169

Mais do mesmo em mais um São João…

Boizinho barrica na mesma evolução: cenas que se repetem

Que música inédita de sucesso o Boizinho Barrica produziu nos últimos cinco anos? Quem é capaz de cantar uma música nova do Boi da Maioba, de Axixá, de Morros ou do Maracanã?

São João é uma festa repetitiva e igual no conceito ano após ano.

E se perguntar para o povo que frequenta os arraiais, a resposta também será a mesma do ano passado. E do retrasado, e de há três anos…

– Ah, o arraial tal está lindo este ano!!! – dirá um.

– A comida daquele arraial é a melhor que tem!!! responderá outro. 

Os telejornais nem deveriam se dar ao trabalho de mandar repórter perder tempo nas noites juninas. Basta botar no ar aquela matéria arquivada do ano passado – ou até mesmo a de cinco anos atrás. Não faz diferença.

Brincantes do boi da Maioba: mesma coisa do ano passado…

Em 2012 é mais do mesmo no São João do Maranhão. Assim como foi em 2011, 2010, 2009…

E será também em 2013.

Os mesmos grupos de bumba-boi, as mesmas danças portuguesas, o cacuriá de sempre e – aquele velho tambor de crioula para o que se acham alternativos.

Manifestações que servem apenas para pesquisadores bancados por universidades européias, que vêm para cá concluir suas teses pseudo-antropológicas sobre as culturas primitivas do Terceiro Mundo.

E o repórter ainda perde tempo para ouvir aquela mesma resposta de sempre. E com o mesmo sotaque:

– Hé uma ferrsta marrravilhôôôssa!!!.

Com o microfone nativo em sua cara, o “turista” iria dizer algo diferente???

Marco Aurélio D'Eça

169 Comments

  1. Ô, jornalistazinho burro do caralho! São João é tradição, querido, e não escola de samba que apresenta um enredo novo a cada ano.

  2. Nunca vi tanta ignorância juntas, vcs por acaso não sabem o que é tradição, vcs por acaso sabem fazer melhor do que é feito? aposto que a ignorância não deixa, vcs deveriam usar o cérebro para algo mais proveitoso do que críticas destrutivas, ta na hora do povo aprender a dar valor a cultura das sua regiões, dar valor as suas regiões e não vir querer criticar o que não sabe e não entende, em vez de criticar não mostram um projeto que vai abrilhantar ainda mais as nossas festas se é que entendem de alguma coisa?

  3. Santa ignorancia, eesste comentário não deveia nem ser lido e muito menos respondido, mas irei fazer apenas perguntar a este colunista quantas musicas o axé produziu nova e ele não perde uma micareta, marafolia. Mesmo não renovando seu estoque produzimos toadas e cantorias riquecemas em letras e melodias.

    Resp.; mais um tolo desinformado que pegfou o bonde andando. Ôh, idiota! Detesto axé, nunca fo]ui em micareta, não suporto música bahiana. Entendeu, babaca desinformado e segurador de pau de boi???

  4. para de ser tão ignorante minino… a festa junina do maranhão se chama tradição!

  5. Marcio, se esse seu post foi colocado no intuíto do seu blog passar a ter mais leitores, meus parabéns! Vc conseguiu!
    Com certeza, muitas pessoas vieram aqui assistir tamanha falta de educação, falta de respeito com o trabalho dos outros, falta de respeito com a população maranhense que vive o são joão (dança, canta e brinca).
    Dessa vez vc teve leitores, mas da proxima com certeza o número de leitores inteligentes e criticos será nulo, ou proximo a isso!

  6. SÓ RINDO DESSE POST RIDICULO, A QUEM APRECIE ESSA CULTURA PRIMITIVA E ENTENDA COMO FORMA E EXPRESSÃO DE SUA IDENTIDADE, VC NÃO DEVE SE RECONHECER NA SUA CULTURA, EXATAMENTE POR VOCÊ NÃO SER NADA! NEM VC NEM TODOS QUE CONCORDAM COM VC VAI DESFILAR NO CARNAVAL DO RIO PAGANDO 200.000 NUMA FANTASIA OU ASSISTIR CICLETE COM BANANA EM SALVADOR POR QUE ISSO PRA VC DEVE SER CULTURA!
    CULTURA NÃO É ESPETÁCULO! CULTURA É O QUE TE FAZ SE ENTENDER COMO INDIVIDUO. E QUANDO UM POST QUE FALOU DAS “VELHAS BEBADAS” MAIS RESPEITO. NÃO ACABE COM SEU PASSADO, FAÇA PERDURAR PRA SEU FUTURO PQ SE VIVE ATÉ HOJE VAI VIVER PRA SEMPRE

  7. Porque o que presta e a cultura alheia, né?! Atitude típica do brasileiro: desdenhar da sua cultura. Sao João não e carnaval, não e desfile de escola de samba. E a cultura do nosso Maranhão e linda, sim! Fico arrepiada só de ouvir o som das matracas e pandeiroes do boi da maioba. Na verdade, esse post me pareceu mais uma falta de assunto e tentativa de chamar atenção pro seu blog. Acho que você não entende de nada sobre o que escreveu.

    Resp.: Aqueles que se encantam com a beleza do boi, mas não se mostram à vontade com o dia-dia do maranhense, tentando se desvencilhar da própria natureza, também são poser’s (aqueles que gostam por que é “cult” gostar). Entendeu???

  8. Se queria criar polêmica com esse texto, parabéns. Conseguiu alguns comentários, talvez admiradores, e muitos que se decepcionaram. Amanhã você já não será lembrado, mas o São João permanecerá. Isso é cultura.

  9. Muito há de se admirar tal informação vir de um jornalista tão conceituado, como o próprio se intitula, mas que, no entanto, nunca ouvi falar!
    Concordo quando dizes que cultura é algo muito mais complexo do que vem-se dizendo ao decorrer dos comentários, leva-se em conta os diversos fatores já mencionados por ti mas, ainda, deve-se levar em conta a lógica e a origem da palavra. Cultura vem de uma palavra latina, e significa o simples “cultivar”. O que essa palavra lhe traz? Para mim, obviamente, me lembra tradição, conservação.
    Nunca fui fã do São João em geral, mas nunca desrespeitei essa forma de CULTURA cuja manifestação envolve inúmeras pessoas de bem, que tem por bem conservar parte da nossa história, e não só “encher o r*** (me recuso) de cachaça”. E por sinal, que mal tem? Ao meu ver não existe crime nenhum em beber e esbaldar-se por onde bem entender-se. Ao contrário dos diversos crimes que cometeste insultanto e sendo um completo mal educado com alguns que vieram expressar-se, assim como você, nesse blog.
    Percebi que és adepto do famoso ditado: “Faça o que eu digo, não faça o que eu faço”.
    Aqui a minha humilde opinião se encerra.

  10. INFELIZMENTE O MUNDO ESTÁ CHEIOS DE PESSOAS RIDÍCULAS COMO VC, QUE SE DIZEM JORNALISTAS E NEM SABEM O QUE SIGNIFICA CULTURA!!!!! VAI ESTUDAR UM POUCO MAIS ANTES DE FALAR ASNEIRAS SEU IDIOTA!!!!!!

  11. o nosso são joão é lindo e não deveria mudar nem suas danças,nem suas indumentárias, nem suas músicas, nem seu brilho, nem seu tambor de crioula,enfim,é lindo como sempre foi.será que quase 100% da rede hoteleira oculpada durante o período junino deve-se realmente aos pesquisadores bancados por universidades européias, que vêm para cá concluir suas teses pseudo-antropológicas sobre as culturas primitivas do Terceiro Mundo e que falam Hé uma fersta marrravilhôôssa???p quem estuda e pesquisa, a conclusão é óbvia…NÃO.será que o tambor de crioula recebeu o título de patrimônio cultural imaterial brasileiro pq os “pesquisadores europeus” e os turistas que falam Hé uma fersta marrravilhôôssa estiveram aqui? p quem estuda e pesquisa a respeito a resposta é óbvia…NÃO. será que a passagem de quase 100 mil pessoas na festa de São Marçal são os “pesquisadores europeus” ou os turistas que falam Hé uma fersta marrravilhôôssa ?? p quem estuda e pesquisa a respeito a resposta é óbvio…NÃO. é fato que cada um tem sua opinião e tem liberdade de falar ou escrever o que quer.mas, descrever a cultura maranhense como “cultura primitiva” ou sei lá mais o q, é no mínimo estranho..que venham mais e mais festas desse tipo e que o povo maranhense dsfrut e aproveite essa época, principalmente (são joão) e que seja sempre a mesma…faço das palavras da raíssa, as minhas…a cultura maranhense para quem é nativo, ou até mesmo para quem entende o real significado de cultura tem muito valor!

  12. Pois é… repetitivo mesmo… Esse é o nosso Maranhão, esse é o nosso Brasil. Temos que acabar com isso. Mudança já! A começar pelos Sarnentos no poder.
    E aí??? Espero que publique.

  13. Gostaria de dizer que uma manifestação secular realmente não deve mudar. E você deveria pesquisar um pouquinho mais sobre o que é cultura e o que ela deve representar! Além do mais os nativos são capazes sim de entender outros idiomas e inclusive ver a admiração que eles possuem pela nossa cultura como um todo. 😉
    concordo que a mídia influência muitas opniões e até manipula muitas delas, mas a cultura maranhense para quem é nativo, ou até mesmo para quem entende o real significado de cultura tem muito valor!

  14. O mais do mesmo de uma débil alma frustrada.

    Renovem os seus autos e enrendos, sem no entanto, fugirem das suas origens, na preservação da tradição em sí. É preciso ver com os olhos da realidade. O desprezível, não está na mesmice, até porque realizamos o maior e mais belo espetáculo à céu aberto da terra, “O Bumba Meu Boi do Maranhão”, Patrimônio Cultural do Brasil e do Mundo. As pessoas que se transvestem a alma, para atacar de maneira calculista a nossa arte, a nossa cultura, fruto incansável da essência do nosso folclóre, não deveriam irem para os arraiais e ficarem a pedirem camizetas de agremiações diversas e depois sairem escrachando aos quantro cantos, os seus repetidos e astratos “relatos”. Talvez o nosso São joão atual meu “caro” Marco Aurelio, esteja como a vossa alma, triste e frustrante.

    Resp.: Ué, E “o mais belo espetáculo a céu aberto da terra”, até ontem, não era o Carnaval???

  15. A burrice do “esperto” é pensar que os outros são tolos…O repórter pode sim conduzir uma entrevista mas não há como impor nada há ninguém, pois cada pessoa tem uma opinião e expressa como quer! Se você falasse que a mídia, digo Televisão, tem o “poder de impor” quando “edita” e seleciona as imagens concordaria plenamente…
    Quanto ao “estudo das culturas primitivas” parabéns aos turistas que conseguem entender o que os “nativos”, como você, não entendem! Estudar ” a cultura primitiva” não é compará-la, nem desvalorizá-la, nem tampouco torná-la inferior às demais! Os turistas compreenderam o essencial e o mais importante: as culturas não se “sobrepõem”, elas integram a história de um povo que é transmitidas aos demais através manutenção da tradição! E que os MARANHENSES fazem com perfeição no SÃO JOÃO!!!!
    Só pra finalizar… mais uma vez um comentário infeliz! Quem disse que não somos(os nativos) capazes de entender outros idiomas? Isso traduz exatamente a minha frase inicial ” A burrice do esperto é pensar que os outros são tolos”!

  16. Nossa nunca vi tanta besteira escrita! Você tem que saber respeitar a cultura do Estado… Ao menos, fiquei feliz por ver a quantidade de pessoas que responderam defendendo “a tradição e a repetição”, sinal de que estamos no caminho certo! E poder ver a repetição de anos após anos os turistas dizendo “que maraviiiiiiiilha” é um orgulho, pois é a materialização do sentimento de satisfação e alegria, coisa que COM CERTEZA você não tem! Então não critique pois, o que você acha “cansativo e repetitivo” para outros é apreciado e visto com respeito. A cultura se perpetua pela tradição e se para mantê-la, repetiremos sim milhões de vezes! O que me deixa feliz é perceber que são poucos os que não apreciam, em um universo de pessoas que ficam com os olhos brilhando de emoção ao prestigiar tal “repetição”… E VIVA SÃO JOÃO!!! VIVA A TRADIÇÃO, A REPETIÇÃO, AOS ARRAIAIS LOTADOS de pessoas que prestigiam A CULTURA MARANHENSES!!! Parabéns para todos que se esforçam para mantê-la, ainda que tenham os poucos que não saibam reconhecer…

    resp.; Não seja tola, minha filha. O turista diz que “marrrrravilha!!!” por que o repórter impõe isso a ele. Mas, nas conversas entre eles, eles tratam como “estudo das cultura primitivas”. Quem entende o mínimo de uma língua estrangeira, é só ficar perto e ouvir as conversas nos idiomas deles. Para nativos, isso é impossível.

  17. O Q É CULTURA PRA TI JA CRITICOU AS CULTURA DE QUASE TODOS E STADO DO BRASIL NÃO ES TA BOM DE TU INVENTAR UMA QUE SABE AI TU PODE FALAR BEM DELA

  18. tu fala besteira de mais até pq muitas brincadeiras não ficam só aki no nosso estado e sim viajam pra mostrar pro mundo a cultura do nosso estado e quem não gosta é a minoria e tu está dentro dela e nem pra comentarista de cultura tu nao presta é um palhaço que quer se promover com autas criticas

  19. Às vezes, ficar calado é a maior lição de sabedoria.
    O bumba-meu-boi é patrimonio imaterial do Brasil, como o é, o tambor de crioula. São manifestações folclóricas. E como folclore, são parte da identidade cultural de um povo.O que é raiz não muda, tem que, e precisa ser mantido na sua originalidade .Se não, deixa de ser identidade.
    E essa identidade cultural maranhense é tão forte, que o Brasil reconhece.
    E VIVA O SÃO JOÃO !

  20. até que apareceu um corajoso pra tocar neste assunto, culpado disso tudo é a governadora Roseana, pois antes do governo dela, as brincadeiras eram verdadeiras, foi só comesçarem dá dinheiro pra essa rapaziada, todo dia
    surge um grupo diferente, é carnaval, natal e são joão, não se trabalha mais, ficam todos à espera da subvemção, é uma lastima!

  21. Ah, esqueci, uma coisa é verdade. Ninguém mais aguenta as entrevistas com turistas dizendo “que maravilha, sensacional, agora venho todo ano…”. kkk

  22. Quanto à publicação sobre as festas de São João achei o mesmo que alguém que não gosta ou não conhece Heavy metal afirmar que “são um bando de loucos, drogados, balançando a cabeça. As bandas são todas iguais…”, ou quando um evangélico olha um terreiro de Candomblé e diz “macumba”… ou um cara que não acompanha futebol dizer que “futebol hoje é só correria…”. Foi apenas uma visão de um leigo que tem que ser levada em consideração, afinal, quantas pessoas devem pensar da mesma forma. Para alguém que vive o bumba-boi e a cultura popular cotidianamente o post do Deça foi um absurdo… Mas, a maioria não vive o São João e suas manifestações, apenas acompanham e vários, com esse tipo de visão superficial, exposta aqui neste blog. Sou brincante do Boi de Matraca de Ribamar e acho que ninguém é obrigado a gostar só porque é maranhense. Bobagem. As críticas devem ser ouvidas e, se necessário, avaliadas. Faltou apenas mais embasamento ao jornalista.Ele não é da área da cultura, que aliás está cheio de “especialistas” que não entendem nada do assunto. Abraços.

  23. olha um tal de boizinho barrica é uma piada ou melhor um boizinho apadrinhado isso simm… temos que tirar o chapeu pra imprenssa do radio principalmenmte os fazem e que fizeram a cubertura dos arraiais isso sim é repeitar nossa cultura valeuu!!!!

  24. Estou decepcionado com o seu comentário.Tinha vc como referência depois dessa…O q vc sugere nos arraiais: CHICO BUARQUE, MARIA BETANIA, GAL COSTA, GILBERTO GIL EDITH PIAFF quem mais? Coloca ai o SACODE E OS SHOWS DO GRUPO MARAFOLIA.

    resp.: Todos os que você citou, pra mim estão no mesmo nível do bumba-boi: chatos, cansativos e sem graça. Os shows do grupo Marafolia e o Sacode sequer cito por que, pra mim, nem música é.

  25. Esqueceu de citar os shows, alguns podemos chamar de XOOOOOOOOOOOOXÔXÔ XÔ XÔ, muitos são os que pedem para subir ao palco, mas o que muitos deles apresentam é patético.E e pergunta a onde a coisa vai parar.

  26. Cara ate eu ter lido esse comentario o seu blog fazia parte da minha lista diaria de blogs a ler, mas com certeza a partir de agora não, rapaz o que vc chama de ignorancia em passar a noite batendo um pedaço de pau, nada mais é do que o povo mostrando a efervecência cultural existente dentro de nós, essa festa tão brilhante que so existe aqui no Maranhão, onde temos 5 sotaques:matraca, baixada, orquestra, zabumba e costa de mão.
    Rapaz o fato de vc não gostar do São João maranhese, não te dar o direito de menosprezar a cultura maranhense, no final das contas o maior ignorante é vc que prefere perder seu tempo indo p os bares chiques da ilha p escultar musicas de outros estados, e outra se vc não gosta caro, se mande daqui q não vai fazer falta, Cara Decio deixou um vazio no jornal q vc faz parte ate mesmo porque temos agora q ler um imbecil feito vc.

    Resp.: Quem disse que eu não gosto de música maranhense, ôh babaca?!? Mano Borges é um dos artistas mais completos do país, com músicas de qualidade e com letras fortes. César Nascimento, Carlinhos Veloz e Beto Pereira também fazem música de qualidade, capaz de rivalizar com qualquer artista dos grandes centros. O blog é mue diário e aqui expresso minha opinião sobre o que gosto e o que não gosto. Se você é contra, caia fora, idiota. Aliás, nunca nem percebi um tal “George Coutinho” comentando neste blog. Pra você o tamanho da uma insignificância. Só podia ser “boiero”. Êêêhh, boooi!!!!

  27. amigo se o que você queria era ganhar ibope conseguiu mas foi de uma péssima forma, se tu não sabes nada da cultura do teu povo tu não sai por aí comentando besteira. a cultura maranhense é a que apresenta a maior diversividade relacionada ao são joão com inúmeras danças(dança do lelê,cacuriá,dança do coco,entre outras ), bumba bois em inúmeros sotaques e grupos por que foi constatado no minimo 300 grupos de bumba boi no maranhão então não fala besteira.cada ano se tu queres saber são lançados temas onde cada brincadeira deve adequar seu grupo a eles então é quase impossível existir musicas(toadas) e endumentarias iguais o que pode acontecer são de toadas que são considerados hinos e precisam ser tocadas para apreciação do publico… ah!!! e ao amigo que colocou que só vai acompanhar a namorada por que ela gosta de comida tipica você tá sendo muito é enganado por que ela vai é pra olhar os índios,que fazemos e enchemos os sonhos delas de prazer como corpos belos e esculturais.

  28. voce e limitado.fala as coisas sem um conhecimento cientifico logico.no rimitivismo as sociedades ainda nao eram nacoes, segundo na idade media o mundo era eurocentrado. e cultura significa cultivar a celebraao mesmo que seja reetitiva

  29. Seu blog é bom e respeitado. Não nos force a pensar o contrário.
    Mestre Ubiratan: como sempre lúcido!

  30. Ele come chibé? Que nada! É só no caviar e nas tetas do gabinete. A única tribo que ele gosta é a Timbalada.

    Resp.; Mas que ngabinete que você fala tanto, amigo??? Eu não tenho gabinete e nem trabalho em gabinete algum, meu caro. Sou jornalsita, tenho meu computador em casa e mninha bancada no jornal O EstadoMaranhão. Não tenho, não trabalho e não frequento gabinete de qualquer espécie. Se engana também quanto ao meu gosto musical: Detesto Axé – de qualquer espécie, incluindo Timbalada – detesto forró, eletrônico ou pé-de-serra; detesto pagode, qualquer um que seja; detesto brega, detesto arrocha, detesto reggae, detesto mangue beat e suas variantes, detesto rap, detesto funk. Só gosto de música, meu caro.

    P.S.: A propósito, Você e o tal do “Gostoso” só comentam no blog a partir das 13 horas de cada dia. Serão mais uns daqueles funcionários públicos sem nada pra fazer que passam a tarde navegando em Internet, desocupados? Tá parecendo, viu?

  31. Ubiratan… Falou tudo! Ele quer eh audiência, por isso essa polemica! Isso que tu faz nao eh jornalismo. Esse tipo de coisa mancha o nome da UFMA! Da vergonha de dizer que eu estudei bá mesma faculdade que tu…

    resp.; Pois eu não faço nem idéia de quem voc~e seja nna vida. Imagine lembrar que estudei na mesma faculdade “que tu” (como você diz).

  32. Prezados amigos.
    Como moro em S.Paulo nunca li algo escrito por este blogueiro e por isso não posso emitir opinião sobre a sua competência, como jornalista.Sobre o assunto , em pauta, percebo pouco conhecimento por parte do mesmo sobre o assunto e uma confusão sobre o que é cultura e folclore.A questão do gosto deve ser respeitada, é um direito do mesmo.Entretanto é nescessário a um jornalista ao emitir certas opiniões aprofundar-se sobre o assunto para não ser alvo de descrédito, se é que a sua intenção é a de construir algo, de informar aos seus leitores coisas relevantes.Se a intenção for apenas chamar a audiência, criar a polêmica de forma irresponsável para aumentar os acessos, aí, tudo bem o”sucesso” será alcançado e isso demonstrará o nível, a qualificação desse tipo de profissional que se preocupa com a quantidade e não com a qualidade.A internete, os blogs são factíveis de engodo, pois o próprio jornalista pode criar nomes falsos, com respostas falsas , tudo para conseguir audiência, portanto fica difícil sabermos se essa avalanche de participações são verdadeiras…
    Muitas boas respostas foram colocadas em rebate ao que o blogueiro anunciou e em alguns momentos o nível foi muito baixo, com agressões mútuas, nivelando os 2 seguimentos ( leitores e blogueiro) por baixo, que se igualaram, lamentavelmente!
    O assunto, em foco é superior à baixaria e à ignorância demonstrados neste embate e torço pra que os 2 seguimentos se aprofundem mais para que possa ser melhor aproveitado pelos leitores que por algum motivo não se manifestaram.
    A evolução não pára e gravem bem o que vou dizer neste dia 27/06/2012: as nossas manifestações culturais, folclóricas estão sendo mostradas para o Mundo, através da Record News e isso vai trazer uma grande mudança a todos os Brasileiros que passarão a conhecer melhor esse ESFORÇO MONSTRUOSO das comunidades em promover algo que é seu, criado com o suor de rostos Dígnos de pessoas Sensíveis que por tanto tempo foi EXCLUÍDO da mídia Ignorante…!
    Em S.Paulo e pelo Brasil todo, além de outros estilos faço a minha parte divulgando essas manifestações, num cumprimento de um dever pelo legado deixado por Homens e Mulheres de Fibra que me tornaram uma pessoa melhor…
    Abraços e Paz de espírito a todos!

  33. Desconhecido e arrogante. Mas, quando souber ao menos o que seja um maracatu venha conversar de novo comigo.

  34. Esse reapaz não trabalha não? A Miante e o chefe do gabinete pagam pra viver no blog, é? Tá fácil ganhar dinheiro assim.

    Resp.: Chefe de gabinete de onde amigo? Trabalho no blog. Esta é a minha função como jornalista. Sou profissional, vivo disso. Neste momento, inclusive, estou na redação de O EstadoMaranhão, cuidando da edição de política de amanhã. Tá incomodado?

  35. 20 ML ACESSOS DIÁRIOS? K

    QUEM VIU?

    VOC~E MANIPULANDO, CHEGA ATÉ A 200 MILHÕES.
    KKKKKKKKKKKKK

    Resp.: Quer que eu lhe mande o relatório do Google Analitcs e do WordPress, dois dos medidores de acessos mais respeitáveis do mundo, usado por todos os principais sites do Brasil e do mundo? Mande-me o e-mail que lhe envio um print.

  36. As danças portuguesas no Maranhão (luso-maranhenses) ganharam características próprias e são lindas. E o Fernando Fernandes Marcos Marques não sabe nada de nada, tadinho. Ignorante todo! kkkkkkkkkkk

  37. Gente, esse rapaz gosta é de rock. E balada. Olha o que ele fala dos maracatus, do carnaval carioca (maior espetáculo do mundo). A gente está perdendo tempo. O blog dele pouca gente conhece. Já o carnaval e o São João… engula, Deça! Desça do salto, amigo!

    Resp.; Se você considera que quase 20 mil acessos diários significa que “pouca gente conhece” este blog, então sou um grande desconhecido. E com orgulho. Mas, maracatu? Sinceramente não dá!!!

  38. Meu amigo, seja no Gabão, Japão, seja no Canadá, em todo lugar existem milhões de manifestações culturais, companhias e grupos culturais fantásticos, eventos, festivais. Ninguém está discutindo isso e nem comparando culturas. A única cosia que vamos rediscutir é a cassação de seu diploma. Se é que tem.

    Cientista algum está discutindo a importância da cultura popular! Acorde! Não escreva bobagens!

  39. Ninguém considera, no mundo, que folclore é a única expressão cultural. Você que está insinuando isso. Mas, infelizmente, você desconhece o tema. E não adianta vir com esse seu currículo todo aí (apelação) e nem dizer que deram 10 pro seu blog. Só se foi de 1 a 100, aí tudo bem. Ninguém duvida de sua capacita na Política. Mas, foi infeliz com a besteira que colocou.

    Resp.; Vocês é que estão falando o tempo todo de folclore comos endo expressão cultural. Por acaso Bumba meu Boi é cultura de quê? Que apsecto cultural há no Maracatu. São amnifestações folclórica, apenas um microcosmo da formação cultural do povo maranhense e pernambucano. Só é cultura para aqueles que, como você, vivem disso – de sugar o dinheiro público no Carnavbal e no São João. Os mesmos donos de grupos juninos são os mesmos donos de grupos carnavalescos. Vivem tentando arrancar dinheiro do contribuínte, por isso são capazes de tudo para defender sua “cultura”.

  40. Esse rapaz está perdido, sem argumentos. Nem mais quer saber o que está escrevendo. Ele diz que folclore não é cultura. É doido. Folclore é cultura, sim. O Bumba-meu-boi, hoje, é cultura popular, porque existem créditos. Nada de ficar parado no tempo. O aparato, o dinheiro investido, o nível e a produção são fantásticos e modernos. Não tem nada de antigo nem primitivo. Antigo é o pensamento tacanho desse tipo de imprensa mequetrefe que ele faz. Se reporta a tribos da África. Nada a ver. Desconhece a força dos festivais, das companhias, dos grupos e eventos que lidam com a cultura popular. Totalmente por fora. Infelizmente a postagem rendeu muitos comentários, mas caiu em nosso descrédito.

  41. Isso, Eu. Ele não tem é argumento. De fato, mau gosto é mau gosto. Haja mal gosto do blogueiro.

  42. LAMENTÁVEL E TOTALMENTE DE MAL GOSTO O COMENTÁRIO DO TITULAR DO BLOG.

    Resp.: Este mau é com u. O contrário de bom. O mal com L, se opõe a bem.

  43. Precisamos valorizar nossa arte popular sempre, eternamente! A CULTURA É VALORIZADA PELA HISTÓRIA. Ele copiou isso de um livro. E a história é o povo, o que ele faz. O folclore, a base de tudo. Ele é recalcado, sim. Com tudo que é bom. O negócio dele é gabinete.

  44. Ele está fazendo isso por que quer. Rafael. Na verdade, ele gosta, mesmo não sabendo nada sobre. Temos a melhor arte popular do Brasil, mas o pior futebol da América. Isso ele não engole.

  45. Rafael, ele está querendo desviar a atenção da gente. Ele vive em rodas de bumba-boi. Mas, está fazendo isso intencionado. Para desviar a atenção da Secma

    Resp.: Sinceramente, ainda não entendi por que você acha que quero desviar atenção da Secma. Aliás, que diabosé Secma? Seria Secretaria Municipal de Cultura? Oh, meu caro! Critico esta coisa há mais de seis anos aqui no blog. É um antro de corrupção, desvio e lavagem de dinheiro. Só serve para dar dinheiro público a apaniguados. Desviar da Secma? É, já vi que vocês vivem em um mundo e eu em outro.

  46. cara não gosta da cultura não comenta, vai curtir esse forró de merda q chamam de forró q vc vai escutar música nova toda semana, eu duvido se vc não escuta um cd que vc tem a mais de cinco anos, o povo vai pq gosta e não pq é obrigado, vc é um “jornaleiro” isso sim, vai morar na frança mané, na suíça, em londres e sai do maranhão, onde tem a cultura mais rica do mundo e larga de tá falando merda, vc deve ser um repórter frustrado com a nossa cultura isso sim, nunca mandaram vc fazer uma reportagem, ZÉ RUELA. Qndo eu não gosto de algo nem comento, eu só respeito. Deve ser um roqueiro de mente fechada isso sim, q pra ele só existe o rock!!! zé ruela

    Resp.: Curtir forró?!? Já vi que você é mais um idiota que não sabe de nada. Detesto forró, meu caro. Qualquer tipo – eletrônico, pé-de-serra, qualquer um. Porque eu precisaria morar na França só porque não gosto de Festa Junina? Adoroa nossa cultura. Adoro São Luís, cidade onde nasci, onde fui e sou absolutamente feliz. Só não gosto de São João. Só isso. Não posso? E não posso expressar minha opinião e meus gostos no meu próprio blog? De fato, gosto de Rock, como também gosto de música pop – sobretudo o pop feito na Inglaterra dos anos 80 e que até hoje influencia o mundo musical. Pagode, Forró, Sertanejo, essas coisas… isso não dá. Isso e suas variações – que inclui o Bumba-boi, o Axé, as marchinhas, o xote, o xaxado etc, etc… Pra mim isso é lixo.

  47. Se não tem o que postar, vá dormir… A cultura maranhense é linda e nunca será repetitiva.

  48. Voce sabe o significado de tradição? Hum, ja sei, festa pra voce são essas New Sensation? Entendi. Quer q o boi morra? Nao adianta, ele ressucita no final! É pura arte e musica, ao contrário de muitas outras festas no Brasil e mundo, onde “ANIMAIS” se machucam de verdade como a farra do boi, rodeios, nao sei o q do tomate, do queijo, dos rojões, “dos ácidos”, dos “bate-cabeça” do rock, e entre outras. Gostas de q, jornalista play? Ravi? Ou qualquer outro gosto. Porque isso é questao de gosto. Guarnece camarada!

    Resp.: Claro que é questão de gosto. Mas existe o bom e o mau gosto. Msmo que seja questão pessoal, o mau gosto nunca deixará de ser mau gosto.

  49. Voce quer a morte do boi? Nao adianta, ele ressucita!!!É uma tradição de séculos, arte e música q nao se compara com farra do boi, nao sei o q do tomate, touradas ou rodeio em q “animais” se machucam. Nem sei porque tô te dando IBOBE. Guarnece camarada!

  50. Acho que tu queria ser índio do boi de morros e nao conseguiu! Por isso essa raiva do nosso sao João, que eh o melhor do Brasil. Te enterra Marco, falar que todas as culturas sao chatas. Tu tem algum curso superior cara? Só falou besteira neste post… Jornalista tenho certeza que nao é. Isso que dar confundir blogueiro com jornalista.

    resp.: Sou formado em Jornalismo, meu caro. E passei em segundo lugar na minha turma, de 1994, na Universidade Federal do Maranhão, mesmo sem nunca ter feito cursino e sempre ter estudano em escola pública. Minha monografia de conclusão de curso na Faculdade São Luís – Veja bem: monografia, não peça prática – que analisou a influência do jornalismo digital no processo político do Maranhão e suas consequências no futuro (como se pode ver hoje, com a força dos blogs) foi aceita com Nota 10 – com louvor – pela banca formada pelos professores-doutores Paulo Rios, Jaqueline Bogéa e Márcio Monteiro. E não confunda cultura com folclore. O que se vê no São João é manifestação folclórica. Cultura é muito mais abrangente. Envolve música, arte, conhecimento, história, tradição, formação e língua de um povo. Por isso é que as culturas não são chatas. O folclore, sim. Todos são chatos. Seja aqui, seja na Europa ou nos EUA. Por isso é que, em muitos países, eles são relegados a apresentações esporádicas. Se uma sociedade expressa a manifestação folclórica como valor máximo de sua cultura, essa sociedade, com certeza, parou no tempo. É só ver as sociedades tribais da África, as comunidades talibãs do Afeganistão, os Esquimós, etc… Para estes povos, o folclore é a única expressão cultural. E eles são o que são, né?

  51. Marco, penso que para alguem que tem formaçao universitária – Jornalismo, fico duvidando se vc cursou a disciplina de Antropologia Cultural. Gostos e preferencias todo mundo tem, mas temos que ter um certo relativismo cultural e respeitar as preferencias culturais de cada um. Acho que vc deve um pedido de desculpas para os maranhenses. Belo presente de 400 anos de aniversário vc deu para Sao Luis com esse comentário inútil.

    Resp.: Esta idéia de relativismo foi implantada no debate antropológico recente. São aqueles “estudiosos” que vâo ao Gabão, por exemplo, e entendem que a cultura de lá é igual a do Canadá, por exemplo. Defendem estes estudiosos exatamente o relativismo, com a idéia de que não há uma cultura pior ou melhor que a outra. São apenas diferentes. Esta teoria suplantou os estudos antropológicos e chegou às demais áreas do conhecimento, influenciando artistas, intelectuais, jornalistas, políticos – e consequentemente milhões de estudantes mundo a fora. Depois de duas décadas de experimentos não confirmados enquanto prática, estas teorias começam a ser rediscutidas. Mas, como tudo o que acontece na história do mundo, anos e anos de modelos acabam deixando resquícios que se perpetuam – ou insistem em se manter na memória coletiva, mesmo após derrubados pela regra do experimento e confirmação. É o que acontece, por exemplo, com a idéia do Cristianismo, implantado pela igreja católica no Ocidente por mais de mil anos – sobretudo com o controle do conhecimento na Idade Média. Agora, após Quinhentos anos de retomada do conhecimento, fica difícil contrapor as teses católicas – mesmo com muitas de suas teses já caídas no ridículo – exatamente por causa dos arquétipos implantados ao longo de gerações.

  52. “Ignorante é quem se acaba madrugada a dentro com pedaçõs de pau batendo um no outro, meu caro. A expressão do primitivismo boçal, disfarçada de “cult”.”

    Eu não poderia ter lido coisa mais ridícula e absurda hoje. Eu quero que alguém me diga qual é a festa ou data comemorativa que não é repetitiva. Vamos acabar então com as comemorações de Páscoa, Natal, Ano Novo, Dia das Mães e TODAS as outras datas, já que todo ano é a mesma coisa, não?
    Na páscoa é sempre chocolate; no dia das mães é sempre levar a mãe pra almoçar e comprar um presente caro e bonito; no Natal é fazer amigo invisível sem graça e ceias gigantescas; etc, etc, etc.
    Qual é o São João nesse país que tem o costume de diversificar e todo ano fazer uma coisa inovadora, meu caro? NENHUM. É tudo SEMPRE IGUAL EM TODOS OS LUGARES DO BRASIL. E nem por isso as pessoas são retardadas de fazer comentário tão estúpido quanto o seu.

    As músicas dos bois são feitas pelas comunidades e para as comunidades, no final das contas. Tenho certeza que se você for na comunidade de cada boi, vai encontrar lá o povo que ama, conhece e se empolga com as canções novas, velhas ou sejá lá o que for. Mas tenho certeza que você não vai se dar o trabalho de fazer isso, já que esses pseudojornalistas (como você) daqui vivem de Expand Store, Grand Cru, Kitaro, Cabana do Sol e… Bom, a vida social de vocês se resume a isso, não?

    Eu nem consigo acreditar que alguém mora anos numa cidade, passa anos numa faculdade e no final das contas vem pra um blog escrever uma quantidade gigantesca de porcaria como você fez, sinceramente. O grande problema da liberdade na internet é esse: as pessoas criam blogs e só nos mostram o quanto são estúpidas. E a gente ainda tá sujeito a ter a infelicidade de cair num texto como esse e gastar tempo lendo um bando de idiotice junta.

    Se bater pedaços de pau um no outro a noite inteira é ignorância, balançar a bunda e os peitos a noite inteira no carnaval do Rio de Janeiro é super culto, não? Fazer shows com bandas de forró com letras lindíssimas, maravilhosas, sobre como a mulher é interesseira e o cara que tem um carrão é o máximo, isso tudo é ótimo, né? Ah, passar a noite brincando com fogos de artifício no meio da rua, com todo mundo saindo queimado, como no interior da Paraíba, isso também é super culto e perfeito, não? Ah, fala sério. Não sei nem porque tou perdendo meu tempo ainda vindo comentar um “texto” tão imbecil. Acho que é só indignação mesmo.

    E quer saber? Eu ADORO passar a noite ouvindo um bando de “pau batendo um no outro”, vendo índia, índio e vaqueiro dançar, ouvindo cantador de boi e todas as outras coisas do nosso São João.

    Se eu fosse você, enfiava a cabeça no vaso sanitário e dava descarga.

    Resp.: O carnaval do Rio de Janeiro é tão repetitivo quanto o São João do Maranhão, o insuportável Maracatu de Pernambuco e o intragável forró da Paraíba. Tanto quanto as idiotices folclóricas da Europa – comos as festas do Queijo no interior da Inglaterra – a festa da Uva na Itália e a farra do boi na Espanha. A diferença é que lá, estas festas já ficaram restritas ás cidadezinhas do interior e são apresentadas apenas como amostras do folclore primitivo aos turistas. Mas se você não gostar de segurar dois pedações de pau, há outra opção, tão ridícula quanto: ficar com um chapéu de trinta quilos balançando o tronco pra lá e pra cá, com o rabo cheio de cachaça. Que tal?

  53. Esse seu post é histórico! ( para a sua história, que fique claro). Somado àquele emblemático acerca de uma greve de ônibus há algum tempo, em que dizia ter o trânsito ficado ótimo e que, por isso, deveriam ser extintos os ônibus na capital (…), engossa a lista de provas de suas medicridade e ignorância.
    Parabéns, porque coerência é um privilégio, e você, sem dúvida, é coerente. Afinal, é um funcionário do Estado do Maranhão e se comporta como tal.
    abraços

    resp.: Você não passa de um canlaha vagab undo ao afirma tla coisa. Nunca disse que os ônibus deveriam estar extintos. Disse apenas que, sem os ônibus – no período da greve – o trânsito estava fluindo mais rápido. Vagsabudnos como você, que tentm deturpar as cosias para tentar atingir os outros, é que deveriam ser extintos. Vagabundo pilantra.

  54. É com imensa revolta que me reporto a esta postagem totalmente sem fundamento e quem nem parece ser de um Maranhese. Generalizar ao ponto de dizer que o Boi da Maioba , e o Boi de Axixá repetem sempre as mesmas musicas é muita falta de conhecimento, é realmente um leigo que não conhece o trabalho de uma ano inteiro feito por Grupos que representam muito bem uma parte de nossa cultura. Pegue os últimos Cd’s do Boi da Maioba por exemplo e verá que não é repetida aquela famosa toada ” Se Não existisse o Sol…” que talvez seja a única que vc conheça. Com tão pouco conhecimento vc jamais saberá o que são as Toadas de Pique. Você como um “bom jornalista ” deveria ponderá mais um pouco sobre aquilo que de fato não conhece, veja ao longo dos Anos os temas desenvolvidos pelos grupo, o Boi de Axixá por exemplo no ano retraso apresentou sobre a ÁFRICA, no ano passado homenageou as mulheres, e nesse ano homenageia os 400 anos de São Luís. O Boi de Nina Rodrigues que nas letras de suas musicas sempre fala da Cidade a qual refere seu nome.
    Você foi extremamente infeliz na sua publicação, realmente não conhece sobre o nosso Bumba Boi.

    Resp. Tudo variação de um mesmo tema. Coisas repetitivas e cansativas. Mas há quem goste de segurar pedaços de pau e sair batendo com chapéus de 30 quilos na cabeça. Eu não.

  55. Meu DEUS a pessoa passa uma vida estudando, e acaba escrendo uma asneira dessa..affff.

    Volta p/mar oferenda.

    Respeite a cultura do nosso Estado.

  56. Se voce nunca ouviu as musicas que eu falei nao deveria nem fazer esse post.

    Resp.: não ouvi por que não tocam. E assisti ao Boi Barrica uma trocentas vezes nos últimos cinco anos.

  57. Gente, e a chamada ‘dança portuguesa’ ? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk um momento, por favor, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  58. Veja só a sua resposta: resp.; posso! Que tal restringir estas manifestações a espaços turísticos, como forma de mostrar o que eram as manifestações folclóricas primitivas? Que tal deixar de investir tanto dinheiro em eventos como este e começar a melhorar a qualidade das praias, os pontos turísticos e os points de lazer na cidade? Ações como estas já melhorariam muito o aspecto da cidade, atraindo turistas, que vêm aqui não pra ver danças populares da Idade Média – a menos que seja pesquisador financiado por universidades européias ou bicho-grilo das universidades brasileiras que não evoluíram.

    Só que Roseana Sarney não quer isso…ela quer é voto. Quanto mais ela financia essas “brincadeiras” mais ela ganha voto em uma determinada comunidade. Alimentar São João e Carnaval é o principal puxador de voto dela e seus grupos.

    Resp.: Mas este é um problema dela, não meu. Eu não querto voto.

  59. Rafael, ele está querendo desviar a atenção da gente. Ele vive em rodas de bumba-boi. Mas, está fazendo isso intencionado. Para desviar a atenção da Secma.

    Resp.; ????

  60. Corrigindo: Quanto menos inteligência o povo tem, MAIS se distância da cultura popular e escreve coisas assim. Isso que é repetição! Viva a nossa cultura! Isso é o que temos de mais verdadeiro. O resto não tem pressa.

  61. Vamos acabar com esses idiotas que não gostam de São João. Cadeia, digo, ESCOLA NELES!

  62. Quanto menos inteligência o povo tem, mas se distância da cultura popualr e escreve cosias assi. Isso que é repetição! Viva a nossa cultura! Isso é o que temos de mais verdadeiro. O resto não tem pressa.

  63. Em um momento em que precisamos tanto valorizar a nossa cultura, tu, como um jornalista influente do Maranhão, escrever um post desse? Realmente é revoltante! Não perderei nem meu tempo falando sobre o teu recalque com essa festa que é a maior, mais original e mais encantadora do Brasil

    resp.: Porque este seria o momento em que temos que valorizar nossa cultura? Nossa cultura é valorizada pela história do nosso povo, meuc aro. O que se faz nas festas juninas é apenas exacerbar as manifestações folclóricas. E porque eu teria recalque com esta festa? Eu vou onde quero, assisto ao que quero e me divirto como quero. Por que me recalcaria com o São João?

  64. E VIVA A CULTURA POPULAR DO MARANHÃO!!! NÃO TEM PRA NINGUÉM!
    CHOREM, APAJXONADOS, CHOREM!!!
    EEEEEEEEEEEEEEEEEE

  65. Na boa: perca seu tempo com politicagem e futebol. Você nasceu pra isso.

  66. O mundo aplaude a cultura popular do Maranhão. Como pouca coisa aqui faz sucesso, quem não faz parte reclama e tenta menosprezar. Que bom se a política e o futebol nada profissional fossem assim.
    Sabemos, Deça, que cultura é algo bem mais abrangente. É tudo que se faz em sociedade. Inclusive, mijar na rua, se esconder sob nomes ridículos ou escrever posts como esse. Tudo é cultura. Pena que são bem poucos os cultos.

  67. John Doe (que nome!): você VIV E bêbado. Gente, vejam só a sugestão do Deça. Realmente, não entende do assunto. Que tal confinarmos esses blogueiros a intranets de fábricas de sorvete… O que vocêds acham? Não seria melhor? Wesley, o São João é a maior festa do Brasil. Você não gosta, fica em casa. Aproveita e ê um livro e aprende alguma coisa. Márcio Silva, como o Gostoso (*rsrrs) disse, o bom jornalista se antecipa. O péssimo, escreve besteiras como essa aí. Cris, se limpar a entrada da sua casa já melhora as coisas na lagoa. Isso aqui tudo é perda de tempo. sem ter o que escrever o tdono do blog quis audiência. E conseguiu. Mas, se quiemou bonito.

  68. PELA SEGUNDA VEZ, CONCORDO TOTALMENTE COM VOCE. TENHO ORGULHO DE SER MARANHENSE, MAS NÃO ENTENDO QUAL O PRAZER DE OUVIR MÚSICAS SEM LETRA E SEM MELODIA. AINDA BEM QUE ALGUÉM TEVE A LUCIDEZ DE FALAR AO CONTRÁRIO DO “OHHH QUE LINDO”.

  69. Que o boi dance o ano inteiro., Que a música maranhense toque o ano inteiro. Que haja samba, forró, bloco tradicional, cacuríá, tambor de crioula, folia de reis, dança portuguesa, tudo, tudo mesmo, o ano inteiro., Que sejamos maranhenses o ano inteiro . Quem não gostar, que se exploda!

  70. Interessante que todos aqueles que concordaram com ele têm o mesmo texto. Muito interessante mesmo. E estranho.
    Já vi esse filme.

    E o tal Lobato é pseudônimo. Além de dizer muita bobagem.

  71. Blogueiros como esse rapaz aí são primitivos, chatos, inoportunos e arrogantes. Deveria trabalhar somente em um jornaleco do interior, onde os turistas nem ninguém ousa chegar, escrever apenas uma vez por ano e que fique limitado a uma zona eleitoral.

  72. Eu que escrevo besteira? Tá certo! E você é o Rui Barbosa da Mirante… Poupe-me!

  73. “A caravana passa e os cães ladram”. WE, mais um dia amanhece no horizonte descortinando seu véu azul sobre a amada e outrora pacata São Luís dos azulejos,. Lá fora, revoltos em amores, soam os ainda viúvos clarins de Axixá…

  74. Cara, que foto linda! Quem é essa dançarina? Que coxas!
    Deixa de escrever besteira e me apresenta a mina, vai!
    Ricardo, quem é ela, por favor!

  75. Sobre o post, em geral, tirando a desinformação do blogueiro, concordo que o sistema está baguçado e que precisa ser repensado urgente. O mundo respira turismo, mesmo que Deça não goste. Mas, dizer que a cultura popular é o lixo da sociedade é que não pode.

  76. Não falei mal do Barrica! Pelo contrário, o estou defendendo. Vc deveria falar pro Décio. Ele é quem está falando mal. Estou até exaltando. A cobrança pela musicalidade não deve ser só pro Barrica, mas para todos. Barrica é só um a mais. Não é o melhor grupo do Maranhão. Nunca foi e nem será. Maas, é um belo ponto de referência! Uma escola de respeito.

  77. Concordo plenamente com você. E quanto menos inteligência o povo tem, mas gosta de repetição. Diversidade e renovação é pra quem pensa.

  78. Quanto ao grupo acima citado pelo nobre colega, tendo a governadora mandando pessoalmente (e financiando) a companhia pelo mundo afora, fica fácil, fácil. Se ela fizesse isso com outros grupos, tudo estaria bem melhor. Mas, não só ele que representa o Maranhão por esse Brasil e pelo mundo, Entretanto, a diferença é que nem todos recebem a mídia do Governo e nem os recursos do Palácio para sustentar.

  79. KKKKKKKK pra quem gosta e brinca o São João de São Luís esse post é ridiculo mais diferente de outros que o desinformado jornalista escreve este pelo menos é engraçado muito mais por ser infantil do que pela forma da escrita……..rsrsrsr

  80. A arte é assim mesmo muitos não tem a mínima compreensão do seu significante e significado.

  81. Só quem admira esse negócio são os que “mamam” nas têtas dos governos, seja em junho, seja em fevereiro ou março, são sempre os mesmos bocós atrasados e culturalmente ignorantes (falo da cultura inteligente). Eles são aproveitadores ou são os políticos que se juntam a eles para granjear votos, é só isso.

  82. Sem falar daquela coisa ridícula que é feita no bairro do João Paulo no dia 30. É uma falta de respeito para com os moradores do João Paulo como eu. Vem gente do interior da ilha e ninguém do João Paulo participa dessa molecagem de bêbados e vagabundos, que atrapalha o trânsito, o comércio, que incomoda a vizinhança e só traz prejuízos para o bairro. Quem se dá bem são os “produtores culturais” que mamam nas têtas do governo e da prefeitura, só esses cretinos é que tem interesse. Ainda por cima mudaram o nome da Avenida e puseram uma estátua de um santo que não existe. Que todos eles brinquem lá no inferno e saiam do João Paulo.

  83. Marco, acho que você fingiu não entender o sentido figurado de algumas colocacões, pois não sou idiota e nem boçal para postar que você teria “exonerado” o secretário de segurança, pois o fiz no sentido figurado, lógico que você não tem competência e/ou poderes para tanto, mas de qualquer forma contínuo de lhe admirando por fazer parte de um grupo e ter coragem de postar artigos que lhes contrariem em algumas situações os seus interesses.

    Resp.; Acho que só por isso, eu deveria ser respeitado pelos comentaristas do blog. Todos eles.

  84. Marco, leio seu blog mas raramente comento, e pela 1ª vez na vida vou concordar com vc. O são joão tá cada vez mais insuportável. E os nossos pobres cantores/compositores, coitados, que só se apresentam nesses festejos? Sim, porque ninguém suporta mais ouvir “eu vi ana na janela…”, entre outras músicas batidas do repertório da MPM… Mas também não posso deixar de dizer que não suporto forró (acho um lixo de música), axé (um cocô midiático) e pagode (é tudo quase sempre igual)… assim como outras manifestações folclóricas igualmente insuportáveis Brasil afora…

  85. O arraial da Praça Maria Aragão, espaço oficial da Prefeitura de São Luís, tem recebido milhares de pessoas desde o dia 1º de junho, quando as festas juninas começaram. A Guarda Municipal de São Luis é a grande responsável pela segurança no local, trabalho muito bem feito e organizado pela SEMUSC, diga-se de passagem. Mas algumas questões são levantadas no âmbito administrativo da GMSL, especificamente o corpo de guardas, tais como: a falta (ausência) da isonomia e da impessoalidade na elaboração das escalas extraordinária de serviço (segurança preventiva); que deixa de pauta-se pelos princípios da Administração Pública de que trata o art. 37 da Constituição Federal.

    A maioria dos Guardas Municipais conta que esta situação é praxe (rotineira) não só relativo às escalas, mas desde cursos até viagens a trabalho.

    Bom! Palavras soltas teimam ficar nesta instituição… curioso é a palavra Cidadania, parece não nos servir, fica de fato só no papel ou posta além do muro, pois, as realidades cada vez nos sufocam, contrariando o propagado. Os senhores Chefes de Guardas, “talvez” coniventes, tenham ditado este retrospecto negativo (há as exceções), mais o que convém é descrever o hoje.

    Registra que, neste período junino, um Guarda Municipal chega a perfazer mais de 12 horas em cumprimento da escala extra de trabalho (início (chamada) no quartel da GMSL 17:00 até o termino na manhã seguinte). Até ai tudo bem, mas, o que é contundente é a repetição dos escalados para a referida segurança preventiva. Dentro da GM essa repetição “duvidosa e sem critérios” é só para os chamado PEIXE. Quem não é PEIXE de fulano, NADA! (hora extra 1x1uma vez na semana e olhe lá!); se tu és peixe de sicrano, TUDO!(hora extra 2, 3,4. Vai desde Socorrinho, terminal, peixe e leite..). -, as especulações na GM dão conta que os PEIXES são escalados por um único critério: o toma lá da cá, ou melhor, eu te ajudo, tu me ajudas. Pode uma coisa dessas! e isso tudo é negado veementemente pelo comando da GM. Seus algozes, esses mesmo e que ficam a mercê de serem escalados, às vezes na entrega do peixe ou leite (extra que corresponde a 50%), além do mais, utilizam como desculpas as mais variadas, tipo: eu lhe pus você não foi ou você não sabia? ; Seu nome estava na escala, você que não observou, etc.. Há quem diga que os PEIXES escolhem dia e hora (sábado e domingo tá bom pra ti? 100%!).
    A pergunta que não quer calar é a seguinte: até quando essa e outras más (mal) situações administrativas irão continuar dentro desta Instituição? , que de fato, não pertence a fulano, a sicrano e muito menos a beltrano e sim a População. Quem faz a instituição são as pessoas (equipe) e não a pessoa (individualismo).
    Bom! Depois de recebermos muitos e-mails, não podíamos deixar de fazer essa pergunta ao comando da GMSL. Porque alguns Guardas Municipais estão sendo privilegiados na escala da MARIA ARAGÃO +/-12 hs e nas demais escalas ? Pois segundo as denuncias que alguns colegas nos fizeram, tem guardas que nunca ou raramente saíram da escala normal de 30 horas, já outros praticamente dobraram o salário deste mês (junho). Como diz Boris Casoy: ISSO É UMA VERGONHA!!! ; para entender melhor, essa escala foi adotada na forma de ajudar um pouco no orçamento, pois ela seria feita no sistema de rodízio, e aqui para nós isso já está bem claro, tem GMs sendo privilegiados, pois permanecem direto na extra e de certa maneira se aproveitando desse esquema que apesar do corpo de Guarda negar, as escalas os desmente..
    Com a palavra o comando.

  86. Meus camaradas, acho que esses tipos de comentários só ajudam a enfraquecer a cultura do estado. São João acontece uma vez por ano, é tradição. Tradição é um pouco de repetição. Ruim é ouvir Michel Teló e companhia com a mesma música todo dia, toda hora.

    O problema é que a música maranhense praticamente só toca na radio em época de São João, tinha que tocar era o ano inteiro. Daí as pessoas dariam mais valor e surgiriam novas músicas para “substituir” as antigas, com o perdão da palavra, pois são insubstituíveis.

    Sempre tem que ter algo de errado com o Maranhão?! Vamos lá pessoal! Vamos acordar! A Bahia tai valorizando o que produz e os maranhenses assinam em baixo. Cara, sou muito mais a minha cultura, primeiramente porque é a MINHA cultura, mas ainda por cima é bela e única.

    Manifestação folclórica não é cultura?! Pelo amor de Deus! E tem que ser é difundido mesmo! Pro mundo inteiro ver!

    Talvez eu esteja perdendo meu tempo aqui, porque é bem provável que no meio desse povo que comentou eu seja só mais um louco defendendo seu estado. A quantidade de comentários infelizes que vi, me deixou decepcionado.

  87. Caro WILIAN, se o Barrica representa o Maranhão internacionalmente é porque ele faz por onde, são inúmeros meses de ensaio para se tornar um grupo completo que mostra todos os ritmos do nosso são joão, se a companhia barrica não fosse tão competente jamais seria designada a representar nosso estado.

  88. vocês deveriam agradecer a esses grupos folclóricos “repetitivos” pois se não fosse por eles, não existiria cutura em nosso estado. Agradeçam a imagem que nosso folclore passa lá fora, e saibam apreciar tanto quanto os turistas.

    resp.; Isso não é cultura. Isso são manifestações folclóricas. Cultura é um coneito bem mais sofisticado.

  89. meu caro, quanto ao boizinho barrica, esse ano tem muias músicas novas e algumas releituras de outras. Você deve se informar para depois sair falando

  90. A QUESTÃO ESTÁ NA TRADIÇÃO E TRADIÇÃO, POR SER TRADIÇÃO, NÃO MUDA, SE RESPEITA PELO QUE CONQUISTOU E PELO QUE É!
    SE É REPETITIVO AO POVO NÃO IMPORTA! PORQUE A FORÇA DA TRADIÇÃO VAI LEVÁ-LO A ADMIRAR E SE VER NAS MANIFESTAÇÕES FOLCLÓRICAS QUE REMEMORAM SEUS ANCESTRAIS!

  91. Calma coracao, nasci pra voce, é muito fogo, ah eu chorei, vamos namorar….acho que sao essas as mais marcantes dos ultimos 5 anos do barrica

    resp.; É mesmo? Nunca ouvi nenhuma.

  92. É extasiante assistir este dignificante espetáculo de não sei o quê, por não sei quem. Êi, Maranhão!

    Resp.: ???

  93. Marco, sou leitor assíduo do seu blog, mas acho que de um tempo pra cá seu ego tem atrapalhado o seu lado profissional, pois não gostar de algo é totalmente normal, mas externar um posicioamento e tentar passar a idéia que todos pensam da mesma forma é leviano. Acho que o não acompanhar essa manifestação cultural lhe deixa totalmente alheio ao trabalho que diversos profissionais se dedicam durante meses para nos apresentar durante o período junino para retratar lendas, tradições da nossa história, pois se assim não o fosse o IPHAN não teria se decicado ao trabalho de uma professora da UFMA em tornar o bumba-meu-boi em patrimônio imaterial. Quando a forma de dançar você talvez devesse inventar uma nova forma de sambar para ensinar os cariocas a fazer uma apresentação diferente. Mas tenho lhe observado em outras postagens que a sua arrogância chegou a tal ponto que você exonerou recentemente através de seu blog o secretário de segurança e até hoje acho que sua retração foi insignificante diante das verborragias que você escreveu.

    Resp.: Eu tenho o dirieto de externar o que eu não gosto sim. E não sou eu que passo idéia de que a maioria pensa assim. É só ver os comentários. E acompanho ano após ano estas manifestações. Vou a arraiais, participo das festas dos bois, assisto ao “espetáculo” do boi barrica e de todas as manifestações folclóricas, não só no período junino, mas durante todo o ano. E é por isso que ponho aqui meu ponto de vista, baseado exatamente na experiência de campo. É tolice – e até ignorãncia – quando se tenta desqualificar o comentário de outro por achar que, se ele criticva, é por que não gosta. Não suporto, por exemplo, o pseudo-forró eletrônico inventado no Ceará. Mas conheço todos os grupos que tocam esta porcaria. Também acho chato e cansativo o tal “forró pé-de-serra”. Mas é óbivo que conheço a história de ícones deste tipo de movimento musical. Quanto ao secretário, outra boçalidade sua: nunca exonerei secretário. Defendi a sua exoneração. Apenas isso. Como cronista do dia-dia do estado, me dou este direito. Cobro, critico, denuncio, elogio, defendo… É assim que se faz a crônica e a história de um povo. Simples assim. No mais, apenas arrotos de sua parte…

  94. E o mais irritante, deplorável e triste pra mim nisso tudo é ver o povo dançando essas músicas… Que dança ridícula essa do boi, pulando em uma perna só, primeiro a direita, depois a esquerda, pra frente e pra trás…Arrghhhhh… De fato, é uma coisa prá lá de primitiva!

  95. Acho,que ninguem esta obrigado a assistir as manifestações tribais para depois chama-las de manifestações culturais.Entretanto,existe um dito popular que diz:”peça pra cagar ou saia”;”se naõ esta satisfeito em ficar,se mude”e finalmente se quer aparecer na “folinha”pendure uma melancia no pescoso e saia desfilando por aí de preferencia em um” boi de ‘matraca”.

  96. Não se iludam. 99% dos comentários depreciativos à nossa cultura postados aqui são de pessoas de outros estados (que moram aqui) ou de imperatrizenses que destilam ódio à nossa cultura pra dizer que não fazem parte dela, acham que isso serve como argumento pra decepar o MA e finalmente eles serem capital. Vão morrer na vontade e destilando ódio e veneno contra O Maranhão e sua cultura fenomenal.

  97. O que você está fazendo para melhorar? Aliás, você pode fazer algo?

    resp.; posso! Que tal restringir estas manifestações a espaços turísticos, como forma de mostrar o que eram as manifestações folclóricas primitivas? Que tal deixar de investir tanto dinheiro em eventos como este e começar a melhorar a qualidade das praias, os pontos turísticos e os points de lazer na cidade? Ações como estas já melhorariam muito o aspecto da cidade, atraindo turistas, que vêm aqui não pra ver danças populares da Idade Média – a menos que seja pesquisador financiado por universidades européias ou bicho-grilo das universidades brasileiras que não evoluíram.

  98. Ingenuamente pensei que no Maranhão existissem poucos boçais, mas pelo visto, você Marco, tem muitos seguidores.

  99. MARCO TEM TOTAL RAZÃO: VAMOS ACABAR COM ESSA MERDA DE SÃO JOÃO.

  100. Eu também tenho ojeriza a essas pajelanças tribais. Até por falta de segurança, jamais sairei em busca desses grupos medievais e simplórios. Vejamos o caso da surrada indumentária do boi fedido, digo, barrica, é tosco e ridículo. Marco tem razão, dá pra passar sem essas patuaquadas como é caso do tambor de crioula, simplesmente deplorável, um verdadeiro filme de terror. Cara, e as chamadas comidas típicas, eca!!! Abaixo esse folclore fajuto, se é que se pode chamar ISSO de folclore.

  101. Um cara que se alto proclama, O GOTOSO, só pode ser um termendo de um idiota.Em relação a os bois, você tem razão, eu nunca vi uma coisa TÃO CHATA, como esse folclore maranhense, é tanta ciosa CHATA JUNTO, e ainda tem aquela mesma historia de sempre de “DIVERSIDADE CULTURAL” QUE TANTA BOBAGEM………

  102. Deixa de simplismo e sai dessa praia Marco.Continua falando em Chiquinho Scorcio, Cutrim etc. que voce se sai bem melhor.

  103. Gosteiiiiiiiiiiii. Pensei que fosse um hacker que tivesse invadido teu blog e postado isso. Misturam manifestação folclórica com cultura. A secretaria de roseana deveria ser secretaria do folclore ou da cachaça. Cultura é dança, teatro, cinema, literatura, etc., e de preferência sem patrocínio estatal. A insistência desse povo, por não saber criar nada novo, de ficar enaltecendo essas pobres manifestações folclóricas como se fosse a última bolacha do pacote é deprimente. Por último resolveram apelar para as índias, dando closes ginecológicos nas piriguetes emplumadas ou então mostrando festa de formatura das índias do barrica como se fosse o maior grau a ser atingido. Patético. O carnaval é a mesma coisa e esses repórteres da mirante sempre perguntando e ao mesmo tempo respondendo para o povo: “A festa está boa, não é?”. Ganhaste 1000 pontos comigo.

  104. Deça, cultura é cultura, não se deve alterar em nada mesmo esses elementos primitivos que informam toda historia de um povo. Por causa da inovação que o boi de Parintins virou uma escola de samba, os bois de orquestras é um exemplo disso e você vem falar de inovação, então nobre jornalista apague de sua memória toda sua infância e juventude, pois ela não serviu para nada em sua formação e pode tocar fogo em todos os livros de história, que também não serviram mais para nada.

  105. voce e a caricatura grotesca daquele pobrinho que não come mais xibé.Primitivismo boçal,carnaval no rio, paritins o que é isso? Sera que o problema nao esta em vc.Faça analise ou vá morar no curral .E cuidado com sindrome de Nova York.você já ouviu falar né?

    Resp.: Quem disse que eu não como xibé? Gosto bastante. Assim como gosto dos peixes dos nossos rios, da comida maranhense maravilhosa, das nossas praias – apesar dos coliformes, das noites de São Luís, seu barzinhos com música boa para um fim de noite. Mas falar de folclore tribal como manifestação cultural é de mais,né meu caro?

  106. Somente para complementar meu comentário eu volto para dizer que cultura é isso mesmo, não tem que modificar. Eu não gostaria que no ano que vem o bumba meu boi viesse sem o boi ou mesmo que ele fosse trocado por outro bicho qualquer, que a dança do BMB no ano que vem seja a da boquinha da garrafa, nem que as nossas belas toadas venham em rítimo de funk só pra dizer que mudou. Se as nossas festas juninas que são as mais diversificadas do Brasil, a mais bonita, a mais colorida, precisam mudar pra lhe agradar Marco, o que você diria das festas juninas de Pernambuco e da Paraíba que só tem forró e quadrilha e que o forró antes o maravilhoso pé de serra modificou pra pior com o forró eletrônico? porque o nosso é que precisa mudar? será que vc acha que devemos acabar com a nossa cultura e copiar a festa de caruaru e campina grande pra ser bom? Isso pra mim é complexo de vira-lata, achar que só o que é dos outros que presta.

    Resp.; Deixando tudo isso, mas deixando claro tratar-se de uma expressão do folclore, tudo bem. Mas definir coisas como estas por cultura é força a barra, meu caro.

  107. Agora concordo contigo. Assino em baixo. É muito chato isso. Todo ano a mesma coisa. Não passo nem perto. Agora ta pior, pois temos que dar 10 reais para as malas dos flanelinhas, senão ainda roubam os carros.

  108. Meu nobre Jornalista concordo com você!!!! e metade da ilha tbém., mas os políticos., em todas suas esferas municipal e estadual., usam dessa “CULTURA” para ganhar votos., não me surpreenderia se alguns deles não gosta-se., mas disfarçam que gostam., por causa dos eleitores!!!!

  109. DE FATO, AQUI SÓ SE COLOCA O QUE O BLOGUEIRO QUER. TRATA-SE DE UMA PESSOA IGNORANTE QUANTO AO ASSUNTO, PRECONCEITUOSA E SEM ÉTICA. TALVEZ, ELE MESMO FORJE OS COMENTÁRIOS PEDANTES AQUI. DIZER QUE A CULTURA POPULAR É COISA PRIOMITIVA É COMPROVAR QUE JAMAIS FREQUENTOU UMA CADEIRA ACADÊMICA. DE DUAS UMA: OU QUER SE PROMOVER COMO UM BOBO ALEGRE OU REALMENTE ESTÁ TENTANDO ENALTECER A SECRETARIA DE CULTURA DO ESTADO, ÁS VOLTAS COM VÁRIOS PROBLEMAS.

    Resp.: Tsc,tsc,tsc,tsc,tsc, tsc (com cara de enfado por tanta bobagem junta no mesmo comentário)

  110. NÃO GOSTA DE TAMBPR DE CRIOULA… REALMENTE, NÃO SABE DE ANDA, MESMO! SÓ PRECONCEITO!

  111. Deça, seu negócio é política de gabinete e futebol da quarta divisão. Deixe a cultura popular para quem gosta e sabe fazer. vc não vai mudar nada. esse post será rapidamente esquecido.

  112. Marco, vc foi ao ponto, preciso, racional, objetivo.
    Pessoalmente acho muito chato este negócio de boi, repetitivo, artificial, pior é o tal de Cacuriá e o tambor de crioula, são umas velhas bêbadas, com uma dicção péssima, cantando uma música initeligível.
    Pior são alguns espertalhões que se apropriam de “Bois” para conseguir verbas públicas e votos, pilantras como Renato Dionísio, Prado Carioca e outros tantos.
    Prefiro um bom filme ou a novela Gabriela que ir nessa chatice de “boi”.

  113. Galera, pela foto do Barrica, isso é paixão recolhida. Esse post é só pra defender a SECMA, mesmo. Não conseguirá, porém, desviar nossa atenção.

  114. Respeitável a sua opinião, como sempre. Mas concordo mais com o que o Zacarias afirmou. A cultura, a arte em si, às vezes não nos causam muita emoção, sobretudo, se vistas tão friamente. Contudo, quando comparadas com outras vidas, outros contextos sociais, hábitos, têm seu valor dimensionado dentro de cada cidadão. E não precisa ir pra muito longe pra sentir isso. Experimente, por exemplo, viver um ano em nossa capital Brasília, que se sentirá em uma terra de todos, sem uma forte identidade própria, fruto normal de sua juventude e da forma em que vem sendo povoada. Não há um prato típico de Brasília… Música Popular Candanga?! Trajes, hábitos, enfim…CULTURA. E isso, apesar de não muito bela, repetitiva e, de certa forma, primitiva, podemos dizer que temos de sobra.

  115. Caro Marco, lendo tudo que escreveu sobre o assunto, os comentários e suas tréplicas, só tenho 3 perguntas a te fazer:
    Afinal, vc entende o que significa cultura? Os grandes Coxinho e João do Valle, por exemplo, são produtos da “cultura primitiva” do Terceiro Mundo?? Vc não estaria muito melhor vivendo na Europa ou nos EUA, pilares da cultura dita “moderna”??
    Não gostar é uma coisa, mas desmerecer o que de mais autêntico temos enquanto sociedade é grassar por um caminho que beira, no mínimo, à insensatez. São coisas que não entendo como foram sair da cabeça de um jornalista.

    resp.; Adoro a terra onde nasci. Sua beleza histórica, suas praias, sua arquitetura. E respeito até o seu folclore. Só acho que folclore, como em todo lugar do mundo, deve ser apenas para expressar uma idéia do que era a cultura nativa do povo. Cultura é outra coisa, que expressa a arte, o conhecimento, a história e a formação de um povo. E o que se vê exaltado aqui como “cultura popular” são apenas manifestações folclóricas. Simples assim.

  116. Um vai ficar dormindo na Espanha. A outra, vai embora da Ilha. O outro continuará escrevendo bobagens e se fazendo passar por escritores. Lá fora, já escuto os clarins rompendo o amanhecer. Mais um dia que se vai nas noites quentes do meu São João…

  117. Escrevo mais de duas linhas. Mas, vc não consegue escrever duas coisas coerentes. Para quem não sabe, resposta em comentários de blog precisam ser curtas, mesmo. E que senso de humor mais fajuto.

    Resp.; Quem decidiu isso? Os pensadores do folclore maranhense? Da Cultura popular enaltecida e pujante?

  118. A música maranhense não passa do Estreito dos Mosquitos. Quando nasci, já era assim. Infelizmente, isso não mudou. Música maranhense não toca em rádio maranhense. Muito difícil. Mas, quando os grupos conseguem sair daqui, brilham lá fora. Infelizmente, falta que os divulgue. Dinheiro aqui e difícil. Agora, dizer que é coisa primitiva, que tem que ficar no interior, que não evolui, que não presta, que são sempre as mesmas coisas, falar isso sem viver e conhecer a realidade, sem levar em cota as condições financeiras e sem estar lá pra ver, é no mínumo absurdo, tendencioso, preconceituoso. O futebol “profissional” está aí há décadas e a cada ano piora.

    resp.: Olha só?!? Você até consegue escrever mais de duas linhas, né?…

  119. Marco, era tudo o que eu queria dizer!! Você foi certeiro e corajoso, pq aqui fazer uma crítica dessas pode soar arrogante… Mas é a pura verdade!!

    Resp.: Que o diga imbecis como William Moreira, que ase auto-intitula “o Gostoso”. Quanta boçalidade.

  120. Qual grupo vive de uma música só, Rodrigo? Grande coisa e a produção do Barrica! Cris, então vá embora! Coloquem o observante num curral. Dêem dinheiro que o pessoal troca a indumentária.

  121. Então acaba com todas as culturas existentes no Brasil e no mundo se fosse pra ser mutável e fizesse tudo diferente a cada ano não se consolidaria como cultura. Futebol é a mesma merda sempre e você acha que é cultura, só pq tu gosta. Eu morei 5 anos no exterior e via pela Globo internacional as festas juninas do Maranhão e meus olhos enchiam dágua de saudades da minha terra. Passe um tempo fora que é isso que vc precisa pra valorizar o que é nosso.

  122. Marco, o bom jornalista sempre se antecipa ao senso comúm, tem a capacidade de observar e externar tudo aquilo que podemos até imaginar, mas sempre passa e nos parece normal. Sou de São Luís e moro em Málaga- Espanha, há 8 anos. Quando fiquei sabendo da transmissão internacional do São João de SLZ, liguei imediatamente para a operadora de tv a cabo pedindo habilitação do canal. Ao assistir os primeiros 20 minutos veriquei que de 2004 para cá absolutamente nada mudou. Um arraial num lugar escuro – pelo menos assim aparece na transmissão – sem vida, tudo pouco atraente, ao meu ver. Políticos já caleijados dando entrevistas igualmente repetidas. Queria acordar meus filhos que não conhecem o Brasil para orgulhosamente mostrar-lhes, mas resolví não. Deu sono e fui dormir. Abraços!

  123. Santa ignorância!

    Resp.; Pelo pseud^^onimo que voc~e usa, nem merece resposta.

  124. É, Décio… esses são os profissionais de Imprensa que a universidade coloca na rua.

  125. Agora, imbecil mesmo é esse tal de “Observador” observado. O idiota não tem nem coragem de se identificar. A única coisa que ele observa são as fezes que vomita. Ignóbil, vc que representa o que de mais primitivo o ser humano possui. O folclore e a cultura popular são o que a sociedade têm de mais belo. Tudo deriva deles. Até mesmo seu rock e seu reggae.

  126. Fico com os grupos Foliões e Gamar, arrebentando no espetáculo Folias Juninas. Percorrendo o Brasil. E sem apoio de Governos.

  127. A política suja que você cobre todo dia e o futebol que vocês tanto defendem são mais chinfrins.

  128. Os grupos estão tentando fazer a sua parte. Mas, num Estado em que não há investimento, fica difícil.

  129. Aqui, o Marco Deça só publica quem o elogia e concorda com ele. Típico. E acho que esse post foi mais pra divulgar o Barrica.

  130. A cultura popular não é (muito menos o São João) somente Boi Barrica.

  131. Mas, para quem não é do ramo, não conhece mesmo nenhuma canção de sucesso. Maracanã, Maioba e Morros fizeram músicas que emplacaram, sim.

  132. Quanto à produção musical, quem no Maranhão, nos últimos anos, lançou uma música marcante? Ninguém!

  133. Ainda vem a outra falar pela metade da Ilha. E os arraiis estão sempre cheios.

  134. O negócio desse povo metido a jornalista é falar bobagens políticas. Nada entende de arte, muito menos música. Não são do ramo.

  135. Há cidades européias que se mantêm com turismo e festivais folclóricos o ano todo.

  136. Sociedade do interior da Europa que não evoluiu? Rapaz, vc ta amarrado no século XVIII… Pobrezinho! Ainda trabalha na Mirante? Tia Rose vai te esfolar. E por que vc sópublic aquém te elogia? Tá com medinho? Ou não deve gostar das belas índias…

  137. Não digite besteira! Vc já foi à Europa? Duvido! O folclore está bem presente nas comunidades urbanas. As grandes cidades européias realizam festivais folclóricos maravilhosos e grandiosos. Há companhias folclóricas de primeiro nível.

  138. Culpados são vocês, que dão tanto ibope pro Barrica e o colcoam como grupo “oficial” do Estado, estando em toda parte e em todo bate-coxa. O Barrica é o queridinho das elites. E os outros, como ficam?

  139. Genial e providencial seu comentário sobre o nosso velho São João , Marco! É tudo que eu e metade da Ilha pensa à respeito.

  140. Marco, gosto muito do teu blog, mas tem horas que você exagera. Pô bicho, dá um crédito pro pessoal né! Eles estão tentando levantar a cultura do estado, o problema é que quem faz a cultura vive uma fase de crise na criatividade, o que acaba pr gerar estes repetitivos festejos. Mas esta fase de vazio irá passar. Então vamos lá, vamos dar uma forcinha você também! Não é só criticar não! Valeu, um abraço!!!

    Resp.: Mas esta fase de repetição é eterna, meu caro. É só isso que tem pra hoje, teve ontem e terá amanhã. Por que não muda. É o que temos. É assim no São João, é assim no9 carnaval e em poutras festas folclóricas, que se repetem ano após ano. Mas não é só no Brasil. No mundo inteiro ainda existem as tradições folclóricas dos nossos antepassados. A difetença é que, na Europa, por exemplo, estas manifestações ficam restritas ás comundiades do interior, que não evoluíram. É simples assim.

  141. É so pegar os cds do barrica de 2000 pra cá e voce vera quais musicas ficaram marcadas, quais o povo canta durante as apresentacoes dele, garanto pra voce que tem muita coisa boa. Agora se for comparar com o que o grupo fazia ha 20 anos é logico que nao é o mesmo. Muitos grupos vivem de uma musica só, barrica nao.

    Resp.: Não estou tratando disso. Estou perguntando apenas: qual a música inédita de sucesso do Boizinho Barrica nos últimos cinco anos? Só quero saber disso,nada mais.

  142. Concordo plenamente com você. Gastam tanto em propaganda, e esta cidade continua abandonada, suja, esburacada e feia. É uma pena. No Arraial da Lagoa, como exemplo, a entrada está maravilhosa, agora dá uma olhada na parte de trás, é esgoto jorrando o tempo todo, muito lixo e um odor desagradável. Se eu fosse turista, o ultimo lugar,no qual eu viria, seria São Luis.É triste, mas é a mais pura verdade.

  143. Grande Marco, interessante o post, quando você se refere a mesmice de sempre os São João de São Luís, mas qual alternativa que poderia ser inovadora para os outros anos, acho que a maioria dos Bois daqui estão viciados no patrocínio público e não fazem nada para inovar apenas seus altos preços que são reajustados a cada ano.

    resp.: Não tem muito o que fazer por que é isso mesmo. O questionamento é quanto a tanta divulgação para uma festa repetitiva, chata e primitiva, que poderia ficar restrita aos guetos folclóricos ous espaços de pesquisas. Só isso.

  144. Se vc conhecer o Bumba-Meu-Boi Estrela de Bequimão, vc irá perceber que nem todas as agremiações são repetitivas. Todos os anos é apresentado ao público toadas novas e inéditas. É só conferir.

    resp.: A mesma coisa de todos os outros. Mesma indumentária, mesmo movimento, mesmo conceito. Mais do mesmo.

  145. fico feliz que pelo menos alguem tem o mesmo ponto de vista, eu mesmo so vou por um motivo minha namorada gosta da comida tipica coisa q nao gosto muito entao so vou para acompanha-la, pq sempre é a mesma zuada de sempre…. na verdade sao luis esta fadado a somente isto, um são joão de meia boca para turista, pq não existe mais nada para se ver nessa cidade, praias de coliformes, lagoa nem comento, ruas cheias de ladroes, e o mais engracado é que o estado inventou de legalizar uma profissao que so aqui no maranhao isso poderia acontecer, flanelagem isso é brincadeira, legalizou a extosao, e mais pagar de 5 a 10 reais é brincadeira isso deveria ser dever do estado da o minimo de seguranca para as pessoas e bens, enfim em terra de Sarney tudo acontece…

    Parabens pela Observação interessate, afinal ninguem tem coragem de fazer criticas mesmo que construticas com o objetivo de melhorar, vc esta de parabens….

  146. Perfeito Marco,poucas vezes você foi tão feliz e corajoso em um post.O são joão é a festa mais chata que pode existir.

  147. Parabéns, meu caro. Sempre tive esta impressão, mas nunca externei esta opinião porque não sou maranhense. Não me vejo no direito de fazer uma crítica a cultura maranhense. Mas você, que é, finalmente tocou num ponto importante: o São João daqui é sem novidade, feito para gringo e turista que vem a São Luís pela primeira vez. E quem vê uma vez não precisa voltar mais. Se a ideia é transformar esta festa num grande produto turístico está na hora das pessoas que pensam a cultura olharem um pouco mais para o que fazem os cariocas no Carnaval do Rio e os amazonenses em Parintins.

    resp.: Mas te digo uma coisa, mue caro: Já vi o Carnaval do Rio de Janeiro – de camarote – nunca mais quero voltar. Também assisti ao Boi de Parintins e também não vi nada de espetáculo. Na verdade, estas festas folclóricas – Carnaval do Rio, Bumba-boi do Maranhão, Forró da Paraíba, Parintins, Pampas Gaúchos, Maracatu, a Festa do Queijo no interior da Inglaterra, a farra do Boi, na Espanha, festa da uva, na Itália, folguedos do Machu Picchu, no Peru e o insuportável Tambor de Crioula maranhense são apenas expressões do que há de mais primitivo nas culturas populares mundo a fora. Relembranças de tempos imemoriais. No mundo moderno, deveriam ficar restritas a espaços turísticos. Já estaria de bom tamanho.

  148. Cara eu ate te admirava mais depois dessa caiu no meu conceito, tu esta sendo um pessoa ignorante … affzzz

    resp.: Ignorante é quem se acaba madrugada a dentro com pedaçõs de pau batendo um no outro, meu caro. A expressão do primitivismo boçal, disfarçada de “cult”.

  149. A falta de pessoal devidamente qualificado, para gerir a cultura de nosso Estado é justamente o que faz essa oportunidade de difundir e enquadrar os festejos juninos em um grande atrativo para a industria do turismo, escorregar ralo abaixo, enquanto tivermos gestores interessados em retorno financeiro própio, teremos nossa tradição entrando para a mesmisse e nosso Estado empurrando morro abaixo a industria do turismo que dá certo em qualquer lugar, menos aqui.

  150. Boizinho barrica ta em todas tem o pradinho forte$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *