3

Deltan espionou ministros e tentou influenciar indicações para o STF…

Procurador da Lava Jato usava métodos ilegais para obter informações contra ministros que entendia serem desfavoráveis aos seus projetos na investigação de políticos

 

DELTAN DALLAGNOL; DE POLÍCIA A CASO DE POLÍCIA após revelações do site The Intercept

O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da operação Lava Jato, tentou obter informações que comprometessem pelo menos dois ministros do Supremo Tribunal Federal; Dias Toffoli e Gilmar Mendes.

A informação foi dada nesta quinta-feira, 1º, pelo site The Intercept, em parceria com a Folha de S. Paulo e Uol.

Nas conversas, Dallagnol usava colegas para obter informações, primeiro contra Dias Toffoli; depois, contra Gilmar Mendes.

Investigações contra ministros do STF só podem ser conduzidas pelo procurador-geral da República.

Mesmo assim, o procurador da Lava Jato tentava obter informações não autorizadas com colegas; e vazava para a imprensa, na tentativa de emparedar os ministros.

Deltan Dallagnol chegou, inclusive, a jogar contra um ministro do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins, que estava cotado para a vaga de Teori Zawascki no STF.

A ideia era impedir a indicação de Martins, que acabou indo para o então ministro da Justiça, Alexandre de Morais.

A atuaçãod e Dallagnol neste aspecto específico das revelações do The Intercept é crime grave – e reforça as informações de sua manipulação no processo da Lava Jato.

Marco Aurélio D'Eça

3 Comments

  1. Esse método nos faz lembrar de um secretário de Estado aqui do MA,correto?

  2. Nada mais natural na terra Brasil.
    A indicação de qualquer cargo no judiciário envolve toda a comunidade jurídica.
    Basta ver a indicação de um simples membro do TRE/MA. A quantidade de pessoas torcendo e pedindo por um e por outro até a escolha final.
    Agora imagina um membro do STF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *