1

DataM aponta reeleição tranquila para Fufuca Dantas em Alto Alegre do Pindaré

Pesquisa divulgada nesta quinta-feira mostra que o prefeito alcança até 70% das intenções de voto, dependendo do cenário para as eleições de 2020

 

FUFUCA LIDERA TODOS O CENÁRIOS EM ALTO ALEGRE DO PINDARÉ, e deve ser reeleito de forma consagradora

O prefeito de Alto Alegre do Pindaré, Fufuca Dantas, caminha para uma reeleição tranquila em 2020.

É o que revela pesquisa do instituto DataM, divulgado nesta quinta-feira, 24.

De acordo com o levantamento, Fuuca alcança até 70% das intenções de votos, dependendo do cenário pesquisado.

No principal cenário, em que são postos todos os possíveis concorrentes do prefeito, ele alcança 61,9%.

A força de Fufuca Dantas em Alto Alegre do Pindaré pode ser medida também quando se analisa o levantamento espontâneo da pesquisa DataM. Neste quesito, o prefeito é lembrado por nada menos que 48,5% dos eleitores, mesmo sem nenhuma lista de candidatos apresentada.

O DataM ouviu 300 eleitores de Alto Alegre do Pindaré, entre os dias 19 e 21 de outubro…

Abaixo, o cenário principal da pesquisa DataM:

 

0

A realidade construída de Flávio Dino…

Preocupado com a antipatia do eleitor que se decepcionou com o fracasso da mudança, governador tenta gerar fatos com pesquisas que parecem montadas no quintal do Palácio dos Leões

 

Dino: o real ele constrói para si

Acuado em sua gestão por uma série de aspectos que mostram o fracasso da mudança anunciada durante a campanha de 2014, o governador Flávio Dino (PCdoB) agora se utiliza de uma série de institutos de pesquisas financiados pelo próprio governo para tentar gerar uma realidade favorável ao seu projeto de reeleição.

A cada revés que o comunista sofre na realidade – como o mais novo escândalo da “gaiola humana” em Barra do Corda – esses institutos surgem, do nada, com números de pesquisas que apontam uma popularidade estratosférica e uma consolidação de vitória contra os principais adversários.

A princípio, essas empresas eram capitaneadas pelo Instituto Exata, que, contratado pelo Estado, apenas chancelava números apresentados pelo Instituto DataM, cuja credibilidade é tão pequena que precisa usar terceiros em suas divulgações. Sem ter como sustentar os números de interesse de Flávio Dino sem comprometer o próprio conceito, a Exata preferiu ficar apenas nas adjacências. Surgiu então o tal DataIlha, que chegou a ter, inclusive, a existência contestada.

Em entrevista a O Estado, no mês passado, o dono do Data Ilha deixou claro que não divulgaria o contratante de suas pesquisas. E voltou a aparecer agora, quando o comunista enfrenta desgaste intenso por conta da morte de um empresário dentro da gaiola humana de Barra do Corda.

Flávio Dino vai tentando construir a própria realidade para poder suportar a pressão até o pleito de 2018.

Em alguns casos, no entanto, a realidade de alguns, não passa de delírios emocionais.

Que sempre acabam frustrados pela própria efemeridade.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

9

A covardia de Edivaldo e o desrespeito do DataM ao eleitor de São Luís…

Enquanto o pedetista se esconde dos debates – e foge da responsabilidade de dar explicações sobre sua fraca gestão – o instituto de pesquisas que teve contrato com a prefeitura tenta fraudar a vontade popular, manipulando números para dar a vitória ao prefeito

 

A cadeira vazia de Edivaldo Júnior tem se repetido nas leições: covardia e desrespeito

A cadeira vazia de Edivaldo Júnior tem se repetido nas leições: covardia e desrespeito

Candidato à reeleição em São Luís, o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) desrespeita o eleitor em todas as frentes que atua.

Ao fugir dos debates e se esconder de explicar a falta de ações de sua gestão, ele debocha do povo de São Luís e mostra-se acima do bem e do mal, pouco se importando para as explicações obrigatórias que precisa dar.

E desrespeita ainda mais o eleitor a partir da manipulação das pesquisas, utilizando-se de uma empresa paga pela sua própria gestão, com a clara intenção de fraudar a vontade popular e tentar ganhar, de qualquer jeito, uma eleição que iniciou perdida.

Edivaldo Júnior tem um objetivo: ganhar a eleição em primeiro turno. Nem que seja na marra.

E não se incomoda em usar a máquina pública para este intento;

E não se incomoda em manipular números de pesquisas;

E não se incomoda em sufocar adversários e oposicionistas com sucessivas ações judiciais;

E não se incomoda em esconder-se dos debates para evitar ter que dar explicações ao povo. 

Obras como esta, iniciada ontem no Coroado, tentam comprar a consciência do eleitor ás vésperas da eleição

Obras como esta, iniciada ontem no Coroado, tentam comprar consciências às vésperas da eleição

Forçar a barra por uma vitória em primeiro turno, fraudando a vontade popular com obras eleitoreiras aos olhos lenientes da Justiça Eleitoral e da omissa representação do Ministério Público Eleitoral é uma covardia de Edivaldo Júnior.

Cabe a quem forma opinião em São Luís alertar o eleitorado menos avisado desta fraude.

para que a eleição seja, de fato, o julgamento do eleitor…

11

A arriscada aposta de Edivaldo Júnior…

O prefeito tem dois motivo para criar a ideia de que pode vencer a eleição em primeiro turno: escapar de um confronto extremamente arriscado e livrar o PDT da inevitável tutela do governador Flávio Dino em um eventual segundo turno

 

Edivaldo Júnior: é vencer agora ou perder depois...

Edivaldo Júnior: é vencer agora ou perder depois…

A campanha do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) iniciou uma operação kamikaze nesta reta final da eleição em São Luís.

A partir dos números do notório Instituto DataM, o pedetista tentar criar uma situação de que vai vencer a eleição em primeiro turno, de forma consagradora.

A ideia é construir este conceito na cabeça do eleitor, favorecer o voto útil e gerar o desânimo nos demais candidatos.

Há dois motivos para a arriscada aposta de Holandinha.

O primeiro é exatamente evitar o confronto direto com Wellington do Curso (PP), embate que se mostra de extremo risco para o prefeito; o segundo, é garantir ao PDT os louros da vitória, sem a necessidade de uma inevitável entrada do governador Flávio Dino (PCdoB) na campanha.

Mas a estratégia de Edivaldo se mostra de alto risco para ele próprio.

Se forçar a ideia de uma vitória em primeiro turno, criar mídia em torno desta situação e a vitória não se confirmar, o prefeito já entra derrotado no segundo turno.

Embora líder nas pesquisas de intenção de votos – ignorando-se, obviamente, o que é feito pelo DataM – o prefeito vive uma situação delicada.

Todos os institutos mostram que Edivaldo tende a perder a eleição para Wellington, sobretudo pela força crescente que o candidato do PP vem mostrando nesta reta final da campanha.

Por isto a estratégia de Edivaldo mostra-se kamikaze.

Por que é matar no primeiro ou morrer no segundo turno…

10

Rejeição impede projeto de reeleição de Edivaldo Júnior…

Antipatia popular à gestão do prefeito pedetista beira os 40%, o que torna quase impossível vencer os adversários em confronto direto

 

Rejeição inviabiliza sonho do prefeito

Rejeição inviabiliza sonho do prefeito

A pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 29,  pelo jornal O Imparcial, confirmou que a rejeição do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) continua nas alturas, mesmo com toda a força que o candidato tem feito para se mostrar competitivo.

De acordo com os números do Instituto Ímpar, nada menos que 37,5% dos eleitores de São Luís declaram não votam de jeito nenhum em Edivaldo.

A rejeição à gestão de Holandinha é quase três vezes superior à da deputada Eliziane Gama (PPS), apesar de todo o bombardeio dos adversários contra ela.

Essa rejeição altíssima impede, por exemplo, que o prefeito possa sonhar com uma vitória em primeiro turno; e também o leva a perder para qualquer adversário que venha a enfrentá-lo em um segundo turno.

A rejeição do prefeito é quase três vezes maior que a da sua principal adversária

A rejeição do prefeito é quase três vezes maior que a da sua principal adversária

No final de semana, Edivaldo Júnior tentou criar um ambiente de otimismo com a pesquisa do Instituto DataM, que baixou artificialmente sua rejeição para pouco mais de 20% e elevou seus índices de intenção de votos à casa dos 34%.

Mas o DataM já foi denunciado por fraude em pesquisas, pelo histórico de irregularidades que registra em seus levantamentos.

O prefeito tem a maior estrutura de campanha, o maior tempo na propaganda eleitoral, o maior número de inserções, o maior número de partidos políticos e ainda conta com o fato de estar no comando na máquina administrativa.

Nem isso, porém, faz com que ele seja menos rejeitado pelo eleitor.

E é isso que inviabiliza seu projeto de reeleição…, São Luís,

11

O Imparcial desmoraliza DataM e aponta Edivaldo com 11 pontos a menos em pesquisa…

Levantamento feito pelo jornal mostra que o prefeito tem, na verdade, apenas 23% – e não 34% – o que reforça a suspeita de manipulação por parte do instituto comandado pelo jornalista José Machado, vinculado à prefeitura

 

A pesquisa do Impar: repondo à verdade agredida pelo DataM

A pesquisa do Impar: repondo à verdade agredida pelo DataM

Este blog tem chamado a atenção dos juízes eleitorais e do Ministério Público Eleitoral – cuja atual representação no TRE é a mais fraca e omissa das últimas eleições – para os sistemáticos problemas  exibidos em pesquisas do Instituto DataM.

Vinculado diretamente à Prefeitura de São Luís, o instituto do jornalista José Machado – com contratos em São Luís – aprontou mais uma no fim de semana, ao mostrar o prefeito Edivaldo Júnior (PDT), de uma hora para outra, com mais de 34% das intenções e votos.

O objetivo do DataM é claramente manipular os números para  forçar uma ideia de que o prefeito pode vencer em primeiro turno, forçando o voto útil no pedetista – um crime contra a vontade popular.

Leia também:

TRE mantém condenação a DataM…

TRE suspende pesquisa DataM por irregularidades…

As estripulias do DataM com as pesquisas em São Luís..

Mas o DataM foi desmoralizado nesta segunda-feira pelo jornal O Imparcial, que publicou pela primeira vez pesquisa independente, realizada pelo sue próprio instituto, o Impar.

Os números do Impar mostraram que Edivaldo tem, na verdade, apenas 23% das intenções de votos, e não os 34% apontados pelo instituto de Machadinho.

A pesquisa de O Imparcial revela também que, aplicando-se a margem de erro, a situação do prefeito é de empate técnico com a deputada Eliziane Gama (PPS), que tem 19%.

Já é hora de a Justiça Eleitoral tomar providências contra o Instituto DataM, useiro e vezeiro na arte de manipular números em São Luís.

Já existem várias denúncias contra o instituto, mas o TRE parece fazer de conta que não vê.

A vontade popular precisa ser respeitada, senhores juízes eleitorais.

E para isso, é preciso banir o DataM das eleições.

Simples assim…

7

Instituto suspeito de favorecer Edivaldo tem contrato de R$ 82 mil com a prefeitura…

Denunciado em vários esquemas de fraude em levantamentos eleitorais, Data M é vinculado diretamente ao prefeito que ele força para reeleger em primeiro turno

 

dois

Machadinho e Evilson: os homens do esquema de Edivaldo

O Instituto DataM – do notório jornalista José Machado – aprontou mais uma das suas neste domingo, 28.

A empresa de Machadinho – já denunciado por fraudes em várias eleições – agora atua, descaradamente, para forçar uma reeleição do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) em primeiro turno.

Mas o DataM e Machadinho têm razão para forçar a barra em favor do patrão. Afinal, o instituto tem contrato de quase R$ 82 mil com a Prefeitura de São Luís, administrada pelo mesmo Edivaldo.

O que não tem razão de ser é a Justiça Eleitoral fazer de conta que nada está acontecendo em São Luís.

O DataM tem sido denunciado por diversas irregularidades em pesquisas desde as eleições de 201o.

Em 2014, chegou a ser banido do processo eleitoral, proibido de fazer pesquisas, por causa de fraudes recorrentes em seus levantamentos, favorecendo sempre o esquema ligado a Flávio Dino (PCdoB) e Edivaldo Júnior. (Releia aqui)

Já nestas eleições, o instituto de Machadinho cometeu pelo menos duas barbeiragens.

Em junho, saiu às ruas com um valor de pesquisa que teve que ser refeito depois, já com os questionários respondidos; agora, nesta pesquisa divulgada neste domingo, teve que recolher questionários por que, simplesmente, não constavam o nome de Wellington do Curso (PP). (Releia aqui)

O contrato da DataM com a prefeitura: parcelas ainda a vencer...

O contrato da DataM com a prefeitura: parcelas ainda a vencer…

Mas a Justiça Eleitoral faz de conta que não vê. Comodamente.

O contrato atual da DataM com a gestão de Edivaldo foi assinado em 2015, no valor de R$ 82 mil.

Até agora, já recebeu R$ 53 mil; faltam R$ 29 mil. o que significa que o contrato ainda está em vigor.

Machadinho é jornalista do esquema de Evilson Almeida, o marqueteiro da campanha de Edivaldo Júnior desde 2012.

Obviamente, trabalha para ver o chefe no poder, seja qual for o custo ao cidadão.

O que chama a atenção, é a leniência do TRE e do Ministério Público Eleitoral…

2

As estripulias do DataM com as pesquisas em São Luís…

Com histórico de”erros técnicos” em suas pesquisas, instituto – que já chegou a ser proibido de divulgar seus números – apronta mais uma na sucessão em São Luís, é descoberto e obrigado a abortar levantamento suspeito

 

Machadinho DataM e Evilson, marqueteiro do prefeito; parceria

Machadinho DataM e Evilson, marqueteiro do prefeito; parceria

Não é de hoje que o Instituto DataM, comandado no Maranhão pelo jornalista José Machado, apresenta estranhos “erros técnicos” em suas em pesquisas eleitorais.

Desta vez, chegou ao absurdo de fazer levantamento sem o nome do candidato do PP, Wellington do Curso; e só abortou a missão por que foi descoberto pelo jornalista Ronaldo Rocha. (Leia aqui)

O disco do DataM: porque esconder Wellington?

O disco do DataM: porque esconder Wellington?

É a segunda vez somente nesta campanha que o DataM é obrigado a refazer números com “erros técnicos”.

Em junho, o instituto, que tem vínculo com a Prefeitura de São Luís, adiou por duas vezes a divulgação de pesquisas que já estavam prontas havia pelo menos duas semanas antes da coleta dos dados. (Releia aqui)

Em 2014, vinculado à campanha do governador Flávio Dino (PCdoB) – principal patrono do prefeito Edivaldo Júnior – o instituto de Machadinho chegou a ser proibido de divulgar pesquisas no Maranhão. (Relembre aqui)

Desta vez, pode ser banido de vez das campanhas.

O candidato Wellington do Curso pretende representar o instituto na Justiça Eleitoral

Para o bem da democracia e em respeito à vontade popular…

1

Amaury lidera com folga intenções de votos em Mirinzal, aponta pesquisa

Amaury lidera e deve vencer disputa em Mirinzal

Amaury lidera e deve vencer disputa em Mirinzal

O instituto DATA M realizou uma pesquisa de avaliação da gestão municipal e intenção de votos para prefeito em Mirinzal na última semana sob o registro no TRE-Maranhão número 09749/2016.

De acordo com o instituto,  o governo de Amaury apresenta índices altíssimos de aprovação, chegando a 71,3% com destaques positivos para os setores da saúde, educação e juventude.

numeros1No aspecto eleitoral, a vantagem do prefeito Amaury Almeida (PDT) sobre o segundo colocado, o vereador Jadilson Coelho (PSB), que é ex-secretário de educação na gestão do ex-prefeito Ivaldo Almeida (Brasil), é mais de 20 pontos percentuais, o que torna irreversível o quadro, apontando o atual gestor como futuro prefeito reeleito.

numeros2Na estimulada, Amaury Almeida (PDT) mantém-se na frente da corrida eleitoral com 54,7%, enquanto o vereador Jadilson (PSB) apresenta-se com 35,3% de intenções de votos.

Para analistas que avaliam cenários de disputa eleitoral em casos que prefeitos são candidatos à reeleição, há o entendimento de que o levantamento efetuado na cidade induz que a aprovação do governo se reflete no desempenho do próprio candidato, e que as qualidades de gestão, segundo os dados, dão suporte a este resultado positivo, o que consolida a vantagem do primeiro colocado em relação ao segundo, ao passo que números de avaliação de desempenho são mais confiáveis e previsíveis do que aqueles que são sustentados apenas nas qualidades pessoais “aparentes” dos candidatos, o que, neste caso, sedimenta a certeza previsível de que Amaury será reeleito sob folga expressiva.

2

Com pesquisa, Holandinha tenta manter PR e atrair PMDB…

Números da Econométrica – que já estavam sendo comemorados por aliados do prefeito desde segunda-feira – é uma espécie de apelo para evitar defecções em sua base às vésperas das convenções

 

Dinjo e Holandinha em festa

Dinjo e Holandinha em festa

Quem acompanha os bastidores do jornalismo político sabia, desde o início da semana, que a Econométrica traria números favoráveis ao prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

Objetivo: impedir que os partidos que compõem sua coligação desistissem da aliança às vésperas da convenção, marcada para o dia 30.

O foco é exatamente o PR, que, apesar de ter até secretário na gestão de Holandinha – o “mala preta Hélio Soares – dá sinais de pouca convicção no apoio ao prefeito, assim como DEM.

Por isso, era fundamental que ele aparecesse em melhor posição que nas pesquisas anteriores, como, de fato, ocorreu.

Desde segunda-feira, aliados do pedetista já falaram dos números, que chegaram a vazar dois dias antes do fim da coleta.

Edivaldo Júnior tenta também atrair o PMDB, que tem o vereador Fábio Câmara como candidato; ou pelo menos impedir que a legenda se alie à deputada federal Eliziane Gama (PPS), sua principal adversária e líder nas pesquisas.

Para consolidar-se entre os partidos aliados, Holandinha já providenciou a contratação de um segundo instituto, o DataM, para chancelar o que a Econométrica divulgou neste sábado, 23.

Mas o Data M todos já conhecem…