0

Com imagem “anti-sistema”, Duarte suplanta Neto e Rubens no próprio sistema

Vinculado à mesma base política do governo Flávio Dino, o deputado do Republicanos conseguiu construir imagem de “outsider” – ajudado pela própria classe política, que o odeia – se afastando do desgaste de ser comunista e da chamada “fadiga de material” das sucessivas gestões pedetistas em São Luís

 

Desde que assumiu mandato, Duarte Júnior deu de ombros para a rejeição da classe política e se tornou popular nas redes sociais e nas ruas

A pesquisa do Instituto Prever divulgada neste sábado confirmou um fato que vinha se desenhando apenas de forma empírica: a capacidade do deputado Duarte Júnior (Republicanos), de se mostrar “anti-sistema” mesmo sendo membro do sistema político controlado pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

Duarte ocupa a segunda posição na pesquisa e se mostra o adversário com mais chances de ir a um eventual segundo turno com o deputado federal Eduardo Braide (Podemos).

E nessa disputa, leva vantagem absurda contra os dois candidatos assumidamente do sistema, os também deputados Rubens Pereira Júnior (PCdoB) e Neto Evangelista (DEM).

Desde que assumiu mandato na Assembleia Legislativa, ainda no PCdoB, Duarte Júnior passou a enfrentar rejeição tanto do próprio grupo político, hegemônico na Casa. O equívoco dos colegas o transformou no que seria uma espécie de pária, alguém rejeitado na própria comunidade.

Este equívoco da classe política foi retratada no blog Marco Aurélio D’Eça ainda em 2019, no post “Classe política erra ao hostilizar Duarte Júnior…”

Ativo nas redes sociais, essa rejeição ele transformou em trunfo, e passou a tomar decisões mais independentes, inclusive com ações que contestavam posições pontuais do próprio governo Flávio Dino, o que irritava ainda mais seus pares.

Mas a irritação dos pares contrastava com uma crescente popularidade nas redes sociais, que só aplaudiam suas ações anti-sistema.

A saída estratégica do PCdoB foi a cartada final, que garantiu esse distanciamento do Palácio dos Leões, mesmo mantendo vínculos com o governo. 

Neto Evangelista – com Rubens Júnior lá atrás – optaram pelas estruturas governamentais, mas sofrem com o desgaste do sistema ou com “fadiga de material”

Ao contrário de Duarte, Rubens Júnior insiste, equivocadamente, na tutela do PCdoB, do Palácio e do próprio Flávio Dino, mas não consegue o apelo popular para deslanchar, ficando apenas com o ônus do desgaste comunista.

Neto Evangelista, por sua vez – mesmo sendo filiado ao DEM, não ao PDT –  carrega consigo apenas o fardo das longas e sucessivas gestões pedetistas, aquilo que o atual chefe da Casa Civil do governo, Marcelo Tavares, classificou um dia de “fadiga de material”.

Rejeitado pela classe política, odiado e invejado pelos próprios pares, Duarte Júnior vai construindo sua candidatura, ao contrário dos colegas, com o bônus de estar próximo do “dono” do governo, sem, no entanto, pagar o ônus de ser candidato do sistema.

E essa diferença pode significar a presença em um eventual segundo turno.

Para mais desespero ainda do sistema…

1

Pesquisa confirma este blog e mostra Braide e Duarte favoritos em SLZ

Levantamento do Instituto Prever, divulgado pelo blog do jornalista Diego Emir, confirma o candidato do Podemos na liderança, seguido de longe pelo deputado do Republicanos; a novidade do levantamento é a presença de Adriano Sarney na disputa pelo terceiro lugar, ao lado de Wellington e à frente de Neto Evangelista

 

Adriano Sarney está no limite da vitória em primeiro turno, com mas de 34 pontos percentuais á frente do segundo colocado

Pesquisa do Instituto Prever, divulgada neste sábado pelo blog do jornalista Diego Emir, confirmou o favoritismo do deputado federal Eduardo Braide (Podemos) na disputa pela Prefeitura de São Luís.

Ele tem 43% das intenções de votos, mais de 34 pontos percentuais à frente do segundo colocado, o deputado estadual Duate Júnior (Republicanos), que aparece com 8,8%. (Veja aqui todos os cenários)

A pesquisa do Prever confirma a análise do blog Marco Aurélio D’Eça, publicada no início da semana, que apontou Braide e Duarte como favoritos para chegar a um segundo turno na capital maranhense. (Relembre aqui) 

Principal cenário da pesquisa Prever mostra Braide bem à frente e uma profusão de candidatos embolados na disputa pelo segundo lugar

O levantamento do blog de Diego Emir traz uma novidade: o candidato do PV, Adriano Sarney, chegou à disputa pelo terceiro lugar, embolado com Wellington do Curso (PSDB) e já à frente de Neto Evangelista (DEM), que perdeu posição também para Bira do Pindaré (PSB).

Levando em consideração a margem de erro de três pontos percentuais, para mais ou para menos, Duarte Júnior, Wellington do Curso, Ariano Sarney, Bira do Pindaré e Neto Evangelista estão todos empatados tecnicamente.

O candidato do governador Flávio Dino (PCdoB) e do Palácio dos Leões, Rubens Pereira Júnior (PCdoB) continua estacionado, agora com percentual de apenas 1,2% das intenções de votos – atras de Carlos Madeira (Solidariedade) e de Jeisael Marx (Rede).

Adriano Sarney é a novidade da pesquisa Prever, agora em terceiro lugar e embolado com vários adversários na disputa pelo segundo lugar

Vitória de Braide em Primeiro Turno

A pesquisa do Instituto Prever aponta ainda que Eduardo Braide está no limite para consolidar sua vitória em primeiro turno.

A soma de todos os candidatos alcança 43% das intenções de voto, 0,1 ponto percentual a menos que o total dos votos previstos no candidato do Podemos.

São Luís tem ainda 8,6% de eleitores indecisos e 5,3% de pessoas que declaram votar nulo ou em branco.

Registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-04571/2020, a Pesquisa Prever ouviu 1006 eleitores, entre os dias 29 de junho e 2 de julho.

0

Neto Evangelista aponta cultura e turismo como pilares do desenvolvimento

Pré-candidato a prefeito tem gestão de referência nas administrações do DEM em Curitiba e Salvador, as duas capitais mais bem avaliadas do país

 

O deputado estadual Neto Evangelista (DEM), pré-candidato a prefeito de São Luís, afirmou durante entrevista ao programa “Os Analistas”, da TV Guará, que, se for eleito, deixará a marca do desenvolvimento na cidade.

Ele aposta no modelo de gestão de referência do Democratas que tem as duas capitais mais bem avaliadas do país, Salvador e Curitiba, onde os gestores são líderes e acompanham tudo de perto.

“Queremos trazer a administração referência do nosso partido para São Luís. Nós somos a 15ª maior cidade do país e já está na hora de exercer nosso tamanho dentro do poder central em Brasília para buscar nosso desenvolvimento”, destacou Evangelista.

O pré-candidato do Democratas disse ainda que a capital tem potencial suficiente para está entre as melhores do país.

“Temos orçamento per capita R$300,00 a mais que Salvador, que alcançou uma gestão eficiente voltada para a população com recurso próprio, além do Porto do Itaqui que é uma fonte de arrecadação para a cidade”.

“Também temos o nosso São João e as mais diversas manifestações culturais e atrativos naturais que atrelados ao turismo podem viabilizar a retomada da atividade econômica da Ilha de São Luís, pós- pandemia, gerando emprego e renda. Enfim temos muitas alternativas para tornar nossa cidade melhor”.

“Precisa apenas do prefeito liderando uma boa equipe que faça o planejamento necessário para uma administração de excelência iniciando pelo ajuste da situação fiscal da nossa cidade”, completou.

Evangelista finalizou ressaltando que qualquer candidato que falar que vai transformar a cidade está mentindo.

“Não existe mágica. Tem que eleger prioridades. Só assim viveremos dias melhores na nossa cidade São Luís”.

Da assessoria

1

Bolsonaro já repassou mais de R$ 1 bilhão ao Maranhão, diz Roberto Rocha

Senador maranhense diz que o montante em transferências voluntárias liberadas pelo presidente em apenas um ano e meio de governo supera em ajuda ao estado todos as gestões do PT juntas

 

Roberto Rocha em entrevista à rádio em que revelou o montante de R$ 1 bilhão repassadois voluntariamente por Bolsonaro a Flávio Dino

O senador Roberto Rocha (PSDB) afirmou esta semana que o governo Jair Bolsonaro já fez transferências voluntárias ao governo Flávio Dino (PCdoB)  que chegam a R$ 1 bilhão em um ano e meio.

Transferências voluntárias são aquelas em que não há obrigação do repasse por parte do ente federativo.

Segundo Rocha, esse montante repassado até o fim de junho supera todos os 14 anos do governo do PT juntos.

 Único senador maranhense aliado do governo Bolsonaro, Roberto Rocha destacou que  nunca na história do Maranhão tantos recursos federais contemplaram o estado em tão pouco tempo.

E atribui o fato, na maioria dos casos, ao livre diálogo e circulação que cultiva, tanto nos ministérios, quanto com o próprio atual presidente.

1

Bolsonaro aprova, mas desfigura lei de Pedro Lucas sobre máscaras

Presidente sancionou a matéria aprovada na Câmara, mas tirou a obrigatoriedade do uso nos estabelecimentos comercias, industriais e de ensino; para tentar garantir a viabilidade da proposta, o deputado maranhense já articula com os colegas a derrubada dos vetos

 

Pedro Lucas já está conversando com os deputados sobre os vetos de Bolsonaro em seu projeto de uso de máscaras

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei do deputado federal Pedro Lucas Fernandes (PTB), sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais públicos e nos meios de transportes em todo o Brasil.

Na decisão, o presidente, porém, desfigurou o projeto, ao vetar algumas obrigatoriedades.

Bolsonaro decidiu, por exemplo, não ser mais obrigatório que o cidadão use máscara em ambientes comerciais, industriais e de ensino, além dos templos religiosos. 

Para garantir a viabilidade de sua matéria, Pedro Lucas já se articula com os colegas parlamentares para que os vetos sejam derrubados pela Câmara Federal.

A proposta deve voltar à Casa na próxima semana…

1

Rubens Júnior acena para apoio a Eliziane Gama em 2022…

Pré-candidato do PCdoB a prefeito de São Luís recebeu apoio do Cidadania, nesta sexta-feira, 3, e declarou que aliança se estenderá também para 2022; como ele espera eleger-se em 2020 e ela não precisa disputar eleições de daqui a dois anos, significa uma sinalização para a candidatura da senadora ao governo

 

Rubens Júnior confirmou o blog Marco Aurélio D’Eça e colocou Eliziane Gama no debate sobre a sucessão do governador Flávio Dino em 2022

 

O pré-candidato do PCdoB a prefeito de São Luís, Rubens Pereira Júnior, apontou para um novo cenário eleitoral no Maranhão em 2022, ao receber nesta sexta-feira, 3, o apoio da senadora Eliziane Gama e do Cidadania.

– Não se trata de uma aliança política eleitoral para esta jornada; estaremos juntos, inclusive, em 2022 – afirmou Pereira Júnior.

A declaração do candidato comunista reafirma a inclusão da senadora nas eleições de governador, sobretudo pelo fato de que, fechado o compromisso de 2020, nem ele nem Eliziane Gama precisam disputar a sucessão do governador Flávio Dino (PCdoB).

Apesar de a própria Eliziane Gama não se manifestar, o blog Marco Aurélio D’Eça vem apontando seu nome como uma opção de peso para Flávio Dino no cenário, que já tem a disputa tácita entre o senador Weverton Rocha (PDT) e o vice-governador Carlos Brandão (PRB). (Releia aqui, aqui e aqui)

Representantes do PCdoB e do Cidadania participaram e uma solenidade virtual, com todos os parâmetros de proteção contra a coVID-19

Quando do anúncio do apoio do Cidadania ao PCdoB, este blog ressaltou também que a entrada de Eliziane na campanha de Rubens a colocava no jogo da sucessão.

Foi o que mostrou o post “Eliziane entra na campanha de Rubens e aponta para 2022…”

O próprio Rubens Júnior confirma agora este cenário, sobretudo pelo fato de que pretende chegar ao segundo turno e vencer as eleições.

E, vencendo, deixa claro que seu nome para 2022 é o de Eliziane Gama…

0

Imperatriz: Samu atendeu quase 800 casos de coVID-19 em junho

Foram 788 atendimentos relacionados à pandemia de coronavírus, dos quais 279 se deu exclusivamente na cidade; municípios é composto por 14 bases descentralizada, alcançando outros 13 municípios

 

O Samu Regional Imperatriz realizou em junho 788 atendimentos relacionados ao novo coronavirus, dos quais 279 foram exclusivamente na cidade de Imperatriz. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 2, e fazem parte do relatório de trabalho do órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde, Semus.

O documento detalha que os 788 casos foram na Regional sediada em Imperatriz que é composta por 14 bases descentralizadas distribuídas pelos municípios de: Açailândia, Alto Parnaíba, Amarante, Balsas, Barra do Corda, Buriticupu, Cidelândia, Grajaú, Itinga, Sítio Novo, São Pedro da Água Branca, São Raimundo das Mangabeiras e Vila Nova dos Martírios.

Os dados mostram, ainda, que a média diária de atendimentos em toda a regional chegou a 26 casos.

A coordenadora o Samu, Kelma Costa, ressalta que “os casos em Imperatriz, que já chegaram a 52% dos atendimentos por coronavírus de toda a regional, hoje encontram-se na casa dos 35%, a média que no pico chegou a 14 atendimentos diários, na última semana a média foi de 6 atendimentos no plantão de 24h na nossa cidade, corroborando com a diminuição dos atendimentos”.

As bases descentralizadas do SAMU em outros municípios vêm registrando aumento o número de atendimentos de casos Covid-19.

Horário

Sobre o horário de atendimento das ocorrências o documento informa que 38% foram no período da manhã e 39% das transferências à tarde. Dos atendimentos em Imperatriz, 60% foram ocorrências e 40% foram transferências inter-hospitalares.
 

4

Racismo que ocorreu no Educalis é comum nas escolas privadas de SLZ

Colégios da chamada elite tradicional da capital vivenciam sistematicamente casos de preconceito velado contra negros, homoafetivos e bolsistas, que vez por outra explodem em crises entre alunos e familiares; mas a prática resiste até mesmo em escolas públicas

 

O ambiente escolar elitista e com segregação de classes é estímulo para o racismo, que está na raiz, inclusive educacional, no Brasil

Editorial

O caso de racismo puro e simples praticado por um aluno do Colégio Educalis, em São Luís, teve forte repercussão nacional esta semana; mas a prática é mais comum do que parece na rede privada da capital maranhense.

Escolas que se apresentam como da elite ludovicense vivenciam sistematicamente casos de preconceito contra negros, homoafetivos, transgêneros, bolsistas e até professores.

Algumas, mais tradicionalistas e católicas, por exemplo, até proíbem debates sobre aborto, casamentos homoafetivos e outros assuntos tidos por polêmicos.

A decisão do Educalis de expulsar o aluno racista poderia merecer aplausos, mas só foi tomada sob pressão; a principio, a punição da direção para crime tão hediondo seria apenas três dias de suspensão.

Tanto que o perfil do colégio em uma rede social chegou a curtir comentário de um dos prováveis pais dizendo que o aluno racista “precisaria de apoio, não de punição”.

E o insultado, cara-pálida? Precisaria de quê? de conviver calado e sem reação com um nazistinha auto-declarado supremacista?

Escolas públicas em tensão permanente

Mas o racismo e o preconceito ocorrem também, e com muito mais radicalismo, nas escolas públicas, onde as classes sociais esquecidas – “pobres de tão pretos ou pretos de tão pobres”? – tendem a matricular os filhos.

É para as escolas públicas que vão, por exemplo, a maior parte dos transgêneros, ainda sem noção de sua identidade de gênero e tratado apenas por gay ou travesti em comunidades sem conhecimento e professores ignorantes.

Stheffany Pereira, mulher transgênero que sofreu preconceito e humilhação quando de sua passagem pelo Liceu Maranhense

Quem não se lembra do caso da trans Stheffany Pereira, impedida por colegas e pela direção do Liceu Maranhense de usar o banheiro feminino?

O racismo estrutural  – e junto com ele o preconceito, a homofobia, a transfobia e a segregação social – precisam ser combatidos em sua raiz histórica. 

E isso significa uma revisão histórica de tudo o que fez a sociedade achar que negro é uma raça inferior.

Achar “radicalismo desnecessário” o ativismo revisionista de casos como o de Monteiro Lobato – racista, nazista e preconceituoso, que estimulava, de forma elisiva e subliminar a segregação de classes e raças – não passa de uma forma elitista de manter negros e brancos separados entre a casagrande e a senzala.

Essa revisão precisa chegar na raiz, incluindo a tradição católica-apostólica-romana, que, afinal, foi fundada em pilares racistas, escravagistas e sexistas de seu fundador e símbolo maior.

Mas esta é uma outra história…

1

Líderes nas pesquisas, Braide e Duarte são os primeiros investigados do MP

Pré-candidatos que aparecem como primeiros colocados na disputa pela Prefeitura de São Luís são acusados de promover propaganda eleitoral antecipada e vão ter que se explicar aos procuradores eleitorais

 

Eduardo Braide e Duarte Júnior vão iniciar a campanha já acossados pelo Ministério Público Eleitoral em ações por propaganda antecipada e abuso de poder

Os deputados Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Júnior (Republicanos) são os dois principais candidatos a prefeito de São Luís, segundo as pesquisas de intenção de votos divulgadas antes da pandemia.

Mas eles também são os primeiros a sofrer investigação do Ministério Público Eleitoral, ambos por propaganda eleitoral antecipada.

Eduardo Braide caiu na mira do procurador eleitoral Juracy Guimarães após ter patrocinado o Boi da Fé em Deus, durante live promovida pela TV Mirante, no último sábado, 27.

O procurador determinou aos promotores eleitorais da 2ª, 76ª e 89ª Zonas Eleitorais que investiguem o deputado, na ação que envolve também o vereador Marcial Lima (Podemos).

Duarte Júnior, por sua vez, foi denunciado pelo também candidato a prefeito Dr. Yglésio (PROS), por suspeita de estar usando o Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (Ibedec) para promover sua candidatura.

O candidato do PRB é investigado pela promotora Raquel Silva de Castro.

Além da propaganda antecipada, tanto Eduardo Braide quanto Duarte Júnior podem ser enquadrados por Abuso de Poder Político e Econômico.

Neste caso há risco, inclusive, de cassação da candidatura…

0

Com novos prazos eleitorais apresentadores podem voltar ao ar…

Afastados desde o dia 30 de junho, com base no antigo prazo, jornalistas, radialistas e apresentadores que são candidatos às eleições poderão ficar por mais 40 dias em seus programas, de acordo com a Emenda Constitucional nº 107, que adiou o primeiro turno para novembro

 

Profissionais de imprensa que já estavam fora do ar poderão voltar aos microfones, de acordo com interesse das emissoras de rádio e TV

Jornalistas, radialistas e apresentadores de rádio, TV e publicidade que são candidatos às eleições de outubro poderão estender seus contratos pelo menos até o dia 10 de agosto.

Esses profissionais de mídia tiveram que se despedir do público na última terçã-feira, 30, com base no prazo antigo, quando as eleições estavam marcadas para 4 de outubro.

Mas o Congresso Nacional aprovou esta semana o adiamento do primeiro turno para 15 de novembro, o que altera também os demais prazos legais da campanha, incluindo o afastamento desses profissionais.

Em São Luís, pelo menos um dos candidatos a prefeito – Jeisael Marx (Rede) – é profissional de imprensa, e já havia se afastado do posto na TV Band e na Mais FM, como o blog Marco Aurélio D’Eça informou. (Relembre aqui)

Entre os candidatos a vereador estão os jornalistas e radialistas Batista Matos e André Martins, que também poderão continuar por mais 40 dias em seus programas.

Para isso, os profissionais terão que conversar com as emissoras…