1

Ivaldo Rodrigues destaca inclusão de feirantes no auxílio de R$ 600…

Vereador parabenizou o senador Weverton Rocha, relator da matéria, pela inclusão da categoria, que vai beneficiar trabalhadores de feiras e barraqueiros de praia de todo o país

 

Ivaldo com Weverton e Ivaldo; os dois atuam diretamente na defesa dos trabalhadores brasileiros

Um dos principais incentivadores dos pequenos produtores, o vereador Ivaldo Rodrigues (PDT) parabenizou o senador Weverton Rocha (PDT), relator do projeto que garante auxílio de R$ 600 aos trabalhadores informais do país, pela inclusão de feirantes e barraqueiros de praia como beneficiários do auxílio.

Na avaliação do vereador, muitos destes trabalhadores informais só têm como fonte de renda a feira e os mercados públicos, assim como os barraqueiros de praia.

– Com a crise do coronavírus e com a paralisação das atividades comerciais, muito ficam sem recursos e ficam em completa situação de vulnerabilidade social – avaliou Rodrigues.

Membros históricos do PDT, desde os tempos de movimento estudantil, Ivaldo Rodrigues e Weverton Rocha mantém mandatos alinhados na Câmara Municipal e no Congresso Nacional em defesa do trabalhador brasileiro.

O senador Weverton Rocha tem uma posição de destaque no Congresso Nacional, uma vez que o atual governo mostra-se totalmente sem comando.

3

Weverton quer carência de seis meses para pagamento de empréstimos

Projeto apresentado pelo senador diminui a zero a taxa básica de juros durante o período que durar a pandemia de coronavírus no Brasil

 


O Projeto de Lei do senador Weverton (PDT) diminui a taxa básica de juros a zero e determina carência de seis meses para pagamento de empréstimos em instituições bancárias públicas. Se aprovadas, a medidas valerão enquanto durarem os efeitos da pandemia do coronavírus.

Segundo o parlamentar, a crise que se alastra por todos os países é grave e algumas providências precisam ser tomadas para que a população não seja ainda mais prejudicada.

“Nos EUA, o próprio Banco Central reduziu os juros e está adotando várias estratégias para que os norte americanos passem pela crise de uma forma digna. Não podemos ser negligentes neste momento”, afirmou.

Weverton explica que a paralisação da atividade econômica é iminente e que o país deve enfrentar uma recessão financeira muito séria.

“Por isso, o Poder Executivo precisa reduzir a taxa básica de juros a patamares mais baixos. Não me parece justificável manter o nível atual por temor da inflação”, ressaltou.

O senador enfatizou ainda que é preciso ajudar as pessoas e empresas endividadas. Uma das soluções propostas pelo parlamentar é a carência de seis meses para pagamento de empréstimos.

Weverton explica que muito pequenos empresários têm empréstimos com instituições como, por exemplo, Banco da Amazônia e Banco do Nordeste, e precisam dessa folga para continuarem existindo em meio à crise.  

“São essas empresas e consumidores com dívidas a vencer que precisam ter uma possibilidade de manejo financeiro nos próximos dois trimestres. Muitos não terão condições de arcar com prestações e temos que ajudá-los”, finalizou.

2

Weverton Rocha é relator do projeto de Calamidade Pública…

Senador maranhense pretende levar a proposta do Governo Federal para votação nesta sexta-feria, 20, e seu relatório será pela aprovação da medida, que garantirá flexibilidade nas ações contra o coronavírus

 

Weverton com assessores do Senado na preparação dos eu relatório sobre a calamidade pública no Brasil

O senador Weverton (PDT-MA) será o relator, no Senado, do projeto do governo federal que decreta estado de calamidade pública no Brasil, por conta da pandemia do novo coronavírus. O relatório, a exemplo do que ocorreu na Câmara dos Deputados, será pela aprovação do projeto.

“O momento requer a união de todos”, afirmou Weverton, que é líder do PDT, partido de oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro.

O senador acredita que não haverá oposição ao projeto, pois todos os parlamentares, independente do partido, estão conscientes da gravidade da situação.

A votação deverá ocorrer nesta sexta-feira (20), às 11h, por meio do plenário virtual. Por não estar no grupo de risco da doença, Weverton estará presencialmente no Senado para relatar o projeto.

O processo de votação ocorrerá pela internet ou por telefone. O sistema foi testado, nesta quinta-feira (19), pelos senadores Weverton, Antônio Anastasia (PSDB-MG) e Eduardo Gomes (MDB-TO).

3

São Luís terá primeira batalha Brandão X Weverton

Pré-candidatos à sucessão de Flávio Dino vão se enfrentar por intermédio dos seus escolhidos a prefeito. E quem chegar ao segundo turno largará na frente rumo a 2022; Entre eles, a senadora Eliziane Gama, melhor posicionada nas pesquisas, mas ainda distante do debate em São Luís

 

A movimentação certa de Weverton, Brandao e Eliziane em 2020 definirá o futuro de cada um na sucessão de Flávio Dino, em 2022

O movimento do vice-governador Carlos Brandão (PRB) – de fortalecimento do seu partido na Assembleia – foi o gesto mais evidente da guerra surda que vem sendo travada nos bastidores entre ele e o senador Weverton Rocha (PDT), com vistas à sucessão do governador Flávio Dino (PCdoB), em 2022.

Como em um jogo de xadrez, Brandão e Weverton vão se enfrentar primeiramente por meio de suas peças definidas para as eleições municipais de São Luís.

De um lado, o deputado estadual Neto Evangelista (DEM), com o apoio de Weverton e seu grupo.

Do outro, o também deputado Duarte Júnior (PRB) e a força de Brandão e sua base.

O objetivo inicial desta batalha é passar para o segundo turno contra Eduardo Braide (Podemos); no segundo momento, vencer o favorito na sucessão de Edivaldo Júnior (PDT).

A simples chegada ao segundo turno, tanto de Evangelista quanto de Duarte, significará, para Weverton ou Brandão, uma vitória sobre o concorrente de 2022.

E se um dos seus candidatos vencer Braide, 2022 escancara as portas.

Talvez por isso, a disputa eleitoral na base de Flávio Dino tornou-se uma violenta guerra entre os chamados “menudos do Palácio”, que pode se transformar em um racha sem precedentes entre os aliados do governador. 

E é aí que entra a senadora Eliziane Gama (Cidadania).

Melhor colocada nas pesquisas em relação a Brandão e a Weverton, a senadora do Cidadania ainda não se posicionou em relação a 2020.

E, estranhamente, segue apática no debate de São Luís, sua principal base eleitoral.

De acordo com a movimentação do Cidadania, Eliziane Gama tem como opções o secretário Rubens Júnior (PCdoB) e o juiz aposentado Carlos Madeira (Solidariedade).

Vestindo, de fato, a camisa do candidato – e se envolvendo diretamente na campanha na capital –  Eliziane dará um salto rumo a 22 se o seu escolhido alcançar o segundo turno, deixando para trás os candidatos dos seus “adversários” internos.

Mas ela pode permanecer distante, apenas observando a batalha campal entre Weverton Rocha e Carlos Brandão.

E seguir como coadjuvante rumo à sucessão de Flávio Dino.

Esta é uma escolha que ninguém pode fazer por ela…

2

“Unidade está mantida no PDT”, diz Weverton, sobre Edivaldo

Senador reuniu-se com o prefeito na noite de segunda-feira, 2 – em meio a uma serie de especulações dando conta de que poderia haver um afastamento dos dois nas eleições de São Luís – e garantiu sua participação na campanha

 

Weverton garantiu a participação de Edivaldo Júnior na campanha dos eu candidato, provavelmente Neto evangelista

O senador Weverton Rocha (PDT) respondeu laconicamente à pergunta do blog Marco Aurélio D’Eça sobre a participação do prefeito Edivaldo Júnior na campanha do PDT em São Luís.

– A unidade está garantida – afirmou o senador, tratando da reunião entre os dois, na noite de segunda-feria, 2.

Nas últimas semanas, surgiram fortes especulações segundo as quais Edivaldo estaria sendo chamado a seguir com o candidato do governador Flávio Dino, Rubens Pereira júnior (PCdoB) – cujo projeto passaria também por 2022. (Entenda aqui)

Sem maiores delongas, Weverton Rocha confirmou a conversa de segunda e garantiu que o prefeito vai atuar com o PDT, provavelmente com a candidatura do deputado estadual Neto Evangelista (DEM).

– Na hora certa ele entrará no jogo – afirmou o senador. 

O blog Marco Aurélio D’Eça acionou também o prefeito sobre qual seria “a hora certa” para que ele entrasse no jogo. Não obteve resposta.

O deputado Neto Evangelista tampouco respondeu se esteve ou não da reunião…

0

PDT deve perder famílias Macedo e Cutrim…

Apesar do discurso de que mantêm relação de aliança com o senador Weverton Rocha, saída do deputado estadual Fábio Macedo e perspectiva de saída do deputado federal Gil Cutrim devem afastar os dois clãs do projetos da legenda

 

Fábio Macedo segue com Weverton Rocha desde 2014, mas agora de e seguir para o partido de Carlos Brandão

O deputado estadual Fábio Macedo anunciou nesta segunda-feira, 2, sua saída do PDT, após sete anos de filiação ao partido.

O deputado federal Gil Cutrim também está de saída da legenda, aguardando apenas decisão judicial sobre os riscos de ele ter o mandato reivindicado.

Fábio é membro da família Macedo, um dos clãs mais ricos do Maranhão; Gil é da família Cutrim, uma das mais poderosas do estado.

As duas famílias deram sustentação política e estrutural ao senador Weverton Rocha nos últimos cinco anos, apoiando, inclusive, sua vitoriosa campanha de 2018.

Weverton Rocha Esteve com Gil Cutrim nas eleições de 2016 e 2018, mas os dois começaram a se afastar desde 2019

Tanto Fábio Macedo quanto Gil Cutrim garantem manter relação de amizade e aliança com Rocha, independentemente de estarem em outras legendas.

Mas especula-se que Macedo deve se filiar ao Republicanos, partido do vice-governador Carlos Brandão, o que leva ao entendimento de que as coisas poderão tomar outro rumo.

Mas esta é uma outra história…

2

“Vamos disputar poder, não marcar posição”, diz Weverton…

Em longa conversa com o titular do blog Marco Aurélio D’Eça, ainda antes do carnaval, senador maranhense estabeleceu que o seu partido, o PDT, vai para  sucessão do prefeito Edivaldo Júnior para chegar à vitória em São Luís

 

Weverton quer vencer as eleições de São Luís, não necessariamente apenas com um candidato do PDT; e a aposta é em Neto Evangelista

Em longa conversa telefônica com o titular do blog Marco Aurélio D’Eça, na quinta-feira, 20, antes do carnaval, o senador Weverton Rocha estabeleceu, pela primeira vez, as diretrizes do projeto do PDT para São Luís.

– Não temos porque marcar posição. É preciso disputar poder; e o PDT está pronto para a disputa – revelou Rocha, ao admitir, ainda que apenas nas entrelinhas, a aliança em torno do deputado estadual Neto Evangelista (DEM).

Dentro desta estratégia, o senador revelou que foi pela necessidade de disputar poder e ocupar espaços, que chegou a conversar com o presidente da Câmara Municipal, vereador Osmar Filho (PDT), ainda em dezembro, sobre a viabilidade de sua candidatura a prefeito.

Na avaliação de Weverton Rocha, Osmar teria condições de chegar à casa de 15%, 20% das intenções de votos. Mas para ele, isso seria marcar posição, o que não faz sentido na atual conjuntura política do estado.

Neste aspecto, ele entende que a candidatura de Evangelista é competitiva para chegar ao segundo turno e vencer, com a força e militância do PDT e dos aliados, o favoritismo de Eduardo Braide (Podemos).

Ao conversar com o titular deste blog, Weverton Rocha estava na estrada, a caminho do interior, onde o projeto do PDT para 2020 complementa o de São Luís.

– Nós vamos disputar poder em diversos outros municípios; em alguns, podemos não ganhar, mas,. aí sim, estaremos marcando posição, porque construiremos grupo para o pós-eleição – disse ele.

A estratégia pedetista inclui também gestos aos partidos aliados, como PCdoB.

Em Imperatriz, cita o senador, desde a primeira hora o PDT já anunciou apoio ao projeto do PCdoB, conversando com o secretário Clayton Noleto e com o deputado Marco Aurélio.

E assim se repetirá em vários municípios.

– Fizemos o gesto porque entendemos que assim se faz política. Estas alianças se repetirão em todo o estado – disse o senador.

Durante toda a conversa, mesmo sem citar claramente o projeto de 2022, Weverton Rocha deixou claro que as eleições estão vinculadas, com forte repercussão entre os dois pleitos.

E  mostrou claramente, também, que continua ativo na ação política…

0

Suely Pereira sai da disputa em Matões a pedido do senador Weverton

Objetivo da orientação é preservar a chapa senatorial do pedetista – em que Suely é uma das componentes – e manter alinhados os quase 2 milhões de votos recebidos nas eleições de 2018

 

O senador Weverton quer preservar sua chapa no Senado e por isso pediu para a ex-prefeita Suely Pereira sair da disputa eleitoral de Matões

A pedido do senador Weverton a ex-prefeita e suplente de senadora Suely Pereira vai sair da disputa eleitoral de Matões onde era pré-candidata. Weverton quer manter os dois suplentes de senador, Roberth Bringel e Suely Pereira, o mais próximo possível para com isso preservar os quase 2 milhões de votos recebidos dos maranhenses na sua chapa.

“Faço aqui esse apelo público a ela e todo o grupo político que nos seguem na cidade para que nós possamos encontrar uma boa saída preservando o nome da Suely. É importante que ela permaneça na nossa chapa na condição de senadora suplente porque não tenho dúvidas de que todos estão participando e ela diretamente assim como o Bringel terão a oportunidade de estar aqui nesta cadeira e usando esse broche e nos representando muito bem no plenário do Senado”, disse o senador Weverton Rocha. (Veja vídeo acima)

Sobre quem vai apoiar nestas eleições no município onde governou por dois mandato a ex-prefeita Suely Pereira ainda vai anunciar publicamente nos próximos dias. Acompanham Suely Pereira nesta decisão a vice-prefeita Cristina Janjão, os vereadores Inácio Carvalho, Bilú, Zé Natan, Reginaldo Janjão e Cristiane Pinheiro além do suplente Iran e vários outros pré-candidatos e lideranças políticas.

 

5

Flávio Dino atua para isolar Weverton Rocha já em 2020…

Governador tem atuado fortemente para afastar o prefeito Edivaldo Júnior do senador-presidente do PDT, num movimento que visa forçá-lo a abrir mão do projeto de se eleger governador já em 2022

 

Flávio Dino decidiu chamar Edivaldo a estar com Rubens Júnior, mesmo contra o projeto do seu próprio parido, o PDT, presidido por Weverton Rocha

No Maranhão, até os ratos do Centro Histórico sabem que o senador Weverton Rocha (PDT) jamais estaria onde está se dependesse do governador Flávio Dino (PCdoB).

Rocha elegeu-se senador por que criou as próprias condições para que isso ocorresse, forçando Dino a ter que apoiá-lo, diante de uma situação construída a fórceps pelo pedetista.

Flávio Dino também não quer que Weverton seja governador em 2022; aliás, o comunista não cogita, sequer, a candidatura do pedetista à sua sucessão.

Por isso Dino tem trabalhado para que o senador fique isolado nas eleições municipais de São Luís, sem opção de alianças e candidatos; e fora do segundo turno.

Em 21 de janeiro último, o blog Marco Aurélio D’Eça escreveu o post  Edivaldo Júnior entre Weverton Rocha e Flávio Dino.

Mas é preciso analisar também que Flávio Dino não quis, na última década, nenhum projeto encabeçado por Weverton Rocha, inclusive a eleição e reeleição do próprio Edivaldo Júnior (PDT). 

Foi Weverton – e não Dino – quem fez de Edivaldo prefeito eleito e reeleito na capital maranhense.

Em 2012, quando o atual prefeito de São Luís era um deputado federal sem maiores destaques em Brasília, Flávio Dino apostava no ex-prefeito Tadeu Palácio como opção do grupo para disputar a Prefeitura de São Luís.

Foi o atual senador do PDT quem construiu, bancou e segurou a candidatura de Edivaldo, que acabou se elegendo prefeito contra o então favorito João Castelo (PSDB).

Em 2016, Weverton Rocha chegou a vivenciar propostas de Flávio Dino para que Edivaldo Júnior fosse substituído, já que sua rejeição era quase intransponível; resistindo à proposta comunista, o senador vestiu a camisa do prefeito, exortou os aliados e deu a ele uma vitória histórica contra o surpreendente Eduardo Braide (hoje no Podemos). (Relembre aqui, aqui e aqui)

Nem a própria eleição ao Senado, Weverton Rocha deve a Flávio Dino.

O governador comunista tinha outros planos e apostava, até o início de 2018, que o pedetista se contentaria com a reeleição à Câmara. Mas teve que engolir uma candidatura consolidada na base, com centenas de prefeitos, deputado estaduais, prefeitos e vereadores.

O resultado é que Weverton teve quase 2 milhões e votos, mais do que o governador conseguiu na própria reeleição.

Flávio Dino já tem o seu plano eleitoral para 2022, em que Weverton Rocha não está incluído.

Caberá ao próprio senador, agora, saber se construiu um grupo – com aliados incondicionais – ou apenas pensou no próprio umbigo.

E se não fizer essa análise, ficará a ver navios em 2022.

Já a partir de 2020…

1

Weverton Rocha destaca trabalho de Ivaldo Rodrigues na Semapa

Senador visitou o secretário em seu escritório na sede da pasta e também teve a atuação em favor dos trabalhadores brasileiros destacada pelo aliado político

 

O senador Weverton Rocha destacou nesta quinta-feira, 30, a atuação do secretário Ivaldo Rodrigues no comando da Secretaria Municipal de Abastecimento (Semapa).

Para Weverton Rocha, Ivaldo mostrou pulso firme e braços fortes na busca de avanços para  agricultura familiar e o setor de abastecimento em São Luís..

– Ter a presença do senador Weverton Rocha hoje na secretaria é uma grande honra e alegria, ele que é uma grande liderança do nosso partido – frisou Rodrigues, que também ressaltou a importância do aliado no Senado.

– Ele vem desempenhando um importante papel no Senado Federal, principalmente na luta social pelos direitos dos trabalhadores brasileiros – destacou Ivaldo Rodrigues.

Durante a visita, Weverton foi agraciado por Ivaldo com uma cesta de produtos naturais da agricultura de São Luís.