6

Empresas são avisadas que perderão linhas de ônibus e devem demitir mais de 500…

seloGemalog e Menino Jesus de Praga foram eliminadas na licitação do lote 3 – vencida pelo consórcio Upaon-Açu – e terão que entregar 26 linhas de ônibus a partir deste sábado, o que resultará em demissão em massa; Justiça emperra recurso das empresas

 

ônibus da Menino Jesus de Praga sairão de circulação já neste sábado

ônibus da Menino Jesus de Praga sairão de circulação já neste sábado

Um Ofício encaminhado pela Secretaria de Trânsito e Transporte ao Sindicato dos Rodoviários e às empresas Gemalog e Menino Jesus de Praga gerou pânico entre operadores e empresários do setor em São Luís esta semana.

O documento informa que as duas empresas terão que entregar, neste sábado, as 26 linhas que operam na capital maranhense.

As linhas serão assumidas pelo Consórcio Upaon-Açu, que venceu a licitação do lote 3. 

O fim da operação da Menino Jesus de Praga resultará na demissão de algo em torno de 500 funcionários, entre motoristas, cobradores e fiscais.

A Gemalog participou da licitação do lote 3 formando o consórcio “Nova Ilha”, que tinha também a Cisne Branco e a Edeconvias como participantes.

O consórcio foi desclassificado sob alegação de que sua Carta-garantia não atendia às exigências do Edital. (Releia aqui, aqui e aqui)

Desde então, abriu-se uma batalha jurídica, que já chegou ao Tribunal de Justiça do Maranhão.

Em seus recursos, o consórcio alega, dentre outras coisas, que está sendo cobrado, apenas de si, exigências que o declarado vencedor – Consórcio Upaon Açu – também não cumpriu.

No início de setembro, o desembargador Antonio Bayma Araújo suspendeu os efeitos da licitação, abrindo para o pleno do TJ a decisão final.

O processo estava marcado para o dia 28 de setembro, às vésperas do 1º Turno das eleições municipais, mas, estranhamente, a procuradoria do município pediu adiamento.

O objetivo era evitar que o julgamento do caso trouxesse desgaste ao prefeito Edivaldo Júnior, que concorria à reeleição.

Passado o pleito, e com a vitória de Holandinha, a conta começou a chegar.

E as empresas terão que fechar as portas…

Marco Aurélio D'Eça

6 Comments

  1. Passado o período eleitoral todo volta ser como era antes, uma maravilha.
    Como diria Rui Dourado: “a vida é boa, a vida é bela”.

  2. É muito ruim vários trabalhadores irem para rua, mas em contrapartida essa situação obriga as empresas a melhorarem seus transportes para estarem aptos a prestação de serviços na cidade e assim fazer valer o preço da passagem.

  3. Nada disso está fora do que seria! As empresas já estavam cientes disso logo após a licitação! Seria so questão de tempo! logo mais essas pessoas ja estarão todoas trabalhando novamente. até porque, as novas linhas irão aumentar suas frotas com os onibus novos! desempregado ninguem fica isso eu garanto!

  4. Gerou pânico por quê? Já que elas estava cientes que não haviam sido vencedoras na licitação?! Boa parte desses motoristas e cobradores jajá estarão empregados novamente, agora esses empresários que perderam o monopólio e ficam choramigando, esses sim que estão preocupados! A prefeitura está certa, transporte público tem que seguir regras, se não estiver apta, não entra na concessão. O//

  5. Se as empresas nao cumprem as exigencias, entao nada mais justo ao meu entender.

  6. Basta que a empresa vencedora da licitação admita os que serão demitidos. Simples assim. Nada de pânico !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *