28

A saúde de São Luís agradece

Com a decisão das entidades que representam as escolas de samba de São Luís de não participarem mais do desfile na Passarela do Samba, a saúde de São Luís só teve a ganhar.

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior, determinou que 50% do valor destinado ao Carnaval de 2013 sejam transferidos para a Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), o que corresponde a uma injeção de R$ 1 milhão para a pasta.

A união das Escolas de Sama do Estado do maranhão (Uesma), a Associação Maranhense de Blocos Carnavalescos (AMBC) e a Academia de Blocos Tradicionais do Estado do Maranhão (ABTEMA) entenderam que o cachê oferecido pela Fundação Municipal de Cultura (Func) de R$ 2 milhões este ano não era o suficiente.

Não é o suficinete, mas metade deste valor, agora investido na saúde, será de suma importância haja vista o estado de emergência em que a situação se encontra na capital.

Embora tenha sido uma decisão dada por, digamos, pura pirraça e, por que não, ganância daqueles que estão viciados em depender do poder público para tudo, só beneficiou um dos setores mais necessitados atualmente de recursos.

Por isso, a saúde de São Luís só tem a agradecer a tão abençoada decisão.

Marco Aurélio D'Eça

28 Comments

  1. Carnaval

    O Brasil é um país de inúmeras festas.

    É assombroso o número de feriados no calendário anual.

    Mas, se somarmos os dias que são emendados, teremos ao longo do ano, mais de quinze dias parados. Segundo especialistas do assunto, os prejuízos são enormes para o País.

    Agora, nesta época, temos o feriado de carnaval.

    Em alguns lugares perde-se mais de uma semana de trabalho.

    É o festejo da alegria num País de quase 40 milhões de miseráveis.

    Desde o início de janeiro a mídia vem explorando as folias de Momo, como se fosse o acontecimento mais importante do ano.

    Fala-se em alegria, festa, colocar para fora as angústias contidas durante o ano passado. Infelizmente os caminhos propostos nada têm a ver com alegria ou alívio de tensões.

    Ligamos a televisão e ouvimos a batida repetitiva das escolas de samba, cujo valor folclórico e cultural foi lentamente sendo perdido. Há muita gente que busca fazer do carnaval um momento de esperança, oportunizando empregos, abrigando menores e isso é muito valioso.

    Entretanto, o grande saldo da festa se resume em duas palavras: ilusão e sensualidade.

    Referimo-nos à ilusão dos entorpecentes, dos alcoólicos.

    A ilusão de grandeza, que falsamente produz um imenso contraste entre a beleza da avenida e a subvida dos barracos.

    Falamos da sensualidade que se torna material de venda, nos corpos desnudos e aparentemente felizes por fora, mas muitas vezes profundamente infelizes por dentro.

    As emissoras não cansam de exibir os bailes, os concursos de fantasias, os desfiles, levando-os a todos os que se comprazem em observar a loucura.

    Mas, ao longo do caminho, multiplicam-se os doentes de Aids, os abortamentos, a pobreza e o abandono, a violência.

    Com o risco de sermos taxados de moralistas, num tempo em que se perdem as noções de moralidade, não podemos deixar de analisar criticamente esses disparates do mundo brasileiro.

    Em nenhum momento nos colocamos contra a alegria. Porém, será justo confundir euforia passageira com alegria real?

    Alegria de verdade seria viver num lugar onde não houvesse fome, violência, tráfico de drogas e tráfico de influências.

    Não podemos nos colocar contra o alívio de tensões. Entretanto, alívio real seria encontrar um caminho para os graves problemas pelos quais o País atravessa.

    O carnaval é bem típico da alienação espiritual que a sociedade se permite. De um lado, as falsas aquisições sociais de alguns, negadas pela agressividade de muitos; de outro, a falsa felicidade de quatro dias de folia, e 361 dias de novas e renovadas angústias.

    Vale a pena?

    Nestas horas, pessoas embriagadas, perdidas, usam um segundo de falso prazer, em troca de um enorme tempo de arrependimentos.Por quê? – perguntamos.

    As pessoas pulam, vibram, e nem ao menos sabem o motivo da festa. Vão porque as outras pessoas também vão.

    Enquanto a sociedade agir desta forma, sem personalidade digna, dando valores justamente aos desvalores, as pessoas continuarão sofrendo as conseqüências de seus próprios atos.

    Vamos fazer destes dias de feriado, dias de alegria verdadeira, em paz conosco mesmos.

    Vamos meditar, ler, pensar. Vamos conviver com nossa família e amigos, trocar idéias salutares.

    Vamos orar também por aqueles que ainda não tiveram consciência de fazer o bem conforme o Cristo nos recomendou, e padecem nestes instantes de euforia descontrolada.

  2. Protestante, que de protestante não tem nada:
    O carnaval nunca irá acabar. O que tem que acabar é essa prática de pegarem o dinheiro de uma maioria que não curte essa orgia a céu aberto e financiar o ócio de uma minoria. Sai num bloco de sujo que tu vais te divertir muito mais do que ficar com o traseiro na arquibancada, olhando esses arremedos de escola-de-samba.

  3. Valeu, prefeito e secretário. Decisão acertadíssima!
    É bom tbm ir pensando no São João. Eu nunca vi em lugar nenhum deste país um São João de 30, 40 dias. Tá bom de acabar com essa palhaçada. Em todas as cidades que conheço as festas juninas são comemoradas entre os dias 23(véspera de São João) e 29/06(dia de São Pedro). Aqui não! Armam esses arraiais durante mais de mês e tome de gente faltando ao trabalho ou indo trabalhar de ressaca e a economia do Estado indo pro buraco. E não me venham dizer que isso incrementa o turismo pq os turistas teem q voltar aos seus Estados PARA TRABALHAR, coisa que, me parece, não tem muito a ver com o povo daqui.

  4. Marcos, está na cara que o Carnaval foi cancelado por um religioso motivo, a saber, a religião do Prefeito. E olha que na campanha, depois de discutido esse tema, ele prometeu que o Carnaval não iria acabar… Mentira!!!!

  5. Em relação ao comentário do Sr Geovane de que o dinheiro público deve ser usado em areas vitais e que a cultura deve ser patrocinada pela iniciativa privada, faço o seguinte questionamento,para que servem as secretarias de culturas e fundaçãoes culturais? As verbas que as mesmas dispõem de acordo com o orçamento publico não são para esse fim(promover eventos culturais)?Dessa forma é melhor extingui-las.A lei permite que o dinheiro destinado a um fim seja aplicado em outro (ainda que a causa seja nobre)Isso não é desvio de finalidade?Fica aqui meus questionamentos.

  6. Abram as porteiras, PAI FRANCISCO chegou!!!
    Amigo, esse assunto é verdadeiramente polêmico. Vou expressar minha opinião a respeito. Inicialmente, eu fiquei bastante triste quando soube da não realização do carnaval de passarela, em São Luis. Sou apaixonado pelo carnaval, tanto o dia rua como o de passarela. Desde criança frequento os dois carnavais, sou fã ardoroso da escola Turma do Quinto. Discordo com alguns leitores quando dizem que o carnaval de passarela não tem nada a ver conosco. Conheço o carnaval de passarela de São Luis há anos, bem como de outros estados brasileiros. Posso garantir que o nosso carnaval de passarela está entre um dos melhores do Brasil. Já acompanhei carnavais de passarelas em outras cidades brasileiras, por isso me sinto credenciado para afirmar isso. Não estou falando do luxo, refiro-me a originalidade. A questão toda é como vem sendo feito esse carnaval. De fato, não tem sentido o dinheiro público bancar essas brincadeiras. Ao poder público deve caber apenas o incentivo, no sentido de fornecer o espaço e alguma logística que possa ajudar na realização do evento. Tem espaço para todos: para o carnaval de passarela e para o de rua. Muitos gostam do carnaval de passarela, que envolvem muita gente, desde a sua preparação até sua realização. Também reconheço que algumas brincadeiras do carnaval como do São João não merecem ser chamadas de atividades culturais, pois nada acrescentam em nossa cultura. Ao contrário, só servem para sugar as verbas públicas. Realmente, não se justifica alguns grupos ficarem o ano inteiro sem realizar qualquer atividade para arrecadar fundos e, por ocasião dessas datas, correrem em busca de verbas públicas. São grupos que montados apenas para manterem seus presidentes. Não realizam nenhuma atividade social junto a comunidade. Seria melhor que elas nem existissem. Aqui, na zona rural de Itapera, Quebra-Pote e Matinha existem vários desses grupos. Tem até briga pela presidência, todos são bancados pelo poder público e nada tem de cultura. Eles querem apenas o dinheiro. Dizem que estão fazendo cultura, mas se limitam a contratarem as radiolas de reggue dos amigos(tem uma tal de PERERECA DO SOM aqui que só dá ela) e fazem suas zueiras a noite toda, não deixam ninguém dormir. Passam a semana toda com essa zueira, com muita cachaça, drogas e violência. Nenhum desse grupo possui qualquer trabalho social junto a comunidade. Não possuem qualquer projeto para afastar as crianças e os adolescentes das drogas. Pelo contrário, esses grupos são os maiores incentivadores. Prova disso, são as uniões de moradores, só servem para fazerem festas de reggue. Se comportam como se fosse um bem privado. Não possuem compromisso a comunidade. A violência crescendo, o aumento do consumo de drogas, a falta de estrutura, falta d’àgua, escola, asfalto, enfim, a comunidade passando por vários dificuldades e as associações e uniões de bairros não servem para fazer um abaixo-assinado, mas festa de reggue tem todo fim de semana. Não se faz uma oficina de nossos ritmos, uma palestra, nada que tire as crianças da rua, só sabem é fazer festa. Basta!! O nosso São João está falindo, por culta de seus próprios proprietários, que em plena época junina, põe as radiolas para tocarem, não criar o hábito de se ouvir as músicas da época. Por tudo isso, acho que acertou Holandinha. Infelizmente, tem que ser assim!

  7. …Com a não realização do Carnaval esse ano por motivo de força maior que todos sabemos qual é; vamos analisar como ficará a cidade de São Luis, no mínimo quem sempre passa o carnaval em Itapecuru, Santa Inês ou em outra cidade não sentirá falta desse movimento aqui em cidade, vamos pelo menos uma vez na vida sentir Paz, não veremos os Hospitais lotados por motivos de tentavas de homicídios e nem enterros acontecendo por assassinatos durante o período carnavalesco como todos os anos temos visto…O Certo seria que esses movimentos culturais como Carnaval e as Festas Juninas deveria acontecer só uma vez, ou um ou outro, mas faria com mais qualidade, com mais atrações….

  8. Acho que o Marcelo Brandão estava fora do município ou do estado nessa mudança de governo, ou é afixionado por carnaval, a decisão foi grandiosamente sábia que nos leva a oportunidade de deixar de fazer essa doação para esses blocos e escolas que só nos apresentam desfiles medíocres e de gosto bizarro. Devo lembrá-lo que todas as verbas, saude, cultura, etc, foram desviadas, furtadas, n adjetivos para o que a dministração anterior fez com as verbas públicas. Essa corja deixaram o município em estado de calamidade, onde os seus servidores estão passando pelo constrangimento de receber seus proventos do mês de janeiro/2013 de forma parcelada. Portantodeixe de demagogia e apoie a sábia decisão do prefeito e do sec de cultura. Carnaval tem todo ano bom ou rúim você é quem faz!

  9. Medida certa de não fazerem o carnaval, agora esperamos que o recurso seja realmente investido na SAÚDE.

  10. A postagem do competente jornalista Marco D” Deça leva a uma reflexão.Até que ponto torna-se necessario investimento público, de grande monta, para finaciar o carnaval?No interior do Estado há Prefeitura se endividando para promoverem “o maior carnaval de todos os tempos”.Municipios pobres,que sobrevivem unicamente das transferencias do FPM e do ICMS, carentes de recursos para áreas de educação, saúde e infra-estrtura.Apoio a iniciativa da prefeitura de São Luis.O Poder público tem que bancar a estrutura minima para as brincadeiras carnavalescas, que é um evento diferenciado, mas não para patrocinar eventos “privado”.Essa invenção de pagamento de “cachê” a bricadeiras e contratação milionarias de bandas, algumas que não tem nada há ver com o espirito carnavalesco, é um absurdo e tem que ser combatido.

  11. Corretíssima a decisão.
    Aliás, devia acabar de vez com essa história de injetar dinheiro pra financiar parasita enquanto São Luís inteira cai aos pedaços.
    Olhava para esse carnaval de São Luís, pela televisão, evidentemente, e além desse atraso de boi, nunca ví nada assim, cultural, entende?
    Fizeram birra porque racionaram a teta que os alimentava? Perderam, bando de otários fedorentos. Tomara que de vez!

  12. Geovane ,vamos ter uma implicação positiva para outros carnavais,pois hoje todas as brincadeiras de ruas ficaam com o pires na mão aguardando as verbas públicas ,acreditam que as próprias entidades vão ver melhor forma de se planejarem , assim como a inciativa privada, leia-se aí donos de bares e cervejarias , pois moro na Madre Deus e não vejo nem um incentivo dos donos de bares e destes cobrando as cervejarias para algum patrocinio , ou seja , não é somente as brinacadeiras que ficam esperando o Governo , porém os Donos de Bares e Cervejarias que não têm nenhum tipo de custo ao contrário das brinacadeiras estão sempre embosando e muito sem bater um pandeiro.Por exemplo neste pré-carnaval em nenhum momento foi montado um palco com ponto de som , porém os bares estão cheios e vendendo muita bebiba.

  13. Parabéns a nossa administração…….atitude tomada pelo secretario de cultura e claro apoiado pelo prefeito eleito pelo povo.
    Parabéns a este blog, eu que pensava que ele( MARCO AURELIO) só sabia criticar e querer cada vez mais derrubar nossa cidade(NOVAS IDEIAS DE GOVERNAR), o apoio é muito importante de toda a população afinal esta é a nossa cidade e só queremos o bem. Vamos enter e apostar que essa nova administração tem futuro, quem sabe podemos ter uma mudança em todo o estado em 2014.

  14. Eu achei acertada a decisão do governo nesta situação específica, a saúde está realmente um caos. Porem está um caos por quê? Alguem sabe explicar? E caso o Carnaval e o São João seja um desastre esse ano aqui em São Luis tenho certeza que essas pessoas que hj aplaudem essa iniciativa vão criticar dizendo q o governo deve patrocinar essas festas populares. Ou seja, as pessoas só sabem criticar, esses sim o verdadeiro círculo vicioso da nossa sociedade…

  15. Seria bom que nem existisse carnaval, por que isso só serve pra promover violencia e sujeira. Todo mundo sabe que drogas, bebidas, assassinatos, roubos etc. rolam solto nessa epoca, e acabam prejudicando as vezes pessoas que nao tem nada e ver com isso. Mas, as pessoas tem a mania de achar que com elas nao acontecem nada, que sao imunes. Vai nessa! depois que passa pro lado de lá nao tem volta.

  16. Há de se reconhecer que é uma medida extremamente importante para a mudança de mentalidade dos que fazem o carnaval da Capital, que como se sabe, passam o ano inteiro sem fazer absolutamente nada, e quando chega às vésperas das festividades é que vão “trabalhar para colocar a … na avenida”.
    Quem sabe com essa medida as agremiações não passam a agir de forma mais profissional e passem a trabalhar de forma a não ficar dependente, única e exclusivamente dos recursos do erário.
    Só por curiosidade: alguém sabe qual é o enredo das escolas, para este ano?
    Alguém conhece o samba das principais agremiações?
    A prefeitura tem que oferecer os espaço e as condições para os brincantes, as agremiações fazer suas apresentações sem que o contribuinte tenha que pagar para isto, afinal de contas, todos os brincantes pagam suas fantasias, ou não é assim que a coisa funciona?
    Parabéns ao Prefeito por ter sido tomada medida tão acertada!

  17. Olha Marco…gostei dos seus argumentos em responder aos desavisados sobre a forma de realização do carnaval do Rio e São Paulo.
    Qualquer ensaio no Rio é cobrado portaria, porque assim que eles bancam as escolas. Patrocínio tb.
    Aqui o costume é mamar sempre na teta do governo, seja estadual ou municipal. Não são autosuficientes…não vendem camisas, não promovem festas, ensaios, não vendem apresentações. Ficam só nos barracões esperando o dindin.
    Bem feito…eles mesmo decidiram por não se apresentar.
    Então…que paguem agora pelo ônus da inércia.
    A Saúde de fato agradece. Nós agradecemos.

  18. Que bom, para mudar rumos da história, acabar com velhas práticas ordinários é preciso ter decisões radicais no curso da história.
    PARABÉNS PREFEITO…TÁ MAIS DO QUE NA HORA DE ACABAR COM ESSE CÍRCULO VICIOSO E ORDINÁRIOS DE GRUPOS E MAIS GRUPOS MAMAREM NAS TETAS DO GOVERNO EM 6 E 6 MESES (CARNAVAL E BUMBOI).

    quem quiser que crie meios próprios de arrecadação e patrocínios privados para manter suas brincadeiras…
    IGUAL O FUTEBOL que não tem ajuda de nada do Governo e Prefeitura…

    A prefeitura já faz muito em ceder infra-estrutura! NÃO QUEREM…ENTÃO VÃO FAZER CHANTAGEM EM OUTRA FREGUESIA…SANGUESUGAS DESGRAÇADOS!!!

  19. MARCELO BRANDÃO, SE TIVERMOS O PIOR CARNAVAL DA HISTÓRIA, QUAL A IMPLICAÇÃO DISSO MESMO?

  20. QUERO QUE ALGUEM ME PROVE COM DADOS E NÚMEROS QUE O INVESTIMENTO DE DINHEIRO PÚBLICO NO CARNAVAL OU NO SÃO JOÃO TEM RETORNO, MESMO COM O TURISMO….CLARO QUE NÃO TEM…ESSA ÁREA, P/ QUEM GOSTA, TEM QUE SER PATROCINADA PELA INICIATIVA PRIVADA E O DINHEIRO PÚBLICO DEVE SER APLICADO EM ÁREAS VITAIS, PQ NÃO SE PODE TER CULTURA SE NÃO SE TEM SAÚDE…E JÁ SABEMOS QUE ESCOLA DE SAMBA E BLOCO CARNAVALESCO, BEM COMO OS GRUPOS DO SÃO JOÃO SÃO DIRIGIDOS POR PESSOAS QUE PASSAM A VIDA TODA NA ABA DO DINHEIRO PÚBLICO E BARGANHANDO COISAS COM POLÍTICOS….ASSIM COMO A MAIORIA DO POVO MARANHENSE ESSES DIRIGENTES DEVEM TRABALHAR SE QUEREM DINHEIRO….PARABENS PREFEITO…MEU VOTO JÁ VALEU A PENA….

  21. Caro Marco, os lúcidos comentários de MARCELO BRANDÃO 17/01/2013 – 08h13min / Carlos Saturnino Moreira Filho 17/01/2013 – 08h36min e Jeffersson 17/01/2013 – 08h47min contemplam praticamente todo o tema, acrescento, no entanto uma pequena sugestão ao nosso Prefeito e ao secretario da FUNC. Aproveitem este episodio e encontrem uma forma de saber o que exatamente nossa população deseja do poder publico municipal neste tema, assim formataria com antecedência o que se fará para o carnaval 2014 sintonizado como os desejos de quem gosta desta festa. Lembro também que não se pode excluir o lado econômico/comercial, pois existe vida alem do CIRCO. MARIA

  22. Parabens ao Prefeito, em todos os locais do Brasil em que o poder publico investiu no carnaval houve desenvolvimento do produto como atração turuistica, Manaus, cidades historicas de MInas. Em São Luis picaretas ligados a vereadores e deputados fisiologicos e populistas montaram uma estrutura de “associações culturais” que levaram o carnaval maranhense a um espetaculo deprimente, tosco e de copia mambembe do carnaval carioca. Recursos publicos repassados a poucos previlegiados para depreciar uma tradição até então existente de estarmos entre os melhores do Brasil. Carnaval maranhense e de São Luis é de Rua, blocos tradicionais, tambor de Crioula. Por outro lado o governo de Estado presta um deserviço ao carnaval maranhense, financiando carnaval baiano e carioca, trazendo grupos alienigenas como oludum e monobloco ataves do esquema marafolia, enfim continua o mesmo um pequeno grupo de previlegiado vivendo as custas da “viuva”

  23. Caro jornalista:
    Além de concordar com os termos gerais do seu comentário, vou mais longe: o patrocínio oficial (prefeitura ou governos do estado) só serviu, ao longos dos anos, para afastar o nosso carnaval do seu verdadeiro dono: o folião. Reduzido a “assunto de estado”, descaracterizou inteiramente nossas manifestações folclóricas. Carnaval de passarela? Tentativa despropositada de copiar outros carnavais (que tem outra história, outra dinâmica social) separou a população dessas tais escolas. Levado para a madrugada, tirou das ruas da cidade o verdadeiro desfile, que era aquele que alegrava, dias inteiros, crianças, jovens, velhos. “Escolas de samba”, diga-se de passagem, absolutamente caricatas. Sempre gostei de carnaval. Frequentador, desde criança, da Turma da Mangueira, do João Paulo (lá se vão mais de 50 anos), não vejo mais carnaval, carnaval de verdade, em nossas ruas. Como você mesmo já apontou, o tal “patrocínio”, além de servir para descaracterizar o carnaval, transformou-se em fonte inesgotável de recursos para uma certa turma enquistada nas tais “brincadeiras”. Carnaval (ou bumba-boi) é assunto privado das pessoas. Quem quiser brincar (e o nome já diz,brincar), que dê seu jeito. Se achar que vale a pena, reúna-se com outros que também queiram brincar e banquem a sua alegria. A brincadeira é uma finalidade em si mesma. Brinca-se para ficar alegre e a alegria já é seu próprio prêmio.
    Um abraço,
    Saturnino

  24. A Prefeitura sempre foi responsável em promover a estrutura da Passarela do Samba ( arquibancada,segurança,iluminação,e.t.c..) que o carnaval de competição , somente ano passado que a FUNC com a proposta de todas as entidades carnavalescas ter como tema São Luis-MA deu uma ajuda as brincadeiras criando assim o ciclo vicioso que o Estado já promove.A minha preocupação que já crie outro ciclo vicioso ,mas na área da saúde que recebe milhões em verbas diferente da FUNC e vários pilantras (politicos,médcos,”fornecedores”,contratados fantamas,e,t,c..) mamam nas tetas da saúde , ou seja , quando a coisa piorar como é o caso agora , se resolve tirar ( hoje é doação da FUNC) de outra Secretaria , e a pergunta fica cadê i dinheiro dos convêncios da saúde com área Federal???? .Voltando a falar do carnaval , não vamos esquecer que vamos ter o PÍOR CARNAVAL DE TODOS OS TEMPOS EM SÃO LUÍS , pois a ação desta Olga Simão até agora para este carnaval está na estaca ZERO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *