1

Após este blog mostrar sua falta de base popular, Flávio Dino inventa, às pressas, encontro com movimentos sociais

Ex-governador acusou o golpe de ser mostrado como figura elitista e sem relação com as camadas mais populares; e sentiu ainda mais com a aliança do senador Roberto Rocha com nove partidos e quatro candidatos a governador

 

Reação de Flávio Dino ao post que mostrou a fragilidade de sua agenda popular; ele agora tenta ser dono do “time de Lula” no Maranhão

O ex-governador Flávio Dino (PSB) reagiu menos de oito horas depois de o blog Marco Aurélio D’Eça publicar o post “Fora do governo, Flávio Dino não consegue construir agenda popular”.

No final da tarde de ontem – e após sentir outro golpe, o da aliança do senador Roberto Rocha (PTB) com quatro candidatos a governador e nove partidos – Dino publicou em suas redes que irá reunir “o time de Lula”. E fez questão de afirmar que “movimentos sociais presentes”.

Dino ainda tem poder para inventar movimentos sociais em torno de si, é verdade; mas tem que inventar, por que segmentos como a  Fetaema, o Sindsep, o Sinpol, os SindEducação e diversos outros setores organizados da sociedade querem distância do ex-governador comunista.

A arrogância de Flávio Dino se mantém mesmo após a rejeição da classe política e dos setores sociais ao seu nome.

Ele se julga dono da campanha de Lula no Maranhão e atropela até mesmo seu candidato a governador, o poste Carlos Brandão (PSB), que deveria ser o articulador da campanha petista no estado, mas, sem relação alguma com Lula, prefere seguir a reboque do padrinho.

Mas o time de Lula não está com Flávio Dino.

Lulistas-raiz do PT, do PSOL, do PSB e do próprio PCdoB já se posicionaram ao lado do senador Weverton Rocha (PDT), que lidera as pesquisas de intenção de votos para o governo; também nos sindicatos, no campo e na cidade, é com Weverton que eles fazem agenda, não com Dino.

Weverton tem a preferência do próprio Lula, já manifestada publicamente pelo ex-presidente.

Mas a reação de Flávio Dino mostra que ele está acuado, perdido, apenas reativo diante dos fatos políticos que o emparedam.

E pelas próprias escolhas que fez, deve seguir assim até as eleições….

3

Weverton nos segmentos sociais e sindicatos…

Candidato a senador pelo PDT reúne o maior número de ativistas de todos o setores em sua campanha, sobretudo pela força social do seu partido na capital maranhense

 

Candidato das camadas populares, Weverton atinge todos os segmentos sociais

Sindicalistas de todos os setores, ativistas dos movimentos LGBT, Mulheres, Meio Ambiente, Animais, Estudantes e Idosos, conselhos das mais variadas atividades e lideranças comunitárias formam a principal base eleitoral do deputado federal Weverton Rocha (PDT), sobretudo em São Luís.

Militante político desde a época do movimento estudantil, o candidato pedetista é o único que transita com desenvoltura e liderança em todos esses segmentos da sociedade civil organizada.

Essa base social é fortalecida pela presença de trabalhadores e sindicalista, principal reduto de atuação do PDT; e se une à poderosa rede política construída desde antes do início da campanha eleitoral e que dá a penetração estadual de sua candidatura ao Senado.

– Sempre militei nos movimentos sociais, sempre atuei ao lado do trabalhador, sempre estive na linha de frente das lutas de todas as minorias e vulneráveis; Essa capilaridade política não é por acaso, mas fruto de anos e anos de militância – avalia o candidato.

As várias categorias de trabalhadores também fecham com o candidato pedetista

A forte presença eleitoral de Weverton em São Luís tem um objetivo: formar a base de votos que ele precisa somar ao bolo formado pelo apoio das lideranças políticas no interior.

Assim, o candidato do PDT vai construindo a base necessária para se tornar competitivo na acirrada disputa pelo Senado.

Base que ele pretende consolidar com a propaganda eleitoral, a partir desta sexta-feira, 31…