9

“Nota 10” nega rompimento com Roseana

Magno Bacelar reafirma aliança com Roseana

O ex-prefeito de Chapadinha e atual segundo suplente de deputado estadual, Magno Bacelar (PV), negou ao blog que esteja rompido com a governadora Roseana Sarney (PMDB).

– Nem quando fui prefeito e o José Reinaldo de tudo fez para me cooptar eu deixei a governadora. Porque faria isso logo agora, que ajudei a elegê-la? – questionou Bacelar.

O suplente atribuiu a história de rompimento aos seus adversários em Chapadinha.

– Eles tentam plantar isso desde a eleição, mas nunca rompi com Roseana – afirma.

A história do afastamento de “Nota 10” começou quando aliados seus, em Barra do Corda, decidiram apoiar outro candidato a governador. Bacelar confirma a informação, mas diz que isso só ocorreu porque o grupo era adversário do prefeito Nenzim (PV).

– Eles me apoiaram, mas faziam oposição a Nenzim. E já tinham ligações com o outro candidato. Mesmo assim, estive várias vezes em palanque com eles e pedi votos para Roseana – afirmou.

Magno Bacelar deve assumir vaga de deputado na Assembléia, caso se confirme a ida de Victor Medes (PV) para a Secretaria do meio Ambiente.

5

Vice-prefeito de Ribamar vai para o PMDB…

O vice-prefeito de Ribamar, Gil Cutrim

Às vésperas de assumir o comando do município, o vice-prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim, vai trocar o PSL pelo PMDB.

A data de filiação já está marcada: 21 de dezembro, próxima terça-feira.

Gil Cutrim será prefeito de Ribamar provalvemente a partir do dia 1º de janeiro, quando o atual titular do cargo, Luís Fernando Silva (DEM), renunciar para assumir a chefia da Casa Civil do governo Roseana Sarney (PMDB). 

É pelo PMDB que o futuro prefeito vai disputar a reeleição, em 2012.

5

Diretoria da Famem vai discutir veto de Lula ao projeto do Pré-sal

O gráfico mostra o nível do óleo do pré-sal

A direção da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), reúne-se com a imprensa, às 10 horas de hoje, para comentar o veto do presidente Lula ao projeto de partilha dos recursos do Pré-Sal.

A Famem foi uma das associações municipais do país que mais se mobilizaram pela aprovação do projeto no Congresso Nacional.

Além de comentar o veto presidencial, a entidade vai mostrar aos jornalistas as perdas do Maranhão com a não implementação da proposta.

Os prefeitos pretendem se mobilizar agora pela derrubada do veto no Congresso Nacional, o que garantiria a implantação do projeto, mesmo contra a vontade do governo.

Os recursos do pré-sal garantiriam ao Maranhão praticamente dobrar a receita oriunda do Fundo de Participação dos Municípios.

21

Governo Roseana: As pastas do Esporte, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia

O ainda deputado estadual Jura Filho (PMDB) tem 80% de chances que chegar ao comando da Secretaria de Esportes. Algumas questões meramente burocratas, qu devem ser resolvidas até o final do mês, ainda impedem a confirmação oficial do parlamentar na pasta.

Também está praticamente certo no novo governo – suas chances são de 7 em uma escala de 10 – o deputado estadual Victor Mendes (PV). Ele deve assumir a Secretaria de Meio Ambiente. Nem o fato de sua posse abrir vaga para o suplente Magno Bacear (PV), hoje rompido com Roseana, é empecilho para confirmação de Mendes.

Aqueles que já deram como nulas as chances de Joaquim Haickel (PMDB) emplacar a Secretaria de Ciência e Tecnologia podem dar com os burros n’água. O núcleo de decisão do futuro governo confirma “apenas sondagens” ao consultor polonês Michal Gartenkraut, mas admite haver dificuldades para tê-lo no posto.

Roseana deve anunciar os novos secretários até o final do mês…

16

João Castelo e um hospital de problemas…

Castelo precisa decidir entre o benefício e a imposição

Não se pode negar a determinada vontade do prefeito João Castelo (PSDB) de implantar um novo hospital de emergência em São Luís.

O problema é que, sem planejamento, nenhuma vontade prevalece. E por falta dele, até agora, o novo hospital só trouxe dores de cabeça para o tucano.

A mais nova surgiu com a decisão de construir o complexo hospitalar no Sítio Rangedor, às margens da Avenida Luís Eduardo Magalhães.

Nada mais despropositado, sob todos os aspcetos.

A construção de um hospital de emergência em área de trânsito caótico, como a do Calhau, é brincar com os riscos à vida dos pacientes – seja pela ameaça de acidentes, seja pela dificuldade de atendimento em situação graves.

Imagine alguém da zona rural ou da periferia de São Luís – foco maior da saúde pública municipal – ter que atravessar toda a cidade para receber atendimento? Imagine a dificuldade de transporte que terão estas pessoas?

Novo hospital de emergência; onde construí-lo?

Outro aspecto: além de não servir em sua função básica, de atender à população mais carente, o hospital da região do Rangedor terá o efeito colateral de desvalorizar a área do rangedor, inviabilizando os projetos imobiliários e de lazer previstos para a região.

Em outras palavras, o hospital que o prefeito mostra boa vontade de construir não atingirá os objetivos e ainda prejudicará o crescimento da cidade – prejudicando ricos e pobres ao mesmo tempo.

O vereador Chico Viana (PSDB), aliado de Castelo, já propôs uma área alternativa: a Avenida dos Africanos. Desde o bairro do Sacavém até próximo ao Bairro de Fátima há áreas disponíveis que garantiriam o básico em questões de atendimento de saúde: a facilidade de acesso.

E com um atrativo a  mais, segundo Viana: na área do Rangedor, os custos, só com terreno, não sairiam por menos de R$ 1 milhão. Às margens da Africanos, por outro lado, ficariam em, no máximo, R$ 400 mil.

Moradores de bairro como Cidade Operária, São Cristovão, Zona Rural, e toda a periferia da Zona Norte, desde o Anil até o Centro, passando pelo Itaqui-Bacanga e mesmo as áreas após a Ponte do São Francisco, teriam maior facilidade de acesso.

Cabe a Castelo escolher:

Quer resolver o problema e implantar um hospital de fácil acesso à população mais carente ou quer mostrar que tem força e construir um elefante branco na área nobre?

18

Eternamente em “Jogo duplo”, Chico Coelho começa a perder espaço em Balsas…

Coelho começa a sofrer as copnsequências do seu jogo duplo

Desmascarado durante a campanha eeitoral – ao mostrar que sempre fez jogo duplo na política maranhense – o prefeito de Balsas, Chico Coelho (atual PMDB, ex-PDT, ex-DEM, ex-PTB) – começa a sentir o resultado de suas artimanhas.

Desde o resultado da eleição de outubro ele não é recebkido pela governadora Roseana Sarney (PMDB) – ela perdeu a eleição em Balsas, coordenada pelo prefeit.

Também se afastou dos aliados no município, pruincipalmente do deputado Stênio Rezende (PMDB), que tem forte parcela de liderança na cidade.

Resultado: acaba de ser derrotado na eleição da Câmara Municipal, o que pode significar problemas políticos e administrativos.

Com sérias consequências nas eleições municipais de 2012, quando Coelho, isolado e renegado como traidor, não terá quadros para disputa.

20

Compromisso de Roseana Sarney é com o PT. E ela vai cumprir

O PT vestiu a camisa de Roseana; Roseana vestirá a camisa do PT...A governadora Roseana Sarney (PMDB) só tem um compromisso político em seu novo governo. E é com o Partido dos Trabalhadores, legenda que praticamente assegurou a eleição em primeiro turno, ao não dar o tempo de propaganda eleitoral aos adversários.

E o compromisso petista implica espaço no governo e em setores que denotem poder político e administrativo.

Mais importante: Roseana está absolutamente convicta de que cumprirá todos os acordos com o partido.

A Secretaria de Educação, por exemplo, só não será do PT se os petistas ligados ao vice-governador Washington Oliveira  não tiverem um nome com perfil adequado para o posto – daqui ou de fora, tanto faz.

O coletivo "Sempre PT" reúne instisfeitos com a eterna autofagia partidária

É por causa do acordo com o PT, também, que a governadora ainda não deifiniu se o líder do governo, Chico Gomes (DEM), vai mesmo para a Secretaria de Desenvolvimento Social – o posto é ocupado pelo petista Edmilson Santos, ligado ao grupo de Rodrigo Comerciário.

Foi oferecido a Rodrigo espaço na estrutura da Eletronorte, mas a conversa não avançou.

E tem mais petistas chegando ao governo. O coletivo “Sempre PT”  inaugurou o momento de alianças que podem resultar na ampliação de apoio ao governo Roseana. (leia aqui)

Do movimento fazem parte petistas como Raimundo Chocolate, que disputou as eleições de deputado federal, e César Soares, do PT de Pinheiro.

O governo Roseana será assim: com um perfil mais à esquerda.

Chancelada pela prsença do PT.

20

Secretariado será anunciado só no fim do ano

O anúncio oficial do secretariado pela governadora Roseana Sarney (PMDB) só será feito mesmo no fim do ano, quando todos forem assumir os cargos.

A demora não é jogo de cena da governadora, mas decorrente de um fato concreto: mais da metade das secretarias ainda estão indefinidas quanto a seus comandantes.

Roseana tem encontrado dificuldades para fechar a equipe, principalmente por pressões políticas.

São os casos, por exemplo, das secretarias de Cidades, de Desenvolvimento Social e de Ciência e Tecnologia.

Para a primeira, Roseana e o senador Mauro Fecury querem o suplente de deputado estadual Fábio Braga, mas a cota é do DEM, e o deputado federal Clóvis Fecury tenta emplacar Ricardo Guterres.

No Desenvolvimento Social, a governadora pretende nomear o deputado Chico Gomes, mas a pasta atuamente é do PT e o partido faz pressão para manter o posto.

A classe política faz de tudo para emplacar o deputado estadual Joaquim Haickel na Ciência e Tecnologia, mas o núcleo duro do novo governo pretende nomear alguém mais ligado ao meio acadêmico.

São decisões como essas que impedem que a governadora anuncie logo o seu secretariado. Ela deve resolver esses imbróglios – e muitos outros mais – antes de poder fechar questão sobre a sua nova equipe.

5

Reunião de Roseana com a imprensa não é para anunciar secretariado

Roseana: secretariado só depois

Ainda não é nesta terça-feira (14) que a governadora vai anunciar seu secretariado – como alguns apressadinhos se adiantaram em afirmar.

Na reunião de amanhã com a imprensa, Roseana vai apresentar apenas a nova cara do seu governo.

Em suma, dará detalhes do que já foi conversado com este e outros blogs e jornalistas recentemente, no próprio Palácio dos Leões – local para onde está marcado o novo encontro, a partir das 11h.

Além da composição das pastas, com possíveis desmembramentos e fusões, a governadora dará detalhes sobre a reativação das Gerências Regionais, uma das novidades do seu próximo governo.

Simples assim.

8

Joaquim Haickel: só reforma política impedirá Judiciário de legislar

Joaquim Haickel: reforma política

O deputado Joaquim Haickel (PMDB) entrou de vez no debate que surgiu essas semana sobre a vaga que será aberta na Câmara dos Deputados com a saída de Pedro Novais (PMDB) para o Turismo.

Em comentário no blog do Gilberto Léda – o primeiro a divulgar que a vaga será de Chiquinho Escórcio (PMDB) – ele diz que a reforma política é a solução para que o Judiciário pare de legislar.

Confira abaixo:

 – Mas há solução para quase tudo. Nesse caso basta que o congresso nacional, os deputados federais e senadores chamem pra si a responsabilidade de legislar, coisa que há muito foi entregue, por omissão e incompetência, ao judiciário e é isso que tanto o STF e o TSE tem feito, nem sempre de forma sábia.

A solução é muito simples, basta que se faça a reforma política e não se deixe ao bel prazer do judiciário as decisões políticas de nosso país. Basta alguém propor uma emenda constitucional, por exemplo, dizendo que os mandatos pertencem aos partidos, que são representados por seus candidatos e que em caso de saírem desses partidos, não levam para o novo o mandato. E mais, que as coligações, se quiserem que elas continuem existindo, fazem as vezes de um partido, tanto no direito de eleger quanto no de substituição dos eleitos.

Se existisse uma regra constitucional clara assim o que poderia dizer o STJ?