no confronto com os seus dois principais adversários na disputa de um segundo turno pela Prefeitura de São Luís.

Pelo menos é o que revelam não só a pesquisa Exata, mas todas as demais já divulgadas.

Mas Eliziane, mesmo assim, precisa corrigir os rumos políticos para manter a competitividade nesta fase da campanha.

Alguns erros do grupo da deputada levaram à situação de luz amarela que se apresenta na campanha. E precisam ser corrigidos imediatamente.

A própria presença de Wellington na disputa – que tirou boa parte do eleitorado da deputada – é resultado direto da dificuldade que Eliziane Gama tem de formar grupo e valorizar aliados.

Wellington é aliado da candidata pepessista desde as eleições de 2010 – inclusive filiado ao próprio partido dela – mas sempre foi tratado com certo distanciamento.

E foi esse distanciamento que levou o deputado a deixar o PPS e se abrigar no PP.

Partidos aliados

Eliziane também precisa exigir mais dos aliados partidários..

Na relação com o PSDB, por exemplo, cabe a ela estabelecer quando – e como – se dará a escolha do seu companheiro de chapa, evitando crises e desgastes de disputas internas entre tucanos, que precisam, inclusive, estar prontos para abrir mão da indicação em troca de um nome mais importante para o projeto..

O PSB também já deveria ter-se posicionado definitivamente em relação à deputada.

Os socialistas não podem mais empurrar a decisão para tomá-la apenas em um ponto de não-retorno, dentro da conveniência partidária e não da candidata.

Até porque, nesta relação, a dependência do projeto de Roberto Rocha ao projeto de Eliziane é bem maior que a dependência dela ao projeto dele.

Dogmas e vices

Eliziane precisa também superar dogmas – políticos e religiosos – que afastam a classe política e o eleitor mais qualificado do ponto de vista intelectual.

A deputada precisa reabrir diálogo efetivo com partidos como o PR, por exemplo, que tem no vereador Astro de Ogum uma de suas principais lideranças.

A cultura religiosa de Astro não pode ser empecilho à cultura religiosa da candidata.

A mesma questão deve ser levada em conta na relação com PMDB e PV, legendas vinculadas politicamente ao chamado grupo Sarney.

Eliziane não pode temer patrulha anti-sarneysista se o próprio prefeito Edivaldo Júnior (PDT) está cercado por partidos sarneysistas – como DEM, PTB, PSD, Pros e PSC – e nunca foi pressionado pelos aliados do governador Flávio Dino a abrir mão dessas legendas.

Qualquer um destes partidos poderiam dar à candidata do PPS um vice consistente do ponto de vista político-eleitoral, entre eles o próprio Astro, o deputado Adriano Sarney (PV) ou mesmo o vereador Fábio Câmara (PMDB).

Para os especialistas em pesquisas eleitorais, inclusive,  a chapa Eliziane/Fábio Câmara sempre foi classificada como uma chapa de dois candidatos, dada à sua representatividade em São Luís.

Eliziane Gama é a favorita na disputa eleitoral na capital maranhense, e isto a própria pesquisa Exata também mostrou.

E cabe apenas a ela própria definir o seu destino…

9

Wellington do Curso: o pesadelo de Edivaldo Júnior…

Ainda abordando a pesquisa Econométrica publicada neste fim de semana, o blog aponta as razões que levam o deputado do PP a ser hoje o principal empecilho de Edivaldo Júnior, e seu equívoco de tentar tirá-lo do páreo

 

Wellington pode virar a onda que ameaçará Holandinha...

Wellington pode virar a onda que ameaçará Holandinha…

A condição é de rigoroso empate técnico.

Os números do Instituto Econométrica divulgados neste fim de semana pelo jornal O EstadoMaranhão mostram que o deputado Wellington do Curso (PP) pode até já estar à frente do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) na disputa pela Prefeitura de São Luís.

Basta aplicar a margem de erro do levantamento, que é de 3,1 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Significa que Holandinha – pontuando com 20% das intenções de votos em todos o cenários – pode ter tanto  23,1% quanto apenas 16,9%.

...E o prefeito sabe dos riscos de ficar fora do segundo turno

…E o prefeito sabe dos riscos de ficar fora do segundo turno

Wellington, por sua vez, registrou 17%; ou seja, pode ter 13,9%, mas também pode ser que já esteja na faixa de 20,1%, o que o colocaria à frente do prefeito.

E é exatamente pelo medo que Wellington  tem inspirado em Holandinha, que o seu grupo político – capitaneado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) – tenta tirá-lo da disputa.

Tem sido intensa a movimentação de emissários do prefeito aos líderes do PP, com toda sorte de ofertas para que o deputado deixe a disputa.

Mas ainda que as ofertas sejam tentadoras a ponto de convencer Wellington a não ser candidato, isso resultará em um erro ainda maior do que o protagonizado por Edivaldo nestes três anos de mandato.

Quem vota em Wellington, não vota em Holandinha de jeito algum.

E tirá-lo do páreo neste momento, apenas facilitará uma vitória da deputada Eliziane Gama (PPS) já no primeiro turno.

O que, no fundo, seria bom para São Luís.

Afinal, livrar-se de forma mais rápida da atual gestão não tem preço…

0

Wellington reúne vereadores e militantes em debate no PP…

Wellington ouve militante discorrer sobre os problemas de São Luís

Wellington ouve militante discorrer sobre os problemas de São Luís

Presidente do Diretório Municipal do Partido Progressista em São Luís, o deputado Carlos Wellington (PP) reuniu pré-candidatos a vereador e militantes da legenda para debater as questões de São Luís.

O encontro ocorreu no último sábado, 28, na sede do partido.

– Nós, do Partido Progressista, não queremos uma atuação isolada, individual. Acreditamos que o Maranhão, que São Luís e todos os demais municípios precisam ser encarados com seriedade. Isso exige independência, sim, mas exige também que as esferas municipal e estadual atuem em conjunto. Essa é a visão dos novos progressistas: permitir que os vereadores dialoguem entre si, ouçam os filiados, pré-candidatos e, juntos com a população, articulem ações em defesa do povo – afirmou Wellington.

Além dos novos candidatos participaram do evento os vereadores Luciana Mendes, Francisco Chaguinhas e Manoel Rêgo…

5

Wellington surge como terceira via em São Luís…

Saída do deputado federal João Castelo do páreo da disputa em São Luís põe o deputado estadual do PP em condições de polarização com o prefeito Edivaldo Júnior, podendo, inclusive, tirá-lo do segundo turno

 

Wellington se fortalece com saída de Castelo do páreo

Wellington se fortalece com saída de Castelo do páreo

Duas situações se consolidaram a partir da oficialização da aliança do PSDB com a deputada Eliziane Gama (PPS) para a disputa em São Luís.

1 – a coligação garante Eliziane em um eventual segundo turno, mas abre possibilidades de ela vencer, inclusive, no primeiro turno, dependendo da forma como esta estrutura de campanhas e movimentará a partir de agora;

2 – o deputado estadual Carlos Wellington (PP), proprietário do curso preparatório que leva o seu nome, passa a ser o que Castelo era na disputa: uma pedra no calcanhar do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

Wellington é hoje a terceira via na disputa em São Luís, chegando a superar o prefeito em alguns cenários da disputa, o que põe em risco a ida de Edivaldo Júnior para um eventual segundo turno contra Eliziane Gama.

Mas foi o grupo do próprio prefeito que inflou a candidatura do deputado do PP.

Os embates e bate-bocas de Wellington com deputados alinhados ao projeto Edivaldo Júnior/Flávio Dino alavancaram a candidatura do pepessista de forma a torná-lo uma ameaça de fato.

E o parlamentar tem cacife para ir bem mais longe na campanha.

É aguardar e conferir…

1

Vídeo do dia: Wellington denuncia abandono de mais uma escola em São Luís…

O deputado Wellington do Curso (PP) foi pessoalmente ao local em que deveria funcionar a Unidade de Educação Básica Pedro Marcosini Bertol, no bairro Jaracaty. Ouviu dos comunitários a revelação de que o prédio está abandonado, servindo de abrigo para vândalos.

Wellington conversa com alunos e comunitários, em meio a cães abandonados na escola

Wellington conversa com alunos e comunitários, em meio a cães abandonados na escola

“Os nossos filhos estão há mais de 01 ano sem estudar e nenhuma providência foi tomada. Nem o próprio secretário de educação fez alguma coisa. São mais de 200 crianças. Se não forem reformar, queremos, ao menos, que coloquem um local para que nossos filhos possam estudar.”, lamentou Rosa, mãe e presidente da União dos Moradores do Jaracaty. Veja vídeo

2

Wellington quer discutir limites territoriais na Grande São Luís…

Wellington quer solução para limites de São Luís

Wellington quer solução para limites de São Luís

O deputado estadual Wellington do Curso(PP) propôs na manhã desta quarta-feira, 13, audiência pública para discutir os limites territoriais dos municípios que compõem a Grande Ilha (São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa).

O parlamentar fez referência ao bairro Parque Vitória que, segundo ele, é um dos que mais sofrem com a situação de abandono por parte do poder público devido à questão de limite territorial.

– Ao ouvir a população de Ribamar, percebemos o desrespeito dos gestores com os moradores das adjacências que compõem o Parque Vitória e outros bairros próximos. Devido a essa indefinição de limite territorial, acaba que nenhum prefeito assume a responsabilidade por essas regiões. Enquanto deputado estadual, não temos o poder de executar, mas continuarei somando a minha voz à população e cobrando melhorias para o povo maranhense – declarou.

A solicitação do deputado Wellington atende a um encaminhamento da última Audiência Pública realizada por ele no dia 16 de março, que discutiu sobre a falta de infraestrutura e segurança nos bairros Parque Vitória, Jardim Turu, Alto do Turu e adjacências.

3

“Onde as mãos do conhecimento não chegam, o braço da criminalidade predomina”, afirma Wellington ao cobrar ações para a educação

Deputado faz referência ao Dia da Escola e cobra ações para a educação em São Luís

 

Wellington: ação pela Educação

Wellington: ação pela Educação

Durante a sessão plenária desta terça-feira, 15, o deputado estadual Wellington do Curso (PPS) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão para fazer referência ao dia da escola, comemorado hoje, e à precariedade das escolas públicas do Maranhão e, por conseguinte, à falta de atenção, segundo ele, com que a educação tem sido tratada nos municípios.

Ao se pronunciar, Wellington mencionou diversos pontos que clamam por atenção quando o assunto é educação, a exemplo da infraestrutura e da segurança nas escolas.

Hoje é o dia da escola, instituição essa de função essencial em nossa sociedade. A escola é o ambiente em que pobres e ricos encontram o meio que o permitirá concretizar seus sonhos: o conhecimento. Diante de tamanha importância, esperaríamos, no mínimo, a existência de escolas com uma boa infraestrutura e, ao menos, com segurança. Infelizmente, não é o que acontece. Quando o assunto é educação, nós ainda somos analfabetos. Exemplo disso é a constante prática de atos de vandalismo, além dos números que revelam que ainda há um enorme abismo entre o ensino público e o ensino particular”, lamentou.

O deputado Wellington fez, ainda, referência às ações da Gestão Municipal que evidenciam que a educação não é ainda tratada como prioridade, o que para ele precisa ser alterado urgentemente.

Estamos em um cenário em que enquanto as escolas não recebem atenção, outros setores esnobam recurso público. A educação tem suas ‘etapas’, sendo válido citar o ensino infantil, fundamental, médio e superior. Temos, assim, ‘degraus’. Não há como cogitar que alguém ingresse no Ensino Superior sem ter passado pelo Ensino Médio, fundamental e infantil. No entanto, tal lógica, por mais óbvia que seja, parece fugir do conhecimento de alguns Prefeitos. Prova disso ocorre quando há a reforma de uma praça e se abandona uma creche que, aliás, é a única de uma capital de estado. Não estamos aqui contra a reforma de praças. As praças realmente devem ser reformadas, mas educação deve ser prioridade. Não podemos esquecer que ‘onde as mãos do conhecimento não chegam, o braço da criminalidade predomina’, talvez seja por isso que estamos perdendo nossos jovens para a violência”, declarou o deputado, que é membro da Comissão de Educação da Assembleia.

1

Wellington reforça pedido por segurança em manifestações…

Wellington quer garantia de manifestação pacíica

Wellington quer garantia de manifestação pacíica

O deputado estadual Wellington do Curso (PPS) reforçou o pedido de implantação do Plano de Planejamento e Acompanhamento das Manifestações, demonstrando preocupação quanto aos atos do Movimento “Pró-impeachment”, que acontecerá no dia 13.

O motivo da preocupação do parlamentar faz referência ao ocorrido no último episódio das manifestações em São Luís, que resultou em atos de vandalismo e violência.

Indo na contramão do que nossa Constituição Federal assegura, o direito à livre manifestação de pensamento ainda enfrenta aquilo que se pode compreender como censura. Quem afirma isso não sou eu, mas a população. Os cidadãos que, ao exercerem um direito que lhes é assegurado, encontraram atos de violência como respostas. Eis um cenário que nos preocupa, principalmente ante as manifestações que acontecerão no próximo dia 13. Vivemos em um Estado Democrático de Direito e é essencial que respeitemos as ideologias distintas, ainda que plenamente contrárias ao que pensamos. Recebemos inúmeros relatos sobre as manifestações que ocorreram no último dia 05, denúncias de trabalhadores que foram tão somente reivindicar, ou seja, não cometeram ilícito algum, o que, pela lógica penalista, deveria impedir que sobre eles fosse imposto alguma postura coercitiva. No entanto, não foi isso que ocorreu. Eis o motivo da nossa preocupação. Por entendermos que é possível sim que haja manifestações pacíficas, mais uma vez, solicitamos o acompanhamento das manifestações por parte do Estado, através da Secretaria de Segurança Pública, não de forma coercitiva, mas de forma asseguradora de direitos”, afirmou o deputado Wellington.

Essa não é a primeira vez em que o deputado Wellington sugere ao Governo a implantação do Plano de Acompanhamento de Manifestações no Maranhão, objetivando garantir o livre exercício dos direitos.

Indo ao encontro de tal solicitação, o parlamentar mencionou, ainda, alguns depoimentos de pessoas que o procuraram e denunciaram alguns dos fatos ocorridos durante as últimas manifestações.