1

Simplício Araújo opina que Flávio Dino pode ficar até o fim do mandato

Na confirmação desta hipótese – que pode mudar o cenário político no Maranhão – secretário de Indústria e Comércio diz que o Solidariedade vai brigar pela vaga de candidato a senador na chapa governista

 

Simplício entende que apenas uma decisão de Flávio Dino pode manter a união do grupo político que tem o poder no Maranhão

Uma opinião do presidente Estadual do Solidariedade e Secretário de Industria , Comércio e Energia, Simplicio Araújo, caso concretizada, pode mudar todo o cenário político do Maranhão em 2022.

Simplicio declarou que prepara o Solidariedade para pleitear forte a vaga de senador em 2022, buscando eleger também 2 a 3 deputados federais e 6 deputados estaduais.

No entanto, a informação que mais chamou atenção foi a de que Simplicio Araújo acredita que o governador Flavio Dino (PCdoB) – “por ser uma pessoa de coragem” – pode inclusive permanecer no governo até o final do seu mandato.

Mesmo não descartando totalmente que Flavio Dino possa renunciar para concorrer ao senado ou à presidência da república, o presidente do Solidariedade acha que o Maranhão deve também considerar a hipótese de o governador permanecer até o final do seu mandato e eleger um sucessor que possa manter o grupo unido, com chances indiscutíveis de vencer a eleição.

– Só Flavio Dino que pode manter a união do nosso campo – disse ele.

Simplício Araújo disse que o cenário nacional fortalece uma possível recondução da direita ao poder, principalmente pela falta de convergência da esquerda em torno de um nome.

– No Senado ou viajando o Brasil fazendo palestras e debates, Flavio Dino tem grandes chances de manter seu nome vivo e forte no cenário nacional, no entanto se perdermos o comando do estado, as dificuldades podem prejudicar a trajetória dele – disse Simplicio Araújo.

4

Maranhãozinho quer eleger dez vereadores em São Luís

Deputado federal que sonha com o governo em 2022 controla o PL, o Patriota e o Avante no Maranhão, além de estar aliado ao PTC e ao Republicanos, do candidato Duarte Júnior; e tem candidata também no PSD

 

Josimar e sua esposa, Detinha, querem formar bancada em São Luís para viabilizar projeto de candidatura ao Governo do Estado em 2022

Do blog do Antonio Martins

Cheio de planos, o deputado Josimar de Maranhãozinho avisa aos inimigos que está politicamente vivo.

Sua esposa Detinha não foi candidata a prefeita pelo PL, mas ele chutou a bola pra frente e garante que vai acertar o gol, apoiando a candidatura de Duarte Júnior (Republicanos).

Na briga por vagas na Câmara Municipal, Maranhãozinho trabalha no sentido de ocupar seis cadeiras com sua equipe de candidaturas formada por três legendas: Patriota, Avante e PL.

A conta pode aumentar para nove se for levado em conta a expectativa de eleição nos outros dois partidos da coligação: sendo dois vereadores do Republicanos e um do PTC: um importante número pra quem disputa o comando do Legislativo que pode chegar em 2021 com apoio de nove parlamentares eleitos.

Além dos candidatos dos partidos citados acima, Maranhãozinho ainda aposta na eleição da médica Natassia Weba (PSD), filha/neta do ex-deputado estadual Hemetério Weba, que hoje é seu aliado politico.

Se tudo caminhar como planejado, o dono do PL pode contar com dez vereadores para seu próximo projeto: a presidência da Câmara de São Luís.

3

O fator Weverton Rocha nas eleições de São Luís…

Acostumado a enfrentar ambientes eleitorais hostis, senador tem no pleito de 2020 uma das mais duras missões: ajudar a levar ao segundo turno o democrata Neto Evangelista, mesmo contra todo o fogo amigo na própria base; e ao contrário do que se pensa, o pedetista mostra cada dia mais entusiasmo com o desafio

 

Os eventos de Neto Evangelista têm se transformado em sucessivos recordes de público, tendo por trás o entusiasmo contagiante do senador Weverton Rocha, mesmo em ambiente eleitoral hostil

Análise de conjuntura

Não há dúvidas de que o senador Weverton Rocha (PDT) – à época deputado federal – foi o principal responsável pela virada histórica que resultou numa reeleição dada como perdida do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), em 2016.

A façanha – que resultou, inclusive, em sua consolidação como candidato a senador – vem sendo contada desde então pelo blog Marco Aurélio D’Eça, em sucessivos posts. (Relembre aqui)

Agora, nas eleições de 2020, o senador pedetista tem um novo desafio: ajudar a levar o deputado estadual Neto Evangelista (DEM) ao segundo turno das eleições na capital maranhense.

Em dadas circunstâncias, a missão seria tranquilamente factível, dada a força do PDT na capital maranhense, somada ao carisma do próprio Neto Evangelista e da conjunção de aliados envolvidos no projeto.

Mas Weverton enfrenta nestas eleições ambiente hostil, criado em sua própria base de aliados.

O senador-presidente do PDT enfrenta não apenas o favoritismo quase inalcançável do deputado federal Eduardo Braide (Podemos), mas também um fogo-amigo ininterrupto da própria base do governo Flávio Dino (PCdoB), que querem o mesmo que ele.

Mas do que tirar Neto do segundo turno, as forças que gravitam em torno dos candidatos Duarte Júnior (Republicanos) e Rubens Pereira Júnior (PCdoB) – e do próprio Braide – querem ferir de morte o projeto de Weverton para 2022.

Imagem-símbolo da vitória de Edivaldo em 2016: Weverton Rocha arregaçando as mangas, com seu grupo, para reverter uma derrota que já se dava como favas contadas

O que impressiona em toda esta situação é o entusiasmo com que o senador encara todos esses obstáculos.

Ele não apenas veste a camisa de Neto Evangelista, como participa da maioria dos eventos de campanha, envolvendo a militância pedetista e com a plena convicção de que chegará ao segundo turno, mesmo diante das pesquisas – que aliás, jogavam contra ele também em 2016 e 2018.

O resultado são os eventos cada vez maiores em torno de Neto Evangelista, que bate recordes de público nas comunidades de São Luís, a exemplo do que ocorreu no Centro, com Fábio Câmara, na Vila Luisão, com Ivaldo Rodrigues, e ontem no Anjo da Guarda, como mostram as imagens que ilustram este post.

É com esta convicção que o senador diz estar envolvido diretamente na campanha, por que, segundo ele, o segundo turno será outra batalha.

Quando o fator Weverton Rocha marcará ainda mais posição…

4

Núcleo de Edivaldo vai de neutralidade à “leve” torcida por Braide

Relação de animosidade com alguns candidatos da base do governo Flávio Dino e aproximação com o projeto de poder do vice-governador Carlos Brandão podem levar o prefeito de São Luís a uma postura vinculada entre 2020 e 2022

 

Edivaldo está cada vez mais alinhado ao vice-governador Carlos Brandão; e não apenas nas vestes parecidas

A movimentação de bastidores no círculo mais próximo do poder na Prefeitura de São Luís apontam um caminho diferente do esperado para o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) nas eleições da capital maranhense.

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, Edivaldo resiste a apoiar os principais candidatos da base do governo Flávio Dino (PCdoB) com os quais tem algum tipo de animosidade pessoal – Duarte Júnior (Republicanos), Neto Evangelista (DEM) ou Rubens Júnior (PCdoB).

Nas conversas com os auxiliares mais próximos do prefeito, o titular do blog Marco Aurélio D’Eça percebe, inclusive, uma certa expressão de desejo pela vitória de Braide ainda no primeiro turno.

Na semana passada, blogs ligados ao Palácio dos Leões chegaram a noticiar que Edivaldo apoiaria Rubens Júnior já no primeiro turno, mais um tiro que saiu pela culatra na campanha comunista.

Pereira Júnior apoiou Braide contra Edivaldo no segundo turno de 2016 e se manteve crítico ao prefeito após exoneração de aliados na gestão municipal.

O apoio a Duarte Júnior seria natural pela aproximação do prefeito com o vice-governador Carlos Brandão – de olho nas eleições de 2022 – mas a relação com o deputado republicano também é ruim, diante das críticas à gestão na capital.

Além disso, o próprio Brandão tende a cruzar os braços se o seu afilhado político não figurar na disputa contra Eduardo Braide.

Para Edivaldo Júnior, hoje um dos principais cabos eleitorais de São Luís, portanto, uma vitória de Eduardo Braide – em primeiro ou segundo turno – seria natural, e até benéfica, em um processo casado com 2022.

Por isso a insistente neutralidade do prefeito…

2

Rubens Jr. pode levar Flávio Dino a derrota histórica…

Patinando na casa de 1% das intenções de voto, candidato do PCdoB insiste em ligar seu nome ao do governador, criando uma situação constrangedora para o comunista, que tem ao menos outros três aliados na disputa

 

Flávio Dino já descartou ter candidato no primeiro turno, mas Rubens Júnior insiste em ligar seu nome ao dele, criando risco de derrota histórica para o comunista

O candidato do PCdoB a prefeito de São Luís, Rubens Pereira Júnior, pode levar o governador Flávio Dino a uma derrota histórica nas eleições de novembro.

Quase sem chances de chegar ao segundo turno – com pouco mais de 1% das intenções de voto – o comunista, que é deputado federal e afilhado do governador, insiste em se declarar candidato de Flávio Dino.

A situação é constrangedora para Dino – que já declarou-se neutro no primeiro turno – por que o governador tem pelo menos outros três aliados na disputa: Duarte Júnior (Republicanos), Neto Evangelista (DEM) e Bira do Pindaré (PSB).

Nas redes sociais, candidato do PCdoB fala que sua campanha representa o time de Flávio Dino na disputa em São Luís

Além disso, a vinculação de Rubens pode levar Dino a uma derrota histórica na capital maranhense, ao ficar de fora do segundo turno das eleições.

Para o governador, essa possibilidade seria desastrosa parta suas pretensões de se tornar liderança nacional.

Mas Rubens Júnior não parece muito preocupado com isso…

4

Weverton Rocha intensifica campanha pelo governo no interior

Senador do PDT tem estado cada vez mais presente nos municípios, apoiando candidatos do PDT ou aliados do seu partido, construindo as bases da candidatura em 2022, que agora enfrenta a dupla Carlos Brandão/Josimar de Maranhãozinho

 

líder de um grupo construído pela própria força pessoal, Weverton tem levado o 12 do PDT cada vez a mais municípios

Único pré-candidato declarado às eleições de 2022, o senador Weverton Rocha (PDT) decidiu antecipar o debate pelo Governo do Estado nestas eleições municipais.

E intensificou a presença nos municípios, seja para apoiar candidatos do seu partido, o PDT; seja com aliados apoiados pelos pedetistas.

Desde o fim das convenções partidárias, Weverton começou a perceber que agora enfrenta não apenas o vice-governador Carlos Brandão (PRB) – mais tímido no trato político – como também o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL), que usa métodos políticos menos ortodoxos.

O senador pedetista aproveita a campanha municipal para também levar a própria mensagem ao eleitor maranhense, cada vez mais familiarizado com ele

Construindo a própria base eleitoral, com partidos que vão do PDT ao DEM; do PTB ao PSL, passando também por MDB – que pode construir inédita chapa Weverton/Roseana – o senador pedetista aparece bem posicionado nas pesquisas.

Mas sabe que tem pela frente um adversário no comando do governo.

E com uma máquina pronta a trabalhar durante a campanha…

2

Erlanio Xavier constrói bases de apoio em todo o estado…

Presidente da Famem e uma das principais lideranças do PDT no interior maranhense apoia candidatos em diversos municípios, com amplas chances de construir uma base de prefeitos pedetistas em todo o estado

 

Erlanio tem visitado municípios em todo o maranhão, como liderança estadual do PDT e fortalecido as bases do partido

Homem forte na articulação do PDT no interior do Maranhão, o prefeito de Igarapé Grande e presidente da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), Erlanio Xavier, vai fortalecendo as bases do partido em todo o estado.

Com candidaturas próprias ou em apoio a outras legendas, Erlanio monta base forte de prováveis prefeitos, a exemplo do que ocorreu no fim de semana em São Mateus.

– O prefeito Miltinho Aragão tem prestado um grande trabalho à população do município de São Mateus e do estado do Maranhão como representante da federação dos Municípios do Estado em Brasília. Continuaremos na luta para que a população tenha uma perspectiva de dias melhores ainda – ressaltou Xavier, ao oficializar a candidatura de Ivo Rezende à sucessão de Aragão.

Enquanto os aliados se movimentam por um lado, Weverton também se movimenta por outro, criando as bases de um projeto estadual em 2022

O presidente da Famem é também um dos principais aliados e articuladores do projeto 2022 do senador Weverton Rocha, presidente estadual do PDT e pré-candidato a governador.

Mas esta é uma outra história…

0

Desenhos de chapa em 2020 acenam para 2022

Alianças formadas em torno dos candidatos Eduardo Braide, Neto Evangelista e Duarte Júnior levam a especulações de remontagens eleitorais com vistas também às eleições para governador, envolvendo os principais candidatos

A aliança MDB e PDT em torno do candidato do DEM, Neto Evangelista, põe Roseana e Weverton no mesmo palanque em 2020, o que pode se repetir em 2022

O apoio do PSDB a Eduardo Braide (Podemos), do MDB a Neto Evangelista (DEM) e do PL a Duarte Júnior (Republicanos) nas eleições de 2020, acena para as eleições de 2022.

Tanto o comandante do PSDB, senador Roberto Rocha, quanto a principal líder do MDB, ex-governadora Roseana Sarney, têm interesse na sucessão do governador Flávio Dino (PCdoB), assim como o deputado federal Josimar de Maranhãozinho e o vice-governador Carlos Brandão (PRB).

Desde que o MDB declarou apoio a Neto, que tem apoio também do PDT, especula-se a formação de uma chapa com o senador Weverton Rocha governador/Roseana senadora em 2022, o que certamente repercutira em todo o Maranhão.

Da mesma forma, o apoio do PL a Duarte, põe o deputado Josimar ao lado do vice-governador Carlos Brandão, que deve concorrer no cargo ao governo.

O senador Roberto Rocha está de olho em 2022 quando declara apoio a Braide, que também é cotado para a mesma eleição

Por outro lado, o senador Roberto Rocha articula 2022 quando declara apoio a Eduardo Braide; o senador, que parece não querer disputar a reeleição, sonha com a vitória de Braide e seu apoio para governador.

Ocorre que, entre os aliados do candidato do Podemos, já há quem o aponte, em caso de vitória, também como potencial candidato ao governo.

Mas esta é uma outra história…

2

Fábio Câmara de volta ao cenário político…

Ex-vereador e ex-candidato a prefeito, que mergulhou das aparições públicas desde 2018, chega ás eleições de São Luís como um dos principais nomes do PDT para a eleição de vereador; e tem projeto para além de 2020

 

Fábio Câmara é um dos potenciais eleitos do PDT para a Câmara Municipal; e já tem projeto para 2022 também

Vereador atuante entre 2013 e 2016, candidato a prefeito de São Luís com forte repercussão midiática e suplente de deputado estadual, Fábio Câmara (PDT) passou uma espécie de ano sabático em 2019.

Mas ele está de volta ao cenário político; e com força redobrada.

O sumiço de Fábio Câmara foi, inclusive, cobrado pelo blog Marco Aurélio D’Eça, no post… 

Neste período, ele montou forte estrutura política, trocou o PSL pelo PDT e agora disputa com amplas chances de vitória um retorno á Câmara Municipal.

Seu projeto não se encerra em 2020 e caminha a passos largos para 2022, onde ele pretende voos bem mais altos.

Mas esta é uma outra história…

7

Pesquisas de 2022 mostram disputa entre Weverton e “Grupo Sarney”

Série de levantamentos realizados pelo Instituto Exata – aproveitando as pesquisas da sucessão municipal – mostram que o vice-governador Carlos Brandão ainda mostra-se distante do debate pelo Governo do Estado

 

Weverton começa a se consolidar como principal opção do grupo Flávio Dino, bem à frente de Carlos Brandão; Eliziane Gama ainda não foi incluída nas pesquisas

Em uma série de pesquisas encomendadas por grupos políticos no interior maranhense, e que vêm sendo divulgadas ao longo das últimas semanas, o Instituto Exata começa a traçar os primeiros perfis sobre a sucessão do governador Flávio Dino (PCdoB).

E mostra que, faltando mais de dois anos para o pleito, a disputa tende a se polarizar entre o senador Weverton Rocha (PDT) e um eventual candidato do chamado grupo Sarney.

O Exata realiza pesquisas sobre as eleições municipais de novembro e inclui perguntas sobre a futura eleição estadual; em vários municípios, Weverton Rocha lidera, seguido, ora pelo que o instituto chama de “candidato indicado pelo grupo Sarney”, ora pelo também senador Roberto Rocha (PSDB).

Só depois aparece o vice-governador Carlos Brandão (Republicanos), um dos dois nomes da base do governo Flávio Dino e que deve assumir o governo em abril de 22.

Embora distantes no tempo, as pesquisas Exata servem para balizar os primeiros movimentos para a sucessão de Flávio Dino, mostrando que Weverton caminha, de fato, para se consolidar como opção ao eleitor.

E a disputa com o grupo Sarney pode sequer existir, caso haja o encaminhamento de aliança nas eleições de 2020.

Mas esta é uma outra história…