11

Em nota, prefeitura diz que foi “Pirata” quem se recusou a sair da Litorânea…

http://s2.glbimg.com/DtvqVF42bBYQ4e9w_PBazEMztco=/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2014/02/13/pirata.jpg

Pirata, na época da desastrada ação da SMTT

A Prefeitura de São Luís encaminhou Nota ao blog em que afirma ter acompanhado “o artista paraibano Antonio Carlos da Silva, o ‘Pirata da Litorânea'”, através do Centro de Referência para População de Rua (Centro POP).

– O encaminhamento inicial dado à situação do referido artista foi para inserção no aluguel social, no qual ele não quis ingressar alegando que só sairia da praia quando fosse para uma moradia definitiva. Ou seja, ele não aceitou a proposta para incluí-lo no programa de benefício eventual conhecido como aluguel social – afirmou o documento encaminhado pela Secretaria de Comunicação Social da prefeitura.

Este blog publicou imagem, ontem, mostrando que, após toda a repercussão negativa da apreensão do Fusca do Pirata, em janeiro – e mais atrapalhada ainda tentativa de minimizar a história prometendo “mundos e fundos” a ele – acabou ficando só na promessa.

pirata1

E atualmente, dormindo em banco da Litorânea

O Pirata está de volta à Litorânea, agora numa bicicleta, e dormindo num banco.Mas a prefeitura garante que regularizou toda a documentação do paraibano.

– Foi resgatada sua certidão de nascimento da Paraíba e a Semcas (Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social), encaminhou e acompanhou a emissão de RG, CPF e título de eleitor para Antonio Carlos, que hoje está de posse dessa documentação – garante a prefeitura.

Abaixo, a íntegra da Nota de Esclarecimento da prefeitura

NOTA

A Prefeitura de São Luís informa que, desde o primeiro momento, o artista paraibano Antonio Carlos da Silva, o Pirata da Litorânea, foi acompanhado pelo Centro de Referência para População de Rua – Centro POP, que é o serviço especializado para atendimento a essa faixa de público.

O encaminhamento inicial dado à situação do referido artista foi para inserção no aluguel social, no qual ele não quis ingressar alegando que só sairia da praia quando fosse para uma moradia definitiva. Ou seja, ele não aceitou a proposta para incluí-lo no programa de benefício eventual conhecido como aluguel social.

O passo seguinte foi providenciar os documentos básicos que ele não possuía. Dessa forma, foi resgatada sua certidão de nascimento da Paraíba e a Semcas (Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social), encaminhou e acompanhou a emissão de RG, CPF e título de eleitor para Antonio Carlos, que hoje está de posse dessa documentação.

Com a documentação, foi iniciada a montagem do dossiê para sua inclusão no cadastro do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), cuja equipe, acompanhada da Coordenação de População de Rua, já agendou um atendimento para lhe serem prestadas as devidas orientações.

Nesse atendimento, a equipe da Semcas vai esclarecê-lo sobre questões acerca do empreendimento habitacional que poderá lhe ser entregue caso o seu dossiê seja aprovado pela Caixa, o que não acontecerá imediatamente, pois há uma ordem de público prioritário, anteriormente inserido no benefício do aluguel social. O que quer dizer que, mesmo que o seu dossiê seja aprovado, ele receberá a casa em conformidade com a ordem de prioridade estabelecida.

A documentação do veículo do Sr. Antonio Carlos ainda se encontra pendente de regularização, portanto, o carro permanece no pátio da SMTT (Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte).

A biana (canoa costeira) já foi providenciada e está sendo reformada. A compra e reforma está sendo bancada pela iniciativa privada e ficarão a cargo da Prefeitura apenas as licenças para fixação no local.

Marco Aurélio D'Eça

11 Comments

  1. Esse Anderson aí falou e disse, essa consciência é que devemos ter como cidadão, tentem fazer uma reflexão antes de bater ou criticar, ser pedra é fácil, vire vidro! A cultura do ódio está cada vez mais imperando em nossa sociedade, o que será do mundo daqui há 20 anos? Que mundo deixaremos para as próximas gerações? Deus nos livre.

  2. É meu amigo, fazer pouco e campanha com a desgraça do próximo, nos faz ser cada vez mais de Deus e cidadão!! Depois reclamam da sorte… tô esperando aquele dono de cursinho e pré-candidato a deputado ficar agora fazendo pouco da desgraça de vida que este cidadão leva, o fato não é levá-lo, nem trazê-lo, nem deixá-lo, o fato é que toda a sociedade é responsável pelo ser humano, pelo irmão, pelo próximo, lavar as mãos, nem menosprezar esta vida será a solução do problema, quantos “piratas” anônimos jogados à própria sorte estão a perambular por eta cidade? Dói em alguém que comenta besteiras e asneiras aqui, mas vai numa missa ou num culto que verás tanto “filho de Deus” orando e pedindo tudo de possível e impossível à Deus, mas cumprir a missão de prestar um pouco de atenção e dedicação à essas pessoas, ninguém quer! Isso é que nos faz cristãos e humanos, não essas bobagens escritas e nem as falsas propagandas da prefeitura e dos aproveitadores de plantão, veja onde está o tal “pirata da litorânea” e os demais “piratas” do cotidiano, jogados e largados no mesmo lugar que sempre estiveram sem serem percebidos por todos nós, são invisíveis aos olhos da sociedade… pois é, quanta demagogia!!

  3. Esse pirata e um vagabundo safado querendo aparecer nem Maranhense é fica ai fazendo graça vai te lascar pirata maconheiro vai embora do Maranhão vagabundo safado.

  4. acompanho também essa situação e vejo a nescecidade do acolhimento do pirata, mas gostaria de chamar a atenção das autoridades: executiva, legislativa e judiciária, sôbre a situação dos moradores de Vitória da Conquista Zé Doca, São João do Carú, Bom Jardim, Newton Belo, Centro Novo, pela maneira como estão sendo despejados de suas residências, pais de famílias que a + de vinte anos moram naquela região estão saindo sem nenhum direito, la tem chôro, calamidade total. Isto é incentivo a marginaliade, criminalidade. Estou citando esta situação para que os maranhenses tomem conhecimento dessa situação. Explicando: dizem que é reserva indígna mas nunca se viu índio lá. são 118 mil hectares de terra para 100 índios que dizem ter. Se houvesse um afastamento de nove mil hectares de terra resolveria ambém a situação de duas mil famílias de lavradores humildes que ali habitam. La tem mais de 200 homens das fôrças federais, sei que estão cumprindo ordens da justiça. Vamos conhecer a realidade meretíssimo vá hoje nestes povoados e veja tão situação, pois sei que vossa Excelência tem pai e mãe e que jamais gostaria de vêlos naquela situaação, por isso conclamos a tds maranhenses a sua sensibilidade de nos ajudar. Lá é despejo propriamente dito. É para sair e não sabem para onde ir. socorrooooooooooooooooooooooo

  5. Quantos piratas maranhenses não temos por ai? Agora se preocupar com esse cara que ate a familia do próprio quer longe é brincadeira,o certo era mandar ele procurar trabalhar e desocupar área publica,ou melhor da uma passagem e manda ele para a PParaíba.

  6. Vocês i8anda estão batendo cabeça com essa besteira, pega esse cidadão e deporta para a sua cidade de origem, nós já temos os nossos moradores de rua para nos preocuparmos, eu não sei quem colocou na cabeça de vocês que esse cidadão é artista. se ele é artista, então deportem ele para exercer na sua cidade natal.

  7. Sensacionalismo barato hein caro blogueiro. Adota esse pirata que não faz nada na vida.

  8. Vou acampar também na litorânea, até a prefeitura mandar fazer uma casa pra mim de frente pro mar … também sou de origem humilde.

  9. Tá com pena! Leva pra tua casa! Afinal se esse pirata foi despresado pela familia é sinal que ” É PERSONA NON GRATA”. Manda ele de volta pra paraiba que resolve o problema.

    Reps.: O problema não é esse. O problema é a prefeitura fazer matéria, dizendo que vai fazer, e não faz nada.

  10. O Pirata tem o direito de morar na LITORANEA.
    O Pirata é um cidadão igual a qualquer outro e a Prefeitura de São Luís precisa organizar A CASA DO PIRATA NA LITORANEA. Ele tem Direitos Sociais que devem ser preservados e para isso tem o Poder Público para garantir.
    Que tal uma manifestação em favor da CASA DO PIRATA NA LITORANEA, já que tornou-se moda, AS MANIFESTAÇÕES.
    Se assim desejarem, me informem, sairei de Barra do Corda para fazer uma CARTOLINA em favor da CASA DO PIRATA NA LITORANEA, e mais, através do PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA, dada de Graça. PORQUE NÃO??????
    Assim, vou dizer como a Prefeitura vai atuar, já que ninguém quer resolver esse problema. Regulariza-se uma área do Patrimonio da União e doa ao Pirata. Com a Certidão, o Pirata e a Assistente Social com o Engenheiro da Prefeitura Fazem o Projeto da MINHA CASA MINHA VIDA do Pirata.
    Simples assim, pois pelo que dizem ele já tem o bom uso da área, então ele tem seus direitos garantidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *