11

Usurpação ou nepotismo? Deputado manda filho representá-lo em evento oficial

Florêncio, em entrevista à TV Assembléia

O site da Asssembléia Legislativa trouxe uma notícia curiosa nesta sexta-feira.

Encaminhada pela assessoria de imprensa do deputado Neto Evangelista (PSDB), o texto traz o título “Deputados participam de encontro pró-emancipações”.

E fala da participação dos membros da Casa em uma reunião no município de Vitória do Mearim.

Até aí tudo normal.

Mas eis que um trecho da matéria diz, textualmente: Neto Evangelista (PSDB), André Fufuca (PSDB) e Carlinhos Florêncio (PHS) que na oportunidade foi representado pelo filho, Florêncio Neto, participaram do 1º Encontro de Comissões Pró-Emancipações dos Distritos do Estado do Maranhão. (gripo do blog)

É isso mesmo: o deputado Carlinhos Florêncio (PHS), eleito para representar a população maranhense, mandou o seu filho, Florêncio Neto, representá-lo em um evento oficial da Assembléia Legislativa.

Como pode?

Pior: o filho do deputado ainda se pronunciou no encontro, e teve a fala repercutida na matéria do site da Assembléia.

Carlinhos Florêncio estreou na tribuna da Assembléia no último dia 3, em discurso de menos de cinco minutos sobre as enchentes na região do Mearim.

E precisa repensar sua participação na Casa, para onde o povo o mandou na certeza de que o representaria em todas as instâncias de atuação.

Ou, da próxima vez, que coloque o filho para disputar no lugar…

Leia aqui a matéria da Assembléia sobre o assunto

Marco Aurélio D'Eça

11 Comments

  1. eu como eleitor de carlinhos florencio, estou decepcionado. concordo com o jornalista dessa materia. carlinhos florencio esta usando eventos da assembleia para promover o filho.

  2. Ao leitor que se identifica como assessor parlamentar: respeito a resposta do nobre jornalista mas venho esclarecer ao leitor que nao existe previsao legal no regimento interno da assembleia legislativa para atos de representacao em eventos oficiais fora do recinto. Ou seja, existe como parece obvio o impedimento para representacao em caso de votacoes dentro do referido poder legislativo. Nao ha tambem dispositivo expresso para que ocorra representacao do ato, melhor dizendo, salvo contrario e como leigo da constituicao estadual deste estado, vejo a possibilidade de estarmo diante de uma ausencia de norma reguladora para tal fato. Com efeito, diante da suposta falta de norma vejo que o ato foi manifestado de forma legal. Repito: o dep tem a livre escolha de se fazer representar por quem de confianca tenha desde que nao seja para efeitos de votacao o que impedido. Assim entendo.

    resp.; E entende mal. Infelizmente…

    resp

  3. FIQUEI CONFUSO COM TAMANHA DIVERGENCIA ENTRE UM RENOMADO JORNALISTA E UM COMPETENTE ADVOGADO.
    EM BUSCA DE DIRIMIR MINHAS DÚVIDAS, GOSTARIA DE SABER:
    1. EM QUAIS CIRCUNSTANCIAS UM PARLAMENTAR PODE SER REPRESENTADO?

    2. UM ASSESSOR NOMEADO NO GABINETE DO PARLAMENTAR ESTÁ APTO PAR TAL MISSÃO?

    3. O PROMUNCIAMENTO DO REPRESENTANTE DEVERIA SER ESCRITO PELO REPRESENTADO?

    Resp.: Um deputado não pode ser representado, uma vez que ele próprio já é um represnetnate popular, cuja procuração foi dada a ele, de forma pessoal. Um assessor nomeado em seu gabinete pode representá-lo em funçõess burocráticas, mas não pode exercer funções que só cabem ao detentor do mandato. A questão não é a autoria do discurso do represntgante. O filho do deputado poderia ter participado do evento, e até falado, mas como filho do deputado, nunca como representante dele. E da forma como foi dito na matéria, era como se o deputado estivesse presente – representado pelo filho. E não estava. Não precisava ser citado na matéria.

  4. Replica: caro jornalista apos ter lido sua resposta diversas vezes, me convenco de que nao encontrarei resposta! E o nepotismo mencionado de forma temorosa? Outra: de forma alguma disse que florencio neto e deputado, alias disse que ele nao poderia exercer tal papel. Outrossim, me convenco da interpretacao alienigena a qual me referir. Por fim, encerro com a pergunta, se caso um deputado nao possa comparecer em um evento oficial e nem se fazer susbstituir por outro representante legal, e melhor ausentar-se? Apure os fatos antes de publicar.

    resp.: Você mesmo dá a resposta; Se um deputado não pdoe comparecer, ele simplesmente nãpo pode comparecer. Há outros membros de comissão que podem ser chamados. Se ele não esteve lá, não precisaria ser citado como se tivesse (representado pelo filho, mais absurdo ainda).

  5. no MA tudo pode……………………………….

    até boi voar……….

  6. Isso é putaria, isso sim. O que é mais absurdo é que dois deputados permitam o uso da palavra por um estranho às ostes da Assembléia Legislativa. Mas também esse dois playzinhos não sabem de nada. Mal sabem ler e assinar o nome.

  7. Com certeza o dep esta copiando a governadora. Ela foi eleita mas escolheu luis fernando para governar

  8. ISSO MOSTRA O TIPO DE DEPUTADO QUE ESTA NOS REPRESENTANDO ESSE CARA É UM IMCOPETENTE NÃO SABE DE NADA DE POLITICA VAI SER MAIS UMA DECEPÇÃO PARA O POVO DE BACABAL !!

  9. “…Último a se pronunciar, Florêncio Neto observou que o pai, deputado Carlinhos Florêncio foi quem iniciou o debate nessa legislatura. Lembrou ainda que acompanha a dificuldade de alguns povoados em receber atendimento [educação, saúde e entre outros] por conta da distância do município sede, como é o caso de Paiol do Centro…” (Trecho da reportagem exibida pelo portal da assembléia legislativa do maranhão)

    Caro jornalista Marco Aurélio Deça,
    Venho pedir a você um jornalismo mais esclarecido e uma matéria mais fiel aos verdadeiros fatos da qual você manifestou interpretação “alienígena” ao que de concreto aconteceu no evento pro emancipação dos municípios do Estado do Maranhão.
    Primeiramente, sabendo da sua inteligência e sua capacidade, peço licença para poder explicar o significado de representação: Ato ou efeito de representar.Exposição, exibição de idéias.
    Nobre jornalista, o Deputado Carlinhos Florêncio ao se fazer representar pelo seu filho é como se presente estivesse no feito. Ou seja, Florêncio Neto (filho do deputado) explanou idéias das quais seu pai (Dep. Carlinhos Florêncio) defende na legislatura (2011/2014), em nenhum momento, pela reportagem exibida no portal da Assembléia Legislativa do Maranhão a menção de que o pronunciamento feito por Florêncio Neto seja de idéia autônoma ou própria dele como vossa matéria tenta empregar. Outrossim, Florêncio Neto ao se pronunciar levou palavras da qual o Deputado também faria utilização.
    Marco Deça, você menciona sobre a possibilidade de Nepotismo, isso é temeroso, visto que o referido termo ocorre quando parentes (ou amigos próximos) em detrimento de pessoas mais qualificadas, ocupam cargos. Florêncio Neto jamais poderia ocupar o cargo de deputado, e no caso em tela somente representou o pai(sem onerosidade alguma para a admnistração pública), melhor não deixou de se fazer representar em um evento de tão importância para aqueles buscam a emancipação e principalmente para o Estado do Maranhão. Repito: Florêncio Neto levou idéias de qual o Deputado defende e compartilha e em nenhum momento proferiu idéias próprias. Analogia: No mundo jurídico as pessoas se fazem representar por seus advogados ou procuradores.
    Peço um pouco mais de responsabilidade e serenidade as interpretações que o blogueiro faz em seu portal.

    resp.: Sua retórica de nada esclarece, meu caro. O Florêncio Neto não foi eleito, portanto, não tem autoridade para representar um deputado estadual em evento de representação oficial da Assembléia. Pior ainda: nem deveria ter sido citado na matéria do portal oficial da Casa.
    O Florêncio Neto poderia participar do evento, como qualquer cidadão, mas não como represenante oficial do deputado – e, por via de consequência, da própria Assembléia. Mandato não é título de nobreza, que se passa de pai para filho. Um filho pode representar um pai em qualquer evento. Mas um filho não pode representar o pai como deputado. E o que a mátéria diz, claramente, é que Carlinhos Florêncio estava presente, representado pelo filho, Florêncio Neto. E não estava. Se o deputado não foi, ele não deveria ter sido citado.
    As idéias de Florêncio Neto podem ser as mais nobres possíveis, podem até ser as mesmas do pai, mas ele não tem o direito de representar o pai como deputado estadual. E é isso que está dito na matéria – Que Florêncio Neto representou Carlinhos Florêncio.
    E é pior ainda quando você mesmo diz que o “Florêncio Neto não proferiu idéias próprias”. Ora, se as idéias que ele proferiu são do Carlinhos Florêncio, então porque Carlinhos Florêncio não estava lá, cumprindo seu dever de deputado estadual? O povo elegeu foi ele, não o seu filho.
    Outra gravidade: em momento algum você pelo menos tenta negar que ele estivese representando o pai. Pelo contrário, você reafirma isto o tempo todo, como se fosse normal. Não é, meu caro. É usurpação de prerrogativas.
    Deputado não tem procurador. A eleição é pessoal e intransferível.

  10. E o advogado Marco Aurélio, que representa a esposa-deputada Valéria Macedo em tudo que é reunião???Ele até já é chamado de novo “deputado 43”.

    resp.; Na verdade, não é só o Florêncio. tem a Valéria macêdo e a Francica Primo, cujo marido, marcos Primo, é quem fala por ela nas reuniões de deputados. Isto é usurpação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *