1

Edivaldo alcança patamar de 300 ônibus novos no sistema de São Luís…

Prefeito entregou nesta terça-feira, 9, mais oito veículos equipados com ar-condicionado e elevador para cadeirantes alcançando a taxa de 80% de renovação da frota total da cidade

 

EDIVALDO CUMPRIMENTA PRESENTES À ENTREGA DOS NOVOS OITO ÔNIBUS QUE FARÃO PARTE DA FROTA DO TRANSPORTE DE SÃO LUÍS, que já tem 80 de renovação

O prefeito Edivaldo Júnior (PDT) alcançou uma meta importante nesta terça-feira, 9, em um dos setores que mais avançaram em sua gestão, o de transporte urbano.

Foram entregues oito novos ônibus equipados com ar-condicionado e elevador para cadeirante, atingindo a marca de 300 veículos novos, ou cerca de 80% da frota.

– Este é um momento muito importante, pois podemos oferecer aos cidadãos de São Luís uma frota moderna e condizente com as necessidades da nossa população. Temos a satisfação de oferecer em nossa gestão os ônibus com a menor taxa de vida útil do Nordeste. Recebemos a cidade com uma frota que tinha em média 10 anos de utilização cada veículo e hoje temos uma média de 4,5 anos de utilização por coletivo – destacou Edivaldo.

O prefeito tem muito o que comemorar neste setor.

Responsável pela licitação que garantiu a renovação da frota de ônibus no transporte urbano de São Luís, Edivaldo enfrentou problemas históricos no setor; e conseguiu enquadrar empresários e trabalhadores.

O prefeito pretende concluir o mandato, em, 2020, com 100% da frota renovada…

0

Preço da corrida de mototáxi será padronizada em Imperatriz…

Proposta foi definida em reunião realizada com o setor responsável na Secretaria de Transportes do município

 

A falta de padronização no valor cobrado nas corridas do serviço de mototáxi em Imperatriz, agora poderá ser fiscalizada pelos usuários e denunciada à Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes – Setran. As reclamações serão recepcionadas pelo disque-trânsito (99) 99198-6082.

O coordenador de Transportes da Setran, Alcione Bueno, explicou que o Sindicato dos Mototaxistas procurou o órgão de trânsito para ajudá-los na padronização das tarifas pagas pelos usuários do serviço de mototáxi em Imperatriz.

“Em reunião com o Sindicato, a Setran decidiu que irá cobrar dos permissionários que seja feita a cobrança da taxa, de acordo com o Decreto Municipal”, disse.

Ele orienta os usuários que, em caso de reclamações, deverá anotar o número de identificação do mototaxista e, posteriormente, acionar o disque-trânsito para que providências sejam adotadas junto ao permissionário. A penalidade pode ser a suspensão ou até a exclusão da pessoa de prestar o serviço à sociedade. 

“A padronização do preço da corrida é muito importante para os usuários, será por meio dela que a pessoa irá chamar o serviço e já saberá quando será cobrado ao destinado solicitado”, detalha.

Edinaldo Carvalho, diretor do Sindicato dos Mototaxistas de Imperatriz, observa que “há muito tempo essa padronização das corridas tem sido reivindicada pelos usuários em Imperatriz”.

“Temos uma lei municipal votada, em 2012, na Câmara de Vereadores, que regulamenta essa cobrança, porém nunca foi colocada em prática”, cita. “O Sindicato resolveu procurar o prefeito Assis Ramos para viabilizar o cumprimento desta tabela. Sabemos que nosso gestor municipal por meio de Decreto já publicou a tabela no Diário Oficial, regulamentando a padronização da tabela das corridas do serviço de mototáxi”, disse.

Segundo ele, a tabela prevê a cobrança de quatro valores, sendo que, a mais barata será R$ 6,00, linha que abrange da Avenida Bernardo Sayão a Rua Henrique Dias, e da Rua Sergipe a XV de Novembro, setor Beira Rio.

Do Centro aos bairros da Caema, São José do Egito, Bacuri, Parque Anhanguera, Parque do Buriti, Cinco Irmãos, Vereda Tropical, Jardim Cristo Rei e Nova Imperatriz pagarão R$ 7,00.

Já do Centro para os bairros Vila Redenção I, Vila Lobão, Santa Inês, Santa Rita, Boca da Mata, Novo Horizonte, Jardim São Luís, Vila Nova, Jardim Oriental e Vilinha, o usuário pagará R$ 8,00.

Edinaldo Carvalho explica ainda que a linha de R$ 10,00 sairá do Centro para os bairros Jardim Tropical, Vila Redenção II, Parque das Estrelas, Parque das Palmeiras, Parque Alvorada I e II, Conjunto Vitória, Habitar Brasil, Vila Fiquene, Airton Senna, Santa Lúcia, IFMA, Planalto, São José, Imigrantes, Vila Macedo, Ouro Verde, Bom Sucesso, Santo Amaro, Vila Ipiranga, Vila Cafeteira, João Castelo, Parque Amazonas, Mutirão, Brasil Novo e Expoimp.

1

Dr. Yglésio vê “coelhos e tartaguras” em busca de holofotes em São Luís…

Opção do PDT para a Prefeitura de São Luís, deputado estadual usa a polêmica da extinção dos cobradores de ônibus para criticar adversários que tentam se utilizar do debate e fala sobre o fim de várias profissões diante do avanço tecnológicos

 

YGLÉSIO UTILIZOU DEBATE DO TRANSPORTE COMO PANO DE FUNDO PARA CRITICAR seus possíveis adversários numa eventual disputa pela Prefeitura de São Luís

Em artigo publicado neste domingo, 9, no jornal O Imparcial, o médico e deputado estadual dr. Yglésio Moises aproveitou-se do debate sobre a extinção de postos de cobradores de ônibus no transporte público para criticar potenciais adversários na eleição municipal de 2020.

Opção do PDT para a sucessão do prefeito Edivaldo Júnior, Yglésio analisou a situação à luz do avanço tecnológico, que deverá extinguir não apenas profissões como a de cobrador de ônibus, mas diversas outras, incluindo aquelas com formação específica e de ponta – como arquitetos, advogados e até médicos.

– É inegável que o avanço tecnológico chegou com força nos últimos anos e que a tendência de algumas profissões é o desaparecimento. Cobradores de ônibus, frentistas, arquitetos, advogados e até mesmo algumas especialidades médicas – destaca Yglésio.

Sua postura realista é diferente da de outros dois deputados estaduais – ambos também pré-candidatos a prefeito: Duarte Júnior (PCdoB) e Wellington do Curso (PSDB), que se utilizaram do assunto para ganhar espaço nas redes sociais, chegando até a viajar em ônibus de São Luís.

É neste aspecto que o artigo de Yglésio mira os dois, mesmo sem citar nomes.

– Toda vez que temos um assunto que realmente merece uma atenção maior, por tratar de problemas estruturantes, existe também na política uma proliferação cada vez maior de coelhos e tartarugas; os coelhos da modernidade política (cada vez mais líquida) hoje alimentam-se de holofotes – ironizou o médico, para asseverar:

– Como surge uma pauta como a dos cobradores, muito mai do que jogar para a plateia, o fundamental é buscar entender os problemas de fato, conversar com todos os envolvidos, dimensionar os argumentos e recolocá-los como propostas de soluções.

No artigo de O Imparcial, o deputado pedetista mostra-se resignado em relação à situação do transporte público, por entender ser fruto natural do avanço da tecnologia.

E provoca, com uma pergunta dura e direta: “se a retirada de 500 profissionais da função de cobradores é ruim, a quem interessa a falência das empresas de ônibus, que jogaria não 500, mas 7,5 mil profissionais nas trincheiras do desemprego?”.

Ao final Yglésio faz outro comentário, que o blog Marco Aurélio D’Eça entendeu como um recado direto ao prefeito Edivaldo Júnior (PDT), referindo-se ao termo tartaruga, usada no título do artigo:

– Se os coelhos não cabem neste momento em que a lucidez é fundamental, também não no servem as tartarugas, pois em tempos de difíceis, as atitudes firmes e ágeis se fazem cada vez mais necessárias.

Leia abaixo o artigo do Dr. Yglésio:

 

1

Projeto de lei flexibiliza horários em faixas de ônibus em São Luís…

Se aprovada pela Câmara, proposta de autoria do vereador Pedro Lucas Fernandes, deve liberar corredores fora do horário de pico em avenidas onde há maior volume de comércio na capital

 

Medida deve liberar corredores fora do horário de pico em avenidas onde há maior volume de comércio (Foto: Mauricio Alexandre)

Um projeto de lei que tramita na Câmara Municipal de São Luís (CMSL) prevê a flexibilização dos corredores restritos aos coletivos em avenidas e ruas da capital onde há maior volume de comércio. Pela proposta, as faixas exclusivas só seriam reservadas aos ônibus entre 6h00 e 9h00; 11h00 e 15h00 e entre 17h00 e 20h00. Nos demais horários, os corredores ficariam liberados para todos os veículos.

A justificativa do autor do projeto, vereador Pedro Lucas Fernandes (PTB), é ajudar a “diminuir os efeitos negativos da crise econômica que afeta o Brasil”. Segundo ele, “a proposta que prevê a liberação dos corredores fora do horário de pico também pode aquecer o comércio em avenidas onde há maior volume de lojas”.

O projeto tem três artigos e explicita como deve ser feita a liberação do uso das faixas exclusivas para ônibus, fora do horário de pico, para os demais veículos, que poderão transitar livres de multas.

De acordo com o artigo 1º, em seu parágrafo 1º, aos sábados, as faixas exclusivas devem funcionar das 06h00 às 09h00 horas, das 11h00 às 15h00 horas. Já o parágrafo 2º do mesmo dispositivo diz que aos domingos e feriados será livre a circulação de veículos pelos corredores de ônibus da capital.

Pedro Lucas explica que a norma atende a um pedido de comerciantes, principalmente de lojas estabelecidas nas avenidas Castelo Branco, no São Francisco; Guajajaras, no São Cristóvão; e Jerônimo de Albuquerque, na Cohab, cujas vias contam com faixas exclusivas de ônibus, em suas extensões.

“Em função da crise econômica que o país atravessa, estamos tentando fomentar algumas áreas de corredores na capital propondo a flexibilidade no horário de funcionamento das faixas de ônibus em avenidas e ruas onde há maior volume de comércio”, defendeu.

Faixa reduz viagem

As faixas exclusivas para os ônibus foram implantadas em São Luís no final de 2009, quando a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) criou a primeira delas na Rua do Passeio, entre a Praça Deodoro e a Rua das Cajazeiras.

Neste trecho, os estacionamentos da Rua do Passeio foram permitidos somente à esquerda.

Já o corredor para ônibus implantado na Avenida Colares Moreira, ano passado, tem início no Elevado do Trabalhador, se estendendo até as proximidades da Clínica São Marcos, no Renascença. A faixa é preferencial e não exclusiva, por causa da existência de conversões à direita para retornos e cruzamentos.

As faixas e corredores foram implantados na capital para ajudar a reduzir o tempo das viagens aos passageiros. Com isso, a medida visa dar maior fluidez em trechos de vias que ficaram destinadas aos coletivos.

1

Modernização e defasagem financeira do transporte em São Luís…

Preço das passagens são os mesmos desde março de 2016, enquanto que, neste período, foram mais de 100 reajustes de óleo diesel e dois reajustes salariais de motoristas e cobradores

 

Ônibus articulados e com ar-condicionado modernizaram a rota de São Luís

Editorial

Licitado em setembro de 2016, o sistema de transporte urbano de São Luís está sem reajuste de tarifas desde março daquele.

Desde a licitação, segundo o sindicato, as empresas cumprem todas as exigências da Prefeitura de São Luís – compra de ônibus novos e com ar-condicionado, garantias salariais de funcionários e manutenção em dia da frota.

De acordo com dados da própria Prefeitura de São Luís, são 21 ônibus articulados, 213 ônibus com ar-condicionado e 65% da frota modernizada.

Neste período, foram cerca de 120 reajustes de óleo diesel, insumo básico do sistema, e outros dois reajustes salariais de motoristas e cobradores.

Mas as tarifas de ônibus se mantiveram a mesma:  R$ 2,90 para o sistema integrado; R$ 2,50 na intermediária e R$ 2,20 a mais barata.

O debate sobre o reajuste da passagem de ônibus foi retomado esta semana, com discursos apaixonados de lado a lado.

E este blog, como sempre, entra no assunto somente depois de embasado em dados técnicos, para não cometer injustiças.

E mostra que o sistema precisa estar equilibrado para funcionar a contento.

Como se dará este equilíbrio é responsabilidade dos atores do setor.

Simples assim…

1

SMTT apreende ônibus que estão fora dos padrões do transporte em SL…

Secretaria recolhe para o pátio veículos que não estão adequados ás normas exigidas na última licitação do sistema na capital maranhense

 

A fiscalização da SMTT aborda os ônibus nos pontos finais das linhas

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes deu continuidade, na semana que passou, à fiscalização dos ônibus que compõem a frota do sistema em São Luís.

Ônibus fora dos padrões exigidos na licitação do transporte são recolhidos para as garagens, e só voltam após readequação.

– Ônibus que não se adequam às normas exigidas na licitação estão sendo recolhidos ao pátio da SMTT, retirados os equipamentos da bilhetagem até se restabelecerem as normas exigidas – explicou o secretário Canindé Barros, em suas redes sociais.

Fiscais fazem testes dos equipamentos obrigatórios, como os elevadores para cadeirantes

A fiscalização começou pelos veículos do consórcio Upaon-Açu, que tem a maior frota de ônibus no sistema.

De acordo com Canindé Barros, a ação da SMTT tem o objetivo de manter a qualidade no sistema de transportes.

– Estamos empenhados em cumprir as determinações do Prefeito Edivaldo Holanda Jr em atender as demandas da população da nossa cidade para tornar o Transporte Público cada vez mais eficiente e eficaz trazendo qualidade de vida ao usuário do sistema – diz o secretário.

A fiscalização é feita nos pontos finais das linhas.

E os ônibus inadequados nem retornam para as viagens…

2

Movimento de motoristas nada tem a ver com aumento de passagens…

É equivocada a especulação segundo a qual a ameaça de greve dos rodoviários vá ensejar reajuste nas tarifas de ônibus de São Luís, o que só deverá ocorrer dentro do prazo estabelecido em contrato e amparado por decisões judiciais

 

DATA-BASE – Motoristas vão exercer direito por salários, mas isso não implica em aumento de passagem

Trata-se de um desserviço à população as especulações surgidas nos últimos dias, tentando vincular o movimento dos motoristas por aumento salarial a um eventual reajuste de tarifa de ônibus.

Uma coisa nada tem a ver com a outra; pelo menos não mais desde a implantação da Licitação dos Transportes em São Luís, ocorrida em 2016.

O que os trabalhadores do setor estão fazendo é a legítima negociação – dentro de sua data-base – com os instrumentos de pressão de que dispõem.

Mas o aumento de passagem, com contrato assinado por todas as empresas, só poderá ser discutido ao fim do primeiro ano de vigência da licitação, o que só ocorrerá partir de setembro.

O contrato da licitação foi garantido também por decisão da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, ainda em 2016; E reafirmado por decisão da desembargadora Ângela Salazar, que indeferiu Agravo de Instrumento da empresa Primor.

Os trabalhadores do setor de transporte estão, portanto,exercendo o legítimo direito de reivindicar aumento de salários, dentro de sua data-base.

Mas isso nada tem a ver com aumento de passagem.

E usar isso para amedrontar a população é uma espécie de terrorismo.

Simples assim…

0

Ferry Boat: Maura Jorge reduziu preço da passagem; Flávio Dino aumentou…

Ex-deputada presidiu comissão da Assembleia que levou à redução da passagem; anos depois, o comunista penaliza mais uma vez a população com aumentos, o que tem virado praxe em seu governo

 

AÇÕES COMPROVADAS
Maura Jorge tem o que mostrar como política

O recente aumento das passagens de ferry boat, imposto pelo governador Flávio Dino (PCdoB), evidência, mais uma vez, a diferença entre o comunista e seus adversários na forma de tratar o maranhense.

Enquanto Flávio Dino entende que a melhor forma de conduzir o Maranhão é, mais uma vez, penalizando o consumidor, aumentando o valor das passagens de ferry boat, Maura Jorge, ainda deputada, presidiu em 2007, a comissão de Obras, Serviços Públicos e Habitação, realizando audiência em Pinheiro para discutir justamente o valor desse serviço de transporte, considerado abusivo pelos usuários.

O esforço de Maura Jorge enquanto presidente da comissão resultou na redução de 28% no valor das passagens do ferry boat no Maranhão.

Tudo devidamente registrado nos anais da Assembleia Legislativa e nos impressos da época.

Enquanto Maura Jorge conquistou a redução dos tributos em benefício do consumidor, Flávio Dino segue aumentando impostos e penalizando o maranhense.

Evidenciando a diferença entre Flávio Dino e seus adversários.

Simples assim…

3

Além de ultrapassada, lei que determina o fim do Uber é natimorta…

Determinação da Câmara de São Luís em benefício de taxistas, será solenemente ignorada por usuários e trabalhadores da categoria, pelo simples fato da impossibilidade de fiscalização

 

LEI DA CAVERNA
A proibição ao Uber é uma espécie de reserva de mercado aos taxistas contra o Uber

Trata-se de uma lei morta a proibição ao aplicativo Uber de operar em São Luís.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Astro de Ogum (PMN), assinou a promulgação da Lei 119/205, um dia após protesto agressivo dos taxistas.

A lei, de autoria da ex-vereadora Luciana Mendes, foi aprovada na Câmara ainda em 2016, mas não foi sancionada pelo prefeito Edivaldo Júnior (PDT), por isso voltou à Câmara.

Mas seus efeitos são praticamente nulo.

Isso porque, é quase impossível manter a fiscalização em cada carro de São Luís – já que não há identificação do Uber – para saber qual está levando passageiros pagos.

RESERVA DE MERCADO
Taxistas usam até de violência, caso necessário, para impedir que entrem em seus domínios

A menos que os próprios taxistas montem barricadas para impedir também o direito de ir e vir do cidadão.

Tanto que os Uber continuaram a circular mesmo após a promulgação da lei.

E a população agradece…

5

Sistema de Transporte já tem controle 24 horas em São Luís…

Centro de Controle de Operações montado na Secretaria de Trânsito e Transporte acompanha em tempo real a situação de cada um dos 900 ônibus que operam o sistema na capital maranhense

 

Canindé acompanha serviço de videomonitoramento, que já instalado em seis pontos

 

A Secretaria de Trânsito e Transporte de São Luís monitora, desde o ano passado, todo o sistema de transporte urbano na capital maranhense, acompanhando os ônibus desde o início de sua operação.

O CCO garante a qualidade dos serviços porque tem condições de saber a situação de cada um dos cerca de 900 veículos que estão atuando, dia a pós dia, 24 horas.

– Já é possível saber quantos ônibus estão no sistema a cada momento, quantos estão indo ao Centro e quantos voltando; quantos estão parados, em terminais ou atrasados. A partir dos dados on-line temos condições de cobrar das empresas – explicou o titular da SMTT, Canindé Barros.

Técnicos icam 24 horas acompanhamento o desenvolvimento do sistema; ação prevê até multa ás empresas

Segundo ele, por intermédio do CCO é possível, por exemplo, ter a garantia que todas as nove linhas de “Corujão” operem diariamente. Há, inclusive, multas para os consórcios que deixem de cumprir as obrigações de cada linha.

Idealizador do projeto, que é aperfeiçoado todo dia pela equipe de técnicos da SMTT, Canindé diz que o trabalho de controle de operação se completa com o videomonitoramento dos principais pontos críticos do trânsito.

– Em breve, será lançado também o aplicativo “Meu Ônibus”, que dará ao usuário o poder de também controlar o sistema de transporte – frisou o secretário. (Saiba mais aqui)

Todas as medidas de controle do transporte em São Luís foi pensado a partir da licitação, como uma forma de garantir a qualidade, evitando que as empresas burlem as obrigações.

O controle estará plenamente equipado até o fim do primeiro semestre…