5

Exemplo do fosso cultural entre Brasil e Europa…

Concluída desde agosto do ano passado, a Ponte Estaiada sobre o Rio Oiapoque, no Amapá, é um exemplo de como o Brasil trata com descaso as suas obras, das mais simples às mais importantes.

E uma vergonha, diante da ação sempre ágil e eficaz da Europa.

Iniciada em 2008, em convênio assinado pelos então presidentes Luís Inácio Lula da Silva e Nicolas Sarkozy, a ponte liga o Brasil à Guiana Francesa.

O governo francês cumpriu a sua parte no acordo antes mesmo da construção da ponte, fazendo as estradas de acesso e o posto de imigração previstos no projeto.

Do lado brasileiro, a BR-156, que leva à ponte, ainda é apenas um caminho de terra, e o posto de imigração funciona numa espécie de “puxadinho”.

Para corrigir a demora, o Governo Federal decidiu repassar ao Amapá R$ 7,3 milhões para a conclusão das obras, com previsão de entrega para 2013.

Até lá, a ponte continuará servindo apenas de cartão-postal.

A travessia de um lado a outro ainda é feita por barcos…

Com informações da revista Exame

Marco Aurélio D'Eça

5 Comments

  1. Meu caro Marcos Deça, a cultura sempre foi levada na brincadeira em todo o Brasil. Gostaria até de alertar o descaso como o Governo do Estado e a Prefeitura de São Luís vem tratando o Festival Guarnicê de Cinema. À 20 dias do Festival acontecer e não tem nenhum dos dois como parceiros deste que é o 4º Festival Mais antigo do País, isso se você levar em consideração que São Luís completa 400 anos e o Festival irá trazer nomes de expressão internacional para prestigiar o festival e nossa Cidade. Se eles não conseguem tratar com seriedade o Festival Guarnicê que completa 35 anos e deveria fazer parte das comemorações oficiais dos 400 anos, imagina o que iram fazer com suas programações oficiais? É realmente uma falta de vontade política e de gestão.

  2. Como todos sabemos, a diferença entre o Brasil e os países da Europa é enorme, diria até que é incomensuravel porém tenho que ser realista, a tendência é que essa diferença aumente a cada dia que passa, isso porque enquanto na Europa os países são normalmente pequenos, territorialmente falando, o nosso país tem dimensões continentais e, embora não entenda muito de política, acho que a solução para que nosso país melhorasse, seria a divisão em repúblicas a exemplo do que aconteceu na antiga União Soviética.

  3. Uma das grandes diferenças dos países desenvolvidos para os subdesenvolvidos com o nosso é o planejamento.
    Fazer o projeto em detalhes antes, orçar o valor correto e executar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *