6

Felipe Camarão pode garantir bancada inédita do PT na Câmara Federal…

Com densidade eleitoral de candidato a governador – e com índices até melhores que os do vice-governador Carlos Brandão – secretário de Educação do governo Flávio Dino tem condições de ampliar as vagas do partido, hoje reduzidas ao deputado Zé Carlos

 

A presença de Felipe Camarão no PT não apenas reforça a campanha de Lula, como também amplia as chances de o partido ter uma bancada inédita na Câmara Federal

Cotado como opção de candidato a governador na base do governo Flávio Dino (PSB) – e apontado também como possível vice ou suplente de senador – o secretário de Educação Felipe Camarão é uma espécie de trunfo do PT nas eleições de 2022.

Melhor posicionado nas pesquisas de intenção de votos para a corrida sucessória – com índices melhores até do que os do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) – Camarão pode garantir ao partido do ex-presidente Lula uma bancada inédita na representação maranhense na Câmara Federal.

Hoje reduzida ao nome de Zé Carlos, a bancada petista pode, com Camarão, não apenas garantir o próprio Zé Carlos como também abrir possibilidade para um terceiro nome, pela primeira vez na história do partido no estado.

Mas o nome do secretário é também cotado para composição de chapa com um dos candidatos da base governista; ou mesmo como suplente de senador do próprio Flávio Dino.

O PT entra na disputa pelas vagas da bancada maranhense, portanto, com amplas chances de ser um dos principais partidos a partir de 2022.

E com Felipe Camarão como estrela em ascensão na legenda de Lula…

1

O “vai, não vai” de Flávio Dino…

Ora anunciando saída do mandato em janeiro; ora levando para abril, governador mostra insegurança e perda de controle do próprio projeto político-eleitoral, ao jogar dúvidas, também, sobre que cargo disputar, admitindo não apenas plano A e B, mas a possibilidade de planos C, D , E e até F

 

A ansiedade do governador o tem levado a devorar quilos de comida por dia, sem saber como resolver a equação de sua sucessão

Ensaio

Faltando praticamente um ano para as eleições de 2022, o governador Flávio Dino (PSB) parece cada vez mais ter perdido o controle de sua própria sucessão.

Ora diz que sai do governo, ora diz que fica até o final. Primeiro falou que sai em abril, depois admitiu que em janeiro; agora fala de novo em abril.

E também não sabe se tem plano A, B ou C; e já admite até plano D, E e F.

Nas idas e vindas do governador – que chegou a pretender uma unidade absoluta de sua base em torno de um candidato imposto por ele próprio – joga-se dúvidas, inclusive, sobre o cumprimento de critérios que ele mesmo estabeleceu na carta-compromisso assinada em julho.

O Maranhão inteiro sabe (o senador Weverton Rocha (PDT), o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) e o secretário Simplício Araújo (Solidariedade) também sabem) que Flávio Dino quer impor o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) como seu candidato.

Mas, para impor Brandão, Dino terá que rasgar os termos da carta-compromisso que estabeleceu os critérios para escolha do candidato – nenhum deles preenchido pelo vice tucano.

Esta dificuldade para viabilizar seu candidato também acentua a insegurança do governador, que preferia, no fundo, nomear governador o secretário de Educação, Felipe Camarão (PT).

Nestas idas e vindas, o “vai, não vai” de Flávio Dino vai consolidando a ideia de que ele não sabe o que fazer nas eleições vindouras.

Ou pelo menos não consegue fazer o que quer…

2

Josimar confirma assédio do governo, mas diz que não atende emissários do Palácio

Em uma série de entrevistas a setores da mídia, deputado federal confirmou as informações deste blog – que revelaram as tentativas do governador Flávio Dino de cooptá-lo para apoio ao vice Carlos Brandão – e reafirmou seu projeto de disputar o Governo do Estado em 2022

 

Com o controle de três partidos e mais de 50 prefeitos, Josimar vem sendo assediado pelos aliados de Brandão

Repercutiu fortemente em todos os setores da mídia o post do blog Marco Aurélio D’Eça intitulado “Flávio Dino tenta cooptar Josimar com espaços do PDT no governo”, que revelou, com exclusividade, as tentativas do Palácio dos Leões de cooptá-lo para apoio ao vice-governador  Carlos Brandão (PSDB).

Ao blog “Veja Agora”, Josimar revelou que “as pessoas que o procuraram, ele não vem atendendo”.

Segundo interlocutores do governador Flavio Dino (PSB) – e do próprio Josimar – ouvidos pelo blog Marco Aurélio D’Eça, foram oferecidos ao deputado, em troca do apoio a Brandão, cargos hoje ocupados pelo PDT, do senador Weverton Rocha.

– No momento, não é a nossa vontade e muito menos o foco em buscar cargos no governo. Não temos interesse nenhum, não temos tratativa e não é de nosso interesse de forma nenhuma – descartou Maranhãozinho, em entrevista ao blog do John Cutrim. (Leia aqui)

A tentativa do Palácio dos Leões de alavancar a candidatura de Brandão é a última cartada do governo Flávio Dino para garantir um mínimo de unidade em torno do seu vice.

Além da recusa de Josimar – que controla três partidos e tem apoio de mais de 50 prefeitos – e do crescimento da candidatura de Weverton, Flávio Dino ainda enfrenta os obstáculos da carta-compromisso que ele mesmo criou para ter unidade em sua base.

Brandão não atende a nenhum dos critérios estabelecidos para ser o candidato: ele não tem apoios partidários, patina nas pesquisas de intenção de votos e não consegue agregar as principais lideranças governistas.

Flávio Dino estaria disposto a rasgar esses critérios para impor o seu nome?

Esta resposta deve ser dada até o mês de novembro…

0

Flávio Dino tenta cooptar Josimar com espaços do PDT no govenro

Governador quer dar ao deputado federal os postos ocupados por aliados do senador Weverton Rocha para garantir apoio do PL, do Avante e do Patriotas ao vice-governador Carlos Brandão; proposta esbarra na impossibilidade da indicação do companheiro de chapa do tucano

 

Dino tenta cooptar Josimar de Maranhãozinho, mas pode precipitar o racha na base do governo

O governador Flávio Dino (PSB) inciou esta semana uma ofensiva para garantir viabilidade ao projeto de ter o vice-governador Carlos Brandão(PSDB) como candidato à sua sucessão.

Reunidos no Palácio dos Leões esta semana, o núcleo duro do governo definiu que a primeira meta para isso é cooptar o deputado federal Josimar de Maranhãozinho, que controla PL, Avante, Patriotas e tem apoio de mais de 50 prefeitos.

Está sendo oferecido a Josimar espaços no governo ocupados pelo PDT, do senador  Weverton Rocha, numa tentativa de dissuadir o deputado a abrir mão da candidatura em favor de Brandão.

O projeto dinista esbarra em dois empecilhos:

1 – Josimar não tem interesse em ocupar cargos em um governo que pode ficar por apenas nove meses; e quer espaços de comando também na Assembleia, o que está longe do alçance de Dino;

2 – a vaga de candidato a vice do tucano Brandão é inegociável por Flávio Dino, que quer emplacar o secretário de Educação Felipe Camarão (PT), o que afasta Josimar de qualquer negociação.

Conseguindo ou não a cooptação de Josimar, a ação de Flávio Dino reforça a ideia de que ele não cumprirá a carta-compromisso assinada por ele mesmo, em julho, e vai tentar impor, na marra, o nome de Carlos Brandão como candidato.

Neste caso, tanto Josimar quanto Weverton Rocha, Simplício Araújo (Solidariedade) e Edivaldo Júnior (PSD) estariam também desobrigados de cumprir os termos da tal carta.

E o racha na base dinista estará consolidado…

0

Roberto Costa participa de entrega do centro Educa Mais Sousândrade

Ao lado do governador  Flávio Dino e do secretário de Educação Felipe Camarão, deputado estadual parabenizou a população do bairro Lira pela obra

 

Na manhã desta quarta-feira (8), foi entregue a obra de restauração do Educa Mais Sousândrade, no bairro Lira. Por meio de uma indicação do deputado Roberto Costa ao governo do Estado. A entrega da obra foi realizada na companhia do governador Flávio Dino, do vice-governador Carlos Brandão e do secretário de Estado da Educação (SEDUC), Felipe Camarão.

Foram realizados serviços de melhorias nas estruturas, cobertura, revestimento, piso, forro, pintura geral, instalações elétricas, instalações hidráulicas, banheiros com vestiários e acessíveis, combate a incêndio e pavimentação.

Durante a solenidade da entrega do colégio, o deputado Roberto Costa destacou a importância da obra e agradeceu ao governador e ao secretário por atenderem o pedido de restauração: “Quero agradecer o governador Flávio Dino e o secretário Felipe Camarão pela entrega do colégio Sousândrade. Significa muito para mim, fez parte da minha vida, fui aluno desde a 1º série, e ver o colégio todo reformado, para atender a nossa comunidade, é muito gratificante”, disse.

A unidade escolar é uma referência para a comunidade que vive no bairro do Lira e no entorno dos bairros do Goiabal, Macaúba, Codozinho, Centro e todos os bairros que compõem a região da Madre Deus. O colégio agora conta com uma estrutura que abriga laboratórios de química, física, biologia e matemática e passará a atender centenas de jovens que irão fazer o ensino médio em tempo integral.

“Para mim é uma grande alegria Roberto tá aqui com você, com o secretário Felipe e o vice-governador Brandão, para a entrega dessa grande obra do colégio Sousândrade no bairro Lira. O deputado Roberto Costa nos ajuda na Assembleia, traz reivindicações justas como essa, e hoje a nossa festa de comemoração aos 409 anos de São Luís é a entrega dessa escola”, destacou o governador Flávio Dino durante a entrega.

O secretário de Estado da Educação (Seduc), Felipe Camarão, também ressaltou a importância do pedido feito pelo deputado Roberto Costa. “A escola só tinha 120 alunos, estava praticamente fechando, e a comunidade estava triste com isso. Mas o Deputado Roberto Costa fez o pedido e o Governador garantiu a obra”,finalizou.

3

Flávio Dino vai reunir novamente Carlos Brandão e Weverton Rocha

Governador ainda tenta garantir apoio para uma candidatura única em sua base, mesmo diante da intensa movimentação dos dois principais candidatos

 

Brandão e Weverton vão ouvir novamente Flávio Dino em, reunião no Palácio dos Leões

O governador  Flávio Dino deve se reunir nos próximos dias com o vice-governador  Carlos Brandão (PSDB) e com o senador  Weverton Rocha (PDT).

Na pauta as eleições 2022.

Dino quer avaliar o momento da movimentação de cada um dos aliados e tentar, novamente, um consenso entre eles para definição de candidatura única na base governista.

Em julho, Dino definiu as regras para escolha do seu sucessor e chegou a definir novembro como mês para esta definição.

Weverton e Brandão têm se movimentado intensamente pelo interior em busca de formação de alianças e de captação de apoios nos municípios.

Na conversa, Flávio Dino deve reafirmar o interesse em uma candidatura única.

Embora essa possibilidade esteja cada vez mais remota…

4

Com gesto a Brandão, Weverton demonstra humildade e reforça imagem de liderança

Ao reconhecer excessos em fala durante passagem por Presidente Dutra, senador e pré-candidato a governador mostra coragem e remete também ao governador Flávio Dino a necessidade de reflexão sobre perdão

 

Weverton Rocha em Presidente Dutra: liderança com humildade e postura pública transparente

Aliados do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) na blogosfera e no governo Flávio Dino (PSB) tentaram desqualificar e ridicularizar o pedido público de desculpas do senador Weverton Rocha (PDT), após fala intempestiva em Presidente Dutra.

Mas o gesto do senador remete à verdadeira postura pública de uma liderança pública – para além da postura de torcedores açodados e gente desejosa da cizânia política.

Weverton reconheceu os excessos na fala sobre a figura de um vice, disse isso pessoalmente ao próprio Brandão e estendeu seu pedido de desculpas a todos os ocupantes deste posto, aliados ou não.

Além disso, seu gesto remeteu ao governador Flávio Dino uma reflexão sobre o necessário perdão nas relações pessoais, outra fundamental postura de humildade. 

O pré-candidato do PDT demonstrou, acima de tudo, a coragem necessária a uma liderança pública que se pretende ter o poder no estado.

De Flávio Dino e Carlos Brandão espera-se, agora, além da mesma postura pública, a magnanimidade que devem ter os verdadeiros líderes.

Ainda que seus comandados não tenham a percepção do que é ser magnânimo…

0

Especulação sobre permanência de Dino no cargo enfraquece Brandão

Dependente da articulação do Palácio dos Leões e sem expectativa de poder, vice-governador perde força de atração de aliados, uma vez que não terá o que oferecer nas negociações, o que gera incertezas entre prefeitos e lideranças

 

Carlos Brandão sonhava ter Felipe Camarão como vice, mas já não tem certeza sequer da própria candidatura

Se as informações de bastidores forem fieis aos fatos que ocorrem no interior do Palácio dos Leões, o governador Flávio Dino (PSB) caminha para sepultar, definitivamente, o projeto eleitoral do seu vice, Carlos Brandão (PSDB).

A especulação sobre permanência de Dino no cargo até o final do mandato enfraquece significativamente a pré-candidatura de Brandão ao governo; e se o governador não encerrar de uma vez por todas essa especulação, o vice vai definhar até perder importância no processo eleitoral.

O desgaste para Brandão já é evidente mesmo que Dino deixe o cargo em abril.

Diante desta especulação, nenhum prefeito ou liderança política do interior terá confiança nas conversas de Brandão; sem a certeza de que Dino sairá do cargo, também não terão certeza sobre a candidatura do vice.

E a tendência é que busquem outros caminhos.

Apenas em abril de 2022 – quando os demais candidatos já estarão quilômetros distantes na articulação – Brandão poderá dar garantias aos eventuais aliados; mas o tempo já será curto entre as articulações e a reta final da campanha.

Em outras palavras: Flávio Dino está matando a candidatura de Brandão.

Pior: antes mesmo de ela nascer…

7

Flávio Dino reitera a aliados que pode ficar no mandato e irrita Brandão

Governador tem falado cada vez mais desta possibilidade aos membros da base na Assembleia Legislativa e a auxiliares no Palácio dos Leões, o que diminui ainda mais as chances de candidatura do vice-governador tucano

 

Ao admitir ficar no governo, Flávio Dino não trabalha com a perspectiva de ter Brandão como candidato, mas de viabilizar o secretário Felipe Camarão

Não se sabe se por bravata ou por insegurança na condução do processo eleitoral de 2022, mas o fato é que o governador Flávio Dino (PSB) tem falado cada vez mais da possibilidade de ficar no cargo até o final do mandato.

E essa insistência no assunto tem irritado o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) e seus aliados no Palácio dos Leões.

Patinando nas pesquisas e sem espaço para articulações políticas que garantam a viabilização da sua candidatura, Brandão sabe que depende absolutamente da perspectiva de assumir o governo em abril para convencimento de possíveis aliados no interior.

Sem essa perspectiva ele perde cada vez mais importância no processo eleitoral.

Pior: ao manifestar interesse na possibilidade de ficar no mandato até o final, Flávio Dino deixa claro que o objetivo não é fortalecer Brandão, mas criar as condições para eleger o secretário Felipe Camarão (PT).

– Se eu ficar no cargo, elejo qualquer um – é o que pensa o governador, segundo relato de pelo menos cinco deputados estaduais e secretários ouvidos pelo blog Marco Aurélio D’Eça.

A possibilidade é tão real que os auxiliares do governador – como o também pré-candidato Simplício Araújo (Solidariedade) – e deputados estaduais, como Duarte Júnior (PSB), já falam, publicamente sobre o assunto.

Tanto que, na semana passada, Dino adiou a data da decisão sobre o candidato do governo, de novembro para março de 2022.

E assim, Brandão vai perdendo cada vez mais importância como pré-candidato…

6

Felipe Camarão mantém-se como “carta na manga” de Flávio Dino

Nas conversas com o ex-presidente Lula e com seus aliados mais próximos, governador admite duas hipóteses para o seu secretário de Educação: torná-lo vice em uma das chapas da base ou ficar no governo e trabalhar para elegê-lo seu sucessor

 

Felipe Camarão se mostrou à vontade diante de Lula; e com as bençãos do governador Flávio Dino como opção do PT

Nas diversas conversas entre o governador Flávio Dino (PSB) e o ex-presidente Lula (PT) sobre as eleições de 2022, um tema recorrente foi posto na mesa: uma possível candidatura do PT ao governo.

Destas conversas – no Maranhão e fora dele – o blog compilou uma série de tratativas entre Dino e Lula apuradas entre aliados de ambos nas últimas semanas; desta compilação básica resulta o seguinte diálogo:

Flávio Dino: O PT precisa aguardar nossa definição, por que temos o Felipe Camarão como opção já filiada;

Lula: Esse não é do PT; está no PT. E haverá uma guerra por essa indicação, caso ele seja vice de uma das chapas;

Flávio Dino: ele pode ser candidato a governador.

Lula: Não há problema. Você fica no governo até o final e elege seu secretário governador. Depois, vencendo, a gente te faz ministro.

Flávio Dino: mas, e o Senado?

Lula: esse é outro problema seu, companheiro…

A conversa recriada pelo blog Marco Aurélio D’Eça reforça duas questões levantadas por aliados e adversários de Dino nos últimos meses:

1 – Felipe Camarão é, sim – e continuará sendo – opção do governador para as chapas majoritárias de 2022;

2 – Diante da dificuldade de unificar a base em torno de um candidato, Flávio Dino pode mesmo ficar no cargo até o fim do seu governo.

E pelo andar da carruagem, estas duas questões estão cada vez mais na pauta das conversas no palácio dos Leões.