0

Braide amarga na Maria Aragão o mesmo que o povo sofre nos bairros…

Com comunidades espalhadas por São Luís inteira amargando alagamentos quase diários resultantes das chuvas que ocorrem todo ano, prefeito de São Luís – que vai gastar mais de R$ 3 milhões com shows neste São João – experimentou na própria pele o que sofrem os moradores dessas comunidades no dia dia sem infraestrutura adequada

 

A Praça Maria Aragão inundou durante a festa de São João da prefeitura; o bairro do Coroado sofre isso há 320 anos, diante do descaso da mesma prefeitura

Editorial

A imagem acima, publicada no blog do jornalista Domingos Costa, foi registrada na noite desta quinta-feira, 6, na segunda noite do Arraial da Praça Maria Aragão.

O prefeito Eduardo Braide (PSD) – que anunciou mais de R$ 3 milhões em shows durante as festas juninas – sentiu, pela segunda noite seguida, o que sentem moradores de diversas comunidades de São Luís, vítimas do alagamento causado pelas chuvas, por falta de drenagem nos bairros.

Estes R$ 3 milhões gastos no São João, por exemplo, dariam para fazer o serviço do bairro do Coroado pelo menos 15 vezes, como já mostoru este blog Marco Aurélio d’Eça, no post “Solução para alagamento no Coroado custa menos de R$ 200 mil…”.

É triste para a cultura maranhense ver um palco como este debaixo d’água por falta de infraestrutura adequada.

Mais triste ainda é ver populações inteiras perder tudo o que têm pelo descaso do poder público.

Ano após ano…

0

Atletas denunciam descaso da prefeitura em competição dela própria…

Aluno que disputava partida dos Jogos Escolares de São Luís quebrou a perna no Ginásio Costa Rodrigues e foi obrigado a espera por mais de uma hora, até ser carregado por colegas e professores, diante da ausência de ambulância obrigatória no local

 

Alunos e professores carregam estudante machucado em competição sem ambulância

A sequência de vídeos que ilustra este post mostra o descaso da gestão do prefeito Eduardo Braide (PSD) também no setor do esporte em São Luís.

As imagens mostram aluno que se machucou gravemente em competição dos Jogos Escolares de São Luís (JELS) e teve que esperar por mais de uma hora no Ginásio Costa Rodrigues até ser carregado e levado em um carro particular para o hospital, simplesmente por que não havia nenhuma ambulância disponível no local.

Os próprios colegas, técnicos e professores tiveram que carregar o estudante até o carro; prefeitura não disponibilizou equipe de saúde nos jogos

Olha aí prefeitura, o aluno saindo carregado de dentro da quadra… qual zelo vocês têm pelos nossos jovens?”, perguntou um dos espectadores da partida.

Para ser levado hospital, o aluno precisou de um carro particular, por falta de ambulância

Outro vídeo mostra o estudante já do lado de fora do ginásio, sendo levado ao hospital em uma caminhonete cedida por um dos acompanhantes da partida.

Os Jogos Escolares de São Luís são promovidos pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer…

4

Inácio Melo alerta sobre descaso das operadoras de ferry boat

Consultor e pré-candidato a deputado estadual lamentou a quantidade de veículos à espera da balsa, com cargas perecíveis e sem resposta das empresas, que não oferecem condições para os passageiros

 

Inácio Melo mostrou em suas redes sociais sua preocupação com os ferryboats

O consultor empresarial Inácio Melo foi testemunha da situação de abandono das operações de ferry-boat que fazem a travessia para a Baixada Maranhense.

Pré-candidato a deputado estadual pelo PDT, Melo esteve na região do Itaqui para uma vagem a São Bento, quando se deparou com  cera de 50 veículos atravessados na via. 

– A revolta era grande e a prestadora de serviço n~;ao tinha mais ferrys à disposição da população, que precisava viajar – constatou o empresários.

Segundo ele, o mais grave é que, na fila de espera haviam crianças, idosos e trabalhadores com caras perecíveis.

Inácio Melo fez o alerta em suas redes sociais; governo e operadores não se manifestaram sobre o problema…

2

Sobre o CER TEA e políticas públicas para os autistas do Maranhão

 

Por Poliana Silva Gatinho*

Hoje (ontem, terça-feira, 11) foi a inauguração do Centro de Referência especializado para pessoas com TEA (CER TEA). Faz meses que aguardo ansiosamente esse dia, por que pensei em levar algumas dúvidas minhas e de muitas mães Maranhão a fora que clamam por políticas públicas que realmente contemplem a necessidade de nossos filhos.

O cerimonial do governador no alto de sua arrogância não me deixou falar, porque políticos tem dessas coisas. Em tempo de eleição entram em nossas casas, tomam nosso café, mufam nossa farinha, nos ouvem atentamente entre abraços e declarações de amor. Quando ganham ficam inacessíveis, blindam- se no cargo que ocupam temporariamente e deixam de ouvir uma mãe que tem direito legítimo de expor seus anseios.

As políticas existem para as pessoas e não adianta fazer cerimônia cheia de autoridades, se não se ouve quem mais tem autoridade no assunto para falar: nós mães que estamos dia a dia na luta, nos dando as mãos, tentando nos ajudar mutuamente enquanto os políticos e toda a sociedade dá um tapinha nas nossas costas, chama de mãe azul, mãe guerreira , heroína e afins e se vai, como se realmente tivéssemos o super poder de conseguir tudo que nossos filhos precisam.

Não, sociedade, não somos heroínas.

Somos mães que lutam todos os dias para termos direitos básicos de nossos filhos respeitados, como o acesso a escola regular, as terapias adequadas e até mesmo o direito de ir e vir que muitas vezes nos é retirado por não conseguirmos sair de casa devido aos comportamentos que eles podem apresentar nos locais e sermos “gentilmente” convidadas a nos retirar por que os nossos filhos atrapalham.

Governador Flávio Dino, prédios bonitos e equipados são necessários, mas precisamos de transparência nessa fila que ninguém sabe onde está. Precisamos de investimento em capacitação não apenas do ponto de vista clínico, mas também nas escolas e por todo o Maranhão. Precisamos de capacitação para pais e familiares por todo o Maranhão. Eles passam mais tempo com o autista e se receberem a orientação adequada poderão melhorar muito a qualidade de vida de seus filhos.

Conheço casos de autistas no interior do Maranhão que tomam 5 remédios associados e estão fora da sala de aula porque não param de correr, a médio e longo prazo. Essa superdosagem de remédios poderá acarretar outras coisas.

Precisamos de atendimento sem restrição de idade. Os autistas crescem e não podem ficar isolados em casa.

Os governantes precisam entender que tem que ouvir as pessoas, não só quando estão precisando de votos, mas principalmente para elaborar políticas efetivas para quem precisa. Faltou humildade hoje para o governador do Maranhão e seu cerimonial em dar oportunidade a uma mãe que luta todos os dias para melhorar o mundo em que seu filho vive representando muitas mães com os mesmos anseios.

Não sou política, não quero ser famosa, não usaria nunca a necessidade do meu filho para fins próprios.

Desde que João nasceu eu disse a ele que esse mundo era legal, era bom, que tinham dificuldades, claro, mas que ia fazer tudo que fosse possível e até mesmo o impossível pra ele crescer num mundo mais justo e digno, e é isso que farei até enquanto eu respirar.

Não nasci pra jogar confetes em ninguém.

Eu sou uma cidadã consciente dos meus direitos e os do João e sei lutar por eles acima de qualquer bandeira política. Continuarei buscando, questionando ao mesmo tempo que me ponho à disposição para ajudar em tudo que for necessário para que os autistas no Maranhão tenham de fato todas as políticas públicas que tanto necessitam.

Parabéns ao governo pela entrega do CER TEA.

É um início importante. Seguimos na luta…

*Mãe do João Lucas, autista, 3 anos de idade

0

Descaso na saúde dinista: pacientes hipertensos e diabéticos ficam sem assistência

Unidade referência para a assistência de pacientes destes perfis são colocados em segundo plano pela pasta do Governo do Maranhão.

Unidade considerada referência foi desativada sem qualquer explicação pelo Governo de Flávio Dino

De O Estado

O Centro de Medicina Especializada (Cemesp), que teve o atendimento suspenso desde 17 de dezembro, passaria a funcionar no Centro de Especialidades Médicas e Diagnóstico Dr. Luiz Alfredo Netto Guterres (CEM), conhecido popularmente como Pam-Diamante, a partir desta quarta-feira (2), conforme anunciado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). No entanto, pacientes que buscaram pelo serviço foram surpreendidos pela informação dada pelos funcionários do CEM Diamante de que o atendimento estará disponível somente a partir de segunda-feira (7). A incerteza quanto ao futuro deixou pacientes preocupados.

O Cemesp, que funcionava desde 2015 no Bairro de Fátima, era uma unidade de referência no tratamento de pacientes com diabetes, hipertensão e outras doenças crônicas, da capital e interior do estado. Os serviços, suspensos há 18 dias, quando os funcionários entram em recesso de fim de ano, têm prejudicado quem necessita de atendimentos especializados. O vigilante Vanderlan Santos, que procurou o centro na manhã de ontem para realizar curativos, teve de buscar outra solução.

“Eu moro no Maracanã. Saí de casa às 7h para fazer um curativo, que preciso renovar a cada dois dias. Como eles informaram que a partir de hoje funcionaria no Pam-Diamante. Fui lá, mas disseram que só na segunda-feira. Vim ao Bairro de Fátima e também não tem atendimento. Vou precisar ir a uma UPA ou um posto de saúde para renovar o curativo, porque precisa fazer raspagem e não dá para fazer em casa”, contou.

Para a Associação dos Diabéticos do Maranhão (Adima), a situação é lamentável e preocupante para quem necessita dos atendimentos, devido à superlotação de demais hospitais e unidades médicas do estado. Além disso, a suspensão dos atendimentos no Bairro de Fátima não foi informada de forma oficial à associação ou aos pacientes, apenas àqueles que procuraram o centro, fato reivindicado pelo presidente da Adima.

O Estado manteve contato com o Governo do Estado, por meio da Secretária de Estado da Saúde e, em nota, foi informado que o Cemesp passou a atender no Centro de Especialidades Médicas e Diagnóstico Dr. Luiz Alfredo Netto Guterres – CEM Diamante. A SES informou, ainda, que iniciou ontem (2), os atendimentos de emergência dos pacientes, com distribuição de insulina e realização de curativos. Por fim, a SES frisou que, a partir do dia 7, iniciará o agendamento de consultas do referido serviço no CEM Diamante.

SAIBA MAIS

O Centro de Medicina Especializada (Cemesp) funcionava como referência estadual em diabetes e hipertensão e os pacientes recebiam atendimento especializado em cardiologia, endocrinologia adulto e pediátrica, nefrologia, gatroenterologia, oftalmologia, odontologia, nutrição, pneumologia, reumatologia, dermatologia, ortopedia, angiologia, clinica médica e cirúrgica, neurologia, psicologia, enfermagem, serviço Social. E dispunha de serviços de: eletrocardiograma, espirometria, mapa, holter, teste ergométrico, ecocardiograma, ecodopler, fotocoagulação a laser, retinografia simples, exames laboratoriais.

5

Imagem do dia: e assim continua o Coroado…

Após milhões e milhões de reais gastos pelas gestão de João Castelo e Edivaldo Júnior, em serviços paliativos, comunidade continua a sofrer com violentos  alagamentos, ano após ano, que o humilha o cidadão e agride a dignidade

 

A lamentável situação de 40 anos do Coroado, cujas autoridades passam ao largo

Foram muitos milhões gastos na gestão do ex-prefeito João Castelo (PSDB). (Leia aqui, aqui, aqui e aqui)

Outros milhões também foram gastos na gestão de Edivaldo Júnior, com serviços paliativos. (Leia aqui e aqui)

Mas, até hoje, ninguém consegue resolver o problema daquela comunidade, que sofre com os alagamentos constantes, como mostra esta imagem, feita logo após as chuvas do início da noite de ontem.

Leia também:

Coroado pela enésima vez embaixo d’água…

Cansados de esperar, moradores põem a mão na massa no Coroado…

Alagado, bairro do Coroado serve de circuito de Jet Ski…

Entra ano e sai ano e sempre que chove é esta problemática, que já dura 47 anos.

Durante a campanha de 2016, praticamente na véspera do segundo turno, a gestão de Holandinha finalmente apareceu em algumas ruas para reforçar o asfalto, sem fazer o principal, que é a drenagem. (Relembre aqui)

Lamentável ver o abandono daquela comunidade…

4

Parlamentares questionam descaso de Flávio Dino com Centro de Hemodiálise de Chapadinha…

Hildo Rocha  Andrea Murad lamentaram o fato de o governador ter recebido uma estrutura pronta para a Saúde e, mesmo assim, a desmontou por completo, incluindo o centro de hemodiálise do município

 

Hildo e Andrea viram o abandono da obra em Chapadinha pelo governo Flávio Dino

Ao assumir o governo do Maranhão, em janeiro de 2015, o governador Flávio Dino encontrou uma série de obras espalhadas por todo o estado. Dois a nos se passaram e a obra não avança.

Na área da saúde pública não é diferente. Neste setor, Dino coleciona fracassos retumbantes. Um dos casos mais emblemáticos é a paralisação do Centro de Hemodiálise de Chapadinha.

– Quando Flávio Dino assumiu o governo, a terraplenagem já estava pronta; os pré-moldados para a edificação do prédio já estavam no local da obra; o poço artesiano, que foi perfurado para atender exclusivamente a unidade já estava em condições de uso e, o mais importante, os recursos já estavam assegurados por meio de convênio firmado com o BNDES – destacou a deputada estadual Andrea Murad (PMDB).

De acordo com o deputado federal Hildo Rocha, o governador não conclui a obra por falta de sensibilidade.

– Infelizmente o povo maranhense está sofrendo pela insensibilidade, pela irresponsabilidade de Flávio Dino. Vou exigir que o BNDES faça com que o governador conclua essa obra no prazo máximo de cinco meses – afirmou Rocha.

Se, os recursos existem; a obra foi iniciada e a sua conclusão pode ser feita em tão curto espaço de tempo, cabe apenas uma pergunta: afinal, o que impede Flávio Dino de concluir o Centro de Hemodiálise de Chapadinha?

0

Eduardo Braide vai inspecionar obras do aeroporto…

Comissão da Assembleia Legislativa atende a requerimento do parlamentar e vai vistoriar a que pé anda a duplicação do terminal

 

Briade já esteve com outros colegas, por várias vezes, observando as intermináveis obras do aeroporto

Braide já esteve com outros colegas, por várias vezes, observando as intermináveis obras do aeroporto

A Comissão de obras e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa fará uma vistoria, na tarde desta terça-feira, 22, nas obras de ampliação do Aeroporto do Tirirical, em São Luís.

A inspeção atende a requerimento do deputado estadual Eduardo Braide (PMN), que tem dedicado o mandato à melhoria da chegada à capital maranhense, seja por terra ou por ar.

Braide não entende, por exemplo, que o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) nunca tenha se manifestado a respeito dos problemas enfrentados, tanto na BR-135 quanto no aeroporto, o que foi tema, inclusive, de debate durante a campanha eleitoral.

Na vistoria desta terça-feira, os parlamentares irão verificar instalações e serviços no terminal de passageiros – que, mesmo ultrapassados os prazos de conclusão – ainda não foram entregues.

A vistoria está marcada para as 15h…

0

Andrea pede informações e denuncia que hospital de Santa Inês foi inaugurado sem oxigênio…

Andrea questionou ações no macrorregional

Andrea questionou ações no macrorregional

A deputada Andrea Murad apresentou à mesa diretora da Assembleia Legislativa um requerimento pedindo informações sobre o funcionamento do Hospital Macrorregional de Santa Inês quanto ao sistema de regulação de leitos e disponibilidade de oxigênio.

No último fim de semana, o paciente Carlos Alberto, vítima de AVC, foi levado para a unidade e não recebeu atendimento porque o sistema de regulação não estava funcionando.

O fato revoltou a população da região. Andrea Murad criticou ainda a nota que o governo emitiu sobre o caso.

oxigenioHaja vergonha para vir defender uma imoralidade dessas. Portas do hospital fechadas, não pode atender porque o sistema de regulação não está funcionando e aí vem o governo dizer que o hospital não tem o serviço de urgência e emergência. V. Ex.ªs já viram a nota da Secretaria de Estado da Saúde? A Secretaria de Estado da Saúde lamenta o óbito do paciente Carlos Alberto e informa que o paciente citado estava internado no hospital municipal de Santa Inês sob a responsabilidade da unidade…’ Aí botou a culpa toda no hospital municipal de Santa Inês. O Ricardo Murad entregou o hospital com 95% das obras e no projeto original tinha sua urgência e emergência e esse governo tirou. De acordo com Ricardo Murad que idealizou o projeto, todo hospital de alta complexidade dessas regiões teria uma Unidade de Pronto Atendimento de Urgência e Emergência”, explicou Andrea Murad.

A parlamentar quer saber em quais condições a unidade foi inaugurada pelo governo Flávio Dino, devido às denúncias, vídeos e áudios que circulam na imprensa sobre o não atendimento do paciente Carlos Alberto e também pela falta do oxigênio, que só foi instalado nesta segunda-feira (19).

0

Uma semana após passagem da “multidão” de Edivaldo, feira desaba na Vila Fialho…

Falta de manutenção da Prefeitura de São Luís levou ao desmoronamento do telhado do mercado; Gestão de Holandinha já foi condenada pela Justiça a reformar todas as feiras da capital, mas ignora a decisão

 

Estado em qeu ficou a feira após desabamento do telhado

Estado em qeu ficou a feira após desabamento do telhado

Na semana passada o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) levou uma “multidão” de aliados e auxiliares à região da Vila Fialho, para uma caminhada de campanha.

Passou, inclusive, pela feira do bairro, abandonada pela Prefeitura de São Luís em sua gestão.

Na tarde desta segunda-feira, o telhado do mercado não aguentou o descaso da gestão de Edivaldo e foi abaixo, gerando forte risco aos feirantes e consumidores no local.

As feiras e mercados da capital sofrem o abandono da gestão de Holandinha desde 2013.

Há, inclusive, uma decisão judicial para que a prefeitura reforme as feiras, segundo revelou o candidato do PMN, Eduardo Braide, durante a Sabatina do jornal o Estado com os candidatos a prefeito. (Releia aqui)

A multidão de Holçandinha na Fialho; eles viram o estado da feira?!?

A multidão de Holçandinha na Fialho; eles viram o estado da feira?!?

Não é a primeira vez que o telhado de uma feira vem abaixo na gestão de Edivaldo.

Em 2014, o telhado do Mercado do Anil também desabou, por falta de manutenção da prefeitura. E só foi reformada após pressão da vereadora Rose Sales, hoje candidata do PMB à prefeitura. (Relembre aqui)

Assim como as feiras do Anil e da Fialho várias outras estão em situação de calamidade.

E também podem vir abaixo até o fim da gestão do pedetista…