1

Com baixa rejeição e alta intenção de votos, Weverton se consolida para 2022

Senador pedetista é o candidato mais bem posicionado na base do governo Flávio Dino, ficando atrás apenas em um cenário com Roseana Sarney, que já descartou candidatura majoritária e declarou a intenção de concorrer a uma vaga de deputada federal

 

Weverton Rocha é o principal nome da pesquisa Exata, uma vez que a ex-governadora Roseana não é candidata ao governo em 2022

Por todos os aspectos que se analise a pesquisa Exata, divulgada nesta terça-feira, 22, pela rádio Difusora FM, o senador Weverton Rocha (PDT) apresenta-se em uma posição consolidada como candidato a governador em 2022.

Faltando um ano e meio para as eleições, Weverton é o único nome da base do governo Flávio Dino a superar a casa dos 20% de intenção de votos, mesmo no cenário em que a ex-governadora Roseana Sarney lidera. (Releia aqui)

Como a própria Roseana já declarou que não será candidata ao governo, Weverton pode ser considerado o líder da pesquisa Exata em todos os cenários pesquisados.

Sem Roseana, ele supera a casa dos 30% dos votos e bate Josimar de Maranhãozinho (PL) e Carlos Brandão (PSDB) juntos; e chega a 36% numa disputa direta contra o agora vice-governador tucano.

Com estrutura própria, aliados de peso nas principais instâncias de poder e agora com força eleitoral comprovada, Weverton leva ainda uma vantagem a mais em relação aos seus principais adversários: sua rejeição é a mais baixa dentre os candidatos pesquisados.

Neste quesito – liderado pela própria Roseana, com 38% – pretensos postulantes ao governo, como Josimar, registram 25% de eleitores que não votariam nele em qualquer hipótese.

Carlos Brandão, por sua vez, registra 14% de rejeição.

Weverton fica empatado no quesito rejeição com o ex-prefeito Edivaldo Júnior (PDT), na casa dos 13%.

Edivaldo, aliás – que aparece com 10% de intenções de voto no cenário liderado por Roseana – pode ser considerado outro trunfo do próprio Weverton, já que a soma dos dois pré-candidatos do PDT iguala os 30% da ex-governadora.

Um potencial eleitoral e tanto, que tende a se consolidar ao longo de 2021.

E que deve ser confirmado por pesquisas como as da Escutec e da Econométrica, com divulgação prevista a partir do próximo fim de semana.

É aguardar e conferir…

Marco Aurélio D'Eça

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *