7

A história dos R$ 8 milhões que seriam “tomados” do Santander…

A história da tentativa judicial de tomar R$ 8 milhões do banco Santander –  frustrada pelo STJ – começa com a compra de um carro em São Luís.

O caso já foi apelidado de “Vidaceiro II”.

O banco teria cobrado irregularmente duas parcelas que a compradora garantiu já ter pago, mesmo sem mostrar comprovantes. A partir daí, o banco não liberou o pagamento das demais parcelas enquanto não fosse comprovado pagamento das anteriores.

A mulher entrou na Justiça contra o Santander.

Detalhe, ela é casada com um advogado do escritório que processou o banco.

O estranho é que o valor base de R$ 4,5 mil ganhou um reajuste de quase 180.000%, chegando aos R$ 8 milhões que o juiz estadual determinou serem arrestados  do Santander.

Na última das três tentativas de pegar o dinheiro na marra, parentes de membros do Tribunal de Justiça também estavam presentes na agência – embora, aparentemente, nada teriam a ver com o caso.

Em cima da hora, os advogados do Santander conseguiram reverter a decisão no STJ, impedindo a tomada dos R$ 8 milhões.

O caso é grave e aponta para possível formação de quadrilha envolvendo advogados e magistrados.

Mas sem o CNJ para investigar…

Marco Aurélio D'Eça

7 Comments

  1. Caro Presidente Guereiro Junior,

    Tenho certeza que o judiciário está em boas mãos, Vossa Excelência, precisa agir com rigor. Presidente, tem muito Juiz corrupto no TJ do Maranhão.
    Abraços,
    Rodolfo seu colega de Escola Modelo

  2. Todo mundo sabe quem são os envolvidos de cima e de baixo e nada acontece. Corregedoria só funciona contra servidor.

  3. Muito confuso o teu texto. Primeiro, há algum problema de alguém ser defendido ou ter o patrocínio em processo por advogado que é seu marido ou esposa? Segundo, o banco réu no processo tem advogados e, pergunta-se: como é que deixaram uma multa chegar a esse valor? Esses bancos, com o poderio econômico que tem, com essa decisão do STJ, que sempre beneficia bancos devedores, nunca mais irão pagar nenhuma dívida e, caso paguem, só quando eles quiserem. Por último, não vi indício algum de corrupção. A multa foi imposta, por desrespeito a uma decisão, e o banco deixou correr os prazos.

  4. Não dá para dizer os nomes dos advogados do banco e dos advogados da tal cliente ? Acho que seria bom sabermos quem são e sei que vc não tem medo, então publica para seus leitores.

    Resp.: Já publiquei, amigo. O advogado do banco é Ulísses de Souza Martins. O escritório que defende a mulher que quer a indenização é o de Gustavo Sauaia.

  5. dizem que este juiz que deu essa decisão entrega os processos para os advogados fazerem as decisões e alvarás em seus escritórios. tem advogado que leva o processo na casa dele todo feito, desde o pedido inicial até o alvará de saque do dinheiro. aí meu irmão, é fácil de mais advogar!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *