0

Gutemberg Araújo pede providências para manutenção dos serviços do Aldenora Bello

Preocupado com os problemas do Hospital Aldenora Bello (HCAB), o vereador Dr. Gutemberg Araújo subiu à tribuna da Câmara Municipal de São Luís para pedir aos parlamentares que fiquem vigilantes sobre a manutenção dos serviços do hospital oncológico.

Recentemente, a direção do Hospital anunciou  um drama financeiro que resultaria na suspensão dos serviços de Pronto Atendimento (SPA), Atendimento Domiciliar.

Dr. Gutemberg que já trouxe outro problema parecido à Câmara, no caso o da Maternidade Maria do Amparo, lembrou que a Casa Legislativa Municipal teve participação decisiva para o retorno dos serviços integrais da maternidade.

O parlamentar pontuou as dívidas financeiras do Hospital Aldenora Bello, e que os serviços não possuem cobertura total do Sistema Único de Saúde (SUS).

“O valor do SUS paga apenas 10% do valor total dos custos. Uma consulta no SPA Oncológico é paga pelo Ministério da Saúde por R$ 11,00 e lá custa aproximadamente R$ 400,00. É uma conta que não bate, que não tem como se sustentar. O Hospital Aldenora Bello tem um déficit mensal de, aproximadamente, setecentos mil reais. E acumula nesses últimos anos, uma dívida de mais de cinco milhões de  reais. A Unidade de Saúde chegou a uma situação que não consegue nem conseguir mais recursos dos bancos, pois precisa oferecer algo de garantia e não tem mais nada. Outro grande problema é que o Hospital Aldenora Bello pode perder o status de único CACON do Maranhão (Centro de Assistência em Alta Complexidade em Oncologia), por não cumprir as exigências do Ministério da Saúde”, destaca o vereador.  

Na semana em que se comemorou o Dia Mundial de Combate ao Câncer – 8 de abril, Dr. Gutemberg lembrou ainda que a doença afeta toda a família, sendo de fundamental importância o auxílio do Hospital Aldenora Bello, referência no país no tratamento de  câncer.

“O câncer mexe com toda a estrutura familiar. Eu pergunto a vocês, caso esses pacientes não consigam o atendimento do Hospital Aldenora Bello, para onde eles vão? Essas pessoas vão para os Socorrões, para UPAs, locais que estão superlotados e não tem as especialidades necessárias para tratar o paciente oncológico. Juntos somamos forças para reabrir a maternidade Maria do Amparo. Agora, peço a todos vocês que fiquem vigilantes e para que juntos encontremos soluções para a manutenção do Hospital Aldenora Bello, fundamental para o Maranhão”, disse o parlamentar.

Da assessoria

0

Na Câmara, Edilázio denuncia caos na Saúde do Maranhão…

Deputado destaca em discurso o que chamou de “situação caótica” do setor no Maranhão, e criticou a decisão do governador Flávio Dino de fechar o hospital de Matões do Norte

 

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD), em discurso na Câmara, chamou atenção dos colegas para a “situação caótica que vem enfrentando a Saúde no Maranhão”.

O deputado lembrou das ações da Polícia Federal na pasta e criticou a decisão do governador Flávio Dino (PCdoB), de fechar o hospital de Matões do Norte.

– Hospital este que atendia 14 municípios, que agora têm que se deslocar quase 200 quilômetros para ter um atendimento de urgência – revelou Edilázio.

O parlamentar fez um apelo direto a Flávio Dino, para que reabra o hospital.

Veja o vídeo acima

0

Dr. Gutemberg mostra otimismo com reabertura da Maria do Amparo…

Responsável por levar à Câmara Municipal o problema enfrentado pela maternidade, vereador tem mobilizado os colegas em busca de solução para o problema

 

O vereador Gutemberg Araújo (PRTB) mostrou nesta segunda-feira, 11, forte otimismo com a solução do problema da Maternidade Maria do Amparo.

Gutemberg foi o responsável por levar para a Câmara o problema enfrentado pelo hospital.

– As expectativas são as melhores possíveis. O Parlamento Municipal, inclusive, vem exercendo um papel muito importante no que diz respeito a intermediar uma solução para problemática – afirmou.

Nesta segunda-feira, a Câmara voltou a debater a situação da maternidade, em busca de uma solução.

– Tivemos um encontro de reavaliação hoje e amanhã [terça-feira], às 14h, haverá uma reunião na Secretaria de Saúde do município, com o secretário Lula Filho. O que percebemos é que há uma boa intenção por parte das autoridades públicas em contribuir para reabertura da Maternidade. Tenho convicção que iremos conseguir o desfecho esperado pela população da cidade – afirmou o presidente da Casa, Osmar Filho (PDT).

0

Sobre macas e procissão de ambulâncias…

Situação desesperadora da mãe que levou o pai, empurrando a maca de um hospital para outro, expõe a falência do sistema de Saúde não apenas em São Luís, mas em todo Maranhão

 

Editorial

Houve um tempo, recente, em que o sistema de Saúde do Maranhão operava em situação de excelência em todo o estado, não apenas na capital. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

Hoje, o sucateamento é evidente não apenas na capital, mas em todos os municípios.

E a imagem que ganhou o mundo nesta quinta-feira, 24 – de uma mulher desesperada carregando seu pai agonizante pelas ruas do Centro, em uma maca, em busca de socorro – expõe essa falência em todos os níveis.

Não é de hoje que a Santa Casa pede clemência para sobreviver.

E o sucateamento de suas instalações se dá pela má gestão de seus condutores, mas também pelo desprezo dos gestores estaduais com a Saúde.

E o que dizer do fato de a mulher ter vindo de Urbano Santos, onde deveria haver, pelo menos, atendimento básico que evitasse a morte do seu pai por falta de atendimento em São Luís?!?

O fechamento dos hospitais macrorregionais e as unidades de 20 leitos em vários municípios contribuiu para isso. (Saiba mais aqui e aqui)

Mas contribui também o desinteresse dos prefeitos coma  coisa pública, gerando situações como esta.

Familiares acompanham a maca em verdadeira procissão no Centro de São Luís

Quando prefeito de São Luís, o ex-governador Jackson Lago (PDT) pregava seu sonho de, um dia, ver as procissões de ambulâncias no Estreito dos Mosquitos terem fim no Maranhão. (Entenda aqui)

Oito anos após sua morte, a procissão de ambulâncias voltaram a se intensificar em São Luís.

Espera-se não precisar ver também procissões de macas no Centro da capital…

1

Imagem do dia: uma triste procissão no Centro de São Luís…

Ganhou o mundo nesta quinta-feira, 24, o vídeo de uma filha, desesperada, tentando salvar a vida do pai empurrando uma maca de ambulância de um hospital a outro, em busca de atendimento

 

O vídeo mostra a mulher desesperada, seguida pelos familiares, numa verdadeira procissão de desesperados em busca da Saúde nega pelo Estado.

O homem, vindo de Urbano Santos – onde deveria ter hospital para atendimento –  acabou falecendo antes mesmo de chegar ao Hospital Djalma Marques, no Centro de São Luís.

0

Hildo Rocha pede correção nos repasses do SUS em posse do ministro da Saúde

Deputado aproveitou a solenidade para cobrar melhor repartição nos valores destinados ao setor nas cidades estaduais. Hildo é um dos deputados com atuação mais firme neste sentido na Câmara.

O deputado federal Hildo Rocha tem usado a sua capacidade de articulação com a finalidade de conquistar recursos federais para o Maranhão. O parlamentar participou da posse de vários ministros do governo Bolsonaro. Logo após a posse do médico Luiz Henrique Mandetta, nomeado para o Ministério da Saúde, o parlamentar dialogou acerca de valores que o Sistema Único de Saúde (SUS) repassa para algumas unidades de saúde de municípios maranhenses.

O objetivo do parlamentar é conseguir o aumento nos valores repassados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para acabar com a defasagem que afeta diversos municípios, forçando-os a utilizar recursos próprios para cobrir despesas porque produzem muito acima daquilo que recebem para atendimentos de saúde.

Hildo Rocha também tratou sobre a melhoria das condições de trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e dos Agentes de Combate às Endemias (ACE). “Esses profissionais precisam de atenção especial para que possamos melhorar a saúde preventiva e, assim, evitar que tenhamos hospitais superlotados por falta de uma atenção básica melhor”, argumentou o deputado.

Saúde indígena

O parlamentar disse que a Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) continuará sob o comando de Marco Antonio Toccolini. “A gestão do órgão irá passar por ajustes que são indispensáveis para tornar a saúde indígena mais eficiente. Embora Toccolini tenha conseguido melhora significativa nos resultados é necessário aprimorar mais ainda. Falta mais comprometimento de alguns profissionais da saúde que trabalham com os indígenas no sentido de melhorar os indicadores. Gasta-se muito com a saúde indígena, mas o resultado ainda está abaixo da média do Sistema Único de Saúde. Por isso, é necessário aprimoramento para que os indígenas do Maranhão e de todo o país possam dispor de melhores serviços de saúde”, enfatizou Hildo Rocha.

O perfil técnico do novo Ministro da saúde

Hildo Rocha acredita que o Ministro Luiz Henrique Mandetta irá melhorar bastante os serviços de saúde pública porque tem experiência e competência comprovada.

“O meu amigo Mandetta irá fazer uma revolução na saúde do nosso país, pois o mesmo tem experiência, conhece os principais problemas da saúde do Brasil, é competente e terá o apoio do presidente Jair Bolsonaro, do parlamento brasileiro e dos profissionais da saúde. Ele será um bom ministro, sem dúvida alguma”, assegurou o parlamentar.

Governadores, prefeitos, deputados e senadores participaram da posse do ministro Luís Henrique Mandetta. Do Maranhão participaram apenas os deputados federais Hildo Rocha, Juscelino Filho e Aluísio Mendes.

0

Descaso na saúde dinista: pacientes hipertensos e diabéticos ficam sem assistência

Unidade referência para a assistência de pacientes destes perfis são colocados em segundo plano pela pasta do Governo do Maranhão.

Unidade considerada referência foi desativada sem qualquer explicação pelo Governo de Flávio Dino

De O Estado

O Centro de Medicina Especializada (Cemesp), que teve o atendimento suspenso desde 17 de dezembro, passaria a funcionar no Centro de Especialidades Médicas e Diagnóstico Dr. Luiz Alfredo Netto Guterres (CEM), conhecido popularmente como Pam-Diamante, a partir desta quarta-feira (2), conforme anunciado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). No entanto, pacientes que buscaram pelo serviço foram surpreendidos pela informação dada pelos funcionários do CEM Diamante de que o atendimento estará disponível somente a partir de segunda-feira (7). A incerteza quanto ao futuro deixou pacientes preocupados.

O Cemesp, que funcionava desde 2015 no Bairro de Fátima, era uma unidade de referência no tratamento de pacientes com diabetes, hipertensão e outras doenças crônicas, da capital e interior do estado. Os serviços, suspensos há 18 dias, quando os funcionários entram em recesso de fim de ano, têm prejudicado quem necessita de atendimentos especializados. O vigilante Vanderlan Santos, que procurou o centro na manhã de ontem para realizar curativos, teve de buscar outra solução.

“Eu moro no Maracanã. Saí de casa às 7h para fazer um curativo, que preciso renovar a cada dois dias. Como eles informaram que a partir de hoje funcionaria no Pam-Diamante. Fui lá, mas disseram que só na segunda-feira. Vim ao Bairro de Fátima e também não tem atendimento. Vou precisar ir a uma UPA ou um posto de saúde para renovar o curativo, porque precisa fazer raspagem e não dá para fazer em casa”, contou.

Para a Associação dos Diabéticos do Maranhão (Adima), a situação é lamentável e preocupante para quem necessita dos atendimentos, devido à superlotação de demais hospitais e unidades médicas do estado. Além disso, a suspensão dos atendimentos no Bairro de Fátima não foi informada de forma oficial à associação ou aos pacientes, apenas àqueles que procuraram o centro, fato reivindicado pelo presidente da Adima.

O Estado manteve contato com o Governo do Estado, por meio da Secretária de Estado da Saúde e, em nota, foi informado que o Cemesp passou a atender no Centro de Especialidades Médicas e Diagnóstico Dr. Luiz Alfredo Netto Guterres – CEM Diamante. A SES informou, ainda, que iniciou ontem (2), os atendimentos de emergência dos pacientes, com distribuição de insulina e realização de curativos. Por fim, a SES frisou que, a partir do dia 7, iniciará o agendamento de consultas do referido serviço no CEM Diamante.

SAIBA MAIS

O Centro de Medicina Especializada (Cemesp) funcionava como referência estadual em diabetes e hipertensão e os pacientes recebiam atendimento especializado em cardiologia, endocrinologia adulto e pediátrica, nefrologia, gatroenterologia, oftalmologia, odontologia, nutrição, pneumologia, reumatologia, dermatologia, ortopedia, angiologia, clinica médica e cirúrgica, neurologia, psicologia, enfermagem, serviço Social. E dispunha de serviços de: eletrocardiograma, espirometria, mapa, holter, teste ergométrico, ecocardiograma, ecodopler, fotocoagulação a laser, retinografia simples, exames laboratoriais.

0

Para Andrea Murad, diretores das UPAs reconhecem caos…

Deputada recebeu prints de conversas que apontam para a tentativa de proibição de sua presenças nas unidades de saúde e diz que vai continuar a exercer seu trabalho

 

O print recebido pela deputada. Alerta geral!!!

A deputada Andrea Murad comentou nesta terça-feira, 16, o suposto medo do governo em relação as visitas que ela realiza nas Unidades de Pronto Atendimento e nos hospitais sob a responsabilidade do governo Flávio Dino (PCdoB).

A parlamentar tece acesso a uma mensagem de WhatsApp de uma assessora da Secretaria de Saúde identificada por Carmem, que faz orientações, entre elas a de “proibir que entre nos leitos”.

– Fiscalizar, visitar e cobrar providências sobre os problemas que estão se perpetuando no governo Flávio Dino é o meu trabalho e vou fazê-lo. Nas mensagens que trocaram, eles mesmos reconhecem a situação que as Upas e Hospitais do estado se encontram. Vergonhoso! Não adianta esconder de mim se a população, que é o mais importante, está vendo a maldade e o crime que estão cometendo – afirmou a parlamentar, em suas redes sociais.

Ela garantiu que vai continuar sua vistorias nas unidades.

– Fiquem logo avisados que não visitarei somente as Upas, mas várias unidades de saúde do estado de onde recebo denúncias diariamente. Portanto continuarei fiscalizando e denunciando, sempre que o povo me exigir que faça – afirmou.

1

Fraude comunista…

Ao usar sua propaganda para divulgar como suas as obras dos hospitais do programa “Saúde é Vida”, Flávio Dino comete mais um crime contra a opinião pública maranhense

 

Propaganda do “Saúde É Vida”, quando foram construídos os hospitais que Dino diz serem dele

Não é mais novidade para nenhum maranhense que o governador Flávio Dino (PCdoB) se apropria das obras do governo Roseana Sarney (PMDB) para ter o que mostrar ao eleitor. Sem projeto, sem ações e sem obras para mostrar, o comunista usa a propaganda para vender como suas tudo o que Roseana deixou praticamente pronto ao fim do seu governo.

Na semana passada, porém, Flávio Dino foi além da apropriação indébita de coisas que não são suas. Ele financiou e pagou – com dinheiro que também não é dele, obviamente – uma propaganda que vai ao absurdo de usurpar uma obra que ele mesmo condenava em época de campanha eleitoral, em 2014.

A propaganda diz, categoricamente, que o governo comunista “criou, em apenas três anos, uma rede de hospitais no Maranhão”.

A cafajestagem de Flávio Dino é absurda sob qualquer aspecto que se analise.

A ora de Flávio Dino é muito menor do que ele vende na propaganda

A obra não é dele e ele, ainda por cima, tenta diminuí-la a todo momento.

A tal rede de hospitais que Flávio Dino toma como sua foi toda concebida e construída pelo então secretário de Saúde, Ricardo Murad – também no governo Roseana Sarney – e deixada em pleno funcionamento, pelo programa “Saúde É Vida”, o maior do gênero já lançado no país.

O que Flávio Dino fez pela saúde do Maranhão, e sua propaganda esconde, foi o sucateamento das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e a implantação de um sistema de corrupção e favorecimento nunca visto no estado, com pagamentos ilegais a apaniguados e alugueis camaradas indicados a dedo em São Luís e no interior.

A propaganda fraudulenta de Flávio Dino já está sendo analisada sob os aspectos legais e políticos.

E será uma das principais peças da oposição para desmascarar o comunista na campanha de 2018…

2

Programa Saúde na Família pode entrar em colapso…

Justiça Federal atendeu a pedido do Conselho Federal de Medicina e proibiu os enfermeiros – primeiros profissionais no contato com o paciente – de prescrever receitas e fazer exames, o que pode inviabilizar o PSF

 

Enfermeira no atendimento domiciliar; não há médicos para fazer esse trabalho

Uma decisão da Justiça Federal – atendendo à ação do Conselho Federal de Medicina – poderá por em colapso o Programa Saúde na Família, do Governo Federal.

A decisão proíbe os enfermeiros de solicitar exames complementares, prescrever medicações e encaminhar usuários ao atendimento médico em casos mais graves.

Ocorre que são os próprios enfermeiros os primeiros profissionais de nível superior a ter o contato com o paciente nas comunidades, baseado na Portaria nº 2.488/2011 do Ministério da Saúde, que permitia essas ações à categoria.

– No pré-natal, por exemplo, é o enfermeiro quem faz a solicitação dos exames complementares, ultrassonografia obstétrica e realiza os testes rápido de HIV, Sífilis e Hepatite, enfim, o que agora fica totalmente proibido – pondera Livia Bustamante, diretora do Sindicato dos Enfermeiros do Maranhão.

Segundo ela, se a decisão da Justiça Federal não for reversível,  a mortalidade por causas evitáveis poderá aumentar muito, pela dificuldade de acesso ao atendimento.

Para a profissional de enfermagem, a decisão pode superlotar os hospitais, já que o pacientes precisarão ir às unidades de saúde para atendimento.

O Conselho Federal de Enfermagem fará manifestação nesta terça-feira, 10, em Imperatriz, contra a decisão judicial…