1

César Pires: governo ainda deve explicações sobre os recursos do FEPA

O deputado César Pires voltou à tribuna da Assembleia Legislativa nesta segunda-feira (2) para cobrar esclarecimentos do governo estadual sobre o uso dos recursos e dos imóveis do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (FEPA). Ele defendeu a convocação do presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado do Maranhão, Mayco Murilo Pinheiro, requerida pelos parlamentares de oposição e rejeitada pela base governista.

Ele ressaltou que antes a gestão previdenciária era feita por uma secretaria adjunta de forma mais eficiente, pois o FEPA era superavitário. “Em 2017 criaram o Iprev para modernizar a gestão da Previdência estadual, mas o que fizeram foi quebrar o FEPA e ameaçar a aposentadoria de milhares de servidores.  Para onde vão os recursos do FEPA? Para onde vai o dinheiro dos aposentados do Maranhão? É uma autarquia gerenciada por incompetentes e eles devem prestar contas à Assembleia Legislativa”, argumentou ele.

César Pires ressaltou que, no momento em que se discute o sistema previdenciário em todo o país, não é aceitável que o governo do Maranhão se recuse a prestar esclarecimentos à Assembleia Legislativa. Ele lembrou que desde novembro de 2018 está requisitando informações à direção do Iprev, por meio de ofícios, e não obteve respostas sobre o uso dos recursos e dos imóveis do FEPA.

“Pedimos a relação dos imóveis que são patrimônio do FEPA, perguntamos qual o valor e o destino dado ao aluguel do prédio onde funciona a Casa das Dunas, por exemplo, mas até hoje não recebemos qualquer resposta. É um total desrespeito com o Legislativo, a quem cabe fiscalizar os atos do Executivo. Mas continuaremos cobrando esclarecimentos, pois esses recursos são do fundo previdenciário e somente a ele deveriam ser destinados, conforme previsto no artigo 11, parágrafo único da lei complementar que trata do FEPA”, enfatizou César Pires.

 

1

Festa “Ex-Marista Nunca” será marcada por música, surpresas e saudosismo

Evento que reunirá ex-alunos de uma das escolas mais tradicionais de São Luís, acontece neste sábado, às 16h, no Marista Araçagi, com shows de Argumento, Pandha S.A., Fabrícia, banda Daphne e Bicho-Terra

 

Livro que será exibido na festa de amanhã registra a presença do ex-presidente José Sarney, um dos ex-alunos do Maristas de São Luís

Depois de Maceió, Natal e João Pessoa, a megafesta oficial “Ex-Marista Nunca”, organizada pela Pororoca Produções, com direção geral do Irmão Luís André Pereira, acontece em São Luís neste sábado, às 16h, no Marista Araçagi.

O evento, com ingressos limitados para ex-alunos, familiares e amigos, será uma grandiosa e marcante confraternização de fim de ano e reunirá gerações que passaram pela instituição, incluindo autoridades que, atualmente, ocupam importantes funções no governo, políticos, empresários e profissionais das mais diferentes áreas.

Fernando Sarney também recebeu a camisa promocional da festa, que lembrará o anos de ex-alunos no Maristas

Muitos ex-alunos desembarcam do exterior especialmente para reviver o seu passado estudantil e reencontrar pessoas que fizeram parte de sua história nos tempos do colégio. Além das atrações musicais, como banda Argumento, Pandha S.A., Fabrícia, banda Daphne, Bicho-Terra e os DJs Álvaro Carneiro, Arsênio Filho e Ricardo Pacífico, o evento reserva um momento especial, o qual está sendo guardado a sete chaves.

Segundo o diretor geral do Colégio Marista Araçagi, Irmão Luís André Pereira, a festa que está mobilizando pessoas em todo o Maranhão, de outras cidades do Brasil e do exterior, contará com a presença de 150 ex-professores.

O ex-senador e ex-prefeito Mauro Fecury foi um dos mais emocionados ao receber a camiseta dos anos de Maristas

“Nós estamos preparando uma festa das mais contagiantes. Nossa intenção é promover um reencontro de amigos e entre gerações. A iniciativa é um grande sucesso em todas as cidades onde acontece e aqui em São Luís não será diferente, pois as expectativas são as melhores possíveis”, disse.

Camiseta e Flávio Dino

Flávio Dino com a camisa do evento e vários outros ex-alunos do Maristas reunidos com secretários de estado em alusão a festa

Todos os presentes usarão uma camiseta personalizada e a festa contará com a presença do governador Flávio Dino, que estudou no Marista entre os anos de 1974 e 1985.

Ele recebeu o convite com entusiasmo de uma comitiva Marista no Palácio dos Leões e, na oportunidade, gravou um vídeo em que aparece vestido com a camisa e convidando para o evento. Em outro vídeo, o governador aparece ao lado de secretários estaduais, que também fazem a mesma convocação.

“Sem dúvida, será um momento não somente de reencontro, mas, sobretudo, de fraternidade, solidariedade e para reafirmarmos bons valores e princípios em favor do Brasil”, disse Flávio Dino.

O desembargador Jorge Rachid é outro dos ex-alunos do maristas a ser contemplado com a camiseta da festa deste sábado

Segundo Ricardo Fernandes, diretor da Pororoca Produções, além do governador Flávio Dino, várias outras autoridades receberam o convite (camiseta) de forma especial, entre elas, o presidente da Academia Maranhense de Letras, Benedito Buzar, o desembargador Jorge Rachid Mubarack Maluf e o presidente do Conselho deliberativo do Grupo Mirante, Fernando Sarney. 

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto, também confirmou presença. Conforme a direção da escola, um dos mais ilustres alunos Marista vivo no Maranhão é o ex-presidente da República José Sarney. 

“Todos estão muito animados com o evento e revelaram seu entusiasmo em poder rever amigos e ex-colegas de turmas”, disse Ricardo Fernandes.

O Colégio Marista está presente no Maranhão há 11 anos, mas contabiliza mais de 200 anos e sua marca é conhecida em 80 países. No Brasil, a instituição formou milhares de pessoas em 110 cidades. No estado, é uma das mais modernas escolas e está em processo de crescimento.

Entre outras coisas, é a única que firmou parceria com a Universidade de Cambridge e implantará, ainda este ano, o método bilíngue.

0

O investimento kamikaze de Flávio Dino em Rubem Júnior…

Governador comunista já destinou quase R$ 200 milhões à pasta comandada pelo seu secretário de Cidades, que não consegue se deslocar de 1% nas pesquisas de intenção de votos para a Prefeitura de São Luís

 

Padrinho de casamento do secretário de Cidades, Flávio Dino quer por que quer fazer dele prefeito de São Luís

O governador Flávio Dino e o PCdoB dão mostras cada vez mais claras de que pretendem mesmo insistir na insossa candidatura do secretário de Cidades Rubens Pereira Júnior a prefeito de São Luís.

Primeiro, Dino inventou um programa para o qual destinou nada menos que R$ 100 milhões ao afilhado; e mesmo assim ele não saiu do traço nas pesquisas de intenção de votos.

O fraco desempenho de Pereira Júnior nas pesquisas vem se repetindo ao longo de 2019, culminando com a última, do Instituto Exata, em que ele aparece com apenas 1% das intenções de voto.

Agora, a mídia anuncia que Flávio Dino destinou mais quase R$ 90 milhões para Rubem Júnior usar em sua pasta e nas agências subordinadas a ele, em São Luís e Imperatriz.

Somados aos R$ 100 milhões do programa anterior e mais os R$ 76 milhões da Comunicação em 2020, Rubem Júnior terá à sua disposição, direta ou indiretamente, quase R$ 300 milhões para se viabilizar como candidato.

Mas precisa combinar com o eleitor, que se demonstra antipático ao projeto comunista…

1

Oposição a Dino e Edivaldo chega a 55% das intenções de voto em São Luís

Pré-candidatos que não rezam na cartilha do governador e do prefeito detêm a ampla maioria dos votos na capital maranhense. Mesmo com a profusão de candidatos, base governista apresenta menos de 30% dos votos

 

Wellington é o incômodo muro que separa o líder Eduardo Braide dos candidatos governistas na disputa em São Luís

Se as eleições para prefeito fossem agora, a população de São Luís veria, pela primeira vez, dois candidatos não apoiados pelo Governo do Estado ou pela prefeitura numa disputa de segundo turno.

Os deputados Eduardo Braide (PMN), com 40%, e Wellington do Curso (PSDB), com 12%, lideram a corrida pela sucessão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), segundo pesquisa Exata divulgada no fim de semana.

Somados ao também oposicionista Adriano Sarney (PV), que aparece  com 3%, a oposição chega a nada menos que 55% das intenções de voto.

Este índice é ainda maior quando se inclui nessa soma os votos de Jeisael Marx, que concorre de forma independente e registra 2%. E poderia ser maior se o candidato bolsonarista Allan Garcês apresentasse desempenho melhor que 0%.

O membro da base governista com melhor desempenho é o também deputado Duarte Júnior (PCdoB), que registra 11% – em condição de empate técnico com Wellington – mas não tem a simpatia nem de Flávio Dino (PCdoB), nem de Edivaldo júnior (PDT).

Ao lado do senador Weverton, Edivaldo e Flávio Dino correm o risco de ver minar seus poderes, com estratégias equivocadas em São Luís

Para efeito de comparação, o candidato declarado de Flávio Dino, Rubens Pereira Júnior (PCdoB), registra apenas 1% das intenções de voto; O nome indicado pelo PDT de Edivaldo, Osmar Filho, aparece um pouco à frente, com 3%.

Juntos, os seis pré-candidatos da base governista – Duarte Júnior, Neto evangelista (DEM), Bira do Pindaré (PSB), Osmar Filho, Dr. Yglésio (sem partido) e Rubem Júnior – somam apenas 29% das intenções de votos.

De acordo com a Exata, os índices de votos nulos e de eleitores indecisos – que chegam a 15% –  representam mais da metade de todos os votos dados aos holandinistas.

Sinais de que a dupla pode acabar perdendo o poder se insistir em estratégias equivocadas…

1

Comunistas pressionam petistas por apoio a Rubem Júnior em São Luís…

Mesmo com o candidato do PCdoB com apenas 1% na mais recente pesquisa de opinião, lideranças do Palácio dos Leões querem forçar o PT a formar aliança para a sucessão do prefeito Edivaldo Júnior

 

Flávio Dino vai usar a articulação com Lula para forçar o apoio do PT a Rubem Júnior em São Luís

Com seu candidato em níveis sofríveis nas pesquisas sobre a sucessão do prefeito Edivaldo| Júnior (PCdoB) o PCdoB decidiu pressionar o PT a formar, mesmo assim, aliança em São Luís.

Os comunistas aproveitaram o congresso nacional do PT, no fim de semana, para tentar arrancar da direção nacional declarações quem encaminhassem para a formação de uma aliança em torno de Rubens Pereira júnior, que patina na casa de 1% das intenções de voto.

Para consolidar a coligação, o PCdoB aposta em duas linhas de ação:

1 – o controle que têm da direção estadual do PT, hoje nas mãos do professor Augusto Lobato, assessor especial do próprio governador Flávio Dino;

2 – o apoio ao projeto “Lula Inocente”, em torno do ex-presidente, recentemente libertado da prisão em Curitiba (PR).

Mas precisam, antes disso, mostrar que seu candidato tem alguma chance em São Luís…

1

Edilázio repudia manobra do Governo para a reforma da Previdência do MA

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD) repudiou ontem na Câmara Federal, a aprovação do Projeto de Lei que na prática instituiu a Reforma da Previdência do Estado do Maranhão na Assembleia Legislativa.

Com a alteração de alíquotas de contribuição previdenciária, mais de 70 mil servidores – entre ativos e inativos -, terão de pagar mais para o sistema previdenciário. 

“Hoje [ontem] na Assembleia Legislativa do Maranhão foi aprovada a Reforma da Previdência Estadual e mostrou a forma sorrateira como o governo estadual trabalha. O governador demagogo que nós temos [Flávio Dino] durante os últimos meses, criticou, todos os dias, o presidente Jair Bolsonaro e os colegas aqui favoráveis à Reforma da Previdência. Chegou ontem na Assembleia Legislativa [o projeto], foi votado em regime de urgência sem haver nenhuma discussão, nem mesmo os parlamentares estaduais sabiam o que estavam votando e resultou no aumento da alíquota em 3% para mais de 70 mil maranhenses funcionários públicos. Fica o repúdio à falta de diálogo do Governo do Estado do Maranhão”, pontuou.

Pelo relatório apresentado pela Segep à CCJ do Legislativo Estadual, cerca de 48 mil ativos e algo em torno de 25 mil servidores inativos que recebem a partir de R$ 3.000,01, pagarão uma alíquota agora de 14%. Até o início da semana, essa alíquota era de 11%.

A cobrança será feita por faixas salariais: assim, cada alíquota será cobrada apenas dentro da faixa de salário correspondente.

A aprovação da reforma provocou forte embate na Assembleia Legislativa e reação de servidores públicos estaduais.

1

“Querem ver problemas onde não há”, diz Márcio Jerry, sobre críticas ao PT…

Deputado federal que preside o PCdoB no Maranhão aponta que o reconhecimento do seu partido ao papel de Lula é o principal tema da entrevista sobre a relação com os petistas; e diz que “dialogar com a mente aberta não ofende”

 

Márcio Jerry reconhece liderança nacional de Lula, mas diz que o PT não pode querer mais ser hegemônico na esquerda

O deputado federal Márcio Jerry, que preside o PCdoB no Maranhão, reagiu nesta quarta-feira, 20, ao blog Marco Aurélio d’Eça, diante do post “Liberdade de Lula põe fim à lua de mel entre PT e PCdoB no Maranhão…”

Para ele, a frase mais eloquente da sua entrevista em que criticou a tentativa de hegemonia do PT nas eleições nacionais é a que reforça a visão comunista sobre a liderança de Lula no país e no mundo.

– A frase mais importante é a que reconhece o papel de Lula. Relação com Lula é ótima. Ele tem reconhecimento ao papel do PCdoB e, muito especialmente, do governador Flávio Dino. E dialogar com a mente aberta não ofende ninguém – ponderou o parlamentar. (Entenda aqui)

Em conversa com o titular deste blog, quando questionado sobre não ter feito esta crítica ao PT antes da saída de Lula da prisão, Márcio lembrou que, desde 1995 – quando ainda era filiado ao PT -, já fazia ponderações à tentativa de hegemonismo do partido.

– Não estou em guerra; apenas fiz uma ponderações que considero justa e necessária – afirmou.

3

Flávio Dino fez na Previdência do Maranhão o que critica em Bolsonaro…

Orientados pelo governo comunista, deputados estaduais atropelaram a oposição e aprovaram, menos de 24 horas depois de receberem o texto, a proposta integral de reforma encaminhada à Assembleia Legislativa

 

Não adiantaram as tentativas de diálogo de César Pires; a base atropelou e aprovou em 24h proposta de Flávio Dino

Menos de 24 horas depois de ser encaminhada à Assembleia Legislativa, a Reforma da Previdência imposta pelo governo Flávio Dino (PCdoB) foi aprovada integralmente pelos deputados, sob protestos da oposição.

A reforma de Dino impõe contribuição previdência aos servidores estaduais que varia de 9% a 22%, dependendo da faixa salarial.

O governador comunista fez no Maranhão tudo o que ele condena do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em âmbito nacional.

Pelas novas regras, cada categoria pagará da seguinte forma:

Até um salário-mínimo: 7,5%
Acima de um salário-mínimo a R$ 2 mil: 9%
De R$ 2 mil a R$ 3 mil: 12%
De R$ 3 mil a R$ 5.839,45: 14%
Acima de R$ 5.839,45 até R$ 10 mil: 14,5%
De R$ 10 mil a R$ 20 mil: 16,5%
De R$ 20 mil a R$ 39 mil: 19%
Acima de 39 mil: 22%

O deputado oposicionista César Pires (PV) ainda tentou abrir um debate sobre a reforma, mas foi vencido pelo rolo compressor da base governista.

A proposta vai agora à sanção do próprio Flávio Dino…

1

Liberdade de Lula põe fim à lua de mel entre PT e PCdoB no MA…

Incomodados com a possibilidade de perder o protagonismo da oposição ao presidente Jair Bolsonaro, agentes ligados ao governador Flávio Dino têm vindo a público para criticar a postura exclusivista do ex-presidente e de seu partido

 

Manifestação de agentes comunistas começam a mostrar que Flávio Dino tem se incomodado com o protagonismo de Lula na esquerda

Por enquanto, o próprio governador Flávio Dino (PCdoB) mantém silêncio sobre o assunto, é verdade.

Mas seus principais agentes políticos e familiares já começaram a alfinetar a postura do PT e do ex-presidente Lula, que foi posto em liberdade há duas semanas.

Primeiro foi o irmão do próprio Dino, o advogado Sálvio Dino Jr., quem se manifestou pelo Twitter apenas um dia depois de Lula ser libertado.

– Lula Livre, ok! Mas é preciso entender que o PT não tem mais condições de hegemonizar a esquerda – afirmou Sálvio Jr., em post que repercutiu na internet e na imprensa.

Lembrando que o irmão de Dino era filiado ao próprio PT até as eleições de 2018.

Dando de ombros à opinião dos líderes esquerdistas, Lula seguiu seu roteiro de fortalecer o PT como principal partido da esquerda brasileira; até que foi ainda mais direto, em Salvador (BA).

– O PT tem que ter em conta que um partido só cresce se ele disputa. O PT não nasceu para ser um partido de apoio – disse o ex-presidente. (Leia a íntegra aqui)

A acusação de golpe no PCdoB maranhense veio de ninguém menos que o deputado federal Márcio Jerry, principal agente político de Flávio Dino.

– Lula é a maior liderança do Brasil e aqui fora tem um papel fundamental, por isso espero que ele pense muito em ajudar o Brasil a sair desta crise, não com o hegemonismo petista, não achando que o PT sozinho resolve todo os problemas. Isto é errado. É preciso dialogar e ter a mente aberta – declarou o deputado.

É bom lembrar que Jerry chegou a oferecer o Maranhão como morada ao petista, logo que ele deixou a cadeia.

Neste aspecto, Lula no Maranhão seria o quê? Auxiliar do projeto de Flávio Dino?

Ao que tudo indica, para Dino e seus agentes, Lula só valia enquanto preso…

2

Pedido de vista de César Pires adia votação da nova previdência maranhense…

Governo Flávio Dino quer aumentar a alíquota da contribuição dos servidores públicos, que pode chegar até a 22%, para os que ganham acima de R$ 39 mil; grosso do funcionalismo passará a pagar 12%

 

César Pires interferiu para que a proposta de previdência do governo Flávio Dino fosse, ao menos, conhecida pelos deputados estaduais antes de ser votada

Coube ao deputado César ires (PV) abrir espaço para garantir a possibilidade de debate em torno do projeto de Reforma Previdenciária que o governo Flávio Dino (PCdoB) encaminhou nesta terça-feira, 19, à Assembleia Legislativa.

A proposta do comunista chegou de afogadilho e seria votada em regime de urgência, sem nenhuma discussão com a sociedade ou com os deputados.

Flávio Dino quer aumentar a alíquota de contribuição previdenciária de todas as categorias do servidor público, que passarão a descontar de 7,5% a 22%, de acordo com a faixa salarial.

A proposta deve voltar a ser analsiada nestas quarta-feira, 20 na Assembleia Legislativa…