3

Márcio Jerry perdeu o juízo…

Jerry quer privar a sociedade de saber fatos como este

Jerry quer privar a sociedade de saber fatos como este

Por Nonato Reis*

Mesmo sem a vivência no ambiente das redações, o jornalista Márcio Jerry, hoje transformado em secretário todo-poderoso de Flávio Dino, construiu uma reputação sólida como professor acadêmico do curso de Comunicação Social da UFMA.

É um teórico, um formulador de políticas de comunicação.

Daí o espanto com a sua nota, publicada ontem em redes sociais, em que exorta jornalistas, radialistas e blogueiros a “não repercutir boatos e ações criminosas”.

Com relação a boatos, estou de acordo. Qualquer informação deve ser cuidadosamente checada, antes de divulgada. Isto constitui o óbvio ululante.

Querer que não se divulguem as ações patrocinadas por bandidas, além de soar pretensioso, constitui desrespeito com a profissão, em primeiro plano, e com a sociedade, que é a legítima destinatária da informação.

Em outro trecho de sua postagem, Márcio Jerry conclama seus colegas de profissão a selarem um pacto com o governo contra a criminalidade. Como tese, pode até parecer bonito. Na prática é um desastre, porque embute a ideia de uma defesa cega do poder constituído e elimina do jornalismo a sua essência, que se pauta na investigação e na crítica.

A imprensa não tem que fazer pacto com quem quer que seja, porque todas as vezes em que isso acontece é a sociedade que se vê golpeada no seu direito de ser bem informada.

O único pacto imaginável para a mídia é com o interesse público. Eu nem costumo dar ressonância a anomalias desse gênero.

Faço-o em atenção à biografia do Márcio e também para que ele reflita sobre tamanha bobagem.

Se que é que ainda lhe sobra um pingo de humildade.

Se é que algum dia a teve…

*Nonato Reis é Jornalista
Com ilustração do blog

Marco Aurélio D'Eça

3 Comments

  1. Marco! Só agora tu percebeu Q Marcete JERRETE é um sem noção.E o pior é Q tem jornalista ainda mais abirolhado ,Q vai nessa onda desse comunista do capeta.

Deixe uma resposta para Carlos Filho Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *