2

Lava Jato usou práticas da máfia para garantir investigação, revela escuta…

Então juiz Sérgio Moro, que coordenava a operação, e procuradores que conduziam as investigações chegaram a usar métodos truculentos contra a filha de um acusado para ameaçá-lo a fazer delação, revela The Intercept

 

OS INTOCÁVEIS, CLÁSSICO DO CINEMA, MOSTRA UM GRUPO DE JUSTICEIROS da polícia americana, que agia nos anos 30, sem limites para alcançar seus objetivos

Novos áudios revelados pelo site The Intercept, neta quarta-feira, 11, revelam que o ex-juiz da Lava Jato Sérgio Moro – e seu parceiros do Ministério Público – usaram métodos criminosos para alcançar revelações de investigados na operação.

Segundo diálogos que vieram a público, o MPF propôs – e Sérgio Moro concordou – com a pressão truculenta à filha de Raul Schmidt, brasileiro com cidadania portuguesa – para ameaçá-lo.

Detalhe: a filha do empresário – Nathalie Angerami Priante Schmidt Felippe – sequer era investigada pela Lava Jato.

Veja o que propôs o procurador Diogo Castor de Matos em um dos grupos cujas conversas vazaram ao The Inrtercept:

“Prezados, gostaria de submeter à analise de todos a questão da operação na filha do raul schmidt.. basicamente, ela esta envolvida em algumas lavagens por ser beneficiária de uma offshore do pai.. pensamos em fazer uma operação nela para tentar localizá-lo.. oq acham?”

No dia seguinte a esta proposta o MPF pediu a Moro que a filha de Raul Schmidt fosse proibida de deixar o Brasil. Além do passaporte, pediram busca e apreensão na casa de Nathalie, bloqueios em contas bancárias dela e da empresa dela, quebras de sigilo fiscal e do sigilo das mensagens de um número dela no WhatsApp.

O próprio Moro reconheceu que a mulher nada tinha a ver com a investigação.

Mas o então juiz decidiu, mesmo assim, atender ao pedido dos procuradores-mafiosos; e autorizou o constrangimento contra Nathalie.

A própria defesa de Nathalie conta como foi a operação contra ela, em pedido de Habeas Corpus no Tribunal Regional Federal da 4ª Região:

“Três agentes da Polícia Federal portando metralhadora ingressaram na residência da paciente de forma truculenta, exigindo, aos berros, que ela revelasse o atual paradeiro do seu genitor, sob ameaça de ‘evitar dor de cabeça para seu filho’, referindo-se à criança dela, um menino então com sete anos”, revelou a defesa, em Habeas Corpous ao TRF-4.

A revelação do The Intercept reafirma as práticas criminosas de membros do Ministério Público para alcançar seus objetivos; e revela a máfia que se instalou no país para influenciar na política brasileira.

 

0

Lava Jato prende filho de Lobão…

Empresário Márcio Lobão tem prisão preventiva decretada no Rio de Janeiro e é levado pela Polícia Federal, na 65ª fase da operação que começou em 2014

 

A 65ª operação da Lava Jato prendeu nesta terça-feira, 10, o empresário Márcio Lobão, filho do ex-ministro e ex-governador do Maranhão, Edison Lobão (MDB).

Ele foi preso no Rio de Janeiro, onde mora.

A Lava Jato investiga crimes de corrupção e lavagem de dinheiro proveniente de pagamento de vantagens indevidas relacionadas à Transpetro, que é subsidiária da Petrobras, e à Usina Hidrelétrica de Belo Monte.

Além da prisão de Márcio Lobão, a Lava Jato cumpre 11  mandatos de busca e apreensão, em São Paulo (SP), Rio de Janeiro e Brasília (DF).

0

Ao pedir desculpas, procuradora oficializa diálogos de Deltan contra Lula

Flagrada em uma das conversas debochando da morte da mulher do ex-presidente, procuradora Jerusa Viecilli acaba por confirmar que as conversas gravadas são, de fato, originais, o que deve levar à anulação do processo

 

PROCURADORA JERUSA VIECILI NÃO TEVE OUTRA SAÍDA SENÃO ADMITIR QUE DEBOCHOU DE LULA, o que confirma autenticidade dos diálogos

Ao divulgar nesta quarta-feira, 28, mensagem no Twitter em que pede desculpas ao ex-presidente Lula, a procuradora Jerusa Viecilli acabou por desmascarar ainda mais o chefe da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol.

O site The Intercept, em parceria com a Folha de S. Paulo, divulgou trechos de conversas entre procuradores da Lava Jato na qual eles debocham da morte da mulher do ex-presidente, Marisa Letícia.

– Querem que eu fique pro enterro? Preparem para nova novela da ida ao velório – disse Jerusa, em uma mensagem logo depois da notícia de que a mulher de Lula havia morrido, vítima de um AVC.

Em resposta à colega, a procuradora Laura Tesller – a mesma que foi chamada de fraca por Sérgio Moro e afastada das audiências com Lula -debochou mais ainda:

– Quem for fazer a próxima audiência do Lula, é bom que vá com uma dose extra de paciência para a sessão de vitimização.

Ontem, Viecilli publicou em seu perfil no Twitter:

– Errei. E minha consciência me leva a fazer o correto: pedir desculpas à pessoa diretamente afetada, o ex-presidente Lula – disse ela.

A ALA DA PROCURADORA NO TWITTER AUTENTICA AS REVELAÇÕES DO THE INTERCEPT sobre a manipulação da Lava Jato

Ao pedir desculpas pelo conteúdo vazado, a procuradora garante a autenticidade das gravações e revela que houve mesmo os diálogos, até então negados pelo chefe da Lava Jato, Deltan Dallgnol.

Se os diálogos debochados são autênticos, todos os demais também o são, o que leva, claramente, à necessidade de anulação do julgamento de Lula.

Não há outro caminho senão este…

3

Bolsomínions sequer sabem o que falam sobre Lula…

Adepta do bolsonarismo maniqueísta, patuleia “ordem unida” primeiro reclamou da decisão da juíza que tentou transferir Lula –  achando ser este um pedido da defesa – depois, reclamou do STF porque queria o ex-presidente em Tremembé

 

COMO GADO, A MASSA BOLSOMÍNIA VAI SENDO GUIADO PELOS MANIPULADORES DAS FAKE NEWS construidas pelos aliados do presidente

Editorial

O titular do blog Marco Aurélio D’Eça sempre aponta em grupo de troca de mensagens que há um elã entre o perfil dos eleitores mais fanáticos do bolsonarismo e o perfil do próprio presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Geralmente são evangélicos radicais, riquinhos recalcados com o avanço das classes menos favorecidas, militares autoritários, machistas inveterados e homofóbicos de toda sorte.

Gente que estava numa espécie de armário durante os governos progressistas de Fernando Henrique Cardoso a Dilma Roussef, passando pelos oito anos de Lula.

Este perfil bolsomínion já foi, inclusive, analisado no post “Os amantes da ditadura sempre andaram por aí..”

Essa turba viu no avanço da extrema direita pós-golpe de 2016 uma forma de sair do armário e gritar a plenos pulmões, expor o ódio que engoliram nesses anos todos e construir um Brasil só deles: machista, ultraconservador, de extrema direita, onde as liberdades individuais só serviriam para a própria manada bolsomínia.

A decisão desta quarta-feira, 7, da juíza Carolina Lebbos – de transferir, de uma hora para outra, o ex-presidente Lula, da prisão em Curitiba para o presídio de Tremembé, em São Paulo – expôs de forma indubitável a consciência política dessa massa “ordem unida”.

Os bolsomínions primeiro passaram a xingar a juíza, a proferir todos os impropérios típicos da “nação bolsonarista”, achando que a transferência era um pedido da defesa.

Depois, ao perceber tratar-se de mais uma arbitrariedade contra Lula, passaram a comemorar a decisão como uma espécie de sentença de morte do ex-presidente.

Mais tade passaram a odiar os ministros do Supremo Tribunal Federal, que corrigiram a agressão da juíza.

Mas se perguntar aos que gritam em prol de Bolsonaro – e contra tudo o que é diferente dele – essa massa não saberá sequer dizer o que, de fato, ocorreu nesta fatídica quarta-feira, 7 de agosto.

Este é o perfil da manada bolsomínia que vem seguindo o rebanho.

É simples assim…

3

Zé Inácio fez prognóstico seguido pelo STF sobre transferência de Lula

Pela manhã, deputado estadual maranhense analisou como arbitrária a decisão da juíza, apontando que ela deveria aguardar análise de Habeas Corpus no STF; horas depois, o supremo disse exatamente a mesma coisa

 

ZÉ INÁCIO PERCEBEU CEDO A ARBITRARIEDADE DA JUÍZA DE CURITIBA CONTRA LULA, o que foi confirmado horas mais tarde pelo STF

O deputado estadual Zé Inácio (PT) fez ontem uma ponderação pública que acabou casando exatamente com a decisão do Supremo Tribunal Federal em relação ao ex-presidente Lula.

Pela manhã, logo após decisão da juíza Carolinas Lebbos – de transferir Lula de Curitiba para São Paulo, sem ouvir a defesa – Inácio fez o seguinte comentário no Twitter:

À tarde, ao se reunir, o Plenário do STF decidiu acatar a decisão do ministro Edison Facchin, de suspender a transferência de Lula, argumentando que a juíza deveria esperar julgamento do recurso que tramita no Supremo.

Exatamente como pregou Zé Inácio horas mais cedo.

No final da tarde, o deputado do PT analisou como acertada a decisão do STF. E apontou que líderes dos mais diversos partidos recorreram à Suprema Corte “para denunciar tamanha ilegalidade contra o ex-presidente”.

O que se vê no episódio é que, pelo menos neste momento da história, os pensamentos de petistas se coadunam com os dos que realmente fazem justiça neste país.

É a história começando a s corrigir…

1

Moro e Dallagnol na mira do STF…

O ex-juiz federal e o procurador da Lava Jato manipularam dados de operações policiais e investigações do Ministério Público para emparedar ministros; e podem ver seu reinado de picaretagens cair por terra na Suprema Corte

 

A DUPLA DINÂMICA DALLAGNOL E MORO AGORA PODEM SER ALCANÇADOS PELOS BRAÇO DO STF; picaretagens contra ministros da Suprema Corte

O efeito das novas revelações do site The Intercept sobre as picaretagens do procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, provocaram um efeito devastador no Supremo Tribunal Federal.

Já existe na Corte Suprema um grupo de ministros que quer frear as pretensões absolutistas do coordenador da Lava Jato e do ex-juiz que virou ministro da Justiça.

Já se sabe que Dallagnol tentou seduzir ministros como Edson Facchin e Luiz Roberto Barroso, manipulou ilegalmente investigações contra os ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes, e tentou influenciar até a escolha de um membro do STF. (Releia aqui, aqui e aqui)

As novas revelações do The Intercept trazem coisas ainda mais graves: o procurador da Lava Jato manipulou até partidos políticos para processar Gilmar Mendes, num ato tresloucado de autoritarismo.

As conversas reveladas pelo site do jornalistas Gleen Grennwald já deixam claro a manipulação do processo contra o ex-presidente Lula.

Agora, revelam que a dupla dinâmica Moro e Dallagnol também tentaram manipular a Justiça em todos as suas instâncias.

E devem pagar caro por essa petulância…

11

Sérgio Moro e Jair Bolsonaro a caminho do cadafalso…

Ministro da Justiça enredou-se na própria manipulação da Lava Jato e agora está nas mãos do Supremo Tribunal Federal; o presidente deve cair pela incapacidade que tem de governar; e os dois ainda devem levar juntos o procurador Deltan Dallagnol

 

MORO COMEÇA A CAIR POR SUA MANIPULAÇÃO NA LAVA JATO; Bolsonaro cairá pela incapacidade administrativa, ignorância e boçalidade na condução da presidência

Editorial

As instituições republicanas começam a se dar conta na esparrela em que se meteram ao permitir o avanço de forças golpistas, desde 2016, que resultaram na eleição do mais despreparado dos presidentes em toda a história da República.

A decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, de proibir a destruição dos áudios apreendidos com os supostos hacker´s de Araraquara – intenção do ministro da Justiça  Sérgio Moro – começa a por ordem no furdunço que foram as ivnestigações conduzidas por Moro e seu fiel escudeiro, Deltan Dallagnol.

Junto com a decisão de Moraes estão ações dos também ministros do STF Dias Toffoli e Gilmar Mendes, que se descobriram alvos ilegais de Dallagnol, que tinha o objetivo de emparedá-los.

Não se surpreenda se Moro e seu pupilo acabarem atrás das grades, pelas práticas riminosas já descobertas na Lava Jato.

Por outro lado, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) começa a se enrolar na própria língua, e demonstra completa incapacidade de governar.

Junta-se a isso seus arrotos verbais, a ignorância e a boçalidade característicasdesde quando habitava o subsolo político da Câmara Federal.

Pelas agressões que comete à própria Constituição, não custa e Bolsonaro será alvo de pedidos de impeachment de instituições como a  Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

E o resultado será Bolsonaro e Moro caminhando juntos para o cadafalso, resultado direto de suas ambições pelo poder.

Eles deram um abraço de afogados quando se juntaram para dar um golpe no Brasil.

Mas a história cobra de todo golpista, cedo ou tarde.

Felizmente, neste caso, será mais cedo do que se imagina…

0

STF proíbe destruição e requer material apreendido com hacker’s…

Ministro Alexandre de Moraes determinou ao juiz responsável pela operação da Polícia Federal todas as gravações de autoridades, que o ministro da Justiça Sérgio Moro chegou a dizer que iria destruir

 

AOS POUCOS, DELTAN E MORO VÃO SE ENCALACRANDO NAS PRÓPRIAS PICARETAGENS, à medida que as autoridades vão se convencendo dos diálogos divulgados pelo site The Intercept

O ministro do Supremo tribunal federal Alexandre de Moraes determinou no fim da noite de quinta-feira, 1º, a entrega de todo o material apreendido com os hacker´s de Araraquara em operação da Polícia Federal.

Este é o material que o ministro da Justiça Sérgio Moro queria destruir, conforme informou a autoridades. (Relembre aqui)

Alexandre de Moraes determinou o encaminhamento do material baseado em notícias de que ministros do STF tenham sido investigados ilegalmente.

Esta investigação, promovida pelo procurador Deltan Dallagnol, foi noticiada na última quinta-feira pelo blog Marco Aurélio D’Eça, no post “Deltan espionou ministros e tentou influenciar indicações para o STF…”

Com base em gravações divulgadas pelo site The Intercept e pela Folha de S. Paulo, constatou-se que Dallagnol manipulou colegas do Ministério Público para obter informações comprometedoras contra ministros, para vazar à imprensa e pressioná-los em favor da Lava Jato.

Todo o material será analisado pelos ministros do STF…

3

Deltan espionou ministros e tentou influenciar indicações para o STF…

Procurador da Lava Jato usava métodos ilegais para obter informações contra ministros que entendia serem desfavoráveis aos seus projetos na investigação de políticos

 

DELTAN DALLAGNOL; DE POLÍCIA A CASO DE POLÍCIA após revelações do site The Intercept

O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da operação Lava Jato, tentou obter informações que comprometessem pelo menos dois ministros do Supremo Tribunal Federal; Dias Toffoli e Gilmar Mendes.

A informação foi dada nesta quinta-feira, 1º, pelo site The Intercept, em parceria com a Folha de S. Paulo e Uol.

Nas conversas, Dallagnol usava colegas para obter informações, primeiro contra Dias Toffoli; depois, contra Gilmar Mendes.

Investigações contra ministros do STF só podem ser conduzidas pelo procurador-geral da República.

Mesmo assim, o procurador da Lava Jato tentava obter informações não autorizadas com colegas; e vazava para a imprensa, na tentativa de emparedar os ministros.

Deltan Dallagnol chegou, inclusive, a jogar contra um ministro do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins, que estava cotado para a vaga de Teori Zawascki no STF.

A ideia era impedir a indicação de Martins, que acabou indo para o então ministro da Justiça, Alexandre de Morais.

A atuaçãod e Dallagnol neste aspecto específico das revelações do The Intercept é crime grave – e reforça as informações de sua manipulação no processo da Lava Jato.

11

Hacker confirma que diálogos entre Deltan e Moro são autênticos…

Em depoimento à Polícia Federal, Walter Delgatti Neto contou como acessou as contas do Telegram do ex-juiz e do procurador, garantiu que não editou nenhuma conversa entre os dois e confirmou que não conhece o jornalista Gleen Grennwald, responsável pela divulgação dos áudios

 

O HACKER WALTER DELGATTI; ACESSO POR ACASO À CONTA DE DELTAN DALLAGNOL e confirmação de diálogos não-republicanos com Sérgio Moro

O depoimento do hacker Walter Delgatti Neto – acusado de ser o responsável pelo grampo nas conversas entre o ex-juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol – é uma espécie de pá-de-cal nas pretensões de Moro de negar a manipulação do julgamento de Lula.

O hacker não apenas confirmou a autenticidades das conversas entre o ex-juiz e o procurador como também revelou não conhecer o jornalista Gleen Grennwald; e muito menos a ex-deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB).

No depoimento à Polícia Federal, Delgatti explicou como chegou à conta de Dallagnol e disse que, só após ver o conteúdo das conversas dele com procuradores e com Moro, achou que tinha coisa errada nisso.

Foi então que procurou, via mensagem, a deputada Manuela D’Ávila – que a principio desconfiou, mas se convenceu após ouvir um dos áudios.  Manuela repassou o número a Grennwald, que também falou com Delgatti apenas por telefone.

E entendeu que as conversas eram de interesse público.

Como de fato são.

Se Moro queria – com a prisão do hacker – tentar destruir provas da autenticidade das conversas, ele apenas contribuiu para que elas fossem autenticadas.

Em outras palavras: está provado que ele manipulou a operação Lava Jato para levar à condenação de Lula.

A palavra, agora, está com o Supremo Tribunal Federal.

E não há outra saída, a não ser a anulação do julgamento.

Simples assim…