1

“Não é hora de disputa política”, diz Weverton, em ação por desabrigados

A 15 dias do prazo para escolha do candidato da base governista às eleições de outubro – e em meio à pressão do vice-governador Carlos Brandão por apoio dos partidos – senador atua de forma efetiva em busca de ajuda federal aos atingidos pelas chuvas no Maranhão, independentemente de onde ela venha

 

Enquanto Flávio Dino e Carlos Brandão preferem atacar Bolsonaro, Weverton vai em busca de recursos para o Maranhão no Governo Federal

Uma das mais ativas lideranças políticas maranhenses no enfrentamento dos problemas causados pelas chuvas no Maranhão, o senador Weverton Rocha (PDT) esteve nesta quarta-feira, 12, no Ministério da Saúde, em busca de ajuda para os desabrigados.

E deu um recado claro aos que insistem no debate político em meio aos problemas no estado.

– Não é hora de disputa política; todos temos que trabalhar juntos pelo maranhão neste momento difícil em que enfrentamos enchentes, influenza e CoVID-19 – disse o senador, em suas redes sociais, após encontro com o ministro Marcelo Queiroga.

Weverton foi em busca de medicamentos e recursos aos municípios maranhenses.

A ação efetiva do senador pedetista contrasta com a do próprio governador Flávio Dino (PSB) que – acometido de coVID-19 – atua nas redes sociais em agressivo debate político com o presidente Jair Bolsonaro (PL), enquanto aliados do seu vice, Carlos Brandão (PSDB), prefere atacar aliados de Weverton e lideranças que não aceitam a imposição do seu nome. (Saiba mais aqui)

– Quero deixar claro que sou oposição ao governo Bolsonaro, mas neste momento, o importante não é a política e sim a união em prol do Maranhão – defendeu Weverton.

O grupo de Weverton – que inclui os presidentes da Famem, da Assembleia, da Câmara Municipal, senadora Eliziane Gama (Cidadania), deputados federais, estaduais, vereadores e prefeitos – está todo mobilizado em defesa dos desabrigados e no combate aos surtos de gripe e á pandemia de coronavirus.

A mobilização envolve todos os municípios…

3

Com base consolidada, Weverton articula novos apoios partidários…

Com a garantia do apoio de PDT, DEM, PRB, Cidadania, PP e PSL, senador busca novas alianças, que envolvem PT, Rede, PSOL e Podemos; além disso, mantém conversas com outros pré-candidatos

 

Com grupo consolidado em todo o maranhão, Weverton segue agora em busca de novas alianças, que incluem partidos e pré-candidatos a governador

Fortalecido com a reafirmação de apoio dos dirigentes de DEM, Cidadania, PP, PRB e PSL, o senador Weverton Rocha (PDT) mantém, ao mesmo tempo, conversas adiantadas com vários outros partidos.

A política de aliança do senador pedetista inclui PT, Rede, PSOL e Podemos, o que pode levar sua coligação a somar nada menos que 10 partidos.

Em Brasília, onde se decide a política nacional e sua repercussão nos estados, Weverton fortalece suas articulações, enquanto mantém seu grupo unido no Maranhão, mesmo após pressões do governo Flávio Dino (PSB) em favor do vice-governador Carlos Brandão (PSDB).

Mantém também a base de prefeitos, ex-prefeitos, vice-prefeitos e ex-candidatos a prefeitos em todo o Maranhão.

Encaminhado nas alianças partidárias e com lideranças empenhadas no projeto “Maranhão Mais Feliz”, o senador inicia agora uma nova fase, de conversas.

Essas conversas incluem também outros pré-candidatos a governador, notadamente Edivaldo Júnior (PSD) e Josimar de Maranhãozinho (PSD).

Mas esta é uma outra história…

5

Inseguro como candidato de Dino, Brandão contabiliza até partidos adversários

Rejeitado na reunião da base governista, vice-governador passou a usar uma frenética geração de fake news tentando criar uma situação de fato consumado em sua candidatura, o que só revela a inconsistência de seu projeto, prevista por adversários muito tempo antes

 

Carlos Brandão segue numa frenética geração de fatos na tentativa de se consolidar como candidato da base

Análise de conjuntura

O titular do blog Marco Aurélio D’Eça esteve em Barreirinhas no dia 7 de setembro, em conversa pessoal com o senador Weverton Rocha (PDT); na ocasião, travou-se um diálogo sobre a eleição de 2022 na qual, em linhas gerais, Rocha desenhou exatamente o cenário a partir da reunião de novembro, quando o governador Flávio Dino (PSB) iria anunciar o seu candidato.

À época, o senador – como todo o Maranhão – já sabia que Dino indicaria o nome do vice-governador Carlos Brandão (PSDB), até por motivos óbvios.

– A partir de então, passaremos a sofrer uma inclemente onda de notícias negativas, apontando nosso esvaziamento e até uma debandada geral da nossa campanha; isso tudo deve durar em torno de 30 a 45 dias, e precisamos suportar esta pressão e controlar a ansiedade, já que está tudo dentro do script – disse Weverton, exibindo um impressionante controle da situação e uma forte segurança em seu projeto.

Está acontecendo exatamente como desenhado pelo senador do PDT.

Conversa entre o titular do blog e o senador Weverton, ainda em setembro: fatos de hoje confirmam perspectivas de três meses atrás

Desde a reunião da última segunda-feira, 29 – quando Flávio Dino indicou o nome de Brandão, sem, no entanto, conseguir a adesão da base – o vice-governador passou a criar uma série de fatos tentando se consolidar como a opção definitiva ao governo.

E plantou até notícias absurdas sobre apoios e alianças.

De segunda-feira para cá, Brandão já anunciou apoio do Cidadania, desmentido pela senadora Eliziane Gama, e até do próprio PDT, de Weverton Rocha, pela simples presença do deputado pedetista Zito Rolim em um de seus eventos pós-anúncio de Dino.

A plantação das notícias em favor do vice-governador acabam revelando uma clara insegurança do seu projeto, sobretudo pela frustração de o governador não ter batido o martelo definitivamente.

E ainda levaram  um balde água fria com a pesquisa  Escutec divulgada ontem, na qual Weverton Rocha aparece com mais que o dobro dos votos do vice-governador, este ainda em briga pela terceira e quarta posições.

 2022 deve iniciar com Weverton Rocha e seus aliados em nova reunião de confraternização – mesmo em meio as fake news brandonistas sobre esvaziamento – ocasião em que deve apresentar novos encaminhamentos de alianças.

Exatamente como desenhado há três meses atrás… 

0

Corrente do PSOL declara apoio a Weverton Rocha…

Três dias depois de o governador Flávio Dino assumir o interesse em eleger o tucano Carlos Brandão, esquerda maranhense reafirma compromisso de formar o palanque de Lula ao lado do PDT

Em uma extensa nota divulgada no final da noite desta quarta-feira, 1°, uma das correntes do PSOL maranhense anunciou seu apoio ao senador Weverton Rocha (PDT) na disputa pelo Governo do Estado.

De acordo com o documento do partido, em um momento de luta contra o facísmo e as forças de direita – e logo após o anúncio do “apoio pessoal” do governador Flávio Dino (PSB) ao tucano Carlos Brandão – é fundamental que as forças de esquerda se unam em defesa dos trabalhadores.

Os psolistas defendem no Maranhão o palanque de Lula presidente, com PT e PDT, unidos contra as forças ultrapassadas e os segmentos da extrema direita.

Com o encaminhado apoio do PSOL, Weverton soma agora sete partidos em seu palanque.

 

4

Weverton vira 2021 fortalecido como opção de governo para 2022

Mesmo diante de um governador – e de um vice-governador que está prestes a assumir a estrutura de poder – senador do PDT mostrou prestígio entre aliados, mantendo seu grupo absolutamente unido, e ganha condições pra articular-se como candidato, seja da base, seja por um grupo com outras forças políticas

 

Apesar da pressão do governador e do vice-governador, Weverton sai fortalecido da reunião, mantendo seu grupo unido e com poder de articulação com outras forças

Duas situações foram demarcadas claramente na reunião desta segunda-feira, 29, entre o governador Flávio Dino (PSB), sua base e seus pré-candidatos a governador:

1 – Ele quer mesmo a candidatura do vice-governador Carlos Brandão (PSB), por motivos óbvios, de depender da estrutura do governo para sua candidatura ao Senado.

2 – Dino mostrou que não tem força para impor uma unidade à base, cuja maioria está claramente posicionada pela candidatura do senador Weverton Rocha (PDT).

A reunião deixou claro, também, que Dino perdeu as condições de liderar o grupo.

Weverton Rocha sai fortalecido da reunião por que conseguiu mostrar prestígio diante de um governador e de um vice prestes a assumir o poder.

Além de impor um adiamento da decisão, manteve seu grupo de aliados totalmente unido; e agora já sabe que Flávio Dino quer e vai trabalhar por Brandão.

Até janeiro, o senador pedetista mantém a costura por alianças políticas que fortaleçam seu projeto.

Seja como candidato do governo – com a solução Roberto Arruda – seja como líder de um grupo que deve juntar outras forças.

Mas esta é uma outra história…

5

Com Roseana fora do páreo, Weverton assume liderança da disputa pelo governo

Senador do PDT está à frente de todas as pesquisas de intenção de votos, posição que se consolida ainda mais com o anúncio da ex-governadora de concorrer a uma vaga na Câmara Federal

 

Weverton é o principal candidato a governador no maranhão, com índices de voto até três vezes maior que os principais adversários

O senador Weverton Rocha (PDT) assume de vez a liderança da disputa pelo Governo do Estado, após anúncio da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) de que vai disputar vaga na Câmara Federal.

Roseana liderava a disputa, embora, em alguns casos, o senador aparecesse já em condição de empate técnico com ela; sem a ex-governadora na disputa, o pedetista passa a ser o líder em todos os cenários e em todas as pesquisas.

Além de liderar os números, Weverton Rocha também tem o apoio do maior número de partidos, tem aliança com as principais lideranças políticas do estado e é o principal nome da base do governo Flávio Dino (PSB).

Nos cenários sem Roseana, o senador já chegou a registrar até 30% das intenções de votos no estado, quase o triplo dos principais concorrentes da base dinista.

Sem Roseana, o principal adversário do pedetista deve ser o ex-prefeito Edivaldo Júnior (PSD), que está à frente do senador  Roberto Rocha (sem partido), do deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL) e do vice-governador  Carlos Brandão (PSDB).

Mas há quem aponte possibilidades de aliança entre Weverton e Edivaldo…

3

“Vamos fazer o Maranhão bem melhor do que ele é hoje”, diz Luciano Leitoa

Em contundente discurso no encontro “Maranhão Mais Feliz”, em Timon, ex-prefeito diz que o senador Weverton Rocha fará Justiça com o PDT e com o ex-governador Jackson Lago, que teve o seu mandato interrompido

 

Luciano Leitoa fez um dos mais contundentes discursos no encontro “Maranhão Mais Feliz” em Timon, de exortação a Weverton Rocha

Num dos mais contundentes discursos do encontro “Maranhão Mais Feliz”, de Timon, o ex-prefeito Luciano Leitoa (PSB) reforçou a união do grupo que hoje apoia o senador Weverton Rocha (PDT) e disse que o Maranhão, a partir de 2023, será bem melhor do que é hoje.

Leitoa deixou claro que nenhum dos membros do grupo que apoia Weverton tem medo da campanha, e ressaltou que todos estarão, em 2022, subindo o Palácio dos Leões ao lado de um governador surgido do povo, com campanha feita de baixo para cima.

– Quem não quer Weverton é por que tem medo; é por que sabe que Weverton vai ser o melhor governador da história deste Maranhão – ressaltou o ex-prefeito, para aplausos das cerca das 10 mil pessoas presentes em Timon.

Para Luciano Leitoa, Weverton Rocha fará justiça com a história, com o PDT e com o ex-governador Jackson Lago.

– Weverton vai fazer justiça com a história pelo PDT; O Jackson teve o seu mandato interrompido, mas você haverá de ter este mandato para que a gente possa conseguir fazer o Maranhão ser bem melhor do que ele é hoje – disse.

Leitoa exortou a todos sobre as dificuldades da campanha, mas provocou:

– Tem alguém com medo aqui? – perguntou, para um sonoro “nãão!!!” como resposta.

Leitoa lembrou que é muita gente que apoia Weverton em todo o Maranhão, em várias regiões do estado, todos prontos para a campanha.

– São mais de 60% da população maranhense liderada pelos mais de 100 prefeitos que participam deste nosso encontro. Só é doido quem não enxerga a liderança do Weverton no Maranhão – afirmou.

Articulador e coordenador das estruturas de campanha de Weverton, Luciano Leitoa é respeitado em sua região e um dos nomes mais próximos de Weverton.

3

Evento de Weverton em Timon é preparatório para encontro de São Luís

Senador vai reunir prefeitos, ex-prefeitos,  vice-prefeitos, deputados federais e estaduais, vereadores e dirigentes partidários de todo o Maranhão, em encontro de consolidação do seu nome ao Governo do Estado

 

Weverton quer consolidar seu projeto no interior a partir de Timon, e se preparar para o evento final de 2021, em São Luís

Com candidatura ao Governo do Estado já consolidada – tanto em termos populares quanto entre os aliados e partidos da base governista – o senador Weverton Rocha (PDT) faz neste sábado, 20, em Timon, o encerramento do projeto “Maranhão Mais Feliz” no interior.

O encontro de Timon, organizado pelo PDT local e pelo grupo Leitoa, será uma espécie de preparação para o evento final de 2021, programado para o dia 4 de dezembro, em São Luís.

Os encontros  “Maranhão Mais Feliz” já reuniu cerca de 90 prefeitos e um sem-número de ex-prefeitos, vice-prefeitos e ex-candidatos a prefeito em todo Maranhão.

Weverton tem o apoio das principais lideranças políticas maranhenses e da maioria dos partidos políticos.

Em São Luís, no dia 4 de dezembro, ele pretende coroar este projeto com o anúncio de importantes alianças políticas para as eleições de 2022.

Mas esta é uma outra história…

0

Encontro de Timon encerra “Maranhão Mais Feliz” no interior…

Reunião de lideranças políticas protagonizada pelo senador Weverton Rocha vai fechar o ciclo de eventos em várias regiões do estado, preparando o grupo de apoiadores de sua candidatura ao governo para o encontro de dezembro, em São Luís

 

Weverton tem reunido o maior número de lideranças nos encontros “Maranhão Mais Feliz” em várias regiões do estado

O encontro “Maranhão mais Feliz”, marcado para sábado, 20, em Timon, é o último deste projeto no interior do estado.

A reunião marcará a consolidação do projeto de candidatura do senador Weverton Rocha (PDT) ao Governo do Estado; e preparará as lideranças políticas para o encontro de dezembro, em São Luís.

Apoiado por seis partidos, com mais de 90 prefeitos já participantes do encontro, a maior parte dos deputados estaduais e federais da base governista, Weverton lidera todas as pesquisas de intenção de votos e é o principal nome do governo Flávio Dino (PSB) ás eleições de 2022.

Em Timon, ele pretende reunir todas as lideranças políticas que o apoiam e prefeitos dos grandes colégios eleitorais do Maranhão.

Em São Luís, o encontro está previsto para o dia 4 de dezembro, quando deverá ser confirmado oficialmente todos os apoios que Weverton tem, em São Luís e no interior.

O encontro de Timon é organizado pelo PDT local, com apoio do grupo Leitoa.

3

Para Weverton, pouco importa data de escolha do candidato: “importante são os critérios”, diz ele

Senador e pré-candidato do PDT diz que o grupo alinhado ao Governo do Estado quer ter confiança de que o governador Flávio Dino seguirá todos os critérios na definição do nome da base para as eleições de 2022, ocorra essa escolha agora em novembro ou apenas no ano que vem

 

Weverton, que está no interior neste fim de semana de feriadão, não mostra preocupação com a data de escolha do candidato, mas quer o cumprimento dos critérios

O senador  Weverton Rocha (PDT) mostrou-se indiferente em relação à polêmica que ganhou corpo nesta semana sobre o adiamento ou não da escolha do candidato da base governista às eleições de 2022.

Para ele, mais importante do que escolher o candidato agora ou depois é o respeito aos critérios estabelecidos lá atrás, ainda em julho.

– Não importa se a escolha seja agora ou mais lá na frente; o importante é termos a confiança de que o governador adotará os critérios estabelecidos pela base para indicar seu candidato – afirmou Weverton, com exclusividade, ao blog Marco Aurélio D’Eça.

O debate sobre o adiamento da escolha do candidato começou a partir da revelação deste blog, de que o ex-presidente Lula aconselhou o governador Flávio Dino (PSB) a tomar sua decisão somente 2022.

A posição de Lula foi seguida por diversas outras lideranças políticas maranhenses, incluindo o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB) e diversos presidentes de partido.

A avaliação de Lula – e dos demais líderes partidários – é a de que Dino não tem condições de indicar o vice-governador Carlos Brandão agora, como especulam seus aliados, por que o tucano não atende a nenhum dos critérios postos pelo próprio Flávio Dino.

Desde então, aliados de Brandão na imprensa e na política começaram a pressionar Flávio Dino para que consolide a data de escolha em novembro, de qualquer jeito, assim como prega o ex-governador José Reinaldo Tavares desde o início de 2021.

A posição pública de Weverton sobre o assunto aumenta a responsabilidade de Flávio Dino.

Não com a escolha do candidato, mas com o respeito às regras impostas…