0

Francisco Neto garante: “é possível mudar a realidade do Paço”…

Em vídeo divulgado nas redes sociais, pré-candidato do partido Novo a prefeito lamenta a atual situação do município, onde a prefeita é afastada por corrupção, o vice que assume já começa com nomeação de apresenta e ainda apoia outro candidato igualmente envolvido em corrupção

Francisco Neto propõe aos luminenses mudar a realidade do Paço

O pré-0candiadto do partido Novo a prefeito de Paço do Lumiar divulgou em suas redes sociais vídeo em que aponta a situação vexatória do município criada pela guerra entre a prefeita afastada Paula da Pindoba (PCdoB) e o pré-candidato Fred Campos (PSB), ambos envolvidos em corrupção.

E aí vem o prefeito interino e coloca toda a família na prefeitura”, lamentou Neto, referindo-se ao prefeito-tampão Inaldo Alves (PSDB), que assumiu no lugar de Pindoba e nomeou de uma só canetada um grupo de familiares, como revelou este blog Marco Aurélio d’Eça, no post “Inaldo Alves faz a festa de parentes em Paço do Lumiar”.

É cara a cara com o eleitor que Francisco do Feijão de Corda pretende mudar a realidade de Paço do Lumiar

Francisco Neto lamenta ainda mais por que, nesta guerrinha entre corruptos, o povo de Paço do Lumiar vai sendo esquecido.

E você que é luminense? quando é que você vai ser visto realmente?”, pergunta.

Mesmo diante de tamanho abandono, Francisco Neto garante que é possível mudar a realidade em Paço do Lumiar.

Sou pré-candidato a prefeito e estou disposto a te mostrar que é possível mudar esta realidade”, afirmou.

0

Paula da Pindoba definitivamente fora da Prefeitura de Paço

Prefeita já afastada por decisão do Tribunal de Justiça teve novo afastamento decretado nesta segunda-feira, 10, pela 1ª Vara de Paço do Lumiar, desta vez por seis meses, o que praticamente a tira das eleições de outubro e praticamente encerra o seu mandato no município

 

Paula Azevedo recebeu nesta segunda-feira, 10, o tiro de misericórdia da Justiça, que feriu de morte também a candidatura de Jorge Marú em Paço do Lumiar

A prefeita afastada de Paço do Lumiar Paula Azevedo, a Paula da Pindoba (PCdoB), praticamente viu nesta segunda-feira, 10, o encerramento do seu mandato à frente do município.

Por decisão do juiz da 1ª vara de Paço do Lumiar, Gilmar de Jesus Everton Vale, ela foi afastada por 180 dias, o que a tira automaticamente das eleições de outubro e deixa-lhe com apenas um mês de mandato, isso se conseguir voltar em dezembro.

A decisão do juiz Gilmar Vale se baseia Ação de Improbidade Administrativa…

0

Braide sabia do contrato de R$ 18 milhões para seu amigo na Semus…

Ex-presidente da Comissão de Licitação, Washington Ribeiro Viegas, revelou à CPI da Câmara Municipal que investiga o escândalo na prefeitura de São Luís, ter sido recebido pessoalmente pelo prefeito, em seu gabinete, para tratar do contrato, “por conta do valor e do período eleitoral” 

 

Viêgas, ex-da CPL de Braide foi o primeiro a depor á CPI que investiga os contratos emergenciais do prefeito

O prefeito Eduardo Braide (PSD) recebeu pessoalmente em seu gabinete o ex-presidente da Comissão de Licitação da Prefeitura de São Luís, Washington Ribeiro Viêgas, para tratar do contrato de R$ 18 milhões da empresa Aroma & Sabor Alimentos LTDA (Pier 77) com a Secretaria de Saúde.

A revelação foi feita nesta quarta-feira, 29, à CPI da Câmara Municipal pelo próprio Viêgas, demitido sumariamente por Braide após o escândalo estourar na imprensa.

  • o contrato de R$ 18 milhões entre a Semus e a Píer 77 foi feito “em caráter emergencial”, sem licitação;
  • A empresa pertence a Arthur Henrique Segalla de Carvalho Pereira, amigo pessoal do prefeito;
  • o amigo pessoal foi seu assessor durante os anos em que Braide esteve na Assembleia;
  • Além de Washington Viêgas, Braide demitiu toda a cúpula da licitação em São Luís.

A conversa foi no sentido de que, apesar de eu falar dos pontos, dos atos que seriam ressalvados com relação a essa contratação, ele disse: ‘Washington, se houver possibilidade jurídica para que essa contratação siga, que ela siga. Se não houver, a gente vai pensar em outra coisa’”, declarou Viêgas.

O ex-presidente da CPL contou ainda aos vereadores que após a conversa com Braide decidiu encaminhar parecer à própria Secretaria de Saúde propondo sindicância para descobrir a causa da demora no processo regular de contratação.

Também orientou para que o novo fornecedor e a cotação de preços fosse por dispensa eletrônica, o chamado “preguinho”.

Mas foi exonenado da função antes de saber se as diretrizes sofram seguidas…

0

Álvaro Pires critica insistência de Braide em contratos emergenciais…

Presidente da CPI que investiga este tipo de procedimento que o prefeito usa desde o início da gestão diz que a prática dispensa uso da Comissão de Licitação do município, exatamente o alvo da investigação da Câmara Municipal

 

Sob a coordenação de Álvaro Pires vereadores se reuniram para discutir os próximos passos da CPI dos Contratos Emergenciais de Braide

O vereador Álvaro Pires (PSB), presidente da CPI da Câmara Municipal que vai investigar os contratos emergenciais da gestão Eduardo Braide (PSD), criticou nesta sexta-feira, 24, a insistência do prefeito em manter estre tipo de procedimento na gestão.

Nós estamos praticamente findando um mandato e a Prefeitura ainda insiste em fazer contratos emergenciais, sendo que isso não é a regra. Mantendo esses contratos emergenciais, adesões de atas e as dispensas de licitações, automaticamente ele está dispensando a Comissão Permanente de Licitação (CPL) do município”, disse.

 

Para Álvaro, a prática gera mais estranheza na medida em que Braide decidiu demitir toda a Comissão Permanente de Licitação (CPL) após vazamento de contrato de R$ 18 milhões para um ex-assessor de seu antigo gabinete na Assembleia Legislativa.

Foram demitidos 16 membros. A gente precisa entender de fato o que aconteceu, a sociedade precisa saber. Foi uma denúncia de dispensa de licitação de um contrato emergencial de uma empresa chamada para prestar serviços no valor de  R$ 18 milhões que gerou todo esse problema”, acrescentou.

 

A CPI já começou a elaborar o plano de trabalho e o cronograma de audiências.

As primeiras oitivas devem ser definidas em reunião na quarta-feira, 29…

0

O nó tático de Paulo Victor em Zanony Passos

Nenhuma outra liderança política no Maranhão conseguiu o que o presidente da Câmara Municipal de São Luís alcançou com a denúncia contra o promotor de Justiça; além de livrar a Casa da constante, e incômoda, presença policial, o vereador ainda tirou de atividade um personagem há tempos conhecido pelas estrepulias usando o cargo

 

Zanony Passos está afastado em pode perser o cargo no Ministério Público, graças `{a coragem de Paulo Victor expor publicamente o que sofria

Análise da Notícia

A divulgação da negação de um recurso no Conselho Nacional do Ministério Público interposto pelo promotor de Justiça Zanony Passos – afastado por denúncia de corrupção – trouxe de volta ao noticiário um dos mais surpreendentes casos envolvendo a classe política do Maranhão.

Nenhuma liderança política do estado conseguiu a proeza do presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador  Paulo Victor (PSB), que, ao gritar publicamente contra a extorsão que vinha sofrendo, impôs um verdadeiro xeque-mate em Zanony:

  • PV conseguiu o afastamento com possível perda do cargo do promotor que vinha lhe achacando;
  • e ao mesmo tempo conseguiu livrar a Câmara da incômoda presença policial em seu pátio.

Zanony Passos usou o seu cargo no Ministério Público para conseguir benefícios financeiros de Paulo Victor, por meio de nomeações de parentes indicados por ele; para isso, usava como chantagem ameaças de prisão e de perseguição policial, tanto ao presidente da Câmara quanto aos demais vereadores. 

A prática do promotor já era conhecida há tempos nos meios políticos, policiais e de imprensa, mas ele parecia se movimentar acima do bem e do mal.

E tudo indica que a denúncia de Paulo Victor dará ao achacador um destino longe da força que o cargo lhe dava:

  • afastado há pelo menos 90 dias, Zanony Passos pode ter esse afastamento aumentado em mais 180 dias;
  • ele responde também a Processo Administrativo Disciplinar na Corregedoria Nacional do Ministério Público;
  • além dos processos administrativos, o promotor pode também responder a ação penal, resultando na perda do cargo;
  • A Promotoria pela qual Zanony respondia será alvo de correição extraordinária que avaliará possíveis outros alvos de extorsão.

A política maranhense sempre se manteve achacada por expoentes de outras instituições com poder de polícia para fazer ameaças e arrancar benefícios pessoais.

O que Paulo Victor, ao correr o risco de expor, foi mostrar que é possível livrar-se nas espadas no pescoço.

Por que ninguém está acima da Lei e da Justiça.

Simples assim…

0

Álvaro Pires propõe CPI pra investigar CPL de Braide…

Vereador entende que, diante das graves denúncias envolvendo a comissão – e depois que o próprio prefeito demitiu toda a cúpula responsável pelas licitações na prefeitura, a Câmara Municipal precisa esclarecer á população o que está por trás de tudo isso

 

Para Álvaro Pires, a atitude de Braide contra sua própria comissão mostra que há algo de errado nas licitações da prefeitura

O vereador Álvaro Pires (PSB ) apresentou, na manhã deste sábado, 11, Requerimento em que solicita a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar supostas irregularidades ocorridas na Comissão Permanente de Licitação ( CPL) da gestão do prefeito Eduardo Bradie (PSD).

Segundo o vereador, quando um gestor suspeita de sua própria comissão de licitação, há algo gravíssimo, tanto que toda a cúpula da CPL foi exonerada às pressas.

“Quando várias denúncias por parte de colegas vereadores e vereadoras vem à tona, quando a imprensa livre denúncia diariamente suspeitas irregularidades, e o agora o próprio prefeito Eduardo Salim Braide, põe em suspeita toda a sua Comissão de Licitação, há algo de gravíssimo; e esta Casa Legislativa, que é competente para investigar estes graves fatos, não vai se furtar de sua competência constitucional. Espero que nossos colegas nos acompanhem nesta CPI”, relatou o vereador Álvaro Pires.

O pedido, que depende apenas de 11 assinaturas para ser aprovado, foi apresentado, por meio do Sistema de Gerenciamento da Câmara Municipal de São Luís.

0

Mesmo antes de assumir, Froz Sobrinho dá nova cara ao TJ-MA…

Ainda corregedor-geral de Justiça, desembargador que assumirá  presidência do Tribunal de Justiça decidiu suspender o chefe do cartório de Caxias, acusado de extorsão, fraude e sonegação de valores ao Fundo do Judiciário, punição que pode aumentar com a chegada no novo corregedor, José Luiz Oliveira de Almeida

 

José Luiz Almeida será o corregedor de Justiça; Froz Sobrinho assumirá o comando do TJ-MA e já demarcou como deve ser sua gestão

Análise da Notícia

Prestes a assumir a presidência do Tribunal de Justiça, o desembargador  José de Ribamar Froz Sobrinho tomou uma decisão na última semana – ainda como corregedor-geral de Justiça – que pode ser um símbolo de sua gestão à frente do Judiciário maranhense.

Segundo revelou em primeira mão o blog Atual7, Froz Sobrinho decidiu afastar por 90 dias – prorrogáveis por mais 30 dias – o titular do 1º Ofício da Serventia Extrajudicial de Caxias, Aurino da Rocha Luz, acusado de extorsão, coação, fraude e sonegação de valores ao Judiciário. (Leia aqui)

A investigação contra Aurino Luz, que começou ainda em 2023, na gestão do então corregedor Marcelino Chaves Ewerton, foi noticiada, com exclusividade, neste blog Marco Aurélio d’Eça no post “Corregedoria-Geral de Justiça vai investigar dono de cartório acusado de extorsão em Caxias…”.

Mais do que punir um serventuário recorrente em denúncias de corrupção desde a sua entrada no TJ-MA, ainda em 2011, a decisão de Froz Sobrinho dá uma ideia de como será sua gestão à frente do Tribunal de Justiça do Maranhão, marcado nos últimos anos por notícias não tão elogiáveis. (Saiba mais aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e também aqui)

Com relação a Aurino da Rocha Luz, sua punição é até considerada leve, diante de todas as provas apresentadas contra ele, mas pode piorar com a chegada do novo corregedor-geral de Justiça, que assume junto com Froz Sobrinho.

E é ninguém menos que o desembargador José Luiz Oliveira de Almeida…

0

Mas, afinal, por que Braide demitiu seus auxiliares na Cultura?!?

Inseguro pela simples divulgação de que havia feito um contrato com o “Instituto Juju e Cacaia” prefeito demitiu chefe de gabinete, assessor jurídico e até o próprio secretário da pasta, sem que nenhuma revelação tenha sido feita sobre irregularidades; agora, o próprio prefeito revalida o contrato com a instituição; e Marquinho Duailibe, Aulinda Lima e Jean Felipe Martins serão recontratados?

 

Marquinho Duailibe foi uma das vítimas da reação de Eduardo Braide a um contrato que nem o próprio prefeito sabia por que existia

Análise da Notícia

O prefeito Eduardo Braide (PSD) não consegue explicar sua reação ao contrato de sua gestão com o “Instituto Juju e Cacaia” para gerenciamento do carnaval 2024 em São Luís; desde a simples revelação de que o acordo existia – no valor de quase R$ 7 milhões – o prefeito entrou em parafuso e tomou diversas atitudes tresloucadas. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

Repita-se: nenhum órgão de imprensa, nenhum blog ou jornal, nenhuma instituição de controle ou de investigação apontou qualquer irregularidade no contrato, apenas fez a divulgação.

Mesmo assim, o prefeito primeiro determinou a suspensão do contrato, depois demitiu dois auxiliares da Secretaria de Cultura – a chefe de gabinete Aulinda Lima e o assessor jurídico Jean Felipe Martins; por último, exonerou o próprio secretário de Cultural Marco Duailibe, sem nenhuma explicação para as demissões.

Nesta quinta-feira, 8, o Ministério Público decidiu recomendar à prefeitura que recontratasse a “Juju e Cacaia”, após não encontrar nenhuma irregularidade em seu cadastro e nem no contrato com a prefeitura; e a imprensa noticia nesta sexta-feira, 9, que Braide aceitou sem questionar recontratar o instituto e revalidar o contrato de quase R$ 7 milhões.

Conclusão: o prefeito de São Luís expôs, de uma só vez, tanto o “Instituto Juju e Cacaia” quanto três dos mais graduados auxiliares de sua gestão; por isso, o prefeito tem obrigação de explicar à opinião pública:

Por que demitiu Marco Duailibe, Aulinda Lima e Jean Felipe Martins????

0

Instituto Juju e Cacaia diz que era tudo legal no contrato do carnaval com a prefeitura

Escola infantil que ganhou contrato de R$ 6,9 milhões para conduzir o projeto organizado pelo prefeito Eduardo Braide diz que tem legitimidade para atuar no setor e que recebeu certificado do Ministério Público Estadual atestando sua regularidade; só não disse por que, sendo assim, o prefeito decidiu cancelar o contrato e demitir dois servidores da Secretaria de Cultura

 

O “Instituto de Educação Juju e Cacaia – Tu és uma benção” emitiu nota de  esclarecimento nesta terça-feira, 30, em que joga nas mãos do próprio prefeito Eduardo Braide (PSD) a batata q1uente do escândalo relacionado a um contrato de R$ 6,9 milhões para organização do carnaval 2024.

No documento, além de garantir ter certificado do Ministério Público Estadual atestando sua regularidade, a escolinha infantil da Cidade Olímpica garante que mantém várias atividades estatutárias com finalidades de ordem pública; podendo atuar tanto na educação, através da Creche que é mantida pela Entidade, quanto na cultura, saúde, desporto, assistência social, dentre outras ações esculpidas em seu Estatuto Social.

Mas por que o esclarecimento da escolinha joga a responsabilidade nas mãos de Braide?!?

Ora, o prefeito determinou à Controladoria-Geral do Município que suspendesse o pagamento do Instituto Juju e Cacaia logo que o contrato veio à tona; e demitiu dois servidores graduados da Secretaria de Cultura por causa disso.

Se está tudo em dias, tudo às mil maravilhas com a entidade contratada, por que Eduardo Braide agiu como se  não estivesse?!?

Com a palavra a própria prefeitura de São Luís…

Abaixo a nota do instituto:

0

Abatido por escândalo, Braide tenta quebrar agenda negativa com anúncio de novo hospital

Prefeito de São Luís – cuja gestão está sendo questionada por corrupção em um contrato de R$ 7 milhões para o carnaval – foi ao Socorrão II para anunciar que a unidade de saúde será desativada para dar lugar a uma nova; mas deixou claro o incômodo com as denúncias, ao declarar: “enquanto uns falam, eu trabalho”

 

Prefeito vem tentando mudar o foco da agenda que mostra escândalo no carnaval da prefeitura

É visível o abatimento público do prefeito de São Luís Eduardo Braide (PSD) com as suspeitas de corrupção envolvendo o projeto de “Cidade do Carnaval”, que ele anunciou a toque-de-caixa e entregou para uma escola infantil gerenciar.

Nesta terça-feira, 30, um prefeito visivelmente abatido tentou mudar a agenda negativa que marca a prefeitura desde a semana passada e anunciou que vai fechar o Hospital Socorrão II, na Maiobinha, para construir no local uma nova unidade de Saúde.

Enquanto uns falam, eu trabalho e faço o que nunca foi feito pela cidade – afirmou o prefeito.

A frase revela o incômodo com o escândalo de quase R$ 7 milhões que seriam pagos para o “Instituto de Educação Juju e Cacaia” realizar o carnaval em São Luís.

Tentando evitar o desgaste com o escândalo, o prefeito anunciou a suspensão do pagamento e até a demissão de dois servidores graduados da Secretaria de Cultura, bodes expiatórios da gravidade da situação.

Mesmo diante das ações do prefeito, ainda não estão esclarecidas as questões envolvendo a Cidade do Carnaval e o Instituto de Educação Juju e Cacaia.

Afinal, se o pagamento ao instituto foi suspenso, mas a Cidade do Carnaval continua funcionando, quem está pagando a conta?

São respostas que precisam ser dadas à opinião pública…