0

Na COP-25, em Madri, Edilázio defende combate a queimadas no Brasil

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD), relator da Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas do Congresso Nacional, participa da COP-25 em Madri, na Espanha, convenção realizada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Edilázio participou de rodas de debates e de plenárias com parlamentares do Brasil e de todo o mundo, com técnicos ambientalistas e com defensores do agronegócio, sobre a situação climática do planeta e relativas ao cumprimento da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima.

Em uma das conferências, da qual ele atuou como um dos interlocutores, o parlamentar maranhense defendeu o combate ao desmatamento no Brasil.

“Debatemos as medidas que estamos realizando no Brasil para combater o desmatamento, as queimadas e para punir os responsáveis pelo impactos ambientais em nosso país. O nosso próximo passo é apresentar o relatório na Comissão Mista de Mudanças Climáticas no Senado, e com isso dar uma resposta à sociedade”, disse.

O relatório sobre o qual Edilázio fez referência, será apresentado na próxima terça-feira (17), às 147h, em Brasília.  

0

Edilázio vai apresentar relatório sobre as discussões da Cúpula do Clima da ONU

EDILÁZIO JÚNIOR EM UM DOS PAINÉIS SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA ONU: relatório circunstanciado

O relator da Comissão Mista sobre Mudanças Climáticas do Congresso Nacional, deputado federal Edilázio Júnior (PSD) apresentará ao colegiado, relatório com uma espécie de balanço sobre os temas discutidos pela Cúpula do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), realizada em Nova York, nos Estados Unidos.
Edilázio participou dos três dias de evento, enviado pelo Congresso Nacional em missão internacional. 
– Participei da cúpula como ouvinte. Fui designado pelo presidente da comissão, senador Zequinha Marinho, e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Assim que retornar dessa missão oficial vou apresentar um relatório do que ouvimos, daquilo que discutimos e como aproveitar as propostas e experiências apresentadas pelos países e organismos diversos. Ou seja, tudo o que foi discutido nesse evento da ONU – pontuou.

O PARLAMENTAR MARANHENSE NA DELEGAÇÃO NO BRASIL na conferência do clima

O parlamentar participou de conferências, na condição de ouvinte, com o presidente da França, Emmanuel Macron – que recentemente se envolveu em polêmica com o presidente Jair Bolsonaro -, e com a primeira ministra da Alemanha, Angela Merkel, que também protagonizou embate com o presidente do Brasil sobre a situação da Amazônia.
O parlamentar retorna hoje ao Brasil.
20

Governo Roseana antenado com o Primeiro Mundo; Nova York também vê planejamento como antídoto para tragédias climáticas

Luís Fernando coordena reunião de comitê anti-tragédias

A criação do Comitê de Crise do Governo do Estado é uma das mais importantes ações de planejamento estratégico de um ente público neste início de ano. Pelo menos é o que mostrou, ontem, matéria do Jornal Hoje, da Rede Globo, sobre ações parecidas, da cidade de Nova Iork, nos Estados Unidos.

Veja aqui a matéria completa sobre o assunto.

Desde o título, a matéria mostra que o Maranhão tomou o caminho certo: “os repórteres da TV Globo em Nova York convesaram com um especialista em alterações bruscas do clima. Para evitar novas tragédias, a solução está em uma palavra: planejamento.”

Sob a coordenação do chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva, o comitê anti-ações climáticas do Maranhão deve ser instalado nesta sexta-feira, por decreto da governadora Roseana Sarney.

Sua missão é antever as ameaças climáticas e apresentar soluções para amenizar os efeitos e evitar catastrofes e mortes, exatamente como ensina especialista internacional.

De acordo com a matéria da Globo, Nova York tem uma Central de Controle, que monitora o clima e analisa a situação de aeroportos, ruas e estações de metrô.

A gente está aqui para agir e não para esperar a tragédia e só depois reagir – ensina um dos chefes de planejamento estratégico, Kelly Mckenny.

Exatamente como pensa Luís Fernando Silva: “com as ações conjuntas de várias pastas do governo, poderemos antever os riscos do período chuvoso e planejar ações para evitar as consequências”, diz ele.

No Brasil, o Maranhão foi o primeiro estado a pensar em uma comissão como esta. Assolado pelas chuvas deste ano, somente ontem o Rio de Janeiro anunciou a criação de um comitê de prevenção de tragédias.

O Maranhão, portanto, sob novo comando, segue novo rumo de ação…