1

Rubens ameaça Duarte no mesmo nicho eleitoral…

Candidato do PCdoB disputa o mesmo nicho eleitoral do republicano e divide com ele a condição de candidato do Palácio, com a diferença que usa abertamente a imagem de Flávio Dino, enquanto o outro se contenta com Carlos Brandão

 

Duarte Júnior teve que se contentar com o vice, Carlos Brandão, enquanto Rubens Júnior tem o governador Flávio Dino; mas os dois disputam o mesmo nicho político-eleitoral

Análise de conjuntura

A pesquisa da Econométrica divulgada nesta quarta-feira, 30, mostrou uma realidade diferente para o candidato do Republicanos, Duarte Júnior, até então isolado na segunda posição da disputa pela Prefeitura de São Luís.

Além de perder esta condição após empate rigoroso com o candidato democrata Neto Evangelista (10,8% contra 10,6%, respectivamente), Duarte viu o candidato do Palácio dos Leões, Rubens Júnior (PCdoB), avançar para 6% das intenções de votos.

Em que pese os interesses da pesquisa Econométrica, esse percentual de Rubens é sinal de alerta para Duarte pelo fato de os dois candidatos atuarem no mesmo nicho político-eleitoral, a partir do Palácio dos Leões.

Tanto o republicano quanto o comunista reivindicavam, antes do início da campanha, a condição de candidato do governador Flávio Dino (PCdoB), mas foi Pereira Júnior quem ganhou essa condição, ainda que contra a vontade do próprio Dino.

Coube a Duarte Júnior contentar-se em ser o candidato do vice-governador Carlos Brandão; mas o nicho é o mesmo: o entorno do Palácio dos Leões.

Por isso é que nesta briga pelo terceiro lugar Neto Evangelista (DEM) acaba se distanciando dos dois, por que não pode ser incluído na conta de candidato eminentemente palaciano.

Neto é do DEM e está coligado com PDT, PSL, PTB e MDB, partidos que hoje gravitam em torno do senador Weverton Rocha (PDT), protagonista de outro projeto de poder.

O candidato democrata, portanto, atua em outro nicho político-eleitoral; e seus votos saem de outra estrutura de poder que não a do Palácio dos Leões.

Duarte Júnior, candidato número 2 do Palácio, portanto, terá que resistir ao avanço do candidato palaciano número 1, Rubens Pereira Júnior.

E nesta guerra pode acabar ficando para trás da disputa principal, pelo segundo turno…

Marco Aurélio D'Eça

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *