0

CECEN-Uema lança revista e selo em comemoração aos seus 25 anos…

Publicação conta com entrevistas e artigos de professores da Universidade Estadual do Maranhão

 

O Reitor da Universidade Estadual do Maranhão, professor Gustavo Pereira da Costa e a Diretora do Centro de Educação, Ciências Exatas e Naturais (CECEN), professora Ana Lúcia Duarte, convidam a sociedade e a imprensa maranhense, para solenidade de comemoração dos 25 anos do CECEN.

Com entrevistas e artigos de professores, a revista lança nova edição (número 4), debatendo o tema “Professor Formador de Profissões”.

A publicação é uma opção de dar ampla e irrestrita divulgação à sociedade em geral de projetos em execução do CECEN, da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), na formação de docentes para a educação básica de qualidade social.

Além disso, a revista busca ainda atender outra finalidade basilar da formação de professores, que é desnaturalizar o que já está naturalizado, de que formar professores pode ser aligeirada, em Instituição de pouca credibilidade e que não necessita de investimento em pesquisa.

“Nós, na UEMA/CECEN, temos desconstruído isso com a ampliação da infraestrutura para os cursos, aumento de bolsas de pesquisa e de extensão, atualização dos currículos, quadro docente de mestres e doutores, criação de mestrados em letras, história, geografia, matemática, recursos aquáticos e pesca, educação e educação inclusiva”, destacou a professora Ana Lúcia Cunha Duarte, diretora do CECEN.

“Por isso temos o prazer de lançar mais um número da nossa revista e o selo dos correios em comemoração dos 25 anos do CECEN”, completou.

SERVIÇO

O QUÊ? Lançamento da revista e selo em comemoração aos 25 anos do CECEN

QUANDO? 12 de dezembro de 2018 (quarta-feira)

HORÁRIO: Às 17 horas

LOCAL: Área de Vivência do CECEN, na UEMA.

0

Unidade da bancada para salvar a Ufma…

natalino-bancada-300x200

Natalino e representantes da bancada

Por Ribamar Correa

O Maranhão foi bombardeado segunda-feira por uma revelação dramática feita pelo reitor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), professor Natalino Salgado, causada pela crise que consome e ameaça a estabilidade do governo central: o complexo da instituição, que abriga 25 mil estudantes e quatro mil funcionários – incluindo professores – em oito campi, poderá paralisar suas atividades já em setembro por falta de recursos.

Nos cálculos apresentados pelo reitor, somados o que deixou de vir do orçamento do ano passado e o que foi suspenso do orçamento deste ano e mais a não liberação de emendas parlamentares negociadas em 2014, a UFMA enfrenta um déficit no valor monstruoso de R$ 109 milhões.

E juntando o déficit com a não liberação de recursos orçamentários ainda programados para o atual exercício, o quadro geral é desenhado como uma situação desesperadora, para dizer o mínimo.

Impotente diante da escassez de recursos e da insensibilidade dos novos controladores da chave do cofre da República, que ameaçam cortar até o cafezinho do Palácio do Planalto, o reitor Natalino Salgado foi buscar apoio na bancada federal.

Na segunda-feira, ele reuniu seis dos 18 deputados federais – Pedro Fernandes (PTB), Rubens Jr. (PCdoB), João Marcelo (PMDB), José Carlos (PT), Juscelino Filho (PRP), André Fufuca (PEN) – e um dos três senadores (Roberto Rocha (PSB)). Com um discurso seco e direto de gestor que tenta evitar um caos de elevado custo, Salgado expôs detalhadamente o drama financeiro que ameaça paralisar a UFMA e alinhavou algumas consequências se o déficit nas contas se consumar de vez.

Os congressistas ouviram, franziram o cenho com ar de preocupação e seguiram para Brasília com o compromisso de bradar na tribuna e de bater às portas do MEC e do Ministério do Planejamento para cobrar solução. Continue lendo aqui…

10

Natalino Salgado: “tonto” ou dissimulado???

Só há duas possibilidades de explicação para a postura do reitor da Universidade Federal do Maranhão, Natalino Salgado, diante das denúncias de fraude na instituição.

Ou Salgado é tão “tonto”,que não percebeu o jogo bruto de corrupção que impera nos bastidores da Ufma; ou, é tão dissimulado, que tentou vender a idéia de que as denúncias de fraude era uma novidade.

Alteração de notas, manipulação de boletins e histórico escolar é algo comum na Ufma há pelo menos duas décadas.

É inaceitável que o reitor da Ufma mostre, por meio de notas ou declarações de assessores, não ter conhecimento das denúncias de fraude ocorridas na instituição que comanda.

 

Natalino Salgado: respostas de menos, explicações demais

Poderia usar o argumento de que as coisas vinham ocorrendo em outras gestões, mas, agora, estavam sendo combatidas.

Optou, no entanto, pela indignação fabricada.

Primeiro, tentou fazer parecer que as denúncias eram novas, e que o denunciante as fazia por que ressentido com suposto afastamento da academia.

Depois, surgiram outras denúncias, e mais outra, e mais outra, e o reitor só teve que anunciar investigação.

Mas pouca coisa a Ufma mostrará com esta pseudo-investigação, que não passa de tentativa de ganhar tempo. Há menos que a Polícia Federal, responsável por casos deste tipo, decida entrar na história.

De uma forma ou de outra, Natalino Salgado sairá do episódio com a imagem de gestor arranhada.

Ou é tonto, ou dissimulado…