0

Como é e como funciona o consórcio de candidatos de Flávio Dino…

Por mais que o governador e os próprios postulantes neguem, a movimentação de secretários e de aliados em torno de várias candidaturas indica que há, sim, uma lista de nomes do Palácio dos Leões com projetos e missões específicas nas eleições da capital maranhense

 

Três dos candidatos do consórcio dinista: Neto Evangelista, Rubens Júnior e Duarte Júnior; a missão de todos é impedir a vitória de Eduardo Braide

O que têm em comum os pré-candidatos a prefeito de São Luís Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Duarte Júnior (Republicanos), Carlos Madeira (Solidariedade), Neto Evangelista (DEM), Bira do Pindaré (PSB), Dr. Yglésio (Pros) e Jeisael Marx (Rede)?!?

Resposta: todos eles são ligados ao governador Flávio Dino (PCdoB); e, de uma forma ou de outra, recebem apoios ou estímulos do Palácio dos Leões e de auxiliares do governo.

É, portanto, um consórcio de candidatos estimulado pela base governista, embora os próprios candidatos detestem esta definição.

Há um grau de importância dentro do consórcio – exatamente na ordem descrita acima – e uma espécie de missão tácita determinada a cada um dos candidatos, de acordo com sua importância dentro do grupo.

Pereira Júnior, Duarte Júnior e Madeira, por exemplo, são os escolhidos pelo Palácio como preferidos para um eventual segundo turno.

Neste grupo entra também Neto Evangelista, que é o preferido de um subgrupo governista, liderado pelo senador Weverton Rocha (PDT); e, mais atrás, Bira do Pindaré, que, embora desgastado com Flávio Dino, ainda tem simpatizantes e aliados na base, a ponto de lutarem por apoios ao seu projeto.

Dr. Yglésio e Jeisael Marx são os chamados pontas-de-lança, aqueles que cumprirão missões específicas durante do pleito, embora tenham liberdade para tentar viabilizar seus próprios projetos.

Oura característica do consórcio de candidatos de Flávio Dino é a proteção à gestão de Edivaldo Júnior (PDT).

Durante a campanha, o eleitor dificilmente verá deste grupo ataques ao prefeito, salvo interesses próprios de um ou de outro no decorrer do processo.

E assim funciona, tacitamente, o consórcio de candidatos de Flávio Dino, com cada qual no seu quadrado e todos por um objetivo comum: evitar a vitória do deputado federal Eduardo Braide (Podemos) e a ascensão da oposição na capital.

Assim será na campanha…

0

“Esse projeto é do povo”, diz Wellington sobre candidatura…

Deputado mostra-se entusiasmado com resultado da pesquisa Prever, que o coloca entre os candidatos com chance de chegar ao segundo turno; mas a mesma pesquisa mostra que, sem ele, Eduardo Braide tem mais chances de vencer em primeiro turno

 

Wellington do Curso e Roberto Rocha vão ter que conversar de novo: um vê o copo metade cheio; o outro, metade vazio

Ainda lutando no partido pela candidatura a prefeito de São Luís – e bem posicionado na pesquisa do Instituto Prever – o deputado Wellington do Curso (PSDB) mandou um recado direto ao senador Roberto Rocha, comandante do PSDB.

– Agradeço a cada ludovicense pela confiança. Esse projeto é de vocês. Esse projeto é do povo – disse ele, em suas redes sociais, lembrando que ficou em terceiro ou segundo lugar, dependendo do cenário.

Mas no recado a Rocha, Wellington ignorou o fato de que, sem ele na disputa, o deputado Eduardo Braide vence as eleições em primeiro turno, com mais de 53% dos votos.

E é exatamente este o argumento de Rocha para tentar levar o PSDB para Braide. 

Em 20 de janeiro, o blog Marco Aurélio D’Eça repercutiu entrevista de Roberto Rocha ao jornal O EstadoMaranhão, em que o senador evidenciou sua estratégia para evitar um segundo turno contra as máquinas do governo e da prefeitura.

– Segundo turno em São Luís contra duas máquinas, estado e prefeitura, é complicado. Dessa forma, o olhar político pode transcender as necessidades partidárias – declarou Rocha. (Leia a íntegra aqui)

A declaração irritou Wellington, que chegou a ameaçar trocar de partido.

Próximo ao fim do prazo para troca partidária, o deputado recebeu a anuência do senador tucano para representar a legenda nas eleições.

Mas a pesquisa Prever mostra que sua candidatura – agora já não mais consolidada em segundo lugar – pode significar exatamente as duas máquinas contra Eduardo Braide.

Seria este o projeto do povo, Wellington?!?

2

Pós-pandemia mantém Eduardo Braide favorito em São Luís

Interrupção de mais de três meses nas articulações de rua e no debate pré-eleitoral favoreceu o deputado federal que lidera a corrida em São Luís; quatro adversários ainda tentam se credenciar para um eventual segundo turno

 

Passado o clima mais pesado da pandemia de coronavírus em São Luís a campanha eleitoral pela prefeitura começa a dar sinais de reaquecimento.

Mas o cenário mantém-se praticamente inalterado, com o deputado federal Eduardo Braide (Podemos) na mesma posição de favorito registrada antes da pandemia.

Líder em todas as pesquisas de intenção de votos, Eduardo Braide segue com possibilidade de vencer em primeiro turno na pós-pandemia

Ao que parece, o movimento dos pré-candidatos na pós-pandemia é para garantir a condição de adversário de Braide em um eventual segundo turno; neste aspecto, despontam três candidatos principais e um quarto, que pode ocupar o espaço dependendo do cenário.

O deputado estadual Duarte Júnior (Republicanos) já apareceu em segundo lugar nas intenções de votos, segundo pesquisas divulgadas no início do ano; e deve reunir estrutura partidária capaz de mantê-lo entre os favoritos.

O também deputado Neto Evangelista (DEM) terá tempo de TV e estrutura partidária, além da força da militância do PDT na capital maranhense, o que lhe garante força eleitoral.

Junta-se aos dois o deputado federal Rubens Pereira Júnior (PCdoB) que – embora apresente apenas traço nas pesquisas – tem a força do Palácio dos Leõe e a capacidade de atração de apoios, inclusive o do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), que, se confirmado, como o blog Marco Aurélio D’Eça aponta desde 2019, será o gesto mais significativo do primeiro turno.

A base do governo Flávio Dino tem três candidatos com chances de levar o pleito ao segundo turno: Neto Evangelista, Rubens Júnior e Duarte Júnior

Além dos três principais candidatos da base do governo Flávio Dino (PCdoB), apenas o ex-juiz federal Carlos Madeira (Solidariedade) parece despontar no período pós-quarentena em condições de brigar por um eventual segundo turno.

Além do histórico de vida pessoal e profissional, Madeira demonstrou nos últimos dias capacidade de atrair apoios políticos e sociais de peso, incluindo aliados dos próprios adversários.

Apesar da postura professoral, Carlos Madeira tem apoios estruturais e partidários que podem levá-lo a brigar pelo segundo turno

A campanha em São Luís registra, além destes cinco, pelo menos mais oito pré-candidatos.

Mas a maioria do pelotão de baixo ainda carece de conhecimento do grande público, se vê às voltas com fragilidade partidária, ou sequer tem chapa para postular a candidatura.

E sem a capilaridade pessoal e a estrutura necessária podem virar meros coadjuvantes e bobos da corte, fadados ao fracasso ainda na pré-campanha.

Ou mesmo servir de “laranja” para as “candidaturas principais” da base governista, interessadas na desconstrução do favorito.

O que, aliás, se tornou praxe nos últimos pleitos…

0

Marina Silva declara apoio a Haddad..

Ex-candidata a presidente reconhece o momento crítico do país, o risco que a democracia corre e, mesmo com críticas ao candidato do PT, reconhece que ele é o melhor caminho para o país se manter livre

 

Marina ao lado de Haddad em um dos debates do primeiro turno: apoio crítico contra a banalização do mal

Na reta final do segundo turno, a ex-candidata a presidente pela Rede Sustentabilidade, Marina Silva, declarou apoio nesta segunda-feira, 22, ao candidato do PT, Fernando Haddad.

Marina faz críticas duras ao PT – sobretudo pela incapacidade de fazer sua mea culpa – mas reconhece que, dentre as opções que estão em jogo, Haddad é infinitamente melhor que a opção pelo autoritarismo e pelo risco à democracia.

– Diante do pior risco iminente de ações que, como diz Hannah Arendt, “destroem sempre que surgem”, “banalizando o mal”, propugnadas pela campanha do candidato Bolsonaro, darei um voto crítico e farei oposição democrática a uma pessoa que, “pelo menos” e ainda bem, não prega a extinção dos direitos dos índios, a discriminação da minorias, a repressão aos movimentos, o aviltamento das mulheres, negros e pobres, o fim da base legal e das estruturas da proteção ambiental, que é o professor Fernando Haddad – disse Marina, em um longo texto publicado na internet.

Com o apoio de Marina, Haddad reúne três dos candidatos de centro-esquerda que disputaram o primeiro turno.

6

Após reunião, Roseana decide apoiar Bolsonaro…

Roseana declarou apoio a Bolsonaro

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) decidiu nesta segunda-feira, 16, declarar apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

Sua decisão chancela as declarações anteriores, do deputado Adriano Sarney (PV) e do ex-secretário Ricardo Murad (PRP).

A decisão de Roseana foi tomada após reunião com familiares e aliados, mas ela não explicou como se dará o apoio, se com campanha ostensiva ou apenas voto formal.

O segundo turno acontece em 28 de outubro…

2

Maura Jorge é destacada como única representante de Bolsonaro no Maranhão

Ex-candidata a governadora participou de reunião no Rio de Janeiro com os apoiadores oficiais do candidato a presidência em todo o país, e foi destacada pelo presidente do PSL, Luciano Bivar

 

A ex-candidata ao governo, Maura Jorge, participou nesta quinta-feira, 11, no Rio de Janeiro, de reunião com os “representantes de Jair Bolsonaro de todos os estados do Brasil”.

A ex-prefeita foi saudada pelo candidato e pelo presidente nacional da legenda, Luciano Bivar, como o nome credenciado a fazer as articulações neste segundo turno.

– Nós, enquanto sua representante no Maranhão, marcamos presença, tratamos de metas, estratégias e recebemos instruções do nosso capitão Jair Bolsonaro de como conduzir o segundo turno rumo à vitória – disse Maura.

No Maranhão, Maura Jorge prometeu dobrar empenhos para garantir a virada de Bolsonaro no estado. (Veja vídeo)

Estiveram presentes também o senador Magno Malta, articulador do Nordeste Julian Lemos, presidente do PSL em exercício Gustavo Bebianno, deputada Joice Hasselmann e o presidente nacional do PSL Luciano Bivar que também registrou sua mensagem.

0

Flávio Dino quer Haddad com menos votos que ele no Maranhão…

Governador comunista faz “corpo mole” na campanha presidencial para sair-se como “dono da candidatura” em um eventual segundo turno entre o petista o capitão Jair Bolsonaro

 

CORPO MOLE. Flávio Dino quer submeter Fernando Haddad à sua liderança no Maranhão

O silêncio do governador Flávio Dino (PCdoB) sobre a campanha presidencial incomodou petistas que foram com ele nesta quinta-feira, 4, a evento de campanha em Santa Inês.

– Não havia santinhos no comitê nem material de campanha; e Flávio Dino não cita sequer o nome de Haddad em seus comícios – afirmou um petista presente ao evento, incomodado com o silêncio do comunista.

Mas há uma estratégia para o posicionamento do governador.

Além de não se queimar com eleitores do adversário de Haddad, o capitão Jair Bolsonaro (PSL), Flávio Dino espera que o petista tenha menos votos que ele próprio no estado. (Entenda aqui)

Desde 2002, quando Lula se elegeu presidente pela primeira vez, o Maranhão dá votações estratosféricas aos candidatos do PT – e essas votações são sempre muito superiores às dos próprios governadores.

Flávio Dino quer quebrar esta lógica.

Ele espera ver Haddad com votação menor que a sua no primeiro turno para, no segundo, sair-se como pai de uma eventual campanha vitoriosa.

E chegar com respaldo na mesa de negociações de um eventual governo petista…

0

Debate da Mirante deve influenciar reta final da eleição…

Diante da expectativa no desempenho de Roseana Sarney, Maura Jorge e Roberto Rocha – e com base no histórico dos debates de 2012 e 2016 – programa mostra potencial para alavancar quem souber se aproveitar do momento político

 

TRÊS POR UM. Roseana, Roberto Rocha e Maura Jorge têm no debate última chance de influenciar o primeiro turno

O debate da TV Mirante, a ser exibido na noite desta terça-feira, 2, pode ser decisivo na definição do primeiro turno das eleições de 2018.

Em 2012 e em 2016, o programa da Mirante influenciou no resultado direto das eleições, catapultando, respectivamente, as candidaturas de Eliziane Gama (PPS) e Eduardo Braide (PMN), mudando a configuração do segundo turno. (Entenda aqui a influência dos debates)

Eliziane em 2012: única mulher na disputa, cresceu após debate da Mirante

Há seis anos, Eliziane vinha numa campanha crescente, com o então prefeito João Castelo (PSDB) liderando a disputa. O desempenho da então deputada estadual tirou votos de Castelo e levou a eleição para o segundo turno, com Edivaldo Júnior (então no PTC) já na liderança.

Em 2016, Eduardo Braide só conseguiu participar do debate por que registrou 5% na pesquisa Ibope. Teve excelente desempenho, superou dois adversários e foi para o segundo turno contra Edivaldo Júnior (já no PDT). (Relembre aqui e aqui)

Eduardo Braide em 2016: com discrição, foi chegando superou dois adversários no debate

Neste debate de 2018, a maior expectativa se volta para a candidata do PSL, Maura Jorge, que vai ao programa justamente no período em que seu candidato a presidente, Jair Bolsonaro, experimenta expressivo crescimento.

Se Maura Jorge souber capitalizar a relação com Bolsonaro – e se mostrar ao eleitor como única capaz de manter relação do Maranhão com o eventual novo presidente – capitalizará fortemente este legado na reta final.

Outro que pode ter bom desempenho – pela capacidade técnica e de oratória – é o senador Roberto Rocha (PSDB).

Ainda estagnado nas pesquisas, ele tem no debate da TV Mirante sua última oportunidade de capitalizar votos e ter chances de sonhar com o segundo turno. Para isso, precisará desconstruir, sobretudo, e com dados técnicos, a imagem do governador Flávio Dino (PCdoB).

O próprio Flávio Dino já sofreu rejeição na reta final por arrogância em debates da Mirante.

Em 2008, quando disputou o segundo turno contra Castelo, tentou humilhar o adversário e acabou passando a imagem de prepotência, o que tirou votos na reta final.

Consolidada na segunda posição, Roseana terá a oportunidade de comparar, ao vivo, as realizações de seu com o de Flávio Dino. E provar que fez mais que o adversário.

O debate da Mirante começa logo depois da novela Segundo Sol…

6

Maura Jorge é a fiadora do segundo turno no Maranhão…

Volume de campanha da candidata do PSL cresceu nas ruas e nas redes sociais e a sensação de que ela agregou eleitores de Jair Bolsonaro já é perceptível até mesmo nos municípios onde ela sequer fez campanha eleitoral

 

Ainda que de forma tardia, Maura Jorge conseguiu colar sua imagem à de Bolsonaro, ampliando sua votação até mesmo entre quem não a conheceu durante a campanha

A candidata do PSL, Maura Jorge, passou a ser a grande fiadora de um eventual segundo turno na disputa pelo governo do Maranhão.

A polarização entre Flávio Dino (PCdoB) e Roseana Sarney (MDB) estagnou ambos em seus índices-teto de intenção de votos – algo como 48% para ele e 38% para ela, respectivamente, segundo no último Ibope, levando em consideração a margem de erro.

Diante disto, Maura passou a gerar grande expectativa de desempenho.

A ex-prefeita se beneficia direta e indiretamente do crescimento de Jair Bolsonaro (PSL) na disputa presidencial, e já é mencionada como sua candidata até em cidades onde ela não apareceu na campanha.

Diante do fracasso retumbante da campanha do senador Roberto Rocha (PSDB) – que pode amargar índices menores que os principais candidatos a deputado federal e estadual – Maura Jorge se consolidou como terceira via nestas eleições.

Sua participação no debate da TV Mirante, nesta terça-feira, 2 – e a consequente repercussão do programa nos próximos dias, poderá fortalecer ainda mais os laços com Bolsonaro e ampliar a sua votação no domingo, garantindo o segundo turno no processo eleitoral maranhense.

É aguardar e conferir…

1

Comunistas forjam carta de Lula a Flávio Dino…

A menos que o ex-presidente tenha um computador à disposição em sua cela em Curitiba – o que é pouco provável – está claro que o texto foi criado pela campanha comunista, com a inserção artificial da assinatura lulista

 

CARTA FORJADA. Recado de Lula com texto digital e assinatura digitalizada

Editorial

O governador Flávio Dino (PCdoB) mostra sinais de desespero com o segundo iminente ao agir na propaganda como se ele fosse a oposição e Roseana Sarney (MDB) a atual governadora.

Ele mostra desespero também ao mandar atacar agressivamente a candidata do PSL, Maura Jorge, que experimenta crescimento nas pesquisas ao vincular seu nome ao de Bolsonaro. (Releia aqui)

Mas o auge do desespero de Flávio Dino – ou do cinismo comunista, como queiram – se deu nesta quinta-feira, 27, quando a turba de blogueiros tangida pelo Palácio dos Leões divulgou uma suposta carta assinada pelo ex-presidente Lula, que está preso em Curitiba.

É até de imaginar Lula sentado em frente a um computador, dentro da cela, digitando um libelo em favor de Flávio Dino, que há quatro ano se abraçava como irmão siamês de Aécio Neves (PSDB) e até um mês atrás carregava Ciro Gomes (PDT) no peito.

AMIGO AECIM: em 2014, Flávio Dino andava de peito aberto era com o tucano Aécio Neves e não com Lula

Está claro que a tal carta de Lula é forjada, sob qualquer aspecto que se analise.

Para que seja do ex-presidente o texto, é preciso imaginar que ele disponha de um computador em sua cela, com impressora digital, para digitar, imprimir e assinar o texto, que poderia ter sido escrito a mão.

Aliás, foi à mão que Lula escreveu as linhas que são usadas na campanha do petista Fernando Haddad, inclusive o anúncio de sua candidatura, lida em frente à cela, em Curitiba.

Lula simplesmente não escreveu a carta endereçada a Flávio Dino, isto é fato.

E ainda que tenha apenas assinado, ela continua sendo uma fraude, já que não escrita por ele.

É simples assim…