0

Projeto Praia Limpa foi destaque do final de semana com banhistas da Praia do Meio

Ações de sensibilização sobre a limpeza das praias e balneários maranhenses, coleta seletiva do lixo e atividades lúdicas foram realizadas na Praia do Meio como parte do Projeto “Praia Limpa”. Frequentadores, donos de bares e até comerciantes informais da praia aprovaram a iniciativa e aderiram ao projeto, que recebia voluntários à medida em que a equipe de monitores ia passando nas barracas, com o trabalho de sensibilização.

Estudantes de biologia da Universidade Federal do Maranhão executaram, como monitores do projeto, o trabalho de sensibilização e mobilização. Em vários pontos da praia, foram colocadas lixeiras recicláveis para a coleta de lixo e dispositivos em que o cidadão podia adquirir uma sacolinha para carregar o seu lixo.

Para os motoristas, foram entregues adesivos sobre o projeto. Entre os estudantes (monitores), a opinião é que o alcance do trabalho pode mudar o cenário das praias de São Luís, se a população entender e aderir ao projeto. A universitária Edênia Coqueiro lembrou sobre a responsabilidade social do cidadão e conclamou o cidadão para iniciativas de rotina:

“É importante lembrar que nós somos responsáveis pelos nossos resíduos, então, vamos cuidar, vamos recolher, vamos substituir…porque é importante manter o nosso ambiente limpo”, explicou.

A constatação dos resultados veio, em tempo real, pela reação de quem recebia a abordagem dos monitores do projeto. Para o empresário Ademir Serra, a iniciativa foi importante, inclusive porque contemplou locais adequados para colocar o lixo, como foi o caso das lixeiras.

“Se você vê a lixeira, naturalmente você vai utilizá-la, mas, se não vê o local adequado, acaba deixando na praia, o que é um absurdo”, constatou. Já, a estudante de pedagogia Giovana Barraso, que se voluntariou para a atividades, pretende levar a experiência do projeto para a sala de aula: ”É uma experiência motivadora. Abraçar uma causa de preservação, de coleta, é importante para abordar em sala de aula, pois leva à prática”, justificou.

Promovido em uma parceria entre o gabinete do senador Roberto Rocha (PSDB-MA) e o Instituto Cidade Solidária, o projeto contou com a participação de várias outras instituições, entre elas, a CEMAR, que disponibilizou o projeto ECOCEMAR, com atividades lúdicas e infraestrutura, a Universidade Federal do Maranhão, por meio do departamento de biologia e cooperativas de reciclagem de lixo entre outros.

O lixo coletado e selecionado foi entregue à COOPRESL (Cooperativa de Reciclagem de São Luís), que trabalha com reciclagem de papel, metal e plástico, e o Núcleo Inhaúma Sustentável, que trabalha com a fabricação de vassouras a partir da utilização de garrafas Pet. 

De acordo com o coordenador do projeto “Praia Limpa”, Liviomar Macatrão, o resultado da iniciativa superou as expectativas. Segundo ele, a divulgação nos meios de comunicação e redes sociais trouxe parcerias e voluntários. 

“A presença de voluntários convocados por meio das redes sociais; os frequentadores da praia, que lendo o material do projeto, se candidataram a participar da coleta seletiva e algumas instituições que nos procuraram evidenciaram o resultado exitoso do  projeto, não só do ponto de vista da coleta, mas, principalmente da sensibilização”, constatou Liviomar, que inclusive, celebrou o resultado da pesagem do lixo coletado. Considerando as adversidades de tempo chuvoso do final de semana, os participantes do projeto ainda coletaram quase cem quilos de lixo.

A partir da experiência na Praia do Meio, o “Praia Limpa” tem previsão de acontecer em outras praias da Grande Ilha, mantendo como meta a sensibilização e mobilização, visando a auto sustentabilidade, reaproveitamento dos resíduos a partir da coleta seletiva e a educação ambiental voltada para o cidadão, de forma que insira no seu dia-a-dia a rotina do descarte correto do lixo.

SOS ÁGUAS DO MARANHÃO

O projeto Praia Limpa é mais uma das ações do programa SOS Águas do Maranhão, idealizado pelo senador Roberto Rocha, em parceira com o Instituto Cidade Solidária, que inseriu em pauta estadual a problemática da situação dos rios do Maranhão, que se deterioram gradativamente, devido à poluição e outros danos causados pela ação do homem.

O programa atua em diversas frentes e uma delas foi a série de seminários, ocorridos em 2017, “Revitalização dos rios Maranhenses e Suas Nascentes”, concebidos para ampliar a consciência cidadã e fomentar estratégias de enfrentamento do problema. De acordo com Roberto Rocha, o descaso com meio ambiente e as riquezas naturais do Maranhão pode custar caro ao maranhense.

“Precisamos ter esse pensamento de preservação das nossas riquezas, senão só daremos falta delas quando não houver mais solução. E a preservação das nossas praias é significativa, não só pelo aspecto social e ambiental, mas também pelo econômico, considerando que o turismo atrai investimentos para a capital e para o estado, daí, a importância do ‘Praia Limpa’”, destacou.

Marco Aurélio D'Eça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *