0

Pauta de centro-esquerda tende a aproximar agendas de Flávio Dino e Weverton Rocha

Com histórias vinculadas às lutas progressistas desde o início de suas carreiras políticas, governador e senador estão no mesmo campo ideológico e ambos estiveram na linha de frente das vitórias de Lula e Dilma, também no combate ao golpe contra a ex-presidente – e na defesa do “Lula Livre” – palanques que podem se repetir em 2022, contra Bolsonaro e contra o PSDB

 

Embora de gerações diferentes, Weverton Rocha e Flávio Dino sempre estiveram na mesma agenda de esquerda, contra PSDB, direita e Bolsonaro

Análise de conjuntura

Muita gente tem levantado bandeiras que especulam eventuais lados opostos para o governador Flávio Dino (PCdoB) e para o senador Weverton Rocha (PDT), sobretudo por causa da já antecipada eleição de 2022.

Mas a tendência é que a pauta nacional de centro-esquerda, defendida por ambos desde sempre, unifique suas agendas no processo eleitoral que se avizinha.

Tanto Dino quanto Rocha têm trajetórias na esquerda desde o movimento estudantil, quando ambos pregavam contra as forças liberais, neo-liberais e de direita, representadas desde sempre por PSDB, DEM e outras legendas hoje alinhadas ao projeto de Jair Bolsonaro.

O governador iniciou-se pelo PT, onde atuou no movimento universitário, como advogado de trabalhadores e como professor, até assumir carreira de juiz federal; ao voltar à política, filiou-se ao PCdoB, onde está hoje.

Weverton filiou-se ao PDT ainda garoto, no movimento secundarista, chegando à presidência regional; hoje é o primeiro senador eleito pelo partido no Maranhão, com a maior votação da história do estado. 

Lula, Dilma e a esquerda

Flávio Dino apoiou Lula em 2006, 2010 e votou em Dilma em 2014; seguiu lutando contra o golpe de 2016 e contra a prisão de Lula

A trajetória política do ex-presidente Lula na esquerda também liga historicamente Flávio Dino e Weverton Rocha.

Na campanha vitoriosa de Lula sobre o PSDB, em 2002 – quando Dino estava na Justiça Federal – Weverton, ainda menino, acompanhava Jackson Lago (PDT) e o petista, como membro do destacamento que montava os palanques no interior.

Em 2006, na releição de Lula, Dino reintegrou-se à luta política, como candidato a deputado federal, elegendo-se na aliança de esquerda que deu nova vitória a Lula contra o PSDB.

Em 2010, nem mesmo a aliança do PT com o MDB de Roseana Sarney – que levou Lula ao palanque sarneysista – afastou o comunista e o pedetista da agenda de esquerda, ajudando na vitória de Dilma Rousseff.

Ela foi reeleita em 2014 – impondo nova derrota ao PSDB e à direita – já sob impacto do golpe que iria se consolidar em 2016, com a cassação da ex-presidente, numa nova trama que envolveu o mesmo PSDB e os partidos de direita alinhados à mídia quatrocentona e ao baronato paulista.

Enquanto Flávio Dino movimentava-se na grande imprensa contra o golpe, Weverton, como líder pedetista na Câmara Federal, vociferava contra tucanos e os demais responsáveis pela cassação de Dilma.

Veio novo golpe, agora contra Lula, imposto pelo então juiz Sérgio Moro – incensado pelo mesmo PSDB que apeou Dilma e também por bolsonaristas, já sonhando com a presidência que iria cair no colo do capitão graças ao erro de tucanos, barões da avenida paulista e mídia quatrocentona. 

Lula foi condenado e preso – injustamente, como provado depois.

E onde estavam PSDB, Flávio Dino e Weverton Rocha?

Governador, o comunista gritou em todas as instâncias apontando a parcialidade de Sérgio Moro e a injustiça da condenação; Weverton, agora deputado federal, estava na porta da cela do petista, em Curitiba, vociferando contra sua prisão. 

PSDB, baronato paulista, grande imprensa e agora os bolsonaristas e radicais de direita festejavam o sangue de Lula, errando de novo, levando ao que seria o maior arroto da história à presidência do Brasil.

Eleições de 2018 e a votação histórica

Nas campanhas de esquerda desde menino, Weverton sempre esteve no mesmo campo de Lula, que quer o PT em seu palanque em 2022

Enquanto alguns aliados tentavam levar Dino a uma pauta de direita, Weverton mantinha-se posicionado à esquerda, tanto no primeiro quanto no segundo turno de 2018. 

Flávio Dino reelegeu-se em primeiro turno e Weverton chegou ao Senado com quase 2 milhões de votos, a maior votação já registrada na história do Maranhão.

De lá para cá, o PSDB chegou a flertar com Bolsonaro – aproveitando-se de sua popularidade, sobretudo em São Paulo, com João Dória – e não parou de agredir Lula e o PT.

Derrotados em segundo turno, Dino e Weverton mantiveram suas posições em defesa de Lula, até vê-lo libertado diante do ódio de Dória, do PSDB e dos bolsonaristas, que agora se assustam com a possibilidade de enfrentar o ex-presidente e as esquerdas nas urnas.

Em pré-campanha, Lula já esteve com Flávio Dino – que pode até ser seu vice – e com Weverton, a quem quer dar o apoio do PT no Maranhão.

Em 2022, o PSDB vai estar com a mesma agenda de 2018 – contra o PT – e agora arrependido de ter ajudado a levar Bolsonaro ao poder, o que não impede uma aproximação com o próprio Bolsonaro em um eventual segundo turno contra Lula.

Flávio Dino e Weverton Rocha mantêm a pauta de esquerda, o que, de uma forma ou de outra, unifica suas agendas no ano em que Lula faz seu retorno eleitoral. 

E o próprio Lula já disse que quer os dois em seu palanque no Maranhão.

Se contra Bolsonaro ou contra o PSDB só tempo irá dizer…

1

Lula quer PT com PDT, PCdoB, PSB e MDB no mesmo palanque no MA…

Movimentos do ex-presidente deixam claro que ele pretende em uma aliança de centro-esquerda, que pode reunir o governador Flávio Dino e a ex-governadora Roseana Sarney no palanque do senador Weverton Rocha; reação de lideranças petistas e emedebistas maranhenses – com pouca ou nenhuma influência nas instâncias nacionais – tem mais a ver com a tentativa de manter espaços no segundo e terceiro escalões de um eventual governo do vice tucano Carlos Brandão

 

Weverton Rocha participou de jantar exclusivo com o ex-presidente Lula e a bancada do PT, movimento que repercutiu diretamente no debate eleitoral de 2022 no Maranhão

A intensa repercussão da movimentação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na semana passada, reforçou a tese de uma aliança de centro-esquerda que reúna não apenas o PT, mas também o PDT, o PCdoB, o PSB e também o MDB nas eleições de 2022.

E esta aliança indica a possibilidade de um palanque no Maranhão que reúna o atual governador e pré-candidato a senador, Flávio Dino (PCdoB), e a ex-governadora Roseana Sarney (MDB), no palanque do senador Weverton Rocha (PDT) ao Governo do Estado.

Interlocutor frequente de Flávio Dino, Lula fez dois gestos na direção da aliança: 

1 – recebeu Weverton Rocha em um jantar com a bancada do PT no Senado e os dirigentes nacionais do partido; 

2 – Foi recebido pelo ex-presidente José Sarney (MDB).

Apesar de não comandar seus partidos, tanto Weverton quanto Sarney têm forte influência na direção nacional dessas legendas, o que pode garantir a aliança.

A reação de algumas lideranças locais do PT e do MDB – com pouca ou nenhuma influência influência nas instâncias nacionais de seus partidos – foi, num primeiro momento, a de minimizar a movimentação de Lula.

Os petistas maranhenses têm indicações no segundo e terceiro escalões do governo Flávio Dino; os emedebistas, a maioria da chamada velha guarda sarneysista, são mais vinculados às ideias do presidente Jair Bolsonaro.

Estas lideranças fazem gestos ao atual vice-governador Carlos Brandão (PSDB) – que deve assumir o comando do estado em abril de 2022 – tentando garantir posições no eventual governo tucano-bolsonarista.

A questão é que os movimentos de Lula rumo ao centro-esquerda visam, exatamente, neutralizar o PSDB como opção de poder a Jair Bolsonaro.

E mostram que o caminho natural do PT é com PDT, PCdoB, PSB e MDB…

4

Em vídeo, Weverton mostra preocupação com o trabalhador…

Senador defendeu os direitos da classe, mostrando seus posicionamentos no Senado em favor de políticas de proteção; e defendeu maiores ações do Poder Público durante a pandemia de coronavírus, acompanhado de depoimentos dos próprios trabalhadores

 

O senador Weverton Rocha (PDT) voltou a defender, em vídeo divulgado nas emissoras de TV, ações e políticas públicas de proteção e afirmação da classe trabalhadora.

O parlamentar destacou as homenagens pelo Dia do Trabalho e apresentou suas ações no senado em favor da clase.

– É preocupante o efeito da pandemia na renda dos trabalhadores brasileiros. O momento pede ações concretas para garantir que a população não passe necessidade. Os trabalhadores precisam de proteção. Muitos estão sem poder trabalhar e perderam seus empregos. Me solidarizo com cada uma dessas pessoas que fazem tudo que for possível para colocar um prato de comida na mesa. Juntos, vamos atravessar este momento difícil. O nosso dia a dia não vai ser igual ao que era antes, quando a gente retomar as atividades. Mas vamos superar todas as dificuldades. Contem comigo – afirmou Weverton Rocha.

Veja o vídeo acima…

0

Dino confirma critérios que balizarão escolha do candidato que irá sucede-lo

Flávio Dino deixou claro que conduzirá o processo de sua sucessão, usando os pré-requisitos já estabelecidos para a definição do nome, ouvindo dos dois pré-candidatos que não criarão empecilho algum para a definição de quem representará o seu grupo político

 

Brandão e Weverton garantiram a Flávio Dino que aceitarão a escolha do nome do seu sucessor dentro dos critérios já estabelecidos

Do blog de Gláucio Ericeira

O governador Flávio Dino (PCdoB) confirmou ao senador Weverton Rocha (PDT) e ao vice-governador Carlos Brandão (PSDB), ambos pré-candidatos ao Governo do Maranhão, que utilizará de critérios já estabelecidos pelo seu grupo político em pleitos recentes para definir o nome que irá sucede-lo, em 2022.

O comunista reuniu-se com Weverton e Brandão no início da noite de ontem no Palácio dos Leões.

O editor do Blog conversou com alguns aliados próximos dos dois pré-candidatos com objetivo de obter mais informações acerca do encontro, indo além das declarações públicas feitas pelos três em suas respectivas redes sociais.

A reunião reservada durou cerca de três horas.

Logo no início, Dino, além de ratificar veementemente que conduzirá o processo da sua sucessão, pregou o diálogo; destacou a importância e liderança de Weverton e Brandão dentro do seu grupo político; e, antes de continuar a conversa, perguntou a eles se, de suas partes, haveria algum tipo de empecilho político ou pessoal que prejudicasse o andamento do diálogo.

Os pré-candidatos disseram que não. (Continue lendo aqui…)

1

Weverton e comitiva visitam Balsas e parlamentar destina R$ 1 milhão para saúde

O senador Weverton e o presidente da Famem, Erlanio Xavier, acompanhados de lideranças estaduais, visitaram nesta quinta-feira (25), o município de Balsas, um dos mais afetados pela pandemia da Covid-19 e que necessita de auxílio urgente.

Para garantir o apoio necessário, o senador Weverton anunciou, durante a visita, a destinação de 1 milhão de reais de emendas parlamentares para a saúde do município.

Erlanio destacou que a prioridade é garantir o atendimento adequado a quem contrair a doença, além de intensificar a vacinação e as medidas preventivas.

“Agradeço a parceria e o empenho de todos na luta contra a pandemia”, disse o presidente da Famem, Erlanio Xavier.

Estiveram presentes o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), deputado estadual Glalbert Cutrim (PDT), o secretário de Desenvolvimento Social, Márcio Honaiser (PDT), além do prefeito do município, Dr. Erik, a prefeita de Feira Nova, Luiza Coutinho, a prefeita de Nova Colinas, Josa, o prefeito de Riachão, Ruggero, o prefeito de São Raimundo das Mangabeiras, Accioly Cardoso, e vereadores do município de Balsas.

1

“O povo é o maior opinador do processo”, diz Weverton sobre 2022

Senador diz que estará pronto para discutir a formação da chapa do grupo de Flávio Dino quando o governador achar conveniente tratar sobre isso; e diz que confia na serenidade do comunista para ouvir as lideranças, a maioria do grupo e, principalmente, o eleitor, com pesquisas quanti e qualitativa

 

Weverton Rocha falou sobre diversos assuntos, lembrou seu protagonismo no Senado contra a pandemia e falou de eleições

O senador Weverton Rocha (PDT) voltou a afirmar nesta quinta-feria, 18, ter plena confiança na serenidade do governador Flávio Dino (PCdoB) para a condução do processo de escolha do candidato do seu grupo a governador em 2022.

– Meu perfil sempre foi de agregador, de somar forças. Flávio é o líder do grupo. No momento que ele achar por bem, estaremos pronto para discutir o projeto de 22. Ele tem um time bom, E neste time eu sou um jogador e estarei pronto para assumir qualquer tarefa – afirmou o parlamentar, em entrevista à TV Mirante.

 Weverton acredita que Flávio Dino terá a serenidade, assim como fez desde 2012, de fazer todas as tratativas com todas as forças políticas. Mas entende que o principal opinador deste processo deve ser o povo, por meio de pesquisas quantitativas e qualitativas.

– Flávio sabe que a sua excelência o povo é o principal opinador do processo. Nós iremos saber o que a maioria da população e o que a maioria do seu grupo pensam; e daí definir o nosso candidato – declarou.

Afirmando não ser candidato de si mesmo, o senador do PDT deixou claro que continuará firme no grupo do comunista qualquer que seja a decisão sobre 2022.

– Se eu tiver a honra de governar o Maranhão, será através do grupo que eu faço parte – concluiu.

Acompanhe acima o vídeo da entrevista, em que o senador fala de vários outros assuntos

0

Nas ruas dia e noite, Weverton garante virada de Neto na reta final…

Senador mobilizou militância e aliados nas últimas semanas para garantir a ida do candidato do DEM ao segundo turno das eleições em São Luís; para o pedetista, o resultado será visto no domingo, com o democrata se aproximando fortemente do primeiro colocado

 

Weverton tem comandado pessoalmente todas as ações da campanha de Neto com um objetivo definido: levá-lo ao segundo turno em São Luís

O senador Weverton Rocha (PDT) cancelou nos últimos dias todos os compromissos de campanha no interior com um objetivo definido: consolidar a presença do candidato Neto Evangelista (PDT) no segundo turno das eleições em São Luís.

Neste período, ele praticamente se mudou apra a área Itaqui-Bacanga, onde comandou carreatas, caminhadas, reuniões e mobilizações de rua em todos os bairros.

No Coroadinho, ao lado de nato e Nato Jr., Weverton mostra entusiasmo com crescimento de Neto 

Também marcou presença em outros bairros do Centro de São Luís e espalhou os aliados pela zona rural e pela periferia. Objetivo claro: virar o jogo e diminuir drasticamente a diferença entre Neto e o primeiro colocado, Eduardo Braide (Podemos).

– Continuaremos mobilizados até domingo; e na apuração todos verão o resultado de nossa força, nossa coragem, nossa determinação, nosso trabalho e nossa relação com a cidade de São Luís; estaremos no segundo turno para vencermos a eleição – afirmou um convicto Weverton.

Na noite desta quinta-feira, 12, Weverton esteve no polo Coroadinho, acompanhado do vereador nato Júnior e do ex-vereador Nato; o vídeo da passeata mostra a força do volume de campanha de Neto.

0

Presidente da Famem e senador Weverton serão condecorados em Imperatriz

O presidente da federação dos Municípios do Estado do Maranhão, Erlanio Xavier, vai receber o título de cidadão imperatrizense na próxima terça-feira, 10, na Câmara Municipal de Imperatriz durante sessão solene.

Na mesma sessão o senador Weverton será agraciado com a Medalha Barão de Coroatá, maior e mais antiga comenda concedida pela casa a pessoas que tenham contribuindo para o aprimoramento das instituições municipais e valorização do Legislativo.

A proposição do título ao prefeito de Igarapé Grande, aprovada por unanimidade pelos membros do legislativo municipal da segunda maior cidade do Maranhão, e da medalha ao senador maranhense, é de autoria do vereador Alberto Sousa (PDT) 2º vice-presidente da Mesa Diretora da Câmara de Imperatriz.

0

CAS aprova projeto de Weverton sobre capacitação de Agentes de Saúde

Proposta altera a periodicidade dos cursos de capacitação dos profissionais que atuam nas comunidades do país

 

Promover a capacitação de Agentes Comunitários de Saúde e Combate às Endemias no máximo a cada 2 anos. Esta é a proposta do projeto (PL 2013/2019) apresentado pelo senador Weverton (PDT-MA) que foi aprovado na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado. O objetivo é permitir que a administração pública tenha flexibilidade para definir qual o período ideal para promover cursos de aperfeiçoamento e reciclagem para os profissionais da área. A lei atual determina que sejam feitos a cada 2 anos.

“É preciso que o poder público tenha liberdade para avaliar cada caso concreto e assim determinar quando deve ser feita a capacitação e oferecê-la aos profissionais. Isso vai permitir que os nossos agentes estejam sempre preparados para desenvolver suas atividades com autonomia e competência”, afirmou o parlamentar.

Para o senador, o projeto vai permitir que organizações públicas estabeleçam políticas de capacitação constantes para atualizar os profissionais.

“A capacitação e o desenvolvimento de pessoas são processos contínuos e que, por vezes, repetem-se como ciclos, sendo compostos de fases sequenciais e de reciclagem, que devem ser repetidas sempre que a administração pública perceber a necessidade de retomada ou reforço do aprendizado”, explicou.

O projeto seguiu para análise da Câmara dos Deputados.

0

Weverton quer atendimento permanente de médicos a quilombolas…

O senador Weverton Rocha (PDT) apresentou uma emenda para garantir que comunidades quilombolas tenham atendimento permanente do programa Médicos pelo Brasil, antigo Mais Médicos. A proposta é ampliar o grupo de populações que recebe atendimento médico pelo programa.

“O objetivo é incluir populações quilombolas que sofrem pela invisibilidade do Poder Público na sua atenção básica. São pessoas acostumados à desassistência e ao esquecimento. Isso não pode continuar assim”, afirmou o parlamentar.

De acordo com a Fundação Cultural Palmares, existem 3.271 comunidades quilombolas em todo o Brasil. De acordo com Weverton, são os moradores desses locais que serão beneficiados diretamente pela sua proposta.

“Essa parcela da sociedade é historicamente marcada pela resistência ao racismo pela luta constante para ter direito a sua terra. São trabalhadores que precisam ter acesso a um atendimento médico com qualidade”, ressaltou.

Para o senador, a emenda garante o atendimento na área de saúde em localidades completamente desassistidas e de difícil acesso.

“São pessoas que, muitas vezes, vivem em situação de extrema pobreza e não têm acesso aos serviços de saúde. Elas precisam e devem ter atendimento permanente do programa. No Maranhão, somente no município de Alcântara, mais de 150 comunidades quilombolas serão beneficiadas com a proposta”, destacou Weverton.