37

Os municípios como capitanias hereditárias…

Teresinha é mulher de Jomar, em Imperatriz...

A principal reportagem política da edição de ontem do jornal “O Estado do Maranhão” – um painel sobre a sucessão em seis dos principais municípios – traz um dado revelador de como a política é tratada como questão familiar no interior maranhense.

Em todos os municípios citados há entre os possíveis candidatos de 2012 parentes de líderes p0líticos já estabelecidos. Em casos como o de Caxias, os parentes são, inclusive, os principais candidatos.

Genésio quer Pinheiro como herança familiar

A guerra familiar no interior é também reflexo da característica patrimonialista que marca a política maranhense como um todo, onde as “castas” se sucedem no poder, como donatários de capitanias hereditárias que passam de pai para filho.

Citando Caixas: o candidato do prefeito Humberto Coutinho (PDT) deve ser seu sobrinho, Leonardo Coutinho (ainda sem partido). Ele vai disputar contra Paulo Marinho Júnior (PMDB), que vem a ser filho dos ex-prefeitos Paulo e Márcia Marinho.

Até na oposição caxiense há herança familiar na sucessão: o candidato do PT pode ser Ney Teixeira, filho do líder partidário Mundico Teixeira, ligado ao vice-governador Washington Oliveira (PT).

Luciano, outro Leitoa pra governar Timon

Em Timon é parecido.

A prefeita Socorro Waquim (PMDB), que já elegeu e reelegeu o marido Sétimo Waquim (PMDB) deputado federal, agora quer se manter no poder por meio também do sobrinho, Talles Waquim. Na oposição, o principal candidato é o deputado estadual Luciano Leitoa (PSB), filho do ex-prefeto Chico Leitoa (PDT).

Seguindo para Pinheiro, encontra-se entre os principais candidatos Luciano Genésio (PCdoB), filho do ex-prefeito José Genésio. Sem falar no ex-prefeito Filuca Mendes (DEM), que tem o filho, Victor Mendes (PV), já inserido na política estadual, como deputado estadual e secretário de Meio Ambiente.

Rochinha tentará novamente em Balsas

Em São José de Ribamar, os dois candidatos que podem se insurgir contra o prefeito Gil Cutrim (PMDB) – ele próprio de uma família tradicional da política maranhense – são Roberto Câmara (PSB), filho do lendário Jota Câmara, e Julio Matos Filho, outro filho de ex-prefeito.

No município de Balsas, o prefeito Chico Coelho (PMDB) tem como principal adversário Luiz Rocha Filho, o Rochinha, filho de ninguém menos que o ex-governador Luiz Rocha, e irmão do ex-deputado federal Roberto Rocha (PSDB).

O painel de “O Estado do Maranhão” se fecha com Imperatriz, onde o prefeito Sebastião Madeira (PSDB), pode ter como adversária Teresinha Fernandes (PT), mulher do ex-prefeito e ex-deputado Jomar Fernandes (PT).

A política de sobrenomes se repete em praticamente todos os municípios maranhenses, mostrando como o estado ainda vive sob os signo das oligarquias.

Onde o poder é passado de pai para filho.

Como herança familiar…

15

A Cidade Perdida…

Do blog de Ed Wilson Araújo

A semana que vai chegando ao fim foi marcada pela greve dos motoristas de ônibus e pela guerra do IPTU. Duas situações diretamente ligadas ao solo urbano, à mobilidade, ao direito à cidade, à vida dos pedestres, ciclistas e motoristas.

Os ônibus caindo aos pedaços, circulando pelas ruas e avenidas esburacadas, com motoristas estressados no trânsito caótico, pararam de vez.

E o dinheiro arrecadado pelo IPTU, que em tese serviria para melhorar a cidade, está praticamente inviabilizado na forma programada pela Prefeitura.

A GREVE E A GUERRA
Os rodoviários paralisaram toda a frota desde segunda-feira, contrariando a determinação do TRT, que obrigava a categoria a manter 80% em circulação. Decisão absurda porque inviabilizaria a greve.

O Sindicato dos Rodoviários desobedeceu a orientação do tribunal e manteve toda a frota parada.

Há também uma forte suspeita de que por trás da greve haja um acordo entre o sindicato e os empresários, que estão de olho na próxima licitação da linhas de transporte.

Sempre que há paralisação dos rodoviários fica a suspeita de um acordo prévio com os empresários para aumentar o preço das passagens e em contra-partida oferecer reajuste aos cobradores e motoristas.

Agora, os indícios levam à licitação das novas linhas. É uma mina de ouro ter ônibus coletivo em São Luís. A empresa coloca qualquer sucata para circular, presta um péssimo serviço à população e fatura alto. Além da crise no transporte coletivo a cidade vive a guerra do IPTU.

O deputado Roberto Costa (PMDB), cria do senador João Alberto (PMDB), é o porta-voz dos contrários às novas regras do imposto.  A última batalha foi vencida pelo parlamentar, com a decisão do Tribunal de Justiça (TJ) suspendendo a cobrança do IPTU.

Em decorrência da liminar do TJ, a audiência pública prevista para hoje [sexta-feira] na Assembléia Legislativa foi inviabilizada, em meio à troca de acusações entre o deputado Roberto Costa e a secretária municipal de planejamento Maria do Amparo.

E assim segue a cidade.

Os rodoviários mantêm a greve e a Prefeitura não tem interesse em mediar, porque a licitação das novas linhas mexe com grandes interesses financeiros.

Um dos operadores no negócio das linhas é o poderoso SET (Sindicato das Empresas de Transporte).

A Câmara dos Vereadores é inespressiva.

Salvo um ou dois parlamentares, nada de interessante é debatido ou encaminhado no legislativo municipal. O Prefeito João Castelo (PSDB) é um administrador sórdido e perverso. Não dá a mínima para a situação da cidade.

A única obra de Castelo foi eleger a filha Gardeninha (PSDB) deputada estadual. Tucanagem dupla e nada mais. Mesmo assim, ele é um candidato forte em 2012.

Castelo representa o voto malufista ludovicense.

em muita gente ainda que lhe é fiel.

Por enquanto ele vai traindo até seus discípulos, que, como ratos, esperam o navio ir a pique para pular fora.

4

Edivaldo Holanda: “reforma deve ser discutida com a sociedade”

Holanda é um dos debatedores da reforma

O deputado federal Edivaldo Holanda Júnior (PTC) defende a realização de seminários e audiênias públicas com representantes da sociedade para elaboração da reforma política.

– Somente após ouvir a sociedade, podemos avaliar uma proposta final que contemple a ansiedade do povo brasileiro em ver aprovado pelo congresso uma reforma política verdadeira – disse Holanda Jr.

O deputado maranhense participou ontem de um debate na Câmara Federal para falar do assunto.

Em debate com o realtor da reforma na Câmara, deputado Henrique Fontana, Holanda questionou as principais propostas.

O deputado petecista é contrário, por exemplo, ao sistema de lista fechada. para ele, por este sistema, o eleitor perde o direito de escolha.

– O direito de escolher passa a ser da direção partidária – opina o parlamentar.

Pelo sistema de lista, a direção partidária define, em convenção que candidato encabeçará a lista e a sua sequência.

Atingindo a quantidade de votos necessária, elege o primeiro, o segundo e assim por diante…

10

Juiz orienta contra pagamento de foros…

Terrenos de marinha envolvem toda a ilha de São Luís

O juiz federal José Carlos Madeira orienta os ocupantes de terrenos na ilha de São Luís para que não paguem as taxas de foros, mesmo que os boletos sejam encaminhados pela Secretaria de Patrimônio da União.

Segundo ele, a decisão do último dia 2 de maio, no Tribunal Regional Federal, que extinguiu a cobrança, garante o não pagamento. Ele explica que isso é possível por que, mesmo que a União recorra ao Supremo Tribunal Federal, este recurso não tem  mais o efeito suspensivo.

Entenda aqui o que são terrenos de marinha

Estes boletos com a cobrança dos foros são emitidos geralmente entre os meses de abril e maio – em sistema parecido com o IPTU.

José Carlos Madeira foi o primeiro magistrado a dar sentença favorável ao fim da taxa de aforamento, em ação movida pelo deputado estaduaol max Barros (DEM), principal articulador da luta contra este imposto.

 –  A causa já foi ganha em 1º grau e, recentemente, o TRF,  em Brasília. Se um recurso ao STF não tem mais como provocar efeito suspensivo, está claro que os ocupantes desses terrenos não devem mais efetuar os pagamentos – orientou Max Barros, hoje presidente da Associação que congrega os foreiros de São Luís.

Os foros eram cobrados anualmente dos ocupantes de terrenos em várias localidades dos municípios da ilha, entendidos como de marinha. Com a decisão judicial de 2008, estas taxas foram suspensas, mas a União continuou encaminhando os boletos por que não havia transitado em julgado.

Mas agora, segundo o juiz, não precisam mais ser pagos…

6

“Foi uma lição de vida”, diz Lobão Filho, sobre acidente…

Lobão Filho: em franca recuperação

O senador Edison Lobão Filho (PMDB) falou hoje, pela primeira vez, sobre o acidente sofrido há cerca de 15 dias no município de Paço do Lumiar.

– Foi uma lição de vida pra mim – disse o senador, em entrevista por telefone à TV Mirante.

A conversa com o senador foi divulgada no “Jornal do Maranhão- 2ª Edição.

Em contato com a mulher de Edinho, a jornalista Paulinha Lobão, a emissora apurou que o senador deve deixar neste sábado a UTI do Hospital Albert Einstein.

Ainda segundo Paulinha, a alta está prevista já para a próxima semana…

31

O surto psicótico dos auxiliares de Castelo…

Aqui, Maria do Amparo, aos gritos, tenta se justificar...

O prefeito surtou por que não admite o contraditório.

Os secretários surtaram por que são obrigados no dia-dia a fazer o que ele manda, sem direito a questionamentos.

Vivem à beira de um ataque de nervos, diariamente confrontados com a realidade das ruas que o chefe se recusa a aceitar.

...Depois, é acalmada pelo cerimonialista da Assembléia

A atitude da secretária de Planejamento Maria do Amparo, hoje, na Assembléia Legislativa – como mostram as fotos exibidas no blog de Gilberto Léda – é um exemplo deste estado de nervos.

A pobre coitada da secretária vive adrenalina pura diariamente.

É cobrada pelo prefeito diariamente, sabendo que está tudo errado, mas sem direito a, sequer, dizer o que pensa.

Teve que desabafar com o deputado Roberto Costa (PMDB).

É de se respeitar seu estado de ânimo.

À beira de um surto psicótico…

5

Após crítica na Internet, Assembléia desativa novo site…

Site antigo da Al foi reativado no início da tarde

Não durou nem duas horas o novo portal da Assembléia Legislativa. A crítica nos blogs e nas redes sociais foi tão direta que o site foi retirado no início da tarde.

Em nota, a diretoria de Comunicação alegou que o portal ainda está em fase de mudança e que a divulgação hoje pela manhã foi “apenas em fase de testes”.

Mas garante que “o novo site estará plenamente ativado nos próximos dias”.

Não deveria.

O novo portal é feio, pouco prático e antijornalístico.

De qualquer forma o recuo mostra a influência das redes sociais dos blogs jornalísticos – icluindo este – nos círculos de poder.

Influência que apenas os tolos insistem em não perceber – preferindo os “milhares de acesso” em casas de prostituição.

Ou os “debates” das mesas de bar…

7

Novo site da Assembléia: a cara do retrocesso…

Não agradou o novo portal de notícias da Assembléia Legislativa.

Confuso, pesado e poluído visualmente, vai de encontro às modernas técnicas de layout e, principalmente, de navegação na internet.

É um retrocesso, portanto. 

Curioso, por que webdesigns deveriam sempre primar pela praticidade, o que garante o ar de modernidade característico da rede mundial. 

O site anterior era bem melhor, com ícones bem localizados e acesso fácil a todas as informações.

Tentaram inovar com a linguagem de flahs – que resulta em movimentos – mas o resultado final foi tão ruim que choca à primeira vista.

Além disso, uma curiosidade: qual é a do verde predominante em toda a página?

5

As 11 teses de Joaquim Haickel para a Reforma Política…

Mesmo na secretaria de Esportes, o ex-deputado Joaquim Haickel (PMDB) continua ativo nos bastidores da política.

Por este motivo, e pela experiência acumulada na análise dos processos eleitorais, foi um dos convidados do presidente Rogério Cafeteira (PMN) para a audiência pública da comissão de acompanhamento da Reforma Política da Assembléia Legislativa.

Haickel sistematizou 11 teses sobre mudanças no sistema eleitoral. O blog publica abaixo  enunciado de todas elas, com comentários do próprio blog:

1 – Eleições gerais e coincidentes – Para o secretário, é fundamental que se una todos os pleitos do país, de vereador a presidente da República. Na sua avaliação, o processo reduziria custos eleitorais. Esta propsota já tramita no Congresso.

2 – Mandato de cinco ou seis anos para todos os cargos – Declaração de Haickel: “neste caso, alguns perderão um pouco do mandato e outros ganharão. Mas tem que ser assim”. Sem reparos do blog.

3 – Voto majoritário e direto para todos os cargos – É o fim das eleições proporcionais. O blog apoia esta iniciativa por que entende que os mais votados, em todas as eleições, devem assumir os cargos.

4 – Eleições únicas para o Congresso. Mais votados viram senadores e os demais deputados – Este é o ponto mais polêmico da proposta de Joaquim e o mais difícil de se consolidar, sobretudo pela idéia de casta que ainda impera entre o senadores. A proposta deve ser levada à Câmara pelo deputado Ribamar Alves (PSB).

5 – Financiamento público de campanha – O blog não apóia esta idéia. Para o blog, os recursos públicos devem ser direcionados para os serviços públicos. As campanhas precisam ter fiscalização rigorosa, para evitar abusos e uso da máquina. Se isto for feito de forma honesta pela Justiça Eleitoral, o processo será perfeito.

6 – Fidelidade Partidária – É meio turva a concepção de Haickel para este conceito. Para ele, o político deve obedecer as diretrizes partidárias, mas não pode ser punido se, eventualmente, votar contra a idéia da legenda por causa de valores familiares ou religiosos, por exemplo.

7 – União, Federação ou coligação de partidos – Para Haickel, com o voto majoritário, isso pouco importará, já que serão eleitos os mais votados, independente de que partido seja.

8 – Cláusula de barreira – Conceito clássico para dizer que os partidos precisam alcançar algum tipo de meta para sobreviver na vida política.

9 – Candidaturas avulsas – Este é um dos conceitos pétreos deste blog. Qualquer pessoa pode se candidatar a qualquer cargo sem, necessariamente, ter que estar filiado a um partido político. O conceito já existe nos países mais avançados.

10 – Voto obrigatório – Outro ponto de discordância com o blog. A obrigatoriedade da presença nas urnas enfraquece a legitimidade do representante popular. O eleitor precisa ter a prerrogativa de não participar, se não quiser, do processo eleitoral. E isso tem que ser claro, não disfarçado em uma presença nas urnas. O voto facultativo qualifica o processo.

11 – Ficha Limpa – Quem tem problemas com a Justiça não deve participar de eleições. Mas também não deveria assumir cargos públicos em todos o níveis, é o pensamento do blog.

15

Jornalistas de mão cheia…

Roberta: jovem talento (imagem: Facebook)

A crise do IPTU de São Luís teve uma iniciativa jornalística.

Começou ainda no início do ano, com matéria de Roberta Gomes para o portal “Imirante.com”.

Foi Roberta quem, lá pelos idos de janeiro, revelou que a Câmara, numa sessão quase sem divulgação, havia aprovado mudanças na Lei de Zoneamento – exatamente o que serviu de base para elevar o valor do IPTU.

Roberta Gomes é formada pela Universidade Federal do Maranhão. É uma das jovens revelações do jornalismo maranhense – inclusive já homenageada aqui neste blog.

Já trabalhou em “O Estado do Maranhão”, com densas reportagens sobre o cotidiano de São Luís e foi correspondente das principais agências de notícias do país.

Atualmente, Roberta Gomes é coordenadora do portal “Imirante.com”, que tem apresentado forte influência na cobertura diária dos fatos de São Luís – inclusive a crise do IPTU. 

Meses depois da notícia do imirante, foi a partir de matéria assinada pelo jornalista Wilson Lima, de “O Estado do Maranhão”, que a crise se desencadeou, com intensa repercussão na mídia e nos meios políticos.

Lima: Faro jornalístico (Imgem: Biné Morais)

Repórter de faro jornalístico acima da média, Lima descobriu as fraudes na elaboração do imposto, com trabalho de investigação no Ministério Público.

O resultado da história saiu ontem, com a decisão do Tribunal de Justiça, de suspender a cobrança do imposto, eivado de fraudes.

Com mais de cinco anos em “O Estado do Maranhão”, Wilson Lima é um dos melhores jornalistas maranhenses.

Formado pela Universidade Federal do Maranhão, tem percepção jornalística e faro para a notícia, características essenciais a um bom repórter.

Além do EMA, já atuou em “O Imparcial” e foi correspondente do “Estado de S. Paulo” e de “O Globo” .

Atualmente, é correspondente do “Portal IG”, uma dos mais acessados do país.

Torres: jornalista premiado (imagem: Douglas Jr.)

Neste mês de maio, outra matéria de “O Estado do Maranhão” resultou em intensa repercussão, com desdobramentos políticos.

Responsável: jornalista Diego Torres.

É dele a matéria que revelou a existência de uma Portaria na SMTT que impedia os agentes de trânsito a abordar qualquer veículo ligado à prefeitura, fosse qual fosse a circunstância.

Resultado de investigação jornalística, foi tão intensa a repercussão da matéria no EMA que levou à demissão do responsável pelo documento, no mesmo dia da publicação.

Graduado pela Faculdade São Luís, Diego Torres tem pouco mais de dois anos de carreira, mas já é premiado.

Foi ele o vencedor do “Prêmio Tim Lopes de Jornalismo Investigativo 2010”, na categoria jornal impresso. Ganhou com a matéria “Pramil, mesmo proibido é vendido em São Luís”.

Wilson Lima e Diego Torres são dois exemplos do que de melhor o Maranhão produz em termos de qualidade profissional no jornalismo.

Qualidade que “O Estado do Maranhão” sempre fez questão de ter em seus quadros…