2

A felicidade do natal

Por Ruy Palhano

De fato, o natal, apesar das deformações históricas, mantém-se como uma data inspiradora, sua grande razão.

Ao se exortar neste momento o nascimento de Cristo, nasce dentro de nós uma sensação positiva de fraternidade, companheirismo, comunhão e afeição e este amor entre nós ,que se desabrocha dentro de cada um, nos conduz a sensações muito agradáveis, sobretudo de paz e harmonia.

Ocorre que todas estas sensações inspiradas em boa ventura, não existe só nesta data, estes sentimentos estão dentro de cada um de nós, plantados, esperando momentos especiais para desabrochem, isto é, eles não nascem só nesta data, mas existem permanentemente na gente.

Na realidade, após o natal, voltamos para o cotidiano, para a mundaneidade, para o dia a dia às vezes crú e duro, fato que nos conduz a momentos mais pragmáticos, mais competitivos e que faz brotar outras vivências internas bem diferentes às do natal e a sensação que se tem é que as sensações natalinas, desapareceram. Entretanto elas se mantém (continue lendo aqui…).

Marco Aurélio D'Eça

2 Comments

  1. O NATAL VIROU CARNAVAL É SO BEBIDAS E BAGUNÇA,AS IGREJAS VAZIAS E O ANIVERSARIANTE ESQUECIDO…TUDO QUE JESUS NÃO ACEITA…VAIDADES,BEBIDAS,FESTAS.

    Res.: Mas quem disse que Jesus não aceitava bebidas e festas???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *