0

César Pires defende uso de recursos de Fundo na assistência a pacientes com câncer

O repasse de recursos do Fundo Estadual de Combate ao Câncer para o Hospital Aldenora Bello voltou a ser cobrado pelo deputado César Pires, em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa nesta segunda-feira (14).

“Enquanto o governo fica inventando justificativas para não liberar os recursos do Fundo, tem pessoas morrendo por falta de tratamento, por falta de ação, por falta de humanidade do Governo do Estado. O único projeto que a eles interessa agora é eleger o governador presidente da República, mesmo que seja com a dor de tantos maranhenses”, enfatizou Pires.

Ao tratar novamente da situação do Hospital Aldenora Bello, que suspendeu parte do atendimento aos pacientes com câncer por falta de recursos, César Pires mostrou da tribuna artigo publicado no Jornal Pequeno, em abril de 2018, em que o secretário estadual de Saúde anunciava que iria apresentar a experiência exitosa do Fundo Estadual de Combate ao Câncer, ao mesmo tempo em que revelava que havia participado da elaboração da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que criou o fundo.

No artigo, Carlos Lula declarou que “foi aprovada, em agosto de 2017, a Lei Complementar 191, corrigindo as imprecisões da lei anterior. Isso permitiu que a partir de 2018 o Fundo efetivamente tivesse receitas para executar no combate ao câncer”. E ele acrescentou: “Esperamos que, ao compartilhar soluções criativas, como Fundo Estadual de Combate ao Câncer – que agora vigora em nosso estado – possamos servir de inspiração para novas fontes de financiamento dos sistemas de saúde em outras localidades do mundo”.

“Nesse artigo, o próprio secretário disse que, como consultor da Assembleia, ajudou a redigir a PEC e depois a corrigir o que elas chamam de incorreções, para que, a partir de 2018, o Fundo efetivamente tivesse receita para executar o combate a câncer. Como é que agora eles alegam que não podem repassar recursos ao Aldenora Bello? Onde estão os recursos do Fundo Estadual de Combate ao Câncer, que só no primeiro mês recebeu R$ 650 mil, segundo informou o próprio Carlos Lula?”, questionou César Pires.

Para o deputado, é desumano  apontarem ilegalidades no Fundo que, ano passado, o secretário apresentou na Dinamarca como uma grande iniciativa.

“O deputado Eduardo Braide, autor do Fundo, é de oposição, mas a necessidade é do povo do Maranhão, é dos que necessitam, que não têm condições de fazer tratamento de câncer. O governo não pode agir com ódio de seus opositores e deixar de repassar os recursos ao Fundo Estadual de Combate ao Câncer. É preciso deixar as divergências políticas de lado e cuidar das pessoas”, finalizou ele.

3

Os doadores do Aldenora Belo..

Hospital recebe recursos de diversos setores da economia, além das emendas parlamentares e dos recursos do SUS repassados por Governo do Estado e Prefeitura de São Luís; cobrança agora é por prestação de contas da Fundação Jorge Dino

 

O blog Marco Aurélio D’Eça publicou nesta terça-feira, 8, uma série de posts que apontam para a distribuição de recursos públicos por vários deputados – federais e estaduais – ao Hospital Aldenora Belo. (Relembre aqui)

Mas, além destes recursos públicos – e das doações de equipamentos e serviços articulados pela classe política – há doações de empresas privadas ao hospital.

A Fundação Antonio Jorge Dino recebe recursos da McDonalds, dos Supermercados Mateus e da Maracap, empresas de porte no Maranhão.

Além disso, mantém uma campanha permanecente de ligações com pedidos de doações via telefone, que gera receitas permanentes – ainda que baixas – para manutenção do hospital.

A Fundação Jorge Dino reclama nos bastidores que o governo não repasa os recursos que deveria repasar, inclusive do SUS.

O problema: não há prestação de contas do que entra e do que sai na Fundação – inclusive salários e pagamentos a diretores e funcionários.

E o mais prejudicado é o paciente de câncer no Maranhão…

 

0

Edivan Brandão e Roberto Costa entregam 10 ambulâncias em Bacabal…

Na manhã desta sexta-feira (6) o deputado estadual Roberto Costa (MDB) acompanhou o prefeito Edvan Brandão (PSC) na entrega das 10 ambulâncias novinhas para atender toda a população bacabalense. Os veículos modernos e equipados foram comprados com recursos do município.

Na oportunidade, o deputado Roberto Costa destacou a revolução que o prefeito Edvan Brandão tem feito em Bacabal.

“De fato, é uma revolução que o prefeito tem feito na cidade de Bacabal. Antes de assumir a gestão, não tinha asfalto na cidade, nem medicamentos, nem merenda escolar em dias, nem salário em dias, agora tem. Então, de fato, o prefeito Edvan Brandão tem revolucionado Bacabal, e isso é apenas o começo. Nunca na história dessa cidade um prefeito deu tanta prioridade para a saúde da população como agora. Temos medicamentos em todos os hospitais e Unidades Básicas de saúde, temos médicos qualificados e especialistas que nunca a cidade teve. Temos 19 especialidades em babacabal. Agora, o prefeito compra 10 ambulâncias novinhas para entregar para a população. Além de anunciar a reforma do Hospital Geral, onde será o novo Socorrão de Bacabal, esse sim tem  compromisso com o povo. Por isso, prefeito Edvan Brandao, conte sempre comigo, o deputado João Marcelo e João Alberto, juntos, faremos muito mais por Bacabal”, disse Roberto Costa.

O prefeito Edvan Brandão enfatizou que, a sua luta é apenas uma, defender e conquistar melhorias para todo o município de Bacabal como sempre prometeu.

“Quanto mais agimos em prol do povo bacabalense, mais a oposição nos ataca. A única forma que irei rebater a oposição, é com ações, com mais asfalto na cidade, mais qualidade de vida, mais ambulâncias, isso sim iremos continuar fazendo. Eu tenho um compromisso com o povo, agora, continuarei cumprindo com a minha palavra. Junto com os deputados Roberto Costa, João Marcelo e João Alberto, os nossos secretários e vereadores, faremos uma Bacabal de referência para todo o Maranhão”, disse Edvan Brandão. 

0

Gutemberg Araújo pede providências para manutenção dos serviços do Aldenora Bello

Preocupado com os problemas do Hospital Aldenora Bello (HCAB), o vereador Dr. Gutemberg Araújo subiu à tribuna da Câmara Municipal de São Luís para pedir aos parlamentares que fiquem vigilantes sobre a manutenção dos serviços do hospital oncológico.

Recentemente, a direção do Hospital anunciou  um drama financeiro que resultaria na suspensão dos serviços de Pronto Atendimento (SPA), Atendimento Domiciliar.

Dr. Gutemberg que já trouxe outro problema parecido à Câmara, no caso o da Maternidade Maria do Amparo, lembrou que a Casa Legislativa Municipal teve participação decisiva para o retorno dos serviços integrais da maternidade.

O parlamentar pontuou as dívidas financeiras do Hospital Aldenora Bello, e que os serviços não possuem cobertura total do Sistema Único de Saúde (SUS).

“O valor do SUS paga apenas 10% do valor total dos custos. Uma consulta no SPA Oncológico é paga pelo Ministério da Saúde por R$ 11,00 e lá custa aproximadamente R$ 400,00. É uma conta que não bate, que não tem como se sustentar. O Hospital Aldenora Bello tem um déficit mensal de, aproximadamente, setecentos mil reais. E acumula nesses últimos anos, uma dívida de mais de cinco milhões de  reais. A Unidade de Saúde chegou a uma situação que não consegue nem conseguir mais recursos dos bancos, pois precisa oferecer algo de garantia e não tem mais nada. Outro grande problema é que o Hospital Aldenora Bello pode perder o status de único CACON do Maranhão (Centro de Assistência em Alta Complexidade em Oncologia), por não cumprir as exigências do Ministério da Saúde”, destaca o vereador.  

Na semana em que se comemorou o Dia Mundial de Combate ao Câncer – 8 de abril, Dr. Gutemberg lembrou ainda que a doença afeta toda a família, sendo de fundamental importância o auxílio do Hospital Aldenora Bello, referência no país no tratamento de  câncer.

“O câncer mexe com toda a estrutura familiar. Eu pergunto a vocês, caso esses pacientes não consigam o atendimento do Hospital Aldenora Bello, para onde eles vão? Essas pessoas vão para os Socorrões, para UPAs, locais que estão superlotados e não tem as especialidades necessárias para tratar o paciente oncológico. Juntos somamos forças para reabrir a maternidade Maria do Amparo. Agora, peço a todos vocês que fiquem vigilantes e para que juntos encontremos soluções para a manutenção do Hospital Aldenora Bello, fundamental para o Maranhão”, disse o parlamentar.

Da assessoria

0

Na Câmara, Edilázio denuncia caos na Saúde do Maranhão…

Deputado destaca em discurso o que chamou de “situação caótica” do setor no Maranhão, e criticou a decisão do governador Flávio Dino de fechar o hospital de Matões do Norte

 

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD), em discurso na Câmara, chamou atenção dos colegas para a “situação caótica que vem enfrentando a Saúde no Maranhão”.

O deputado lembrou das ações da Polícia Federal na pasta e criticou a decisão do governador Flávio Dino (PCdoB), de fechar o hospital de Matões do Norte.

– Hospital este que atendia 14 municípios, que agora têm que se deslocar quase 200 quilômetros para ter um atendimento de urgência – revelou Edilázio.

O parlamentar fez um apelo direto a Flávio Dino, para que reabra o hospital.

Veja o vídeo acima

0

Dr. Gutemberg mostra otimismo com reabertura da Maria do Amparo…

Responsável por levar à Câmara Municipal o problema enfrentado pela maternidade, vereador tem mobilizado os colegas em busca de solução para o problema

 

O vereador Gutemberg Araújo (PRTB) mostrou nesta segunda-feira, 11, forte otimismo com a solução do problema da Maternidade Maria do Amparo.

Gutemberg foi o responsável por levar para a Câmara o problema enfrentado pelo hospital.

– As expectativas são as melhores possíveis. O Parlamento Municipal, inclusive, vem exercendo um papel muito importante no que diz respeito a intermediar uma solução para problemática – afirmou.

Nesta segunda-feira, a Câmara voltou a debater a situação da maternidade, em busca de uma solução.

– Tivemos um encontro de reavaliação hoje e amanhã [terça-feira], às 14h, haverá uma reunião na Secretaria de Saúde do município, com o secretário Lula Filho. O que percebemos é que há uma boa intenção por parte das autoridades públicas em contribuir para reabertura da Maternidade. Tenho convicção que iremos conseguir o desfecho esperado pela população da cidade – afirmou o presidente da Casa, Osmar Filho (PDT).

0

Sobre macas e procissão de ambulâncias…

Situação desesperadora da mãe que levou o pai, empurrando a maca de um hospital para outro, expõe a falência do sistema de Saúde não apenas em São Luís, mas em todo Maranhão

 

Editorial

Houve um tempo, recente, em que o sistema de Saúde do Maranhão operava em situação de excelência em todo o estado, não apenas na capital. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

Hoje, o sucateamento é evidente não apenas na capital, mas em todos os municípios.

E a imagem que ganhou o mundo nesta quinta-feira, 24 – de uma mulher desesperada carregando seu pai agonizante pelas ruas do Centro, em uma maca, em busca de socorro – expõe essa falência em todos os níveis.

Não é de hoje que a Santa Casa pede clemência para sobreviver.

E o sucateamento de suas instalações se dá pela má gestão de seus condutores, mas também pelo desprezo dos gestores estaduais com a Saúde.

E o que dizer do fato de a mulher ter vindo de Urbano Santos, onde deveria haver, pelo menos, atendimento básico que evitasse a morte do seu pai por falta de atendimento em São Luís?!?

O fechamento dos hospitais macrorregionais e as unidades de 20 leitos em vários municípios contribuiu para isso. (Saiba mais aqui e aqui)

Mas contribui também o desinteresse dos prefeitos coma  coisa pública, gerando situações como esta.

Familiares acompanham a maca em verdadeira procissão no Centro de São Luís

Quando prefeito de São Luís, o ex-governador Jackson Lago (PDT) pregava seu sonho de, um dia, ver as procissões de ambulâncias no Estreito dos Mosquitos terem fim no Maranhão. (Entenda aqui)

Oito anos após sua morte, a procissão de ambulâncias voltaram a se intensificar em São Luís.

Espera-se não precisar ver também procissões de macas no Centro da capital…

1

Imagem do dia: uma triste procissão no Centro de São Luís…

Ganhou o mundo nesta quinta-feira, 24, o vídeo de uma filha, desesperada, tentando salvar a vida do pai empurrando uma maca de ambulância de um hospital a outro, em busca de atendimento

 

O vídeo mostra a mulher desesperada, seguida pelos familiares, numa verdadeira procissão de desesperados em busca da Saúde nega pelo Estado.

O homem, vindo de Urbano Santos – onde deveria ter hospital para atendimento –  acabou falecendo antes mesmo de chegar ao Hospital Djalma Marques, no Centro de São Luís.

0

Hildo Rocha pede correção nos repasses do SUS em posse do ministro da Saúde

Deputado aproveitou a solenidade para cobrar melhor repartição nos valores destinados ao setor nas cidades estaduais. Hildo é um dos deputados com atuação mais firme neste sentido na Câmara.

O deputado federal Hildo Rocha tem usado a sua capacidade de articulação com a finalidade de conquistar recursos federais para o Maranhão. O parlamentar participou da posse de vários ministros do governo Bolsonaro. Logo após a posse do médico Luiz Henrique Mandetta, nomeado para o Ministério da Saúde, o parlamentar dialogou acerca de valores que o Sistema Único de Saúde (SUS) repassa para algumas unidades de saúde de municípios maranhenses.

O objetivo do parlamentar é conseguir o aumento nos valores repassados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para acabar com a defasagem que afeta diversos municípios, forçando-os a utilizar recursos próprios para cobrir despesas porque produzem muito acima daquilo que recebem para atendimentos de saúde.

Hildo Rocha também tratou sobre a melhoria das condições de trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e dos Agentes de Combate às Endemias (ACE). “Esses profissionais precisam de atenção especial para que possamos melhorar a saúde preventiva e, assim, evitar que tenhamos hospitais superlotados por falta de uma atenção básica melhor”, argumentou o deputado.

Saúde indígena

O parlamentar disse que a Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) continuará sob o comando de Marco Antonio Toccolini. “A gestão do órgão irá passar por ajustes que são indispensáveis para tornar a saúde indígena mais eficiente. Embora Toccolini tenha conseguido melhora significativa nos resultados é necessário aprimorar mais ainda. Falta mais comprometimento de alguns profissionais da saúde que trabalham com os indígenas no sentido de melhorar os indicadores. Gasta-se muito com a saúde indígena, mas o resultado ainda está abaixo da média do Sistema Único de Saúde. Por isso, é necessário aprimoramento para que os indígenas do Maranhão e de todo o país possam dispor de melhores serviços de saúde”, enfatizou Hildo Rocha.

O perfil técnico do novo Ministro da saúde

Hildo Rocha acredita que o Ministro Luiz Henrique Mandetta irá melhorar bastante os serviços de saúde pública porque tem experiência e competência comprovada.

“O meu amigo Mandetta irá fazer uma revolução na saúde do nosso país, pois o mesmo tem experiência, conhece os principais problemas da saúde do Brasil, é competente e terá o apoio do presidente Jair Bolsonaro, do parlamento brasileiro e dos profissionais da saúde. Ele será um bom ministro, sem dúvida alguma”, assegurou o parlamentar.

Governadores, prefeitos, deputados e senadores participaram da posse do ministro Luís Henrique Mandetta. Do Maranhão participaram apenas os deputados federais Hildo Rocha, Juscelino Filho e Aluísio Mendes.

0

Descaso na saúde dinista: pacientes hipertensos e diabéticos ficam sem assistência

Unidade referência para a assistência de pacientes destes perfis são colocados em segundo plano pela pasta do Governo do Maranhão.

Unidade considerada referência foi desativada sem qualquer explicação pelo Governo de Flávio Dino

De O Estado

O Centro de Medicina Especializada (Cemesp), que teve o atendimento suspenso desde 17 de dezembro, passaria a funcionar no Centro de Especialidades Médicas e Diagnóstico Dr. Luiz Alfredo Netto Guterres (CEM), conhecido popularmente como Pam-Diamante, a partir desta quarta-feira (2), conforme anunciado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). No entanto, pacientes que buscaram pelo serviço foram surpreendidos pela informação dada pelos funcionários do CEM Diamante de que o atendimento estará disponível somente a partir de segunda-feira (7). A incerteza quanto ao futuro deixou pacientes preocupados.

O Cemesp, que funcionava desde 2015 no Bairro de Fátima, era uma unidade de referência no tratamento de pacientes com diabetes, hipertensão e outras doenças crônicas, da capital e interior do estado. Os serviços, suspensos há 18 dias, quando os funcionários entram em recesso de fim de ano, têm prejudicado quem necessita de atendimentos especializados. O vigilante Vanderlan Santos, que procurou o centro na manhã de ontem para realizar curativos, teve de buscar outra solução.

“Eu moro no Maracanã. Saí de casa às 7h para fazer um curativo, que preciso renovar a cada dois dias. Como eles informaram que a partir de hoje funcionaria no Pam-Diamante. Fui lá, mas disseram que só na segunda-feira. Vim ao Bairro de Fátima e também não tem atendimento. Vou precisar ir a uma UPA ou um posto de saúde para renovar o curativo, porque precisa fazer raspagem e não dá para fazer em casa”, contou.

Para a Associação dos Diabéticos do Maranhão (Adima), a situação é lamentável e preocupante para quem necessita dos atendimentos, devido à superlotação de demais hospitais e unidades médicas do estado. Além disso, a suspensão dos atendimentos no Bairro de Fátima não foi informada de forma oficial à associação ou aos pacientes, apenas àqueles que procuraram o centro, fato reivindicado pelo presidente da Adima.

O Estado manteve contato com o Governo do Estado, por meio da Secretária de Estado da Saúde e, em nota, foi informado que o Cemesp passou a atender no Centro de Especialidades Médicas e Diagnóstico Dr. Luiz Alfredo Netto Guterres – CEM Diamante. A SES informou, ainda, que iniciou ontem (2), os atendimentos de emergência dos pacientes, com distribuição de insulina e realização de curativos. Por fim, a SES frisou que, a partir do dia 7, iniciará o agendamento de consultas do referido serviço no CEM Diamante.

SAIBA MAIS

O Centro de Medicina Especializada (Cemesp) funcionava como referência estadual em diabetes e hipertensão e os pacientes recebiam atendimento especializado em cardiologia, endocrinologia adulto e pediátrica, nefrologia, gatroenterologia, oftalmologia, odontologia, nutrição, pneumologia, reumatologia, dermatologia, ortopedia, angiologia, clinica médica e cirúrgica, neurologia, psicologia, enfermagem, serviço Social. E dispunha de serviços de: eletrocardiograma, espirometria, mapa, holter, teste ergométrico, ecocardiograma, ecodopler, fotocoagulação a laser, retinografia simples, exames laboratoriais.