3

Unimed esclarece que usuários não ficarão sem atendimento

Em nota enviada a imprensa, a Unimed afirma que os usuários que não aderiram à portaria extraordinária até o dia 10/10/2013 não ficarão sem atendimento a partir do dia 19/10/2013 como pareceu que ia ocorrer.

Segundo a empresa, isso significa que o paciente que não tiver feito a migração para outro plano até esta data continuará com cobertura normalmente.

– Não poderia, simplesmente, no dia seguinte, ao fim da portabilidade extraordinária o plano de saúde deixar de operacionalizar, deixando seus usuários sem atendimento – confirma a nota.

Abaixo, a íntegra da nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

 Em resposta às notícias veiculadas no último fim de semana na imprensa local, no tocante ao procedimento de portabilidade extraordinária (decretada pela ANS através da Resolução Operacional de nº 1.495/2013 em 19 de agosto de 2013) a qual se encontra inserida a Unimed de São Luís, deve ser esclarecido que apesar das conflitantes informações veiculadas nos referidos meios de comunicação, o usuário Unimed que não aderir à portabilidade extraordinária até o dia 18/10/2013 não ficará sem atendimento a partir de 19/10/2013.

 E da forma que foi noticiado na mídia, a conclusão que poderia chegar o usuário é que o plano de saúde seria liquidado e quem não tivesse feito a migração para outro plano até o dia 18/10/13 ficaria sem a cobertura, fato que não procede.

 O silêncio da Unimed de São Luís sob tal assunto implicaria na concordância com as afirmações postas, o que não ocorre, razão pela qual procura através da presente manifestação evitar que seu usuário fique com a visão distorcida do encerramento do procedimento da portabilidade extraordinária.

 Com o fim dos 60 (sessenta) dias da portabilidade extraordinária a ANS pode adotar diversos procedimentos, de acordo com o resultado da portabilidade, sendo analisado de início se a mesma atingiu ou não seu objetivo ao apurar qual o saldo residual de contratos no plano de saúde.

 Ou seja, não poderia simplesmente no dia seguinte ao fim da portabilidade extraordinária o plano de saúde deixar de ser operacional, deixando seus usuários sem atendimento. A própria ANS não poderia permitir tal fato, pois a sua missão institucional é a de “Promover a defesa do interesse público na assistência suplementar à saúde, regular as operadoras setoriais – inclusive quanto às suas relações com prestadores e consumidores – e contribuir para o desenvolvimento das ações de saúde no país.”

 Simplesmente um plano de saúde não pode ter suas portas fechadas e deixar de existir. Tem que ficar claro para o usuário que enquanto restarem usuários sobre a responsabilidade de atendimento da Unimed de São Luís estes terão o devido atendimento.

 E como a Unimed de São Luís está se reestruturando e buscando o melhor ao seu usuário (com a volta dos atendimentos dos médicos cooperados; com a inauguração do Hospital Ludovicense; dentre outros), tem que deixar esclarecido que não está medindo esforços para resgatar sua credibilidade e trazer a satisfação plena ao usuário do plano.

 É que cabia esclarecer no momento.

 COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO DE SÃO LUÍS

UNIMED DE SÃO LUÍS

DIRETORIA

 

Sem categoria

Marco Aurélio D'Eça

3 Comments

  1. Mentira! Já estamos sem atendimento. O contrato com o Centro Medico venceu dia 30 e desde ontem nao atendem mais Unimedsl! Isso é caso de polícia mesmo, onde está a PF que nao manda prender o diretor dessa empresa caloteira?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *