3

Grande São Luís revelou problemas em dias de forte vacinação

Governo do Estado e Prefeitura de São Luís concentraram vacinação em pontos específicos – sem separação de idades ou prioridades – o que gerou tumultos por demasiada demora no atendimento

 

Com demanda maior que oferta, aglomerações no Multicenter Sebrae geraram tumultos

A intenção foi muito boa: criar um dia para atender retardatários e diminuir o fluxo por idade na vacinação.

Mas o resultado neste domingo, 6, foi desastroso, tanto para o Governo do Estado quanto para a Prefeitura de São Luís.

Tanto no drive thru do Shopping da Ilha quanto no Multicenter Sebrae – pontos da prefeitura – filas quilométricas e pessoas expostas ao sol e à chuva por horas, diante da falta de atendentes.

No Shopping Pátio Norte, em mutirão criado pelo Governo do Estado sem nenhum planejamento prévio, a confusão se deu pela falta de clareza no atendimento, o que gerou revolta entre moradores de Raposa, de Paço do Lumiar, de São José de Ribam,ar e de São Luís.

Muita gente voltou sem vacinar por causa destas filas e confusões.

Problemas que precisam ser corrigidos urgentemente…

 

0

Sensatez deve ser impulso do primeiro passo por aliança entre governo e prefeitura

Aliados do governador Flávio Dino propõem que o prefeito Eduardo Braide busque o governo para formar parceria por São Luís;  e ouvem do secretário municipal de Comunicação, Joaquim Haickel, que o comunista precisa ser o primeiro a se manifestar

 

Eduardo Braide e Flávio Dino podem fazer parceria; não por política, mas por sensatez

Aliados do governador Flávio Dino (PCdoB) propõem publicamente, desde a manhã de segunda-feira, 3, que o prefeito Eduardo Braide (Podemos) busque o diálogo com o governo em nome de uma parceria por São Luís.

A proposta foi apresentada primeiramente na Câmara de São Luís, pelo vereador Paulo Victor (PCdoB); e endossada pelo secretário de Cidades e principal aliado de Flávio Dino, deputado federal Márcio Jerry (PCdoB).

Nesta terça-feira, 4, o secretário municipal de Comunicação, Joaquim Haickel, mostrou-se simpático à proposta dos comunistas, mas relembrou a falta de um cumprimento do governador pela vitória do prefeito; e pregou que – por causa disto – o primeiro passo deve ser dado por Flávio Dino, não por Braide.

Parcerias por São Luís vêm sendo propostas de lado a lado – governo e prefeitura – desde 1995, quando Roseana Sarney era governadora e Conceição Andrade prefeita.

Hoje, as duas são aliadas, mas a parceria efetiva entre as suas gestões nunca se efetivou; nem com Roseana e Conceição, muito menos com Roseana e Jackson Lago (PDT), José Reinaldo (DEM) e Tadeu Palácio (PDT), Jackson Lago (PDT) e João Castelo (PSDB), Roseana e Castelo ou Roseana e Edivaldo Júnior (PDT). (Relembre aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e também aqui)

Edivaldo e Roseana chegaram a sentar à mesa paras discutir São Luís; mas a parceria não se efetivou por falta de ações de lado a lado

A aliança só se deu a partir de 2015, quando Flávio Dino assumiu o governo com o apoio de Edivaldo.

No momento atual, governador e prefeito estão, de novo, em lados opostos da política.

Mas, diante da pandemia, não é por dívida de gratidão ou de reconhecimento – muito menos por opressão de poder – que esta aliança deve se efetivar.

O primeiro passo deve ser dado por sensatez.

É simples assim…

2

De como Weverton Rocha cria as próprias condições para 2022

Ao mesmo tempo que atua ativamente como parlamentar – inclusive com ações efetivas contra a CoVID-19 – senador busca o apoio do maior número de partidos, reúne as principais lideranças políticas e cria uma base envolvendo em seu projeto a maior parte do grupo que apoia o governo Flávio Dino

 

Weverton Rocha constroi suas próprias condições para disputar o governo em 2022; caberá a Flávio Dino apoiá-lo ou não

Análise de conjuntura

Este blog sempre sustentou – e a história confirma – que a eleição do senador Weverton Rocha(PDT) em 2018, só foi possivel por que o próprio pedetista construiu as condições para se viabilizar.

O apoio do governador Flávio Dino (PCdoB) – fundamental, inclusive – só se deu após o nome de Rocha se tornar irreversível naquela disputa.

Pré-candidato a governador em 2022, Weverton agora constrói –  da mesma forma que em 2018 – as condições para que sua candidatura se torne irreversível.

A um ano e meio das eleições, Weverton ja reúne em torno de si o maior número de partidos e as principais lideranças políticas do grupo de Flávio Dino.

Tecnicamente, Weverton tem ao seu lado a base de Flávio Dino.

Ou seja, criou as condições para que o próprio Dino reconheça sua candidatura.

O senador do PDT faz todo este movimento sem abrir mão de sua efetiva atuação parlamentar; tanto que é, hoje, um dos mais ativos membros da bancada maranhense no enfrentamento da coVID-19.

Como protagonista de um projeto que reúne a maior parte da bancada federal e a maior parte das lideranças políticas estaduais – prefeitos, vereadores, deputados federais e estduais – Weverton nao abre mão de sua atuação contra a pandemia.

E tem trazido para o Maranhão ações importantes para a saúde do maranhense.

Weverton reúne hoje as condições partidárias, eleitorais, políticas e administrativas para ser uma das principais lideranças estaduais.

E o principal nome para o Governo do Estado.

Gostem ou não os adversários…

5

Pesquisas já circulam com o nome de Márcio Jerry…

Aliados do governo Flávio Dino e entusiastas de uma solução de consenso para a sucessão do comunista falam de levantamentos que apontam percentuais na casa dos 10% para o atual secretário de Cidades

 

Márcio Jerry passa a figurar como opção de Flávio Dino para as eleições de 2022

Alçado ao posto de secretário de Cidades como responsável por buscar o consenso na base do governo Flávio Dino (PCdoB), o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) já surge, ele próprio, como opção de consenso para 2022.

Aliados do parlamentar apontam pesquisas que o põem com até 10% de intenção de votos na corrida pelo Governo do Estado, atrás apenas do senador Weverton Rocha (PDT) e à frente do vice-governador Carlos Brandão (PRB).

Jerry chegou ao governo após o racha na base de Flávio Dino durante as eleições municipais, provocado, sobretudo, pelo açodamento de Brandão em busca de consolidação do próprio nome para o governo.

Mas sua inclusão em levantamentos de vários aliados mostram que o secretário de Cidades já é, ele próprio, uma opção do governador, ao lado de Weverton, Brandão, Eliziane Gama (Cidadania) e Edivaldo Júnior (PDT).

Uma profusão de candidatos que remete, exatamente, à divisão de 2020, que Flávio Dino tenta evitar em 2022…

6

Eliziane Gama já decidiu: será candidata em 2022…

Senadora eleita em 2018 vai incluir o nome na disputa pelo Governo do Estado e já comunicou a decisão aos aliados e prováveis adversários

 

Eliziane Gama entra na briga pelo Governo do Estado e amplia número de candidatos na base de Flávio Dino

Líder em todas as pesquisas que já a incluíram na disputa pelo Governo do Estado, a senadora Eliziane Gama (Cidadania) tem comunicado aos aliados e até a prováveis futuros adversários, que também estará na disputa de 2022.

A senadora, eleita em 2018, pode concorrer pelo Cidadania ou até mesmo por outra legenda, já que vem conversando com partidos de todos os matizes.

Eleita melhor senadora de 2020 no Congresso, a maranhense tem apresentado excelente desempenho nacional com sua postura crítica em relação ao governo Jair Bolsonaro.

Eliziane Gama é o quarto nome da base do governo Flávio Dino (PCdoB) a manifestar interesse pela sucessão do comunista.

Além dela, são pré-candidatos o vice-governador Carlos Brandão 9PRB), o senador Weverton Rocha (PDT) e o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PDT).

O risco é a disputa descambar para uma nova guerra fratricida na base de Flávio Dino.

Mas isso, só a habilidade do próprio governador poderá impedir…

0

Erlânio quer independência política e parcerias produtivas na Famem

Atual presidente da entidade municipalista diz que o processo de fortalecimento da entidade passa pela liberdade ampla dos gestores em articular seus municípios com relação institucional – e não dependência – do governo

 

O prefeito Erlanio Xavier, candidato a presidente da Famem no biênio 2021-2022 pela “Chapa 1 Sálvio Dino – Municipalismo na Prática”, destaca como principal proposta da gestão o fortalecimento do municipalismo, a independência política e parcerias produtivas.

No entendimento do prefeito de Igarapé Grande em segundo mandato, a eleição da Famem definirá o projeto que os prefeitos desejam para seus municípios. “Estou muito feliz com a receptividade de todos com quem mantive contato. E, particularmente, grato a cada um pelo reconhecimento ao trabalho e adesão dos prefeitos”, disse Erlanio Xavier.

Segundo avaliação do candidato à reeleição, no período em que dirigiu a entidade, manteve relação institucional, e, sobretudo, de amizade com os prefeitos.

“Estivemos ao lado dos prefeitos, dando-lhes toda a atenção e defendendo firmemente seus interesses. Todos somos capazes de discernir aquilo que é promessa e o que é a realidade”, destacou o prefeito. A continuidade do trabalho, de acordo com o candidato, será fortalecida com o acúmulo de experiências adquiridas. 

Em quase 20 meses que esteve na presidência da Famem, o prefeito Erlanio Xavier protagonizou o movimento municipalista no estado, agregando forças políticas variadas.  Como prefeito de Igarapé Grande, Erlanio demonstrou imensa capacidade administrativa chegando mesmo a abdicar de fazer campanha para que a população avaliasse seu trabalho. O resultado foi a vitória retumbante nas urnas, com mais de 84% dos votos válidos, legitimando a qualidade da gestão.

“Temos a clareza e a humildade de quem tem trabalho a apresentar. Daí, estou pedindo o voto consciente para darmos continuidade ao trabalho de atenção aos prefeitos e municípios”, afirmou.

A atuação destacada de Erlanio na presidência da Famem levou a entidade a registrar recorde de adesão dos municípios. Com a filiação de todos os 217 municípios do estado, a entidade municipalista do Maranhão obteve destaque nacional. 

 

5

Flávio Dino anuncia fogos, mas silencia diante de pressão do MP a festas

Governador chama a população para queima de fogos na virada do ano, mas nada diz sobre a cobrança de promotores que querem fiscalização do Executivo em eventos privados; queda de braço cria clima de tensão e leva a cancelamento de festas

 

As manifestações do Ministério Público contra a realização de reveillon traz de volta à baila o temido e ameaçador promotor Cláudio Guimarães

Faltando três dias para o reveillon, o clima é de tensão e expectativa nas casas de eventos, bares e restaurantes que já anunciaram a realização de festas na virada do ano, diante da pressão do Ministério Público por fiscalização do governo.

Embora se mantenha em silêncio diante da cobrança do MP – mas com a decisão da Vigilância Sanitária de fiscalizar as festas – o governo Flávio Dino (PCdoB) já foi às redes sociais para anunciar locais de queima de fogos promovida pelo Executivo, o que, obviamente, atrai aglomerações.

Ainda não há nenhuma decisão judicial ou decreto governamental sobre o reveillon, mas as manifestações públicas de promotores de Justiça têm gerado instabilidade na organização das festas, inclusive com queda na venda de entradas e pacotes de fim de ano.

E a ameaça dos órgãos de fiscalização têm levado ao cancelamento de várias destas festas…

1

Reveillon está garantido em bares, clubes e residências

Apesar de o Ministério Público recomendar fiscalização em locais que promoverão festas, o órgão não tem poderes para cancelar festas, o que só poderá ocorrer se houver decisão do Judiciário ou decreto do Executivo

 

As festas de comemoração do reveillon poderão ser realizadas normalmente

Editorial

As festas de reveillon no Maranhão em bares, clubes sociais, condomínios e residências estão garantidas.

Não há nenhuma proibição judicial e muito menos decreto do Executivo que proíba a realização destes eventos, desde que sigam as recomendações de prevenção à CoVID-19.

Apesar de parte da imprensa e das redes sociais interpretar equivocadamente uma recomendação do Ministério Público – que não tem poder para determinar o fechamento de eventos – as festas privadas no dia 31 de dezembro estão liberadas.

A má-interpretação da recomendação do MP – e o desinteresse do próprio órgão em desmentir as fakes news – levou á redução no número de vendas para eventos sociais no reveillon.

mas as festas podem ser realizadas normalmente, desde que sigam as recomendações de prevenção contra a CoVID-19, como utilização de máscaras por profissionais de atendimento, distanciamento social e redução no número de ingressos, para evitar aglomeração.

O que o Ministério Público pede – e não determina – é que as autoridades responsáveis façam a fiscalização de cumprimento dessas regras.

No mais, é comemorar a chegada do ano novo de forma responsa´vel e coms egurança contra a pandemia.

Simples assim…

9

Em campanha aberta pelo governo, Brandão sentencia: “não vou para o TCE”

Vice-governador se declara preparado para continuar o trabalho iniciado pelo governador Flávio Dino, vincula diretamente a sua candidatura ao comunista e revela que seu indicado para o Tribunal de Contas é Marcelo Tavares

 

Brandão quer ter a candidatura ao governo totalmente vinculada a Flávio Dino; mas quer o controle da indicação do novo conselheiro do TCE, em 2022

O vice-governador Carlos Brandão (Republicanos) abriu de vez a pré-campanha pelo Governo do Estado, nesta terça-feira, em entrevista ao jornalista Diego Emir.

Em campanha aberta para suceder Fla´vio Dino (PCdoB), Brandão descartou ir psara o Tribunal de Contas do Estado, como já foi especulado nos bastidores da Política.

– Não vou para o TCE – sentenciou Carlos Brandão a Diego Emir, de forma clara e objetiva.

Afirmou mais Brandão: seu candidato à vaga no TCE é o chefe da Casa Civil do governo Dino, deputado estadual Marcelo Tavares (PSB), seu principal aliado no contato com os prefeitos.

Chefe da Casa Civil do governo Flávio Dino, Marcelo Tavares é o candidato de Brandão para a vaga no TCE

Ao afirmar sua pretensão de ser candidato a governador, o vice-governador vincula diretamente a sua candidatura a Flávio Dino e afirma que pretende continuar a fazer tudo o que o comunista faz, mesmo sendo de um partido ligado à base do presidente Jair Bolsonaro.

Em seu projeto para chegar ao governo, além da pose no governo em 2022, Brandão quer, antes, ter controle sobre os prefeitos maranhenses.

Para isso, tenta influenciar nas eleições da Famem, mesmo com o governo declarando-se isento neste processo, que tem o pedetista Erlânio Xavier como principal candidato.

4

Weverton Rocha intensifica campanha pelo governo no interior

Senador do PDT tem estado cada vez mais presente nos municípios, apoiando candidatos do PDT ou aliados do seu partido, construindo as bases da candidatura em 2022, que agora enfrenta a dupla Carlos Brandão/Josimar de Maranhãozinho

 

líder de um grupo construído pela própria força pessoal, Weverton tem levado o 12 do PDT cada vez a mais municípios

Único pré-candidato declarado às eleições de 2022, o senador Weverton Rocha (PDT) decidiu antecipar o debate pelo Governo do Estado nestas eleições municipais.

E intensificou a presença nos municípios, seja para apoiar candidatos do seu partido, o PDT; seja com aliados apoiados pelos pedetistas.

Desde o fim das convenções partidárias, Weverton começou a perceber que agora enfrenta não apenas o vice-governador Carlos Brandão (PRB) – mais tímido no trato político – como também o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL), que usa métodos políticos menos ortodoxos.

O senador pedetista aproveita a campanha municipal para também levar a própria mensagem ao eleitor maranhense, cada vez mais familiarizado com ele

Construindo a própria base eleitoral, com partidos que vão do PDT ao DEM; do PTB ao PSL, passando também por MDB – que pode construir inédita chapa Weverton/Roseana – o senador pedetista aparece bem posicionado nas pesquisas.

Mas sabe que tem pela frente um adversário no comando do governo.

E com uma máquina pronta a trabalhar durante a campanha…