0

Roberto Rocha condena ataques de Flávio Dino a Weverton via “pistoleiros digitais”

Ele próprio vítima da perseguição do governador comuno-socialista, senador tucano elogia a postura do colega do PDT, que procurou o Ministério da Saúde em busca de ajuda para os desabrigados pelas chuvas no Maranhão, e deve garantir ao menos R$ 1 bilhão ao estado

 

Postagem de Roberto Rocha em defesa do colega Weverton; o próprio Roberto já foi vítima de Flávio Dino

O senador  Roberto Rocha (ainda no PSDB) criticou os ataques de “pistoleiros digitais” – segundo ele, pagos com dinheiro público pelo governo Flávio Dino (PSB) – ao também senador Weverton Rocha (PDT), por este ter buscado ajuda do governo Jair Bolsonaro aos desabrigados pelas enchentes no Maranhão.

Uma das lideranças mais ativas no apoio aos municípios atingidos pelas enchentes, Weverton esteve no Ministério da Saúde, logo após ter-se curado da CoVID-19, em busca de medicamentos e recursos que possam melhorar a vida dos desabrigados.

A ação de Weverton irritou Flávio Dino e, principalmente, o vice-governador  Carlos Brandão e seus aliados, que passaram a atacar o senador na rede de blogs financiada pela Secretaria de Comunicação do estado.

– Agora me digam, qual o erro de um parlamentar federal quando procura um ministro para pedir ajuda ao seu estado, principalmente se essa ajuda é por remédios? – cobrou Roberto  Rocha, em suas redes sociais.

Mesmo com os ataques de Dino e Brandão, a ação de Weverton deve viabilizar ao menos R$ 1 bilhão de ajuda do governo Bolsonaro ao Maranhão.

Enquanto Flávio Dino dorme e Brandão joga futebol, Weverton vai a Brasília em busca de recursos para ajudar os desabrigados

De acordo com o blog do jornalista Gláucio Ericeira, o ministro da Saúde Marcelo Queiroga revelou que nunca foi procurado por Flávio Dino em busca de ajuda para o Maranhão.

Já o blog Marrapá, descobriu que os “pistoleiros digitais” pagos para atacar Weverton são os jornalistas Rafael Arrais e Marco Aurélio Oliveira, todos lotados na Secretaria de Comunicação do governo Flávio Dino, comandada por Ricardo Capelli.

– Dissimulado, [Flávio Dino] joga a pedra e esconde a mão. Com dinheiro público, paga seus “pistoleiros digitais” para agredir quem não beija sua mão – completou Roberto Rocha.

Além dos jornalistas lotados no Palácio dos Leões, os ataques a Weverton veio de vários outros blogs ligados à campanha do vice-governador  Carlos Brandão.

Todos já denunciados à Justiça Eleitoral por disseminação de Fake News…