0

Para relembrar: o acordo de Flávio Dino em 2012…

http://www.atual7.com/wp-content/uploads/2013/05/carlos-lupi-edivaldo-holanda-junior-flavio-dino.jpg

Weverton, com Lupi, Holandinha Marcelo Tavares, Dino e Dutra: em nome do acordo

Pode ser que, agora, o chefão comunista Flávio Dino se arrependa.

Mas ele fechou mesmo, em 2012, um acordo que garantiria ao PDT, nas eleições de 2014, a vaga de candidato a vice-governador em sua chapa. E ao PSB a indicação do senador.

Duas das testemunhas confirmaram o acordo publicamente, em várias ocasiões.

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC), falou pela primeira vez do assunto em abril de 2013, na coletiva dos seus 100 dias de governo:

– Nós temos um candidato ao Governo e um candidato ao Senado. Flávio Dino é o nosso candidato ao Governo e Roberto Rocha é o nosso candidato a senador. Isso é algo que foi trabalhado ainda na eleição passada e nós iremos caminhar juntos em 2014 – afirmou Holandinha.

Em dezembro do mesmo ano, o prefeito foi mais explícito:

– Teremos uma grande batalha e vamos avançar com o PCdoB do nosso amigo Flávio Dino como candidato ao governo do Maranhão, e também com o PSB e Roberto Rocha, como candidato ao Senado. Além disso, temos o PDT que deverá indicar o companheiro a formar chapa com o PCdoB – declarou. (Releia aqui)

http://gilbertoleda.com.br/wp-content/uploads/2013/12/edivaldo.jpg

Weverton, Roberto e Holandinha: os três confirmam o acordo que Dino ameaça quebrar

O vice-prefeito e candidato a senador, Roberto Rocha, também já confirmou a existência do acordo de 2012:

– Nas últimas eleições, Edivaldo Holanda Júnior, eu e o Flávio Dino fizemos um pacto político e geracional, casando 2012 com 2014. O primeiro será candidato a prefeito de São Luís, o segundo a senador e o terceiro a governador. Esse pacto entre PTC, PSB e PCdoB, para as próximas eleições, envolve ainda o aliado PDT. De modo que eu sou o candidato a senador do PCdoB, da mesma forma que o Flávio Dino é o candidato a governador do PSB – disse Rocha. (Relembre aqui)

Por que agora Flávio Dino finge que não existiu acordo algum?

E por que o PDT não é mais enfático na cobrança?

E por que os demais aliados também se calam?

São respostas que a história política do Maranhão se encarregará de dar.

De uma forma ou de outra…

Marco Aurélio D'Eça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *