7

Roseana Sarney e o timing eleitoral…

Ao optar por afastar-se do processo político do Maranhão e deixar o governo antes do tempo, ex-governadora isolou-se politicamente, e, agora, tenta retornar ao front, mas enfrenta dificuldades de ambientação com os novos cenários

 

 

Com forte carisma, Roseana ainda é vista como popstar por onde passa

Com forte carisma, Roseana ainda é vista como popstar por onde passa

A ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) é o maior cacife eleitoral que o seu grupo político ainda dispõe no Maranhão.

Mas ela está fora de contexto, de tempo e de espaço. E por opção própria.

Roseana poderia estar no debate sobre o Maranhão de Flávio Dino (PCdoB) e o Maranhão que ela deixou. Mas preferiu isolar-se, sem qualquer participação pública nestes nove meses de mandato do comunista.

Ninguém, apenas ela, teria capacidade de mostrar a comparação do que o Maranhão tinha e o que tem hoje, nove meses depois de o comunista assumir o poder.

A “Branca” poderia também estar no debate sobre a gestão de Edivaldo Holanda na capital maranhense – onde, historicamente, foi a melhor prefeita de todos os tempos, mesmo sem nunca ter exercido o mandato.

Mas também isolou-se deste contexto, rechaçando, inclusive, o envolvimento de seu nome em pesquisas e cogitações sobre as candidaturas em 2016.

Fora do debate, ex-governadora abre mão da força eleitoral

Fora do debate, ex-governadora abre mão da força eleitoral

O problema de Roseana como liderança, é que ela se habituou a ganhar, a disputar apenas com a certeza de vencer. E precisa entrar na fase também de correr riscos, arriscar-se a ser derrotada.

Leia também:

Roseana Sarney e as eleições de 2016…

As ações de Roseana Sarney em São Luís…

O indestrutível carisma de Roseana Sarney…

Agora, ela quer voltar, quer discutir as questões no front partidário.

Mas, anda timidamente neste cenário, não consegue se impor no próprio partido, o PMDB, que vive intensa crise entre lideranças.

Roseana Sarney parece desambientada da Política.

De todos os nomes que hoje poderiam liderar a oposição ao governo Flávio Dino, ela seria a mais legitimada, pela própria obra que construiu no Maranhão.

Mas optou por “espairecer” fora do estado, isolando-se de tudo e de todos.

Se a ex-governadora sonha em colocar-se como protagonista nas eleições de 2018, é preciso que debata também a São Luís de 2016.

E neste debate precisa ser linha de frente, sem tergiversar, tomando uma opção e debatendo suas teses sobre a cidade cara a cara com o povo – seja como protagonista, seja como madrinha de um candidato.

Ninguém pode defender o legado de Roseana como a própria Roseana.

Mas ela precisa estar na planície para fazer o contraponto – por que são outros, agora, os donos do poder.

As batalhas são feitas de vitórias, mas também de derrotas.

E perder, às vezes, também é ganhar…

Marco Aurélio D'Eça

7 Comments

  1. Ela está preocupada é com Sérgio Moro , juiz da operação lava-jato. O palanque dela vai ser a cadeira reservada aos réus acusados de corrupção na Petrobras.

  2. O que acho mesmo é que a galera da mamata é que tá fazendo pressão pra que ela se candidate a alguma coisa pra ver se cola, tá todo mundo na liseira procurando se escorar em algum órgão público, só que essa época acabou!!!!

  3. Agora que a população está conhecendo os benefícios de se ter uma prefeitura e um governo trabalhando em prol da cidade, querem ressucitar a ¨guerrera¨. kkkkkk… Mas sei que aqui ela não ganha, assim como ela também sabe disso, sempre perdeu na capital, não seria diferente agora.

  4. Roseana está afastada da política, pois está com medo dos desdobramentos da Lava Jato, onde seu envolvimento é algo certo! O próprio Cunha que é também do PMDB, já alfinetou ela por conta da Operação. E em São Luís, dificilmente Edivaldo não se reelegerá, pode até colocar o Sarney velho que ele também perderá.

  5. Que legitimidade essa senhora tem? Para de ser babão, blogueiro. Ela desgovernou o Maranhão por quase duas décadas e deixou o Estado com os piores índices de tudo. A oposição tem que procurar um nome novo, de preferência que não tenha Sarney, Murad, Junior, Neto no sobrenome (coisa quase impossível), que é pra não pegar a catinga desse povo que arrasou o Estado. Chega desses sangue-sugas.

    • JB, que comentário preconceituoso amigo. Sua mentalidade é a mesma dos comunistas que estão destruindo o nosso estado. Descriminar as pessoas pelo sobrenome é no mínimo facista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *