0

Em nota, Assembleia informa “nova lesão” em Humberto Coutinho…

Coutinho vai enfrentar novo tratamento

Coutinho vai enfrentar novo tratamento

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho (PDT) constatou a existência de uma nova lesão em seu intestino grosso.

Ele encontra-se i9nternado no Sírio Libanês, em São Paulo, enquanto os médicos decidem se fazem o tratamento por intervenção cirurgia ou com quimioterapia.

Coutinho foi diagnosticado com câncer no intestino há cerca de dois anos. Foi operado e se recupera bem desde então, Tanto que disputou no9rmalmente as eleições de 2014 e se elegeu presidente da Assembleia em 2015.

De acordo com a Secom da Assembleia, após definição do tratamento, novas informações serão dadas.

Abaixo, a íntegra da nota:

NOTA PÚBLICA

O Presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado estadual Humberto Coutinho, submeteu-se a exames de rotina no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo (SP), nos quais foi constatada uma nova lesão no intestino grosso.

A junta médica que o atende, coordenada pelo médico Paulo Hoff, pediu novos  exames para decidir se adotará intervenção cirúrgica ou quimioterápica.

Humberto Coutinho encontra-se no hospital paulista acompanhado da sua esposa, Dra. Cleide Coutinho, dos filhos George e Geórgia e de familiares.

Assim que a junta médica decidir o procedimento adequado para o tratamento do deputado, serão dadas novas informações.

CARLOS ALBERTO FERREIRA

DIRETOR DE COMUNICAÇÃO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO MARANHÃO

1

O Rangedor ruge e o Leões miam…

Desacreditados e desiludidos com o governo após o primeiro ano – e muito bem tratados pelo presidente da Assembleia – parlamentares questionam a ação dos líderes dinistas e já pensam na formação de blocos independentes a partir de 2016

 

Os deputados com Humberto Coutinho: muitos deles já questionam o porquê dos atuais líderes

Os deputados com Humberto Coutinho: muitos deles já questionam o porquê dos atuais líderes

Dos mais antigos aos mais novos dos deputados todos têm reconhecido a gestão da presidência da Assembleia Legislativa. Reconhecimento à forma do tratar as pessoas, de forma indistinta, cumpridor de pactos e até por um simples aperto de mão.

Já o governo Flávio Dino (PCdoB), ainda que de forma velada, ao menos até agora, não tem sido visto assim pelos parlamentares.

Homem de compromisso, onde a palavra ainda vale muito, Humberto tem sustentando e até acalmado ânimos de muitos descontentes.

Se apropriando dessa liderança os Leões tem virado as costas aos parlamentares, e fazendo seus líderes de bobos da corte, que parecem aceitar as regras do jogo, se esquecendo do todo e vendo apenas os próprios umbigos.

Defender liderados ou perder as benesses de poder ser atendidos com as regalias dos “títulos” ?

Com o ano se esgotando e sem apelo, muitos começam a se desiludir com promessas que vão da mudança de comportamento de fazer gestão passando por algo nobre: compromisso com as emendas.

A emenda parlamentar, embora em Lei, parece mais favor do que cumprimento da obrigação legal. A protelação faz os deputados e prefeitos ficarem sem cumprir compromissos anunciados ao povo.

 Já no final do ano ainda se discute parcelas iniciais das emendas.

Secretários sem poder e atuando apenas como cumpridores de mandado do planejamento feito na cabeça de apenas um. Assim, o estado para; e o governo desacreditado pode ser levado na onda que Humberto Coutinho (PDT) plantou: de credibilidade e compromisso.

Em quem acreditar?

É diante deste quadro, e visando a sobrevivência, que muitos deputados já começam a se articular para  criar um bloco independente – não para contrapor o governo, mais para ter mais forças e criar novos líderes que possam ver o todo e não seus próprios umbigos.

O rangedor vai despertar e rugir…

1

A grandeza política de Humberto Coutinho…

Ao visitar João Abreu, no Corpo de Bombeiros, presidente da Assembleia, faz uma espécie de desagravo, enquadra a vertente autoritária do governo Flávio Dino e reafirma convicção na honorabilidade do empresário

 

Humberto Coutinho: em um gesto, mostrou-se maior que grupos e autoridades políticas

Humberto Coutinho: em um gesto, mostrou-se maior que grupos e autoridades políticas

Por qualquer aspecto que se veja, está claro que foi política a prisão do empresário João Guilherme Abreu pela polícia do governo Flávio Dino (PCdoB) – e revelou a face mais cruel e tirana do stablishment maranhense.

Mas o gesto do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho (PDT) – um dos principais aliados e fiadores do governador –  acabou por elevar à enésima potência essa percepção da opinião pública.

Ao visitar João Abreu, domingo, durante sua estada como prisioneiro no Corpo de Bombeiros, Coutinho  expressou, querendo ou não, três coisas:

1 – João Abreu mereceu a solidariedade de um dos chefes de poder estadual, o que, aos olhos políticos, significa a convicção – ainda que de um amigo fraterno – em sua honra;

2 – O presidente da Assembleia mostrou que é possível, sim, resistir à opressão imposta pelo governo comunista – que se impõe pelo medo – e agir de acordo com suas convicções e ideais;

3 – A prisão política de João Abreu acabou por ser um tiro no pé do governo comunista, causando reação de indignação, ainda que apenas nos bastidores, em pessoas ligadas ao próprio governo – expressada publkicamente na manifestação pessoal do presidente da Assembleia.

Há quem tente sublimar o contexto político da visita de Humberto Coutinho, mas está para além da história o simbolismo do seu gesto.

Hoje, Flávio Dino tem o poder no Maranhão, isso é fato.

Mas, mostra, a cada dia, que vem perdendo o carisma necessário ao exercício deste poder.

E quando o carisma se esvai, o que resta são os tiranos.

A história está aí para mostrar…

0

Humberto Coutinho deve deixar o PDT…

Presidente da Assembleia pretende disputar o Senado em 2018, e sabe que terá pouco espaço diante da liderança do deputado federal Weverton Rocha entre os pedetistas; ele estuda entrar no PSDB ou no PPS

 

Coutinho e Weverton: o PDT ficou pequeno para os dois

Coutinho e Weverton: o PDT ficou pequeno para os dois

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho, deve oficializar nos próximos dias a saída do PDT, partido em que está há mais de oito anos.

Pesa na decisão a disputa pelo Senado em 2018.

Coutinho pretende ser o principal candidato à Câmara Alta na chapa do governador Flávio Dino (PCdoB), mas sabe que o deputado federal Weverton Rocha – em franca ascensão política – também sonha com o mesmo posto.

Rocha e Coutinho, inclusive, conversaram sobre a disputa há algumas semanas, e a conversa também pesou na decisão de o deputado deixar a legenda.

O caminho mais provável do presidente da Assembleia é o PSDB, mas não se descarta, também, sua transferência para o PPS, hoje comandado pela deputada federal Eliziane Gama.

Embora seja um dos principais aliados do governador Flávio Dino, a presença de Coutinho no PPS seria uma garantia à própria Eliziane de que o partido ficará com ela em 2016, mesmo que a deputada se transfira para a Rede Sustentável.

As movimentações partidárias devem continuar intensas até a próxima sexta-feira, dia 2, quando termina o prazo de troca de partido para quem pretende disputar as eleições de 2016.