0

Sem quarentena, contaminação por CoVID-19 mais que dobraria no MA…

Prognóstico da Secretaria de Saúde aponta também que o número de contaminados atualmente pode ser 10 vezes maior  que o total de casos registrados, o que seria muito pior sem o isolamento social no estado

 

Com as medidas de isolamento social adotadas pelo governo, Maranhão tem número reduzido de contaminação pelo coronavírus

A Secretaria de Saúde e as autoridades do Governo do Estado apresentaram ontem uma nova metodologia de estudo sobre a proliferação do coronavírus no Maranhão.

Além dos números oficiais de contaminados pela CoVID-19 – e agora também o de mortes – são mostrados ainda novos prognósticos.

O primeiro, mostra como estaria a situação no estado caso não tivessem sido adotadas as medidas de restrição contra o coronavírus; a outra aponta para o total de casos não registrados para cada caso diagnosticado pelas autoridades de saúde.

Nesta segunda-feira, 30, por exemplo, quando o número de contaminados chegou a 22, o governador Flávio Dino (PCdoB) usou pela primeira vez o prognóstico para uma situação hipotética, sem barreiras sociais.

– Se não tivéssemos adotado o isolamento social, este total de 22 já seriam, hoje, 58 contaminados – afirmou Dino, durante entrevista coletiva no Palácio do Leões, mostrando a projeção da curva dos casos nas duas situações, com e sem isolamento.

Flávio Dino e seus auxiliares para a área da Saúde atualizaram ontem os números da CoVID-19 no Maranhão

Nesta terça-feira, 31, quando os contaminados já passam dos 30, o prognóstico leva a crer que os maranhenses com CoVID-19 já somariam quase 70 sem o isolamento social.

Flávio Dino apontou também que nesta fase da contaminação – em que o contágio já se dá na própria comunidade e não mais por viagem ou contato com viajantes – existe uma possibilidade de haver 10 contaminados para cada caso registrado oficialmente,

Pela avaliação do governador, é possível que o número de contaminados, hoje, no Maranhão chegue a 310. Há, portanto, um grupo de pessoas sem teste e sem sintomas espalhando o vírus – grupo que somaria mais de 600 casos, não tivessem sido adotadas as medidas de quarentena.

O Governo do Estado desqualifica a defesa do tal isolamento vertical, defendido pelo presidente Jair Bolsonaro; para Flávio Dino, o termo não existe, representando apenas uma “expressão meramente ideológica”.

O números oficiais do Maranhão mostram que, neste caso, o comunista parece ter razão…

1

Covid-19: Porto São Luís doa 50 mil luvas para profissionais de saúde do MA

As caixas com as luvas já foram encaminhadas pelo Porto ao Governo do Maranhão

O Porto São Luís realizará a doação de 50 mil pares de luvas à Secretaria Estadual de Saúde (SES) nesta segunda-feira, 30, para ajudar nas ações de combate ao novo Coronavírus.

As luvas estão vindo de São Paulo e serão entregues ao Governo do Maranhão, que distribuirá nas unidades de saúde para profissionais que estão trabalhando no atendimento aos pacientes e casos suspeitos do Covid-19.

O presidente do Porto São Luís, César Gazoni, destacou que é tempo de ser solidário com todos e, principalmente, com aqueles que estão na linha de frente dessa luta.

“Perguntamos ao Governo do Estado como poderíamos ajudar e nos sugeriram luvas para os médicos, enfermeiros e profissionais da saúde em geral. No decorrer da semana vamos ver com o que mais poderemos ajudar”, afirmou o CEO do Porto São Luís.

1

Flávio Dino atende parlamentares e estende prazo do IPVA…

Poucas hora depois do blog Marco Aurélio D’Eça também cobrar a flexibilização no pagamento do imposto, governador autoriza a publicação do Decreto com as novas regras; última parcela vencerá agora só em 30 de julho

 

Veja as novas datas do pagamento das cotas do IPVA 2020, após esticamento dos prazos pelo governador Flávio Dino

O governador Flávio Dino (PCdoB) autorizou a publicação, nesta sexta-feira, 27, do Decreto em que estabelece os novos prazos para pagamento do Imposto sobre Veículos Automotores (IPVA).

Com as novas regras, a última cota do tributo vencerá apenas em 30 de julho.

O Decreto de Flávio Dino saiu poucas horas depois de o blog Marco Aurélio D’Eça publicar o post “Ainda faltam imposto de Renda e IPVA…”, cobrando flexibilização dos prazos diante da pandemia de coronavírus.

Os deputados César Pires (PV) e Dr. Yglésio (PROS) também já haviam sugerido ao governador a flexibilização dos prazos do IPVA.

Para  Yglésio, as parcelas deveriam ir até outubro; Pires, por sua vez, pregou estender o prazo entre 30 e 60 dias.

Este blog não propôs prazo, apenas apontou a necessidade de adiamento dos vencimentos.

Falta agora a flexibilização do Imposto de Renda…

Veja abaixo o Decreto de Flávio Dino:

3

O exemplo da Itália para Bolsonaro e bolsomínions…

Presidente brasileiro estimula campanha que se espalha nas redes sociais pela liberação da circulação de pessoas nas ruas do Brasil, mesmo diante da pandemia de coronavírus; o erro foi cometido no país europeu, que já supera os 8 mil mortos

 

Itália já não consegue controlar a gestão de mortes no país, após achar que a CoVID-19 seria rechaçada mesmo sem controle social

Editorial

Desde que resolveu fazer campanha contra o isolamento social no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro tem levado uma horda de bolsomínions ensandecidos a também pressionar pela liberação da circulação normal de pessoas país a fora.

São empresários, religiosos, jornalistas e gente comum do povo – muitos sem a mínima informação sobre a Covid-19 – que resolveram emparedar governadores e prefeitos a afrouxar a quarentena.

É um erro, que já foi cometido também na Itália.

O país europeu, que virou epicentro da crise do coronavírus na Europa – e hoje já registra mais mortes do que na China – também minimizou os riscos da Covid-19, relativizando o isolamento social.

E pagou um preço altíssimo por isso.

No final de fevereiro, foi lançada em Milão a campanha “#Milãonãopára”, que ganhou as redes sociais e levou milhares a deixar o isolamento em nome da economia. 

Na época, o país europeu tinha 17 casos registrados.  Após o “liberou geral”, viu o número de novos casos chegar a 4,5 mil em apenas um dia. (Saiba mais aqui)

– Muitos se referem àquele vídeo que circulava com o título #MilãoNãoPara. Era 27 de fevereiro, o vídeo estava explodindo nas redes, e todos o divulgaram, inclusive eu. Certo ou errado? Provavelmente errado – reconheceu o prefeito de Milão, Giuseppe Sala.

Irresponsavelmente, presidente brasileiro estimula uma onda de pressão pelo ‘libera geral”, incluindo até mesmo deboches à imprensa

A pressão de empresários, jornalistas e até alguns médicos brasileiros tem levado governadores – incluindo o maranhense Flávio Dino (PCdoB) – a cogitar o afrouxamento do isolamento, numa tentativa de resposta mais política do que sanitária. 

Os italianos ensinam a todo mundo:

– Ninguém ainda havia entendido a virulência do vírus, e aquele era o espírito. Trabalho sete dias por semana para fazer minha parte, e aceito as críticas – lamenta, hoje, o prefeito de Milão.

Esperar entendimento de Bolsonaro e bolsomínions é perda de tempo.

Mas as lições do mundo estão aí para quem quiser ver…

0

“O vírus está em São Luís”, dizem familiares de professora infectada

Em nota divulgada nesta segunda-feira, 23, membros da família de Raíssa Azulay dizem não saber como ela contraiu o vírus, lamentam divulgações preconceituosas e difamatórias contra ela e garantem seu isolamento social

 

A segunda paciente de CoVID-19 em São Luís testou positivo após circular em vários ambientes públicos de São Luís, na semana passada

Em Nota de Esclarecimento divulgada na manhã desta segunda-feira, 23, “familiares e amigos” da professora Raíssa Azulay criticam a atitude de setores da mídia contra ela, garantem seu isolamento social e revelam não saber quando e onde ela foi contaminada.

– Não é possível ter certeza de quem contaminou Raissa. Enquanto estava sadia, ela esteve em tantos lugares como todos nós estivemos: supermercados, trabalho, igreja, bares, restaurantes, casa de amigos… – revela a nota.

Ao anunciar a contaminação da professora, no sábado, 21, o governador Flávio Dino (PCdoB) citou que ela teve contato com um estrangeiro, levando a crer que esta poderia ter sido a fonte da infecção.

Na nota, os “familiares e amigos” ponderam sobre esta afirmação.

– Sim, ela teve contato com um amigo da sua família que chegou de férias da Europa. (Não é estrangeiro como foi divulgado erroneamente. É brasileiro). Este nosso amigo não apresenta sintomas e nem se pode afirmar que foi ele quem transmitiu para ela, pois o mesmo ainda não recebeu o resultado do seu teste. Ela teve contato com diversas outras pessoas assim como todos nós – afirma o documento.

Em tuíte, sábado, Flávio Dino diz que a paciente teve contato com estrangeiro; família explica tratar-se de brasileiro que mora na Europa

Garantindo o cumprimento de todas as determinações de tratamento, a nota da família de Raíssa Azulay diz que ela se encontra se aproximando do fim do ciclo de tratamento, mas faz um alerta:

– Qualquer um pode já estar infectado e sem sintomas, transmitindo o vírus para outras pessoas. O vírus está em SLZ, é invisível e não escolhe a próxima vítima.

Leia abaixo a íntegra da nota em nome de Raíssa Azulay: 

  Familiares e amigos, favor divulgar ao máximo!

NOTA DE ESCLARECIMENTO sobre boatos e difamações a respeito da paciente Raissa Azulay.

* Primeiramente, a Raissa não é culpada de ter sido contaminada pelo COVID19, assim como também não são as milhares de pessoas que foram acometidas em outros lugares do mundo. O vírus é invisível e não escolhe a sua vítima!

*Não, ela não foi irresponsável quando saiu com seus amigos para se divertir, trabalhar, ou fazer atividades da vida normal, pois nao apresentava sintomas e as recomendações para que se ficasse em casa só vieram posteriormente.

*Não é possível ter certeza de quem contaminou Raissa. Enquanto estava sadia, ela esteve em tantos lugares como todos nós estivemos: supermercados, trabalho, igreja, bares, restaurantes, casa de amigos…

*Sim, ela teve contato com um amigo da sua familia que chegou de férias da Europa. (Não é estrangeiro como foi divulgado erroneamente. É brasileiro).

* Este nosso amigo não apresenta sintomas e nem se pode afirmar que foi ele quem transmitiu para ela, pois o mesmo ainda não recebeu o resultado do seu teste. Ela teve contato com diversas outras pessoas assim como todos.

*Nos poucos locais em que circulou, que não foi uma série de casas de shows como divulgado, Raissa ainda não apresentava sintomas e muito menos sabia que estava contaminada, como foi, cruelmente, cogitado por alguns.

* Raissa Azulay não é uma “patricinha” como foi publicado de forma covarde, maldosa e irresponsável no blog “Maranhão de Verdade.com”, cujo responsável é o sr. WALLACE BRAGA, que certamente será responsabilizado civil e criminalmente por suas informações falaciosas (fake news), assim como os demais canais que, por ventura, tenham cometido a mesma injustiça.

*Todos os familiares, amigos, colegas, alunos, proprietários dos estabelecimentos que frequenta, sabem que Raissa Azulay é uma honrada servidora pública e conceituada professora do ensino superior.

*Raissa está cumprindo à risca todas as orientações médicas. Uso de medicamentos, repouso, isolamento rigoroso desde quando desconfiou que seus sintomas poderiam ser diferentes de um resfriado comum.

*Ela está em quadro estável. Provavelmente do meio pro fim do ciclo da virose. Espera-se uma melhora gradativa, sem complicações.

*Raissa e sua família temem por seus pais que são idosos. E por isso o isolamento dela está ainda mais intenso.

*Até o momento não temos resultados de outros testes positivos na nossa família.

Além do isolamento e do cuidado com sua recuperação, antes da divulgação dos conteúdos pela internet, Raissa Azulay estava sempre estimulando responsabilidade e o cuidado para evitar a transmissão da doença em conversas particulares com amigos e conhecidos.

Agradecemos a todos pelos votos de melhoras e pelas orações e manifestações de carinho de todos.

Obs: Pedimos que evitem divulgar prints e áudios sem checar veracidade, evitando assim fakes, constrangimentos e pânico desnecessário.

É necessário sim toda a sociedade manter a seriedade e a responsabilidade no cumprimento das orientações de cuidado e prevenção.

Qualquer um pode já estar infectado e sem sintomas, transmitindo o vírus para outras pessoas. O vírus está em SLZ, é invisível e não escolhe a próxima vítima. 🕊🙏🏽🇧🇷

8

Flávio Dino mostra serenidade e lucidez no combate ao coronavírus

Em entrevista à TV Mirante, governador passou a segurança necessária que um líder precisa dar à população, mostrou sensatez ao defender a continuidade da atividade econômica e pregou a união de todos no enfrentamento da crise

 

Flávio Dino falou em rede estadual pela TV Mirante e passou segurança à população maranhense

O governador Flávio Dino (PCdoB) mostrou nesta quinta-feira, 19, em entrevista à TV Mirante, por que está sendo considerado um dos líderes mais efetivos do país no combate à pandemia de
Coronavírus.

Na conversa com os jornalistas Alex Barbosa, Júnior Albuquerque e Ana Guimarães, Dino elencou as ações que tem comandado no Maranhão, mesmo sem o registro de nenhum caso no estado.

Além disso, ressaltou a importância de se seguir as recomendações do seu Decreto, que impõe algumas medidas para a contenção do vírus.

Mas foi sensato ao defender que a atividade econômica básica – shoppings, lojas, bares, restaurantes – seja mantida, seguindo as recomendações da OMS.

Até por que não há registro de nenhum caso de Covid-19 no Maranhão.

Desde o início da crise do coronavírus, Flávio Dino assumiu a linha de frente nas ações contra o problema.

Ele ganhou destaque nacional ao mobilizar todo o setor de saúde para a prevenção contra o vírus, mesmo com o Maranhão ainda livre de contaminação.

Na entrevista à TV mirante, o principal destaque da fala do governador comunista foi a segurança passada à população, sem demonstrar negligência com o assunto, mas sem alardes desnecessários.

Sob o comando de Dino, o Maranhão pode, inclusive, ser uma espécie de muro contra o coronavírus.

E suas ações o farão sair da crise bem maior do que entrou…

2

A perfeita ação do governo maranhense contra o coronavírus

Ações dos setores ligados à Saúde agem de forma exemplar na prevenção à chegada da Covid-19, influenciando demais gestores e membros de outros poderes, o que pode transformar o estado em barreira contra a transmissão da doença

 

Mesmo sem o Maranhão ter registrado casos de Covid-19, o governo Flávio Dino (PCdoB) agiu exemplarmente na prevenção da proliferação do coronavírus.

Com ações emergenciais, orientações diárias, montagem de força-tarefa, os setores de Saúde maranhenses agem com exemplar eficiência para evitar que o vírus chegue ao estado.

As ações, medidas e orientações feitas por Flávio Dino – de forma oficial ou com manifestações nas redes sociais – influenciaram outros gestores maranhenses a tomar as mesmas medidas.

Com isso, o Maranhão pode se transformar em uma espécie de barreira para a proliferação do coronavírus.

Mesmo o presidente da República atrapalhe com seus atos…

0

César Pires diz que falta planejamento para obras do governo

O deputado César Pires (PV) cobrou do governo estadual mais planejamento e celeridade na execução de obras no Maranhão, para evitar prejuízos à população, aos comerciantes e às empresas contratadas para realizar os serviços. Ele citou como exemplo as intervenções iniciadas para implantação do corredor de transporte BRT, que estão em ritmo muito lento em decorrência de atraso no pagamento da construtora contratada.

“Estive no local da obra, nas proximidades do colégio Maristas no Araçagi, e ouvi as queixas dos comerciantes ali instalados, que amargam muitos prejuízos em decorrência da demora na conclusão da obra. A comercialização de lanches naquela área, por exemplo, caiu drasticamente, causando perdas irreparáveis aos comerciantes. Não sou contra o desenvolvimento, mas contra a forma de executar, abrindo frente de trabalho sem poder pagar, ficando sem condições de cobrar a conclusão dos serviços”, enfatizou o deputado.

Ao informar que viu in loco, fotografou e filmou a área em que estão sendo feitas as intervenções no Aracagi, César Pires cobrou do governo estadual a correção das falhas de planejamento e a atualização do cronograma de execução e financeiro da obra, para que sua conclusão seja agilizada, para o bem dos comerciantes e das demais pessoas que por ali circulam.

“O governo vende novas obras na mídia, mas não consegue concluir aquilo que iniciou. Os serviços se arrastam, porque há atraso no pagamento da empresa responsável, e em decorrência a população é penalizada. Os donos das farmácias, padarias, lanchonetes e outros comerciantes são gravemente prejudicados”, enfatizou César Pires.

Ele conclui dizendo que o governador precisa parar de publicizar o que não tem como bancar, sob pena de as empresas sofrerem as consequências da obra inacabada.

1

Veja mostra o Maranhão que Flávio Dino quer esconder do Brasil

Em ampla reportagem, revista analisa o governo comunista e revela concentração da riqueza, ampliação do desemprego e aumento da miséria no estado; e Dino já admite concorrer ao Senado não à presidência

 

Flávio Dino teve sua gestão maranhense exposta ao Brasil; e já admite concorrer mesmo ao Senado

O governador Flávio Dino (PCdoB) foi definido em reportagem da revista Veja, que já está nas bancas, como “a grande novidade da esquerda para a eleição de 2022”.

Mas a reportagem encontrou, cinco anos depois da eleição do comunista, um estado pior do que era até 2014, quase cinco décadas depois de governos ligados ao grupo do ex-presidente José Sarney.  

De acordo com Veja, estado viu ampliar-se a concentração de renda e o desemprego nos anos de Dino.

– Como se não bastasse, ele conseguiu uma “façanha” às avessas: em sua gestão, a miséria aumentou ainda mais no mais miserável de todos os estados brasileiros. Como “remédio”, o governador vem abrindo de forma temerária os cofres. Nesse aspecto, provou ser um comunista. Os últimos três anos do Maranhão foram no vermelho, com déficits consecutivos – ironizou a reportagem.

Flávio Dino, claro, culpa a crise econômica dos primeiros anos á frente do governo maranhense e o governo Bolsonaro, que acaba de completar apenas o seu primeiro ano.

O perfil de Veja revela dados ainda mais alarmantes em relação ao governo Flávio Dino, informações que não circulam com facilidade nos meios de comunicação maranhenses:

– O estado perdeu a linha de crédito com a União ao cair para a nota C, de mau pagador. Isso porque contraiu um déficit primário de 700 milhões de reais em 2018, com projeção de encerrar 2019 também no vermelho (o número ainda está sendo fechado). Dino foi obrigado a aumentar impostos sobre combustíveis, bens de consumo e prestação de serviços – a arrecadação continua irrisória – revela a revista.

Em sua reportagem, Veja insiste que Dino é uma das estrelas da esquerda na atual conjuntura nacional.

Mas talvez, até pela fragilidade dos resultados do seu governo, o próprio Dino já fala em outras alternativas nas eleições de 2022.

– Uma candidatura à Presidência poderá se colocar se houver um conjunto de forças me apoiando. Se não houver, serei candidato ao Senado – admitiu o governador, pela primeira vez.

A revista Veja com a reportagem sore Flávio Dino começou a circula nesta sexta-feira, 14…

3

Edivaldo e Eliziane: a terceira força no grupo de Flávio Dino…

O prefeito de São Luís e a senadora maranhense têm condições de polarizar a hegemonia política na base governista, desde que assumam papel de protagonistas, evitando estar a reboque de outras forças

 

Eliziane tem estado cada vez mais próxima do prefeito Edivaldo Júnior, que também se faz presente de maneira mais intensa em São Luís

Por qualquer ótica que se veja, a senadora Eliziane Gama (Cidadania) e o prefeito de São Luís Edivaldo Júnior (PDT) têm condições de assumir papel de destaque no grupo do governador Flávio Dino (PCdoB), tanto no cenário municipal quanto no estadual.

Eliziane aparece como melhor posicionada entre os membros da base dinista em qualquer pesquisa relacionada às eleições estaduais. Edivaldo, por sua vez, é quase unanimidade na base, por seu carisma – e ampliará seu cacife se deixar um legado ao término do mandato em São Luís.

Mas é preciso que ambos assumam papel de protagonista já agora nas eleições municipais, ao menos como apoiadores de candidaturas de fato competitivas, e não aventuras de últimas hora.

Tanto Eliziane quanto Edivaldo passaram 2019 distante do cenário, razão pela qual acabaram por ficar alheios ao debate sobre a sucessão.

Mas têm ainda cacife para influenciar as eleições.

Para isso, precisam sair das sombras de outras lideranças e assumir postura independente, capazes de demarcar o próprio território.

Hoje, o grupo Flávio Dino está dividido em dois subgrupos principais, liderado, de um lado, pelo senador Weverton Rocha (PDT) e, de outro, pelo vice-governador Carlos Brandão (PRB).

E os dois já polarizam a disputa pelo Governo do Estado.

Ao lado de Weverton estão o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB); o presidente da Famem, Erlânio Xavier (PDT); ao menos cinco deputados, vários deputados estaduais e vários prefeitos no interior.

Com Brandão devem seguir os secretários de Articulação Política, Marcelo Tavares, da Casa Civil Rodrigo Lago, de Projetos Especiais, Luís Fernando Silva, além de deputados e prefeitos – alguns oriundos de grupos formados pelo ex-governador José Reinaldo e por remanescentes do grupo Sarney.

As duas lideranças têm recebido forte estímulo do deputado federal Márcio Jerry, ele também em busca de protagonismo para se preparar para os anos vindouros

De qualquer lado que se posicionarem, tanto Edivaldo quanto Eliziane irão a reboque dessas forças, como meros coadjuvantes.

É de se respeitar, portanto, o movimento que os dois estão fazendo, desde último fim de semana, em busca do próprio protagonismo no debate interno do dinismo.

E não admira que o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) – ele próprio com risco de ser alijado do processo sucessório – esteja estimulando essa interlocução do prefeito e da senadora.

Os movimentos de hoje significam a busca pela própria sobrevivência política amanhã.

É simples assim…