7

Perdido e incapaz de mudar, Bolsonaro vai ficando só…

Eleito basicamente por um tripé que cresceu na esteira do golpe de 2016 – formado por banqueiros, por militares e por evangélicos – presidente tem agora ao lado apenas a ineficiência já comprovada dos quartéis e o radicalismo tosco dos líderes religiosos, o que demonstra o início do fim de sua era governamental

 

Sem o apoio do chamado mercado, Bolsonaro se cerca agora apenas de evangélicos alienados e de milicos inaptos para o exercício do poder

Editorial

A carta dos “banqueiros e economistas” divulgada neste fim de semana – com ampla repercussão na mídia – é uma espécie de libelo pelo fim do governo Jair Bolsonaro.

Os homens do chamado mercado entendem que Bolsonaro é incorrigível; e representa um risco para a saúde e para a economia brasileiras em plena pandemia de coronavírus.

Sem o apoio deste segmento, a tendência é que ele definhe ao longo de 2021.

Bolsonaro se elegeu fortalecido por um tripé que ganhou corpo a partir do golpe de 2016, que tirou a presidente Dilma Rousseff (PT) do poder.

Formado por esse chamado mercado, por militares e por evangélicos, este tripé deu a ele o caldo necessário para agir, tresloucadamente, no comando do país.

Mas veio a pandemia, que expôs a incapacidade do “mito”.

Sem o “mercado”, Bolsonaro tende a se apoiar apenas nos colegas de quartel – que já demonstraram incompetência total para o exercício do poder, basta ver o que fazem no Ministério da Saúde – e na sandice alienada de líderes religiosos, muito mais preocupados com a reservas de mercado que o governo garante às suas igrejas do que propriamente com o futuro do país.

Mas nem os evangélicos, muito menos os militares – por absoluta incapacidade de raciocínio político – são capazes de garantir a base necessária para Bolsonaro seguir em frente.

E como o próprio Bolsonaro se monstra incapaz de mudar, sua gestão tresloucada – calçada no negacionismo, na falta de cultura e na incapacidade de raciocínio lógico –  tende a diminuí-lo cada vez mais.

Assim, o presidente chegará menor às eleições de 2022.

E o termo menor, para alguém tão diminuto, representa exatamente a insignificância.

De onde ele jamais deveria ter saído…

Marco Aurélio D'Eça

7 Comments

  1. O que uma Sinecura dos comunistas não faz.
    Ficando só entre os psicopatas da esquerda?
    Fazendo um textinho fuleiro para justificar o mensalinho lá da Secom?

  2. Editorial do Coronel Reformado do Exército Brasileiro “Marcelo Pimentel Jorge de Souza”.
    Fonte de Pesquisa: O Facebook do próprio Coronel Reformado do Exército Brasileiro “Marcelo Pimentel Jorge de Souza”.

    Como oficial da reserva do Exército, e de acordo c/o direito que me é assegurado pela Lei 7.524/86, declaro ter/sentir:

    – NOJO da pessoa que preside meu país;

    – DESPREZO por quem participa de seu governo;

    – REPÚDIO por quem ainda hoje o apoia;

    – ASCO em escutar sua voz ou a pronúncia de seu nome;

    – VERGONHA de que tenha um dia passado pela mesma Academia Militar que me formou oficial do EXÉRCITO BRASILEIRO;

    – CONTRARIEDADE com quem, minimamente informado, votou nessa pessoa pra ser PRESIDENTE DO BRASIL;

    – MELANCOLIA em ver boa parte dos oficiais de minha geração e ex-comandantes participando de um governo chefiado por uma pessoa política e intelectualmente despreparada, inepta e incompetente, além de desumana e extremamente grosseira e mal educada;

    – DESESPERANÇA em perceber que grande parte dos oficiais e praças das novas gerações está seguindo o MAU exemplo de alguns chefes e ex-chefes insensatos, ambiciosos, tolos ou idênticos ao capitão manobrado por generais;

    – MEDO que o Exército, por intermédio da maioria de seus integrantes, seja transformado numa instituição à imagem e semelhança de seu atual ‘comandante supremo’, que continua sendo tratado como ‘MITO’ nos quartéis em que comparece, SEMPRE acompanhado por generais-ministros políticos que COMANDAVAM, CHEFIAVAM e GUIAVAM as forças armadas brasileiras…até outro dia; e

    – DESCONFIANÇA de que alguns generais que se apresentam hoje como
    ‘dissidentes do governo’ e críticos (exclusivos) ao presidente, mesmo sendo, antes das eleições, as pessoas que mais o conheciam na face da Terra exceto a própria família (dele), sejam apenas aproveitadores de nova ocasião para manutenção do ‘PARTIDO MILITAR’ no centro do poder e do cenário político nacional, agravando o processo de POLITIZAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS e seu reverso – MILITARIZAÇÃO DA POLÍTICA e da SOCIEDADE -, ambos nocivos para as Forças Armadas (DEFESA) e o BRASIL (ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO)…hoje, amanhã e SEMPRE.

    (a) Marcelo Pimentel J. de Souza, cel R-1 EB.

    Observações:

    1) falar, opinar ou analisar o cenário político no Brasil hoje implica, necessariamente, referir-se a militares e forças armadas – é inescapável. Basta ver quem ocupa todos os cargos do núcleo político e milhares de outros, de natureza civil (ou ‘não propriamente militar’), na estrutura governamental. Em todas as oportunidades que me refiro a oficiais do Exército (Ou das Forças Armadas), aqui ou em outra publicação, excluo quaisquer considerações de ordem pessoal ou relacionadas às suas carreiras militares – em geral, dignas, competentes e coroadas de êxitos – para deter-me exclusivamente em juízos opinativos de caráter político, histórico, ideológico ou relativos ao interesse público, já que exercem, voluntariamente, cargos em comissão de livre provimento na administração pública, muitos de natureza eminentemente política e todos sem nenhuma relação direta com a atividade profissional militar;

    2) no mesmo sentido, em relação ao próprio Exército e às Forças Armadas, as opiniões por mim expressadas dizem respeito exclusivamente a eventuais papéis políticos, históricos, filosóficos, ideológicos ou de interesse público que possam ser associados às suas imagens institucionais decorrentes da participação massiva de oficiais e praças, neste ou em qualquer outro governo, em funções e cargos que não guardam relação direta com as destinações constitucionais das forças armadas ou de seus integrantes na ATIVA, cujos cargos militares (ou não), especialmente no caso dos oficiais-generais, são previstos em normas específicas;

    3) indico posto hierárquico na manifestação de meu pensamento político (coronel), em contrariedade ao estabelecido na Lei 6.880/80 (Estatuto dps Militares), Art 28, inciso XVIII (determina q o oficial da reserva se abstenha de usar seu posto qdo ocupar cargo público ou ‘discutir política’ publicamente), SIMPLES e EXCLUSIVAMENTE para demonstrar o poder do ‘MAU EXEMPLO’ de inúmeros generais (veja o perfil pessoal de rede social do gen villas boas ou heleno, pra citar apenas dois) que descumprem os preceitos ÉTICOS (é disso que trata o Art 28 do Estatuto dos Militares) mais elementares, traduzido num raciocínio bem simples: “SE UM GENERAL FAZ, QUALQUER OUTRO MILITAR PODE FAZER TAMBÉM” – eu fiz tão somente para mostrar a impropriedade dessa conduta;

    4) é o mesmo que dizer… ‘SE UM GENERAL DA ATIVA FAZ POLÍTICA’ (é/era o que fazem/faziam – os generais Pazuello, Ramos, Braga Netto, Rego Barros, respectivamente ministros da saúde, secretaria de governo, casa civil e ‘porta-voz’) ‘QUALQUER MILITAR, DE CORONEL A SOLDADO, PODE FAZER TAMBÉM’;

    5) o marechal Osório, comandante da força terrestre na Guerra da Tríplice Aliança, já dizia: “É FÁCIL A MISSÃO DE COMANDAR HOMENS LIVRES; BASTA MOSTRAR-LHES O CAMINHO DO DEVER”;

    6) o dever do militar das forças armadas NÃO é governar (independentemente de sua visão político-ideológica, e é livre para tê-la) nem, muito menos, tutelar o poder político civil;

    7) lugar de militares e de forças armadas é no ‘fundo do palco’, não protagonizando as lutas políticas normais e legítimas de uma sociedade;

    8) pra ajudar a resolver ‘polarizações’ não se deve aderir a um dos polos, muito menos estimular, apoiar ou criar um;

    9) ISENÇÃO funcional, NEUTRALIDADE política, IMPARCIALIDADE ideológica, APARTIDARISMO absoluto, PROFISSIONALISMO estrito e CONSTITUCIONALIDADE são os ‘ingredientes’ da argamassa que sustenta o MURO que deve (deveria) separar forças armadas da política. Quem é ou foi chefe e comandante, que ‘PRECEDE, GUIA e LIDERA’ seus subordinados, DEVERIA ser o primeiro a PRATICAR esses 6 princípios, posto que o ‘EXEMPLO ARRASTA’ – ‘ARRASTA’ para a trilha do DEVER profissional ou para as profundezas do ABISMO institucional.

    10) eu e muitos oficiais de minha geração formada na AMAN/1987 ajudamos a reerguer aquele MURO nos 30 anos que se seguiram à Constituição que fundou o Estado Democrático de Direito. Ajudamos a reconstruir a IMAGEM POSITIVA de credibilidade, confiança e respeito da sociedade em seu Exército, após 21 anos de autoritarismo inaugurados e protagonizados por chefes militares que se formaram no ‘Estado de Indisciplina Crônico’ dos quartéis nos anos 1920-60 e que, percebendo ou não, transformaram-se em generais ‘DITADORES’ nos anos 1960-70;

    11) falo porque é necessário reparar, URGENTEMENTE, as muitas avarias no ‘MURO’, antes que desmorone por completo e tenhamos risco de retroceder institucionalmente àquele ‘Estado de Indisciplina Crônico’ anos pré-64 ou, por outro lado, que se transformem as forças armadas num monolito político-ideológico de sustentação a desvarios autoritários como no período 1964-68-77-85. Como dizia o General Peri Bevilacqua, Ministro do STM cassado pelo AI-5: ‘QUANDO A POLÍTICA ENTRA NO QUARTEL POR UMA PORTA, A DISCIPLINA SAI PELA OUTRA’; e

    12) falo porque tive (e tenho) a ‘melhor profissão do mundo’ – a de oficial do Exército Brasileiro – e, por isso, tenho consciência plena que aquele MURO só será reparado se contar com a participação mutuamente cooperativa das chefias militares das forças armadas e das lideranças políticas da sociedade civil.

    Como fazer isso? É resposta ao mesmo tempo SIMPLES e COMPLEXA. Apresentarei somente a parte SIMPLES e IMEDIATA:
    – a saída, mais breve possível, de todos (TODOS) os militares da ATIVA que exercem cargos de natureza política e/ou que não tenham claríssima relação com as atividades essencialmente militares (o que inclui atividades administrativas);
    – a saída gradual de todos (ou quase todos) militares da RESERVA dos cargos para os quais foram nomeados no governo, estatais, autarquias, fundações, fundos de pensões, embaixadas, tribunais etc., nas mesmas condições dos da ativa; e
    – o mais SIMPLES de tudo –> Basta os GENERAIS darem o EXEMPLO. Dar EXEMPLO é fazer primeiro ou junto!

    A HISTÓRIA grita aos nossos ouvidos!
    Ouçamo-la!

  3. Ô babaca! Por isso que agente te avacalha aqui, por que tu so escreve merda e mentira. De que golpe que tu esta falando? Pq tiraram a anta da Dilma? Porque tiramos o Luladrão e a quadrilha da esquerda que tem ainda o PSOl, PC do B, PSDB PSB e outros vagabundos que roubaram o Brasil durante 20 anos? Pq não aceitamos essas patifarias que esses vagabundos faziam? Pq a imprensa podre, corrupta e comunista do qual tu faz parte perdeu a mamata? Se enxerga rapaz! Ninguem sabe dessa carta, só tu e um bando de esquedopatas fanaticos que inventaram isso. Tu acha que Bolsonaro ta perdendo a apoio, o maior apoio é do povo esse apoio ele tem. Pq tu não mostrou as manifestações do dia 14 por todo Brasil? Tu quer eu te mando todos os videos de todas as capitas de apoio ao presidente. Outra coisa, mostra ai um escandalo de corrupção do governo Bolsonaro. Nos estamos torcendo e se Deus quiser vai vir a intervenção militar, pra colocar vagabundo corrupto e esquerdista filha da puta na cadeia. E vcs vão morrer de raiva pq Bolsonaro vai se eleger e a esquerda miseravel nunca mais vai voltar a ocupar esse cargo. Faz um teste tu que defende o ladrão do Lula e a quadrilha dele. Bolsonaro anda todo os dias na ruas do Brasil, diz pra Lula fazer o mesmo e vai junto com ele pra tu ver o que acontece com ele? Duvido que esse vagabundo tem coragem de sair na rua. Nós somos patriotas rapaz, o povo brasileiro não entregará o nosso pais de novo nas mão de ladrão. E tem mais, que ler esses blogues não são analfabetos, somos inteligentes, justos e honestos, Por isso que somos Bolsonaro. Vou fazer igual aquela apresentadora da Globolixo. “O choro é livre”. Isso tambem vcs meteram a linguia no rabo e ficaram pianinho, mais se fosse Bolsonaro que falasse, tu era um dos primeiro a falar.

    • O problema dos bolsominios é a estupidez que beira a raiva canina, quando são confrontados (igual ao chefe deles)

  4. Acho muito pertinente suas críticas à Bolsonaro. Além disso, seus textos são muito bem escritos.

  5. Bom dia. A tua incapacidade de ser imparcial é muito grande, porém, infinitamente maior é a tua paixão pelo lulismo destruidor do Brasil. Não consegue ver nem reconhecer a força popular que sustenta o Bolsonaro, aliás, a única força que ele tem. Seja um analista desprovido de paixões, ainda mais pelo que há de mais podre no Brasil – a corrupção sistêmica e generalizada que o teu PT impôs ao país.

  6. Para quem quer ver o circo pegando fogo, mesmo estando dentro, foi um pratão. Eu como economista, fiquei com vergonha. Vamos pelos principais pontos:
    1) Uso de mascaras: além de se meter em uma seara que não é econômica, até agora os médicos e cientistas nunca afirmaram que o problema é a máscara e sim o mal, ou nao uso, da mesma. É também algo que tem a ver com a educação das pessoas e cobrança do setor publico;
    2) Velocidade da vacinação: O governo federal mando 20 milhões de vacinas para os estados e até ontem, já tinha aplicado (os estados) 14 milhões, nem 75% do enviando. Lembrando que as vacinas pedem armazenamento e câmeras frias além de seringas e agulhas. Esta cobrança deveria ter sido feita aos estados. Como vai mandar mais se nem aplicaram os lotes iniciais;
    3) Comando central: esta cobrança / solução devera ser enviada ao STF.
    Como são fracos e efemeros os argumentos diante de uma situação séria. Ninguém quer ajudar, querem que tudo se f*. Por isto que este blog e a mídia contra bolsonaro tocou foguete. O problema é que vocês podem ate tira-lo do posto, mas são infinitamente piores e desqualificados para tanto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *