0

Preço da corrida de mototáxi será padronizada em Imperatriz…

Proposta foi definida em reunião realizada com o setor responsável na Secretaria de Transportes do município

 

A falta de padronização no valor cobrado nas corridas do serviço de mototáxi em Imperatriz, agora poderá ser fiscalizada pelos usuários e denunciada à Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes – Setran. As reclamações serão recepcionadas pelo disque-trânsito (99) 99198-6082.

O coordenador de Transportes da Setran, Alcione Bueno, explicou que o Sindicato dos Mototaxistas procurou o órgão de trânsito para ajudá-los na padronização das tarifas pagas pelos usuários do serviço de mototáxi em Imperatriz.

“Em reunião com o Sindicato, a Setran decidiu que irá cobrar dos permissionários que seja feita a cobrança da taxa, de acordo com o Decreto Municipal”, disse.

Ele orienta os usuários que, em caso de reclamações, deverá anotar o número de identificação do mototaxista e, posteriormente, acionar o disque-trânsito para que providências sejam adotadas junto ao permissionário. A penalidade pode ser a suspensão ou até a exclusão da pessoa de prestar o serviço à sociedade. 

“A padronização do preço da corrida é muito importante para os usuários, será por meio dela que a pessoa irá chamar o serviço e já saberá quando será cobrado ao destinado solicitado”, detalha.

Edinaldo Carvalho, diretor do Sindicato dos Mototaxistas de Imperatriz, observa que “há muito tempo essa padronização das corridas tem sido reivindicada pelos usuários em Imperatriz”.

“Temos uma lei municipal votada, em 2012, na Câmara de Vereadores, que regulamenta essa cobrança, porém nunca foi colocada em prática”, cita. “O Sindicato resolveu procurar o prefeito Assis Ramos para viabilizar o cumprimento desta tabela. Sabemos que nosso gestor municipal por meio de Decreto já publicou a tabela no Diário Oficial, regulamentando a padronização da tabela das corridas do serviço de mototáxi”, disse.

Segundo ele, a tabela prevê a cobrança de quatro valores, sendo que, a mais barata será R$ 6,00, linha que abrange da Avenida Bernardo Sayão a Rua Henrique Dias, e da Rua Sergipe a XV de Novembro, setor Beira Rio.

Do Centro aos bairros da Caema, São José do Egito, Bacuri, Parque Anhanguera, Parque do Buriti, Cinco Irmãos, Vereda Tropical, Jardim Cristo Rei e Nova Imperatriz pagarão R$ 7,00.

Já do Centro para os bairros Vila Redenção I, Vila Lobão, Santa Inês, Santa Rita, Boca da Mata, Novo Horizonte, Jardim São Luís, Vila Nova, Jardim Oriental e Vilinha, o usuário pagará R$ 8,00.

Edinaldo Carvalho explica ainda que a linha de R$ 10,00 sairá do Centro para os bairros Jardim Tropical, Vila Redenção II, Parque das Estrelas, Parque das Palmeiras, Parque Alvorada I e II, Conjunto Vitória, Habitar Brasil, Vila Fiquene, Airton Senna, Santa Lúcia, IFMA, Planalto, São José, Imigrantes, Vila Macedo, Ouro Verde, Bom Sucesso, Santo Amaro, Vila Ipiranga, Vila Cafeteira, João Castelo, Parque Amazonas, Mutirão, Brasil Novo e Expoimp.

7

Uber é o futuro; perda de tempo lutar contra o futuro…

Assim como outros dispositivos e sistemas que fizeram a humanidade avançar – como as redes sociais, o OLX, o WhatsApp, a Netflix e outros – o aplicativo veio para melhorar o transporte; xingar, gritar e brigar com ele só mostrará o nível de primitivismo de cada sociedade

 

MODERNIDADE LÍQUIDA
O transporte por aplicativo com acompanhamento online é o avanço da sociedade; não há como pará-lo

Editorial

Impressionante que a sociedade maranhense se veja enroscada, ainda hoje, num debate interminável sobre a relação Uber versus Taxi.

Debate inútil e inócuo, diga-se de passagem.

A mesma inutilidade que tem o debate sobre aborto, sobre união civil homossexual, e que se teve um dia também sobre transplante, sobre bebês de proveta, sobre clones, etc, etc…

Todas essas questões hoje são realidade no mundo; e os que se posicionaram contra vivem solitários em suas cavernas escuras.

Em qualquer lugar em que o Uber começou a operar, a melhoria no sistema de transporte público foi sobremaneira evidente.

Em São Paulo, paga-se R$ 150,00 por um taxi do aeroporto de Guarulhos à capital; pelo Uber, o custo é de R$ 90,00.

Na capital paulista é possível chamar um Uber pagando-se corrida de apenas R$ 7,00, com o motorista feliz e sorridente, coisa impensável em um taxista.

EXPLICAÇÕES
Após promulgar lei que proíbe o Uber em São Luís, presidente da Câmara nega ser contra o aplicativo

O aplicativo de transporte é mais um avanço da humanidade que, como se espera, sofre restrições do establishment, dos que tentam manter o status quo a qualquer custo.

Mas assim como outros avanços – a exemplo do Netflix, que acabou com as locadoras de vídeo; o OLX, que modernizou os classificados; ou o WhatsApp, que revolucionou a comunicação telefônica – o Uber é uma realidade irrevogável.

Xingar, gritar, agredir e ameaçar só vai mostrar os taxistas exatamente com o estereótipo que se tem deles: o de trogloditas boçais prontos a agredir quem os questione.

Cabe a eles tentar melhorar o seu padrão de atendimento – entendendo que não estão fazendo favor; caso contrário, serão mais uma categoria fadada à extinção.

É impossível parar a marcha da evolução.

Gostem ou não, ela segue seu rumo.

E é isso que faz a vida maravilhosa…

2

Uber é condenada a indenizar em R$ 12 mil maranhense que perdeu voo no Rio…

Maranhense que estava no Rio de Janeiro contratou o aplicativo para levá-la ao aeroporto, mas o motorista perdeu o caminho, impedindo-a de embarcar

 

Motorista do Uber errou caminho e prejudicou cliente do aplicativo

Motorista do Uber errou caminho e prejudicou cliente do aplicativo

Do site consultor jurídico

O juiz Manoel Aureliano Ferreira Neto, do 8º Juizado Cível e das Relações de Consumo de São Luís, condenou o aplicativo Uber a pagar indenização de R$ 12 mil a uma maranhense que perdeu o voo no Rio de Janeiro por que o motorista errou o caminho do aeroporto.

No entendimento do magistrado, apesar de não prestar diretamente um serviço, a Uber é responsável pelos atos de motoristas que usam seu aplicativo.

Advogado da ação, Bruno Duailibe pediu a indenização por entender que foi um erro do motorista que gerou todo o problema.

A mulher ia do Rio de Janeiro para São Luís, mas o condutor do carro errou o caminho para o aeroporto do Galeão, na Ilha do Governador – e ela não pôde embarcar.

A defesa tentou contra-argumentar, alegando que a cliente contribuiu com o erro por ter contratado o aplicativo menos de duas horas antes do voo.

Para o juiz, a própria Uber reconheceu o erro ao informar que estornaria cobrado a mais pelo erro do caminho. Continue lendo aqui…