4

Desprezo de Bolsonaro pelo Maranhão reflete falta de prestígio de seus aliados…

Presidente não incluiu o estado no pacote de políticas para a agricultura do Nordeste, o que põe em xeque o senador Roberto Rocha, a ex-candidata a governadora Maura Jorge, o médico Alan Garcês e o coronel Monteiro

 

PRINCIPAL ROSTO DO PRESIDENTE BOLSONARO, HOJE, NO MARANHÃO, senador Roberto Rocha vai ter que explicar ausência do Maranhão de pacote de ações

A justificativa do governo Jair Bolsonaro (PSL) para não incluir o Maranhão no pacote de medidas para a agricultura do Nordeste – a de que o estado não faz parte do semiárido – pôs em maus lençóis os seus aliados no estado.

O senador Roberto Rocha (PSDB), a ex-candidata a governadora Maura Jorge (PSL), o médico Alan Garcês e o coronel Monteiro precisam dar explicações à população.

Essas lideranças políticas têm atuado – desde a campanha e, sobretudo, após a eleição de Bolsonaro –  para mostrar aos maranhenses que as políticas públicas viriam em peso.

Nunca vieram; e está cada vez ais clara a guerra surda entre o presidente e o governador Flávio Dino (PCdoB).

Mas se a não inclusão do Maranhão em importante ação de governo tem a ver com essa guerra, aí mesmo é que Rocha, Maura, Garcês e Monteiro terão que se explicar.

Afinal, eles se fizeram rostos de Bolsonaro no Maranhão…

10

Enquanto Flávio Dino tira onda em Havard, estradas maranhenses viram farelo…

Governador passou a semana em Massachussets, nos Estados Unidos, em eventos articulados para vender ações do seu governo para americano ver; enquanto isso, o estado vai caindo aos pedaços

 

As imagens que ilustram este post é da MA-122, que liga a região de Imperatriz à BR-135 e a municípios como Amarante e Senador La Rocque.

A rodovia foi simplesmente partida ao meio, diante da intensidade das chuvas, somada à péssima qualidade dos serviços de execução da rodovia.

Assim ocorreu com várias estradas maranhenses ao longo desta semana, como foi mostrado no blog Marco Aurélio D’Eça. (Relembre aqui, aqui e aqui)

Enquanto o Maranhão caía aos pedaços, o governador Flávio Dino (PCdoB) se exibia na Universidade Havard, na cidade de Cambridge, em Massachussets (EUA) como palestrantes de ações exitosas do seu governo.

Falou, dentre outras coisas, sobre o sistema carcerário maranhense…

1

Edilázio manda Ofício a Sérgio Moro sobre ação contra desembargadores…

Com carimbo de “Urgente”, documento pede ao ministro da Justiça que determine investigação das denúncias feitas pelo delegado Thiago Bardal contra o secretário de Segurança Jefferson Portela

 

Edilázio denunciou Jefferson Portela na Câmara e pediu investigação a Sérgio Moro

O deputado federal Edilázio Júnior encaminhou ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, nesta quinta-feira, 4,  pedido de investigação das denúncias do delegado Thaigo Bardal contra o secretário de Segurança do Maranhão, Jefferson Portela.

Em depoimento ao juiz da 2ª Vara Criminal, no dia 8 de março, Bardal revelou que Portela determinou a ele que investigasse quatro desembargadores do Tribunal de Justiça do Maranhão

– No aludido depoimento, a citada autoridade policial afirmou que o Secretário de Segurança Pública do Estado do Maranhão, Jefferson Portela, filiado ao partido político do Governador do Estado, PCdoB, determinou que fosse instaurada investigação em face de quatro membros do Tribunal de Justiça do referido estado – destaca Edilázio.

O deputado maranhense ressalta a necessidade da investigação, nem que, para isso, “seja necessária a participação da Polícia Federal”.

– A declaração feita pelo Sr. Tiago Mattos Bardal (ex-chefe da Superintendência de Investigações Criminais), em ambiente judicial, importa em grave violação ao Estado Democrático de Direito por afrontar, violentamente,o princípio da separação dos poderes. Trata-se, objetivamente, de arapongagem executado pelo Poder Executivo em face do Poder Judiciário, na esfera estadual – diz Edilázio, no documento encaminhado a Moro.

O documento encaminhado pelo deputado federal ao ministro da Justiça

O Ofício de Edilázio Júnior elenca uma série de posts do blog Marco Aurélio D’Eça, como fonte para “melhor esclarecimento do ambiente da denúncia”.

Ao ressaltar que a espionagem de Portela contra desembargadores fere o Estado de Direito e a independência entre os poderes, o deputado lembra que a investigação determinada pelo secretário estaria nula de pleno direito.

E destaca, também, no Ofício, outro episódio de espionagem, este protagonizado pela cúpula da Polícia Militar, contra adversários políticos de Flávio Dino.

Leia abaixo a íntegra do documento de Edilázio Júnior a Sérgio Moro:

Brasília, 03 de abril de 2019.

A Sua Excelência o Senhor

Sérgio Fernando Moro,

Ministro da Justiça e Segurança Pública

URGENTE

Senhor Ministro,

Traz-se ao conhecimento de Sua Excelência fato público, amplamente noticiado pela imprensa do Estado do Maranhão, procedente de recente depoimento judicial prestado pelo ex-chefe da Superintendência de Investigações Criminais (Seic) do Maranhão, delegado Tiago Mattos Bardal, que fora exonerado daquele cargo pelo atual Governador do Estado, Sr. Flávio Dino de Castro e Costa, no dia 22 de fevereiro de 2018, após suposto envolvimento em um esquema de milícias, na capital maranhense. No aludido depoimento, a citada autoridade policial afirmou que o Secretário de Segurança Pública do Estado do Maranhão, Jefferson Portela, filiado ao partido político do Governador do Estado, PCdoB, determinou que fosse instaurada investigação em face de quatro membros do Tribunal de Justiça do referido estado.

A declaração feita pelo Sr. Tiago Mattos Bardal (ex-chefe da Superintendência de Investigações Criminais), em ambiente judicial, importa em grave violação ao Estado Democrático de Direito por afrontar, violentamente,o princípio daseparação dos poderes. Trata-se, objetivamente, de arapongagem executado pelo Poder Executivo em face do Poder Judiciário, na esfera estadual.

Com efeito, qualquer indício de irregularidades no adequado funcionamento dos Poderes quer seja no Judiciário, Executivo ou Legislativo, em especial no que toca ao princípio da independência, impõe atuação imediata, célere e igualmente contundente com o fito de resguardar os valores intocáveis do regime republicano.

Considerando os valores constitucionais ameaçados deve-se, por óbvio, garantir imparcialidade e agilidade em processo investigativo a ser imediatamente instaurado.

Oportuno expor que investigação realizada pela polícia civil do Estado do Maranhão, por determinação do Secretário de Segurança Pública do Estado (ora envolvido na gravíssima acusação), estaria fadada ao fracasso e jamais concretizaria o princípio da verdade real. A investigação seria nula por transgressão a princípios paradigmáticos, como legalidade, imparcialidade, isenção e impessoalidade, próprios de um procedimento investigativo justo e sério. 

Na prática, caso admitida fosse uma investigação por parte da Polícia Civil do Estado do Maranhão, estar-se-ia a investigar a autoridade máxima do Estado, no caso, o Secretário de Estado da Segurança Pública, a quem todos os que atuariam no presente inquérito estariam hierarquicamente subordinado ao “investigado”.

Outro fato que corrobora com a flagrante impossibilidade de que qualquer investigação séria e imparcial seja executada por meio da Secretária de Segurança do Estado do Maranhão é o desfecho de outro episódio, (grave) ocorrido no Estado do Maranhão no ano passado, em que Memorando Circular nº 098/2018 Sec-admin/CPI, emitido em 6 de abril pelo Comando de Policiamento do Interior da Polícia Militar, determinava aos “comandantes de área ”que informassem as lideranças que faziam oposição ao governo local ou ao Governo do Estado, e que pudessem “causar embaraços no pleito eleitoral” (vide documento abaixo colacionado).

À época, quando da divulgação acerca do escândalo do referido Memorando Circular, sindicância interna foi aberta pela própria Polícia Militar Estadual.Todavia, até hoje, mais de um ano depois, não há notícia de qualquer desdobramento ou explicação pública sobre os memorandos que determinavam o fichamento da oposição. A suposta averiguação, se efetivamente ocorreu, não gerou qualquer resultado prático, embora evidente a prática de ato incompatível e afrontoso o próprio matiz constitucional da corporação.

exemplo revela a total ineficácia de investigações quando os investigados estão investidos em funções hierarquicamente superior aos que presidirão o eventual inquérito. Há, portanto, uma total inversão da própria lógica de hierarquia. Imaginar que um subordinado irá punir seu próprio chefe é de uma crença pueril.

Neste sentido, observa-se que os órgãos investigativos do Estado Maranhão se encontram subordinados ao próprio governo estadual, de modo que qualquer investigação conduzida pela Polícia Civil do Maranhão importará em averiguação suspeita e parcial, motivo pelo qual se faz imperativa a intervenção Federal no presente caso, mediante atuação da Polícia Federal, a qual poderá conduzir inquirição enérgica e, principalmente, isenta de qualquer influência ou subordinação às autoridades estaduais envolvidas.

Para fins de melhor compreensão da gravidade que envolvem os fatos ora expostos, seguem os links das notícias amplamente divulgadas por toda a imprensa maranhense:

É preciso proteger coronel que orienta espionagem da PM a adversários de Flávio Dino…

 

PM mandou catalogar até juízes e promotores eleitorais…

 

As estranhas coincidências na denúncia de Bardal contra Portela…

Thiago Bardal e mais 12 denunciados por contrabando e quadrilha…

 

Thiago Bardal é mesmo investigado por milícia…

As matérias declinadas são provas irrefutáveis de que, efetivamente, o Governador do Estado, Flávio Dino de Costa e Castro, desde que tomou posse no cargo de chefe do Poder Executivo Estadual vem aparelhando, por meio do seu secretário de Estado de Segurança Pública, as polícias – civil e militar – para perseguir, afrontar e amedrontar todos aqueles que lhe fazem oposição e, agora, visa ameaçar o Poder Judiciário Estadual.

Com efeito, a Carta Magna para proteger, preservar e manter os princípios republicanos e o Pacto Federativo salvaguardado prevê aIntervenção Federal, instrumento excepcional que só pode ser utilizado em situações que se enquadrem nos motivos expressos indicados nos sete incisos do artigo 34 da Constituição, in verbis:

Art. 34. A União não intervirá nos Estados nem no Distrito Federal, exceto para:

I – manter a integridade nacional;


II – repelir invasão estrangeira ou de uma unidade da Federação em outra;


III – pôr termo a grave comprometimento da ordem pública;


IV – garantir o livre exercício de qualquer dos Poderes nas unidades da Federação;

V – reorganizar as finanças da unidade da Federação que: (…)

VI – prover a execução de lei federal, ordem ou decisão judicial;


VII – assegurar a observância dos seguintes princípios constitucionais:

a) forma republicana, sistema representativo e regime democrático;

b) direitos da pessoa humana;

Desta feita – retratada a gravidade dos fatos e a violenta afronta ao Pacto Federativo, ao funcionamento independente e harmônico dos Poderes e aovalor constitucional vértice do regime democrático – requer a Sua Excelência, na urgência que a gravidade dos fatos impõe, que as medidas pertinentes sejam tomadas para a elucidação dos fatos ainda que, para tanto, seja necessária a determinação de intervenção pela Polícia Federal.

Atenciosamente,

EDILÁZIO GOMES DA SILVA JÚNIOR

Deputado Federal

2

Monitoramento de magistrados começou pela PMMA no governo Flávio Dino

Além da investigação de desembargadores – revelada em depoimento do delegado Thiago Bardal – Secretaria de Segurança determinou também a catalogação de juízes e promotores no interior

 

FLÁVIO DINO COM A CÚPULA DO JUDICIÁRIO; denúncia de espionagem e silêncio da toga

Não é de hoje a tentativa do governo Flávio Dino (PCdoB) de monitorar autoridades do Judiciário, como revelou em depoimento o ex-chefe da Superintendência de Investigações Criminais (Seic), delegado Thiago Bardal.

No dia 20 de abril de 2018, o blog Marco Aurélio D’Eça revelou em primeira mão – assunto depois repercutido em toda a imprensa do país – a Circular nº 098/2018, da Policia Militar, determinando espionagem de adversários de Flávio Dino (PCdoB) que pudessem “causar embaraços eleitorais ao governador”. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

Numa parte desta Circular há uma tabela, que deveria ser usada por comandantes dos batalhões no interior, para catalogar juízes e promotores, como foi revelado no post “PM mandou catalogar até juízes e promotores…”. (Veja documento abaixo)

TRECHO DA CIRCULAR 098/2018, QUE ORIENTOU ESPIONAGEM de adversários e catalogação de juízes e promotores

A obsessão da cúpula da Secretaria de Segurança Pública – e da PMMA – pela espionagem de autoridades se revelou ainda mais perigosa no final de 2018, já com Flávio Dino reeleito, quando o próprio delegado Bardal encaminhou ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) denúncia contra os desembargadores Froz Sobrinho e Tyrone José. (Relembre aqui)

No início de março passado, ele revelou ao juiz da 2ª Vara Criminal, que, além de Tyrone e Froz, tinha ordens do secretário Jefferson Portela para investigar também os desembargadores Guerreiro Júnior e Nelma Sarney.

Algo deu errado e o todo-poderoso da Seic acabou caindo preso, acusado de participação na mesma quadrilha de espionagem que a sua delegacia investigava.

E o resto da história já é de conhecimento público…

3

Juiz Douglas Martins dá 72 horas para Flávio Dino se explicar sobre MA-315…

Juiz da Vara de Interesses Difusos e Coletivos cobra do governo comunista também documentos integrais da obra, bem como justificativas para recebimento provisório e definitivo, além da suspensão do aditivo à Construtora Sucesso

 

MENOS DE TRÊS MESES DEPOIS DE ENTREGUE POR FLÁVIO DINO, MA-315 JÁ ESTÁ totalmente destruída

O juiz da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, Douglas de Melo Martins, determinou nesta segunda-feira, 1º – nos autos de Ação Popular movida pelo deputado federal Edilázio júnior (PSD) – prazo de 72 horas para que o governo Flávio Dino (PCdoB) se manifeste sobre a BR-315.

Inaugurada há menos de três meses, a rodovia, que serviria como principal trecho da Rota das Emoções, itinerário turístico entre Maranhão e Ceará, está completamente destruída e intrafegável em vários trechos.

A ação de Edilázio Júnior, assinada pelas advogadas Anna Graziella Santana Neiva Costa e Mariana Costa Heluy, pede, também, que seja determinada a suspensão do aditivo contratual da obra pelo governo e que a construtora Sucesso seja obrigada refazer todo o itinerário.

FLÁVIO DINO E ALIADOS DURANTE A ENTREGA DA OBRA, que se desmanchou quase toda em apenas três meses

Em seu despacho, além de determinar o envio de cópias do contrato da obra, documentos de recebimento provisório e definitivo, Douglas Martins dá prazo de 20 dias para manifestação do ministério Público.

A obra da MA-315 já se transformou em mais um escândalo nacional do governo Flávio Dino…

2

Procurador-geral lava as mãos sobre espionagem de desembargadores…

Em nota oficial, encaminhada pela assessoria, Luiz Gonzaga Coelho joga a responsabilidade de apurar por caso ao juiz e promotor da Vara onde foi feita a denúncia contra o governo Flávio Dino

 

LUIZ GONZAGA COELHO PREFERIU LAVAR AS MÃOS DIANTE DAS ACUSAÇÕES contra o secretário Jefferson Portela

O procurador-geral de Justiça do Maranhão, Luiz Gonzaga Martins Coelho, eximiu-se de qualquer responsabilidade na apuração das denúncias feitas pelo delegado Thiago Bardal, sobre espionagem de desembargadores maranhenses.

Em nota encaminhada ao blog de Neto Ferreira, a PGJ disse que a investigação cabe ao promotor da Vara e ao próprio juiz que recebeu a denúncia.

– Informamos que, em respeito ao princípio da independência funcional e aos princípios do juiz e promotor natural, compete ao juiz e promotor que atuam no caso a tomada das providências devidas em relação às declarações relatadas pelo réu em juízo – declarou a procuradoria, em nota da Assessoria.

Em depoimento ao juiz da 2ª Vara Criminal, José Ribamar D’Oliveira Costa Júnior, Bardal revelou ter recebido ordens do secretário de Segurança, Jefferson Portela, para investigar os desembargadores Fróz Sobrinho, Tyrone José Silva, Guerreiro Júnior e Nelma Sarney. (Saiba mais aqui e aqui)

Até agora, nenhuma das instâncias da Justiça maranhense – muito menos a entidades de representação funcional – se manifestaram sobre o assunto. (Entenda aqui)

E agora já se sabe que, para o comando do Ministério Público maranhense, o tema também não tem qualquer importância.

E todos seguem em silêncio…

3

A superprefeitura de Luis Fernando Silva…

Nem mesmo os aliados do governo Flávio Dino acreditam piamente na hipótese, mas projeto do comunista é fazer do novo auxiliar uma espécie de gerentão metropolitano e resolver a equação de 2020

 

LUIS FERNANDO SILVA, AGORA SECRETÁRIO; projeto metropolitano e olho em 2020

Ao tomar posse ontem na Secretaria de Assuntos Estratégicos do governo Flávio Dino (PCdoB), o ex-prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB), virou uma espécie de gerentão metropolitano.

O ex-prefeito vai comandar uma pasta turbinada pelo governador – e que deverá abrigar sob suas asas também outras agências de influência na Grande São Luís.

Caberá ao próprio Luis Fernando viabilizar seu nome como uma espécie de gestor da região metropolitana, influenciando diretamente o pleito de 2020, tanto na capital quanto em Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar.

Aliados do governo Flávio Dino não acreditam na hipótese de Luis Fernando como candidato em São Luís;

Mas, e se ele se viabilizar?!?

É aguardar e conferir…

2

Luis Fernando auxiliar de Flávio Dino; perguntas continuam sem resposta…

Desgastado político e administrativamente e sem cacife eleitoral para oferecer ao governador, renúncia do prefeito de Ribamar vira uma caixa preta da política maranhense

 

COM DUAS RENÚNCIAS EM OITO ANOS, Luis Fernando acaba como empregado daquele que classificou como “mudança de gogó”

O agora ex-prefeito Luis Fernando Silva (PSDB), assume nesta sexta-feira, 15, o comando da Secretária de Programas Estratégicos do governo Flávio Dino (PCdoB), após renunciar – pela segunda vez em oito anos – o comando de São José de Ribamar.

E sua posse gera mais dúvidas do que respostas na classe política maranhense.

Que benefício político Luis Fernando leva para Flávio Dino?

Que benefício administrativo Luis Fernando leva para Flávio Dino?

Que benefício eleitoral Luis Fernando leva para Flávio Dino?

Em busca das respostas a estas perguntas, o blog Marco Aurélio D’Eça passou os últimos dias em conversas com algumas das principais lideranças políticas do Maranhão.

E todas chegaram à mesma hipótese: a secretaria de Programas Estratégicos foi a tábua de salvação encontrada pelo tucano após o fracasso da gestão em Ribamar.

Luis Fernando deixa de ser cacique em sua aldeia para virar índio de uma tribo que já tem inúmeros guerreiros; e não tem nada a oferecer em troca.

Nem mesmo a excelência em gestão verificada no primeiro mandato pode ser alegada, uma vez que se mostrou medíocre nestes pouco mais de dois anos à frente da prefeitura.

O agora ex-prefeito de São José de Ribamar vai virar, portanto, empregado daquele que foi seu quase-adversário há pouco mais de cinco anos.

Sem que ninguém consiga entender suas razões…

0

Rafael Leitoa e Carlos Brandão discutem políticas para o Maranhão…

O deputado Rafael Leitoa, na manhã desta quarta-feira (13), se reuniu com o vice-governador Carlos Brandão, no Palácio Henrique de La Rocque, em São Luís. Os dois, discutiram diversos temas relacionados ao Maranhão e ações do governo do estado para Timon e região.  

Na reunião, Rafael Leitoa apresentou também propostas de investimentos para a Região Leste do Maranhão, como as pontes para a MA 040 e comentou sobre a conclusão dos leitos de UTI do Hospital Regional Alarico Pacheco, em Timon.

“Sempre buscamos, além da aproximação política, a proximidade física dos secretários e staff do governo Flávio Dino em Timon e região. Hoje, após discutir algumas pautas como Líder de Governo na Assembleia Legislativa, apresentei ao vice-governador Carlos Brandão um convite para mais uma vez visitar nossa cidade no início de abril e conhecer de perto nosso exitoso Programa Timon Produtivo, criado pela prefeitura de Timon e incentivado pelo governo do estado. O objetivo maior da visita é ampliar este maravilhoso programa para outras cidades do Maranhão. Essa parceria trouxe e ainda trará diversos benefícios para o Maranhão e para nossa região”, comemorou Rafael Leitoa.

0

Edivaldo Júnior deve enfrentar intenso fogo amigo pré-eleitoral…

Interesse de membros da base governista nas eleições de 2020 – somado à cobrança da população por serviços urbanos – deve forçar um debate sobre a atual situação de São Luís

 

COM DIVERSOS CANDIDATOS EM SUA BASE, Flávio Dino terá dificuldades de impedir bombardeio contra o aliado Edivaldo Júnior

Editorial

O debate desta quarta-feira, 13 entre o deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB) e o secretário municipal de Trânsito e Transporte, Canindé Barros, foi a senha.

As críticas à gestão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) devem aumentar à medida que o processo eleitoral de 2020 se aproximar.

A abordagem do tema foi feita ontem pelo blog Atual7. (Leia aqui)

Até por uma questão de lógica, a atual gestão deve ser cobrada pela ausência de serviços urbanos básicos, como asfaltamento e recuperação de ruas, limpeza urbana e atendimento de saúde.

E os ataques devem vir diretamente da base do governo Flávio Dino (PCdoB), onde proliferam candidatos, a exemplo de Duarte júnior.

Têm os mesmos objetivos do comunista os deputados federais Rubens Pereira Júnior (PCdoB) e Bira do Pindaré (PSB), o estadual Neto Evangelista (DEM), além do comunicador Jeisael Marx (sem partido).

E para eles, ser avalista da atual gestão significa apresentar bons serviços, obras em profusão e legado para mostrar.

Caso contrário, ficarão para trás na preferência do eleitor.

Para suplantar o bombardeio – e até para se colocar em posição de influência no processo eleitoral – caberá a Edivaldo dar respostas imediatas ao abandono das ruas e avenidas, proliferação de matos e alagamentos, sobretudo neste período de chuvas.

O prefeito terá dificuldade de conviver com os vários candidatos a prefeito da base, que precisarão convencer o eleitor de que podem ser diferente.

E pra ser diferente, precisam ser melhores que Edivaldo, o que torna inevitável a comparação entre o que São Luís é o que ela pode ser.

Pior para a gestão do pedetista…