2

As estripulias do DataM com as pesquisas em São Luís…

Com histórico de”erros técnicos” em suas pesquisas, instituto – que já chegou a ser proibido de divulgar seus números – apronta mais uma na sucessão em São Luís, é descoberto e obrigado a abortar levantamento suspeito

 

Machadinho DataM e Evilson, marqueteiro do prefeito; parceria

Machadinho DataM e Evilson, marqueteiro do prefeito; parceria

Não é de hoje que o Instituto DataM, comandado no Maranhão pelo jornalista José Machado, apresenta estranhos “erros técnicos” em suas em pesquisas eleitorais.

Desta vez, chegou ao absurdo de fazer levantamento sem o nome do candidato do PP, Wellington do Curso; e só abortou a missão por que foi descoberto pelo jornalista Ronaldo Rocha. (Leia aqui)

O disco do DataM: porque esconder Wellington?

O disco do DataM: porque esconder Wellington?

É a segunda vez somente nesta campanha que o DataM é obrigado a refazer números com “erros técnicos”.

Em junho, o instituto, que tem vínculo com a Prefeitura de São Luís, adiou por duas vezes a divulgação de pesquisas que já estavam prontas havia pelo menos duas semanas antes da coleta dos dados. (Releia aqui)

Em 2014, vinculado à campanha do governador Flávio Dino (PCdoB) – principal patrono do prefeito Edivaldo Júnior – o instituto de Machadinho chegou a ser proibido de divulgar pesquisas no Maranhão. (Relembre aqui)

Desta vez, pode ser banido de vez das campanhas.

O candidato Wellington do Curso pretende representar o instituto na Justiça Eleitoral

Para o bem da democracia e em respeito à vontade popular…

Marco Aurélio D'Eça

2 Comments

  1. Eita que período de eleições é essa baixaria, processa daqui, processa dalí, denuncia fulano, ameaça sicrano, eita vontade de cuidar do povo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *