9

Que Polícia é esta???

No Coroado, polícia prende, negocia e solta...

Como pode um bandido conhecido das polícia entrar e sair nada menos que oito vezes na cadeia em menos de um ano, como revelou hoje o Jornal do Maranhão 2ª Edição?

Como pode um bandido já preso por roubo, entrar e sair inúmeras vezes na cadeia e continuar praticando crime?

E a ficha corrida deles não é coisa pequena, não: homicídios, tentativa de homicídios, assalto a mão armada, tráfico de drogas e roubo de veículos.

Mesmo assim, os dois conhecidos da Polícia – quem agem juntos a partir do Coroado – se juntaram para matar um comerciante no Cohatrac.

É impressionante que bandidos deste tipo possam continuar soltos.

Mais impressionante ainda é que os inquéritos abertos contra eles nem cheguem à Justiça – que poderia determinar a condenação.

No Coroado é comum bandidos comemorarem a soltura com festas, depois de negociar com a própria polícia a liberdade.

E não escondem de ninguém que pagaram por isso.

E voltam todos para o mundo do crime.

Uma, duas, oitos vezes seguidas…

Marco Aurélio D'Eça

9 Comments

  1. MAIS DE 100 DIAS DE GREVE DOS DELEGADOS DA POLICIA CIVIL,MARCO CADE OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO QUE VIVEM CALADO,CADE A RESPOSTA DO GONVERNO??? VAMUS FICAR MAIS QUANTO TEMPO DESSA FORMA???

  2. Prezado,

    Estamos a inteira disposição para quaisquer tipos de intervenção da POLICIA CIVIL no que tange a instaurarmos Inquérito Policial de caráter sigilo com fito de apurar desvios de conduta por parte de policiais que esteja, por ventura, se envolvendo com corrupção em qualquer modalidade.
    Meu e-mail é [email protected] e meus telefones são 88259348 e 32143721 (direto do gabinete).
    Quanto a prova que ante as oito prisões inerentes à pessoa do criminoso alcunhado por “big-big”, é só pesquisares no TJ on line que verás a extensa ficha de processos que o referido responde e os respectivos juízes ou juízas que os presidem.

    Sebastiao Uchoa

    Obs: É mais prudente enviares os dados que possuem sem qualquer manifestação no blog.

  3. Prezado Bloguista,

    Na qualidade de Superintendente de Policia Civil da Capital, bem como repassador das informações que subsidiaram a matéria veiculada à rede de televisão em apreço e citada pelo nobre, cumpro o dever institucional e como operador do direito na fase preliminar da persecução criminal (delegado de policia) informar aos leitores desse blog acerca de que, das 8 (oito) prisões do mencionado Bruno Rapael, alcunhado por “Big-big”, seis prisões foram efetuadas pela POLICIA CIVIL DO MARANHÃO e duas pela POLICIA MILIITAR do nosso estado.
    Se se o órgão que concedeu inúmeras vezes a liberdade provisória com ou sem fiança à pessoa do supracitado indiciado, com certeza, não fora por falta de remessa dos inquéritos policiais em tempo hábeis muito menos falta de elementos para a condenação do aludido desde tenra idade à criminalidade revelada ainda quando se tratava de menor infrator, bem como de 2008 para cá, de tal forma que o que consta na ficha criminal do referido, resulta necessariamente dos Procedimentos Policiais (Inquéritos Policiais) realizados pelas mais diversas Unidades da Polícia Judiciária deste estado e remetidos à Justiça, inclusive inúmeras prisões foram realizadas em flagrante delito pelas forças policiais deste estado.
    Se o entendimento do órgão julgado for pela manutenção da liberdade, não podemos, na qualidade de Policiais criar ou desrespeitar decisões judiciais, embora muitas vezes indignados pelos entendimentos diversos que levam a soltura de facínoras do estilo.
    Saibam que muitas vezes lutamos para que saia uma prisão em sede de inúmeras representações (pedidos) ao Judiciário, já que a regra no Estado de Direito invertido, acredito eu, é que a prisão funciona como exceção, e a liberdade como paradigma. Infelizmente, embora veja tal posicionamento importante, mas deveria sofrer vários “temperos” em nome dos interesses coletivos, sobretudo quando estamos numa era de completo desencarceramento dos criminosos e encarceramento da sociedade. Que pesem e respeito entendimentos contrários.
    Assim, não é justo transferir a culpa para as POLICIAS em si mesmas, já que se há algo de errado, e com certeza há, não podemos direcionar a parte mais fraca e indefesa que é a atividade policial em seus ofícios públicos de prevenção (PM) e repressão (PC) à criminalidade no geral revelada nesses últimos em todas as capitais desse imenso continente chamado Brasil, a culpas maiores, mas a um conjunto de causas que historicamente hoje mais do que nunca se sabe, como verdadeiras propulsoras à manutenção de um modelo de sociedade criminógena em todas as vertentes possíveis, principalmente pelo reino que se impera nas omissões mais latentes e não latentes possíveis.
    E mais injusto ainda, é não reconhecer os grande feitos realizados pelas forças policiais do Maranhão nesses últimos quinze meses de gestão da SSP, é só folhear os jornais e as estatísticas que bem colocará cada um em seu devido lugar, e em poucas palavras não se chegará a outra conclusão que somos, ainda diante das dificuldades estruturais, a POLICIA que faz a diferença e FAZ, mesmo tendo tantos obstáculos a vista.
    Cordialmente,
    Sebastião Uchoa/Delegado de Policia Civil/Superintendente de Policia Civil da Capital

    Resp.: Há um poblema em suas explicações, meu caro superintendente: Primeiro, não consta que o marginal big-big tenha sido posto em liberdade – em todas as oito vezes em que fora preso – por decisão judicial. E se foi, seria coerente que a polícia encaminhasse, pelo menos, nº e nome da autoridade judicial autora de tal decisão. E o blog, para a boa comunicação, não se furtará em publicá-las.
    Mas o que consta, meu caro superintendente, é que estes bandidos deixam a cadeia em negociações outras – extra-judiciais. Não só este, mas o seu comparsa também – e outros acusados no Coroado por outros crimes.
    Se houver qualquer decisão judicial em favor de Big-big – mesmo depois de oito entradas na polícia por crimes violentos e crueis – mande-me e publicarei no blog.
    Esta resposta ao seu comentário, caro superintendente, seria bem maior. Após ler e reler, mostrar pra minha esposa, decidimos ficar só por aqui, pois, expondo isto, estaria expondo a minha família inteira, que mora lá no Coroado, sob os olhares de gente perigosa.
    Mas, se o senhor achar conveniente, encaminhe-me seu e-mail e encaminharei o reto da resposta, confiando na sua integridade de mantê-la sob sigilo. Não por que seja algo tão grave que a polícia não saiba, mas por saber que envolve gente que está a todo momento convivendo com pessoas que me são caras.
    No mais, grato pela participação e pelos esclarecimentos.

  4. O Brasil é um país que fizeram leis ao longo dos anos pressupondo que bandidos de alta periculosidade possam se recuperar, coisa da cabeça de gente lunática e ingênua.
    O que acontece é que o bandido comete uma infinidade de crimes, a polícia prende, a justiça solta e o marginal segue delinquindo.
    Temos que fazer oque fazem americanos e ingleses, se o sujeito persiste no crime suas chances de pena branda se acabam rapidamente, até o ponto que ele pega perpétua ou 200 anos de prisão e não sai mais.
    A maioria dos bandidos é irrecuperável, quem é do ramos repete sempre isso.
    Outra coisa curiosa é que o Coroado tem os piores índices de violência de São Luis a muito tempo.

    resp.: Só um detalhe: você está confundindo Coroado com Coroadinho. Coroado não tem registro de violência, “há muito tempo” como você afirma. Aliás, Coroado e Coroadinho nem fazem divisa. O Coroado é um pequeno loteamento público, todo asfaltado, nas proximidades do João Paulo. O Coroadinho é uma ocupação urbana gigantesca, que reúne diversas outras invasões e fica colado à Coheb do Sacavem e chega a fazer divisa com a Vila Maranhão. Está há mais de cinco quilômetros do Coroado.

  5. Marcos,

    Concordo em parte com o seu posicionamento, e o parabenizo pela coragem de abordar esse tema tão inquietante e que muito sofrimento tem causado para as famílias que perdem seus entes queridos por conta da sanha e da crueldade dos bandidos, que sem piedade executam suas vítimas sem direito à defesa.
    Não é segredo para ninguém que a fonte de alimentação de toda esse violência gratuita é a corrupção reinante em nosso meio, e que tem como prima irmã a impunidade. A corrupção nos meios policiais é uma realidade e todos nós ficamos chocados quando tomamos conhecimento de casos dessa natureza, e, mais ainda quando sabemos que é a justiça a grande responsável pela soltura de bandidos perigosos como estes e tantos outros, que quando são libertados cometem as maiores atrocidades contra os cidadãos, e ainda assim são tratados com regalias pelo judiciário. Temos visto rotineiramente a polícia cumprir com as suas obrigações de identificar e prender bandidos perigosos e a “justiça” mandar solta-los sem levar em conta os riscos para a sociedade e a periculosidade de criminosos como esses que executaram um pai de família de forma covarde, vil e sem dó.

    Resp.; A questão toda, caro Antonio, é que, nestes casos específicos envolvendo bandidos da periferia de São Luís – tão perigosos quanto traficantes e assaltantes nacionais – as questões nem chegam à Justiça, sendo negociadas em “balcões policiais”.

  6. É a Policia do “MELHOR GOVERNO DELA “…
    Que vergonha essa Policia aqui do MAranhão.

  7. Marcos , píor do que a corrupção aos policiais , é nossa justiça totalmente caduca , parecendo casa de taipa cheia de bhechas , onde os advogados bancados pelo dinheiro da droga que já assola São Luís tiram estes crimisosos da cadeia horas depois de ser preso.Culpado ? não é a justiça(que ganha muito bem) ,não é polícia(que ganha mal) e sim nossos políticos(que ganham muito bem ,fora as regalias da própria da sua própria lei que obtém vanatagem em uma prisão) que são ´(in)responsáveis pela formação das leis

  8. Marcos,
    Gostei da sua coragem em denunciar esses desmandos. Este é o caso de um bando em Lago da Pedra que aterroriza a cidade e toda a região. CICERO DA INÊS é um crimonoso perveso, calculista e sem escrúpulos. Mata crianças e jovens todos os dias no seum mundo de crimes e diz que tem costas largas e não tem nada a declarar quando é preso.
    Prisão perpétua a esses tipos de bandoleiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *