0

Imagem do dia: Carlos Brandão, enfim, candidato de Sarney…

Depois de passar oito anos ajudando o comunista Flávio Dino a achincalhar a família e acusar o grupo do ex-presidente da República de ser o responsável pela extrema pobreza do Maranhão, governador-tampão passa a ser o candidato de todos juntos, numa espécie de pacto pela miséria

 

Brandão sela sua campanha sarneysista com foto ao lado de José Sarney, que ele e Flávio Dino passaram oito anos acusando pela miséria do Maranhão

O governador-tampão Carlos Brandão (PSB) é o candidato de Sarney nas eleições maranhenses.

Em pose sorridente ao lado do ex-presidente da República, em solenidade da Academia Maranhense de Letras na noite desta quarta-feira, 10,  Brandão coroa sua campanha, que já vinha sendo ajudada por membros da família e do antigo grupo Sarney.

Brandão passou oito anos ajudando o ex-governador comunista Flávio Dino (PSB) a achincalhar a família Sarney e a atribuir ao grupo Sarney a miséria enfrentada pela população maranhense; miséria que só aumentou no governo comunista.

O próprio Flávio Dino já havia recorrido aos Sarney em busca de apoio, após trocas de acusações com a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) pela paternidade da extrema pobreza no estado.

A aliança entre os Sarney, Brandão e Flávio Dino já foi apelidada de “pacto pela miséria”, por reunir no mesmo palanque todos aqueles que tiveram a chance de melhorar as condições de vida do maranhense e só pioraram a situação.

O próprio Brandão tem fortalecido este pacto ao usar cestas básicas no interior em troca de votos.

Numa clara demonstração de que pretende manter tudo como sempre foi…

0

Flávio Dino faz chantagem para ter apoio de prefeitos, acusa Roberto Rocha

Ex-governador comunista usa de ameaças a lideranças municipais para formar uma base para sua candidatura a senador; caso foi denunciado ao Senado Federal com pedido de providências

 

De acordo com Roberto Rocha, Flávio Dino tem usado a máquina do governo Brandão para fazer chantagem a prefeitos

O senador Roberto Rocha (PTB) acusou o ex-governador comunista Flávio Dino (PDSB) de fazer chantagem abeta para ter apoio de prefeitos à sua candidatura de senador; de acordo com Rocha, o comunista usa a estrutura do estado para ameaçar quem se recusa a apoiá-lo.

– Oficiamos o presidente da Casa Rodrigo Pacheco para que o Senado se posicione no sentido de defender a ordem democrática e a lisura do processo eleitoral no Maranhão – afirmou Rocha.

Nas últimas semanas, Flávio Dino tem ameaçado prefeitos de vários municípios pelo apoio à sua candidatura; caso contrário, segundo denúncias dos próprios prefeitos, usará a estrutura policial do estado contra os gestores.

Roberto Rocha fez duro discurso-denúncia no Senado Federal contra as práticas eleitorais do ex-governador Flávio Dino

Em seu discurso, Roberto Rocha pediu também que os colegas assinem o pedido de CPI para investigar o orçamento secreto, que Flávio Dino usa para atacar os senadores maranhenses.

– Ele não pode acusar o Senado de orçamento secreto e usar secretamente o modelo de chantagem para pressionar prefeitos pelo Maranhão – disse Rocha.

Para Roberto Rocha, essa é uma grave denúncia que precisa ser analisada pelo Senado Federal…

0

Prometido para o dia 5 de agosto, “grande ferry boat” de Brandão foi esquecido nas águas de julho

Quase onipresente na TV Mirante – emissora em que havia prometido no último dia 27 a chegada de “um grande ferry boat” – governador-tampão voltou às telas nesta quarta-feira, 10, mas silenciou (e nem foi perguntado) sobre o que aconteceu com a nova embarcação que chegaria em 5 de agosto

 

O ferry velho de Brandão foi anunciado como novo na tela da TV Mirante; e o “grande ferry boat” anunciado por ele na mesma TV nuca chegou a São Luís

Candidato do grupo que controla a TV Mirante, o governador-tampão Carlos Brandão (PSB) usa a emissora e os outros veículos do grupo para fazer seus anúncios mirabolantes; e foi exatamente na Mirante que o preposto de Flávio Dino (PSB) prometeu um “grande ferry boat” para o dia 5 de agosto. (Saiba mais aqui)

O dia 5 passou sem que a embarcação chegasse ao Maranhão. E nesta quarta-feira, 10, Brandão voltou à Mirante, agora para falar de campanha; não tocou no assunto do novo ferry boat e nem foi perguntado sobre o assunto.

O governador tem virado folclore e chacota nas redes sociais por fazer anúncios mirabolantes usando a Mirante, do grupo Sarney; foi lá que ele nunciou, por exemplo, o “ferry boat Zé Humberto como de “alto padrão”.

A embarcação de quase 40 anos, trazida do Pará, é, na verdade, um bloco de ferro velho que se arrasta pela baía de São Marcos, cheio de problemas e com riscos aos usuários.

Desde que passou o dia 5 de agosto, nem Brandão, nem a Agência de Mobilidade Urbana do Governo do Estado emitiram qualquer nota sobre o ferry boat anunciado para aquela data.

O silêncio é a arma de quem não tem o que dizer… 

0

O teatro das eleições maranhenses (ou: Dino é o novo Sarney)

Oposição ao grupo do ex-governador comunista até tenta se opor ao seu projeto de poder iniciado em 2014; mas pela cumplicidade de estar com ele nesses últimos sete anos e meio, teme na própria pele agir contra o novo oligarca

 

Flávio Dino conseguiu transformar-se no novo Sarney do Maranhão, controlando governo, oposição, Judiciário, Legislativo e a mídia; prepara-se agora para o segundo passo, nacionalizar seu poder

Editorial

Um teatro está sendo encenado para o eleitor maranhense desde que se iniciou o processo eleitoral de 2022.

Nesta trama farsesca há um rei, um novo oligarca, encarnado pelo ex-governador Flávio Dino (PSB), que finalmente conseguiu assumir o papel de “novo Sarney maranhense” – e com as bençãos dos próprios Sarney’s.

Com perseguições, chantagens e ameaças, Dino impõe sua vontade aos aliados e até adversários, atraindo ou eliminando da disputa quem ameace o seu projeto de poder iniciado em 2014.

Além do grupo Sarney praticamente todo, o comunista passou a controlar, lideranças comunitárias, pensadores e jornalistas, muitos dos quais nutrem por ele antipatia quase insuperável.

Os antagonistas do oligarca comunista formam a oposição; uma frágil oposição.

A maioria dos que gritam hoje contra os desmandos do ex-governador estavam com ele em 2014, quando tomaram o poder dos Sarney; e muitos seguiram colados ao rei por todo este período, até chegar 2022.

Por isso há esta fragilidade nos que decidem se opor.

Muitos temem que as ameaças sejam cumpridas e os mecanismos de perseguição sejam acionados; por isso é que se vê gente do PL, do MDB, sarneysistas, reinaldistas, jackistas e até pedetistas declarando apoio ao comunista oligarca.

Muitos destes são cúmplices do que foi feito no Maranhão nos últimos sete anos, período em que comunistas deixaram a pequena burguesia e a classe operária para viver na Península e passaram a ostentar charutos e champagnes nas noites de São Luís e fora da capital maranhense.

Por serem cúmplices, estes oposicionistas apenas cumprem o papel que lhes foi dado nestas eleições, sem maiores riscos, sem quebrar as lanças contra o oligarca, exatamente como ocorria nos tempos sarneysistas.

É assim que o teatro das eleições vai sendo encenado, com cada um desempenhando seu papel nos atos de campanha.

Enquanto a plateia segue enganada com o pão e circo.

Como sempre ocorreu no Maranhão….

7

Acredite!!! Flávio Dino está empobrecendo na política

Mesmo tendo toda a estrutura do estado em seu benefício, sem precisar desembolsar um tostão com despesas pessoais há pelo menos sete anos, ex-governador vem perdendo patrimônio desde que assumiu o governo do Maranhão, em 2014

 

Ser perdulário é a única explicação para Dino o perder mais de 10% de seu patrimônio em sete anos como governador do estado

O ex-governador Flávio Dino é um caso sui generis na política brasileira, talvez mundial.

Desde que assumiu o Governo do Estado, em 2015, o ex-governador comunista já perdeu nada menos que R$ 107.899,89 dos seus bens; ele declarou à Justiça Eleitoral, em 2014, R$ 933.605,93 e agora tem apenas R$ 825.706,04.

Essa perda de patrimônio do comunista vem sendo sistemática; em 2018, quando disputou a reeleição, Dino estava cerca de R$ 48 mil mais pobre, quando declarou apenas R$ 885.534,54.

É preciso lembrar que, como governador, Flávio Dino recebeu salário integral durante os 7 anos e três meses de mandato; mas, neste período, ele não precisou efetivar nenhuma despesa pessoal, toda mantida pelos cofres públicos, desde a sua alimentação até transporte, segurança e lazer.

Depreende-se, portanto, que Flávio Dino é um perdulário, gastador, que não conseguiu, sequer, manter seu patrimônio preservado.

Caso inédito na história da política mundial…

3

Brandão tenta impedir campanha de Weverton no interior

Mesmo usando a máquina do governo em seu favor, governador-tampão quer proibir o principal adversário e líder nas pesquisas de intenção de votos a se movimentar nos municípios, o que vem sendo negado sistematicamente na Justiça Eleitoral

 

Em desvantagem nas pesquisas, Brandão tenta impedir Weverton de fazer campanha no interior do estado

O governador-tampão Carlos Brandão (PSB) tentou, sem sucesso, impedir ações de campanha do senador Weverton Rocha (PDT) nos municípios de Matões, Cajari,  Graça Aranha, Zé Doca e Coroatá.

Em desvantagem eleitoral nesses municípios, o preposto do ex-governador Flávio Dino (PSB) quer impedir a movimentação de Weverton para tentar se recuperar nas pesquisas de intenções de votos.

Mas a Justiça Eleitoral tem negado sistematicamente os pedidos de Brandão.

Weverton tem se movimentado pelo interior com apoio de deputados estaduais, prefeitos e ex-prefeitos; diferentemente de Brandão, que usa a máquina do governo para se apresentar ao eleitor, o senador pedetista fala de cara limpa, conversando diretamente com populares.

Nos últimos dias, Brandão perdeu diversas ações na Justiça Eleitoral contra Weverton Rocha; os juízes do Tribunal Regional Eleitoral entenderam não haver motivos para impedir ou restringir a movimentação do senador.

Mas as ações evidenciam o desespero do governador-tampão…

6

Após oito anos como prefeito Edivaldo tem patrimônio de R$ 192 mil…

Declaração de bens do ex-gestor da capital maranhense é menos de 5% do que declarou seu ex-colega prefeito de São Pedro dos Crentes, Dr. Lahésio Bonfim, que tem mais de R$ 4,6 milhões

 

Mesmo após oito anos de mandato, Edivaldo Júnior tem patrimônio modesto se comparado por exemplo, aos mais de R$ 4,6 milhões de Dr. Lahésio Bonfim

O ex-prefeito de São Luís Edivaldo Júnior (PSD) tem o menor patrimônio dentre os principais candidatos a governador do Maranhão.

Seus bens declarados à Justiça Eleitoral representam R$ 192.380,30. 

O patrimônio declarado de Edivaldo representa menos de 5% do total de bens apresentados à Justiça Eleitoral pelo ex-prefeito de São Pedro dos Crentes, Dr. Lahésio Bonfim (PSC).

Edivaldo passou exatos oito anos como prefeito da capital maranhense; Lahésio comandou São Pedro dos crentes por pouco mais de seis anos.

Uma diferença gritante entre os dois gestores…

0

Os bolsonaristas de Flávio Dino…

Ex-governador que vai concorrer ao Senado tem apoio de setores interior do PL, partido do presidente da República, mas prefere apontar o dedo para adversários que defendem publicamente o atual Governo Federal

 

Deputado estadual Vinícius Louro, do PL de Bolsonaro, é mais um bolsonarista a cerrar fileiras com o antibolsonmarista de internet Flávio Dino

Análise da notícia

O blog Marco Aurélio d’Eça já mostrou em diversas ocasiões que o ex-governador comunista Flávio Dino (PSB) não tem qualquer escrúpulo quando o assunto é poder. (Entenda aqui, aqui e aqui)

Nestas eleições de 2022, em que vai concorrer às eleições de senador, ele põe esta característica ainda mais em evidência, ao receber com indisfarçável felicidade apoio de deputados, prefeitos e lideranças do PL, partido do presidente Jair Bolsonaro.

Dino é um do mais agressivos adversários de Bolsonaro, mas não se faz de rogado quando o partido do presidente decide apoiá-0lo no Maranhão.

Mas a postura ideologicamente furta-cor de Flávio Dino ele já expôs em outas ocasiões.

Em 2014, para se eleger governador, Dino se juntou a Aécio Neves, Marina Silva e Eduardo Campos, mesmo estando no palanque de Dilma Rousseff

Em 2014, dividiu palanque com Dilma Roussef, Eduardo Campos, Aécio Neves, Marina Silva e tantos mais que se dispusesse a apoiar seu projeto de poder político.

Em 2022, está junto e misturado com o grupo Sarney, aquele mesmo que atacava violentamente até 2018.

É assim que Flávio Dino vai construindo sua carreira de poder, acima das questões políticas e se abraçando a qualquer um que decida seguir com ele.

E enquanto abraça o PL no Maranhão, faz mídia de antibolsonarista na internet.

Este é o Flávio Dino que o Maranhão conhece…

4

Acuado, Eduardo Nicolau tenta se explicar a promotores e parlamentares…

Acusado de estar a serviço da campanha do governador-tampão Carlos Brandão, chefe do Ministério Público estadual diz em nota que sua atuação não tem nenhuma conotação político-partidária

 

Acusado de ser instrumento do governador Carlos Brandão, procurador Nicolau finalmente decidiu se manifestar sobre as denúncias

O procurador-geral de Justiça Eduardo Nicolau divulgou nesta segunda-feira, 8, nota em que nega estar a serviço da candidatura do governador-tampão Carlos Brandão (PSB).

Denunciado pelo prefeito de Imperatriz Assis Ramos (União Brasil) e acusado de perseguição pela própria colega, promotora de Defesa do Consumidor Litia Cavalcanti, Nicolau foi alvo também de uma “nota de repúdio” da bancada maranhense no Congresso Nacional.

Desde o início de 2021, Eduardo Nicolau vem sendo acusado por políticos e pela imprensa de usar o Ministério Público para proteger a campanha e a gestão de Brandão, ao mesmo tempo em que ataca adversários do governador-tampão.

Na nota divulgada nesta segunda-feira, 8, ele faz um relato de sua trajetória no MP e nega estar a serviço político.

– Mantenho meu gabinete aberto a todos, para o diálogo institucional, sem nenhuma conotação político-partidária – disse, ao rebater denúncia da bancada maranhense.

A nota de Eduardo contrasta com sua própria postura irônica de dias atrás quando perguntado sobre o mesmo assunto.

Sinal de que o procurador-geral de Justiça sentiu o golpe das acusações…

Abaixo a íntegra da nota de Eduardo Nicolau:

Nota de Esclarecimento

Em respeito ao povo do Estado do Maranhão e em defesa da dignidade do elevado cargo que exerço, venho prestar os seguintes esclarecimentos:

– Ingressei no Ministério Público do Estado do Maranhão há 42 anos, ao longo dos quais tenho agido com independência, destemor e integridade, dedicando-me ao fortalecimento da Instituição, pois sei que somente um Ministério Público forte pode defender a sociedade como ela precisa e merece ser defendida.

– Há pouco mais de dois anos, fui eleito pelos meus pares e nomeado pelo Governador do Estado para o cargo de Procurador-Geral de Justiça, sendo reeleito e reconduzido à Chefia do Ministério Público em junho deste ano.

– Desde então, venho mantendo com os chefes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário um relacionamento interinstitucional independente e harmonioso, conforme determina a Carta Magna, o dever de urbanidade e a boa educação. Assim, mantenho meu gabinete aberto a todos, para o diálogo institucional, sem nenhuma conotação político-partidária.

– Durante o mandato, criei sete Promotorias de defesa da cidadania, instaladas nos bairros mais hipossuficientes da Capital, e venho modernizando as unidades do Ministério Público, para proporcionar a defesa de excelência que a sociedade merece, principalmente as pessoas mais vulneráveis.

– Atuei de forma célere e efetiva perante o STJ e o STF, em face de shows milionários de artistas de outros Estados, em municípios maranhenses cujos hospitais não dispõem sequer dos remédios mais básicos para as doenças mais simples da população, evitando, assim, graves prejuízos ao erário dos municípios e danos irreversíveis às pessoas mais pobres. Essa atuação pioneira tem sido paradigma para outros Estados, como: Amazonas, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, São Paulo, etc.

– Para o enfrentamento cada vez mais profissional da corrupção e das organizações criminosas, expandi, estruturei e venho dando todo o suporte necessário ao Grupo de Combate às Organizações Criminosas – GAECO, proporcionando, assim, uma atuação uniforme e efetiva no combate aos desvios de dinheiro público, notadamente da saúde e da educação.

– Venho recomendando aos Promotores de Justiça que atuem de forma firme e uniforme na defesa do patrimônio público e da probidade administrativa, em todas as esferas da administração pública estadual.

– Estruturei com recursos materiais e humanos os Centros de Apoio Operacional – CAOPs, que são órgãos auxiliares do Ministério Público. As coordenadorias dos CAOPs são funções de confiança. Assim, nomeei a Promotora do Consumidor da Capital, Lítia Theresa Cavalcanti, como coordenadora do CAOP do Consumidor. Todavia, os frequentes e gratuitos ataques por ela desferidos contra o Procurador-Geral de Justiça resultaram na perda da confiança, razão pela qual exonerei-a desta função, permanecendo ela com seu cargo de Promotora de Justiça do Consumidor, atuando normalmente em seu gabinete, com o quadro de servidores da sua Promotoria de Justiça, como qualquer outro Promotor de Justiça da Capital. Os servidores do CAOP do Consumidor não podem trabalhar na Promotoria de Justiça do Consumidor, sob pena de desvio de função.

– Em suma, sempre atuei no estrito cumprimento dos meus deveres constitucionais, a serviço exclusivamente do povo maranhense, com total independência, sem nunca perseguir quem quer que seja, e sem jamais aceitar qualquer tentativa de intimidação — venha de onde vier.

São Luís, 06 de agosto de 2022

Eduardo Jorge Hiluy Nicolau
Procurador-geral de justiça

4

Dr. Lahésio enriqueceu R$ 2,3 milhões em apenas dois anos…

Pré-candidato a governador que havia declarado R$ 2,2 milhões de patrimônio em 2020, quando disputou a reeleição de prefeito da pequena São Pedro dos Crentes, agora tem R$ 4,6 milhões; foram quase R$ 100 mil angariados mensalmente, no período em que teve a gestão como sua principal atividade

 

Agora com avião disponível para fazer campanha, Dr. Lahésio ganhou quase R$ 100 mil livres por mês nos últimos dois anos, quando era prefeito de São Pedro dos Crentes

O ex-prefeito de São Pedro dos Crentes, Dr. Lahésio Bonfim (PSC), dobrou o seu patrimônio em apenas dois anos, período em que e esteve à frente do município de São Pedro dos Crentes.

Para disputar a reeleição em 2020, Lahésio disse que tinha R$ 2,2 milhões em patrimônio pessoal; agora, em 2022, esse patrimônio é de R$ 4,6 milhões, segundo dados da Justiça Eleitoral.

O crescimento patrimonial do ex-prefeito que quer ser governador é de R$ 95,8 mil por mês nos últimos 24 meses;

A maior parte da fortuna adquirida pelo ex-prefeito da pequena São Pedro dos Crentes está declarada como “Outros Bens Imóveis”, que somam mais de R$ 2 milhões.

Ele também declarou cerca de R$ 1,7 milhão em “Outros bens e direitos”.

Detalhe: o ex-prefeito fez campanha de eleição e reeleição usando como discurso a doação do salário integral da Prefeitura de São Pedro dos Crentes; diante desta situação, fica a pergunta:

Como Dr. Lahésio conseguiu enriquecer R$ 2,3 milhões trabalhando como prefeito e sem salário?!?