0

Shows e música de qualquer tipo ainda proibidos em bares e restaurantes

Novo decreto do Governo do Estado libera a abertura dos estabelecimentos – a partir desta segunda-feira – mas coma  restrição de apenas 50% da capacidade e sem nenhum tipo de som, nem mesmo mecânico

 

Os palcos continuarão vazios na noites de São Luís; bares e restaurantes reabrem, mas sem música de qualquer tipo

Cantores, crooner’s e DJ’s ainda terão que esperar um pouco mais para voltar a se apresentar na noite da Grande São Luís.

O decreto do Governo do Estado, que passa a valer a partir desta segunda-feira, 29, mantém proibidas as apresentações musicais de qualquer tipo – inclusive som mecânico – em bares e restaurantes.

Os estabelecimentos foram autorizados a reabrir, mas apenas com o limite de 50% da capacidade; e sem música.

O atual decreto vale até o dia 4 de abril, mas o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Lula, já alertou que o Maranhão ainda viverá “os piores dias” da pandemia de coronavírus.

Festas e shows, portanto, sem previsão de retorno…

2

Suspensão de shows e eventos depende de reunião com empresários

Inseguro quanto às medidas que precisa tomar para conter o avanço da CoVID-19, governador Flávio Dino já decidiu suspender festas, cultos, missas, shows, reuniões, resenhas, rolês, batucadas, pagodes, forró, samba, raves e afins; mas quer dividir a culpa com os próprios representantes do setor

 

Governador via reunir com a classe empresarial, mas nada fala sobre a classe artística, principal atingida com a suspensão dos eventos no estado

O governador Flávio Dino (PCdoB) decidiu suspender todo tipo de evento cultural, religioso, esportivo ou meramente festivo no Maranhão – mesmo aqueles com até 150 pessoas.

Mas só vai dizer a partir de quando vale sua decisão após reunião com a classe empresarial, nesta terça-feria, 2.

As medidas mais duras de combate à CoVID-19 são cobradas por cientistas e profissionais da área de Saúde – inclusive o titular da pasta no maranhão, Carlos Eduardo Lula – mas Dino parece querer dividir o desgaste da decisão.

Ontem, ele tentou convencer prefeitos e membros do Judiciário, mas todos foram contra o lockdown.

Principal atingida com a suspensão dos eventos, a classe artística parece esquecida pelo poder público na discussão do que fazer contra a pandemia

Agora, quer chamar a classe empresarial para negociar uma forma de suspender os eventos sem prejuízo da atividade comercial, sabe-se lá como ele pretende fazer isso.

Sem os eventos culturais, a classe artística também sofre, sem local para apresentação e sem condições de garantir a sobrevivência.

Mas parece que, para o governo, a classe artística é a que menos importa neste processo.

0

Com pressão da polícia e do MP, bares vivem clima de tensão…

Donos de estabelecimentos temem por prisão diante da inviabilidade de controle de aglomerações e podem fechar as portas temporariamente, acabando por inviabilizar também atividades artísticas, musicais e culturais

 

O cerco aos bares tem se intensificado em bares e restaurantes de São Luís por conta da coVID-19

O cerco que se fechou contra bares e restaurantes durante o fim de semana em São Luís pode levar a um fechamento em massa de portas de eventos.

A exigência do Ministério Público para que se evite aglomerações e a ameaça de prisão da polícia – como já ocorreu neste fim de semana – têm deixado os empresários em clima de constante pressão.

E a saída mais estudada é mesmo o fechamento das portas, com cortes de pessoal e suspensão de contratações artísticas, o que pode gerar uma reação em cadeia no setor que mais sofre com a pandemia de coronavírus.

Mesmo com o início da vacinação, os números da CoVID-19 aumentaram drasticamente no Maranhão, o que leva o Ministério Público à pressão por medidas mais restritivas.

O resultado é a ameaça constante para bares e restaurantes.

O que torna inviável a manutenção da atividade…

0

Petistas pressionam, mas compromisso de Flávio Dino é com Honorato

Grupos ligados ao conselheiro Washington Oliveira ainda tentam impor nomes ao governo na cota partidária, mas o ex-vereador ganha força na classe política como nome para a Secretaria de Cultura

 

Grupos que se engalfinham historicamente por espaços de poder no PT ainda tentam se consolidar com o governador Flávio Dino (PCdoB) para emplacar nomes na reforma do governo ora em curso.

O ex-vereador Honorato Fernandes (PT) chegou a ser especulado no início da semana como a opção para a Secretaria de Cultura, mas petistas – sobretudo os ligados ao conselheiro do Tribunal de Contas Washington Oliveira – tentam miná-lo.

Mas o compromisso do comunista com o ex-vereador Honorato Fernandes (PT) – e o apoio deste na calasse político-cultural – praticamente consolidam seu nome para a Secult.

Flávio Dino deve concluir a minireforma administrativa até o fim de janeiro…

 

 

0

Em novo formato, curso de cinema da Palco tem Tássia Dur à frente

Módulo que começa em 5 de fevereiro, será ministrado pela atriz, roteirista e diretora maranhense com  trabalhos premiados no Brasil e em outros países

 

O curso de cinema de Palco Centro de Arte, que já revelou diversos artistas e apresentou produções premiadas no Maranhão e no Brasil, inicia suas aulas no dia 5 de fevereiro, agora em novo formato, dividido em módulos.

E terá à frente deste primeiro módulo a atriz, roteirista e diretora maranhense Tássia Dur.

Premiada no Brasil e no exterior, Tássia Dur foi laureada como Melhor Diretora pelo South Film and Arts Academy no Chile em 2020. Também ganhou o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cinema Maranhão na Tela, 2019.

Atuou na série “Feras” no MTV, em 2019, no longa-metragem “De repente Drag” e “Anna”, com direção de Heitor Dhália.

Foi atriz das séries “Rio Topless ” e “O Dia Em Que Nos Tornamos Terroristas.” E participou de diversos Curtas-Metragens e vídeo-clipes como Atriz, Diretora e Roteirista.

O curso da Palco será encerrado com uma produção dos próprios alunos, professores e diretores da casa.

Matrículas abertas pelo contato (98) 99144 – 8541…

1

O cancelamento do carnaval do Maranhão

A Secretaria de Estado da Cultura (Secma) do governo Flávio Dino (PCdoB) confirmou hoje (22), por meio de nota, o cancelamento do Carnaval do Maranhão, nos moldes como vinha sendo realizado nos últimos anos – com circuitos no Centro Histórico de São Luís e cidades do interior.

Segundo o comunicado, a decisão foi tomada em virtude do fato de que, até agora, não há vacinação em massa no país.

Apesar disso, a Secma não trata na nota da proibição de pequenas festas privadas – mas com a ressalva de que estas sejam feitas com até 150 pessoas, como determina decreto estadual.

Veja a nota.

“A Secretaria de Estado da Cultura (Secma) informa que, em razão da falta de vacinação em massa contra a Covid-19, o Governo do Maranhão decidiu não realizar qualquer evento que gere grandes aglomerações, a exemplo do carnaval. Eventos desse porte só serão retomados pela gestão estadual quando houver segurança sanitária e liberação das autoridades de saúde competentes.

Também não há previsão de nova data para celebração do carnaval 2021. A definição de um novo calendário da festividade no Maranhão dependerá da liberação das autoridades em saúde pública.

A Secma esclarece ainda que continuará realizando ações em apoio aos profissionais da arte, assim como foi feito em 2020, quando foram lançados editais públicos com recursos estaduais e por meio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc (Lei Federal n° 14.017/20), que beneficiou mais de 3.000 fazedores de cultura de todo o Maranhão.

A fiscalização de festas privadas de pré-carnaval que eventualmente descumpram o decreto estadual n° 36.203, de 30 de setembro de 2020 – norma que autoriza apenas eventos com no máximo 150 pessoas – cabe às prefeituras, à Superintendência de Vigilância Sanitária (Suvisa) e à Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).”

2

Honorato deve assumir a Cultura no governo Flávio Dino…

Ex-vereador foi candidato a vice-prefeito na chapa de Rubens Júnior e agora deve substituir Anderson Lindoso num dos setores de maior destaque do governo comunista – e em meio ao debate sobre o cancelamento do carnaval 2021

 

Honorato é o nome cotado pra a Cultura de Flávio Dino: desafio em véspera de carnaval

O ex-vereador Honorato Fernandes (PT) deve ser o novo secretário de Cultura do estado.

Ex-candidato a vice-prefeito na chapa do deputado federal Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Fernandes deve comandar um dos setores mais importantes do governo Flávio Dino (PCdoB), mas chega em um dos momentos mais delicados da pasta.

Às vésperas do carnaval, em meio à vacinação contra a CoVID-19, e diante da pressão do Ministério Público pelo cancelamento do carnaval 2021, o petista chega com a pasta em crise.

Desde o início do mandato de Flávio Dino, a Cultura sempre foi um dos setores de maior destaque – primeiro com Felipe Camarão, depois com Diego Galdino e agora com Anderson Lindoso.

Honorato Fernandes tem a missão de manter o mesmo nível…

2

Marquinhos Duailibe vai comandar a Cultura na gestão Braide

Um dos mais talentosos artistas de sua geração vai atuar diretamente em uma das áreas que o próprio prefeito já disse que quer valorizar em sua gestão

 

O jornalista, publicitário, cantor, ator, compositor e escritor Marquinhos Duailibe vai ser o secretário municipal de Cultura na gestão do prefeito Eduardo Braide (podemos).

O anúncio foi feito na manhã desta quinta-feira, 31.

Duailibe é um dos mais talentosos artistas de sua geração e teve forte atuação na campanha do próprio Braide.

O prefeito já deixou claro que pretende valorizar mais a cultura em seu mandato.

A posse de Braide acontece nesta sexta-feira, 1•. 

0

Octávio Soeiro e as ações pela cultura…

Pré-candidato a vereador reuniu setores do segmento na Madre Deus para dialogar com o candidato a prefeito Eduardo Braide ações para fomento e valorização da arte ludovicense

 

O pré-candidato a vereador de São Luís, Octávio Soeiro (PODEMOS), promoveu no último sábado (19), no bairro da Madre Deus, o maior evento cultural desse segmento.

“Desde criança aprendi a valorizar esse setor com os meus pais. Agradeço a presença do meu pré-candidato a prefeito, Eduardo Braide e da minha vice, Esmênia. Cultura se faz com o coração”, disse Soeiro.

Durante o ato, estiveram presentes o pré-candidato a prefeito da capital, Eduardo Braide e a vice Esmênia.

“O Octávio sempre teve esse olhar especial pela cultura de São Luís. Não é de hoje que ele vem contribuindo de forma ativa para este segmento. E é por isso que eu preciso muito dele no Legislativo Municipal. Eu quero o Octávio na Câmara de São Luís”, declarou Braide.

O evento contou com a presença de representantes de grupo de Bumba meu boi, Dança Portuguesa, Cacuriá, Quadrinha, Blocos Tradicionais, Tambor de Criola, Dança do Boiadeiro e Escola de Samba.

1

Réquiem a um pulha…

Por Pergentino Holanda

Raríssimas vezes, em cinquenta anos de jornalismo, abri espaço em minha Coluna para reafirmar aquilo que, em momento anterior, eu já havia noticiado. E o leitor cativo desta página sabe que o que aqui divulgo jamais é posto em xeque, portanto não carece de reafirmação, porque o que alimenta uma caminhada tão longa, de credibilidade inabalável, é a matéria-prima da verdade.

Lido diariamente com fatos, com informações certeiras, e não com sofismas. Não tenho tempo – nem a idade me permite isso – para compartilhar inverdades com o ilustríssimo leitor, muito menos para macular reputações alheias em redes sociais, como alguns, desocupados há mais de duas décadas, dão-se ao trabalho de fazer.

Escrevo porque fiz do jornalismo o meu sacerdócio e dele não me divorcio enquanto saúde e entusiasmo para viver eu tiver. Tive oportunidades de me aposentar aos 45, aos 50, aos 55, aos 60, aos 65 anos. Mas optei por continuar trabalhando como um cidadão digno. Fiz a opção por manter a mente ocupada, por servir aos meus leitores, por ser útil à sociedade. Jamais tive vocação para ser um pulha encostado, para ser um incapaz.

Meu convívio com a Academia Maranhense de Letras já dura mais de quatro décadas. Tenho com essa instituição e seus membros uma relação de respeito mútuo, pautada também pela reciprocidade afetiva. Sem qualquer modéstia, conheço a AML e suas entranhas protocolares – incluem-se aí os processos eleitorais – bem mais que alguns aventureiros de plantão, de “biografia fake forjada em artigos enfadonhos”, como dizia meu saudoso amigo Jomar Moraes.

Pela minha histórica proximidade com a Academia Maranhense de Letras, por diversas vezes fui assediado a concorrer a uma vaga naquela respeitada instituição. Nunca aceitei. Optei por manter o distanciamento necessário para me portar como o repórter ético que, na maioria das vezes, obtém a informação privilegiada, ajuda a costurar acordos, apoia os projetos e, como nenhum outro jornalista, abre espaços para divulgação das solenidades da Casa de Antônio Lobo.

À exceção do pulha juramentado, escolha aleatoriamente um acadêmico, meu caro leitor, e pergunte a ele se o que aqui escrevi, na semana passada, sobre o forte movimento que se constrói para a sucessão de Sálvio Dino, tem ou não fundamento. Pergunte ao decano. Ouça os mais antigos e os mais novos na AML. Indague o ex-presidente da Casa.

Por diversas vezes a AML convidou, sim, pessoas ilustres do meio intelectual para entrarem no seu quadro de membros. Poderia enumerar aqui vários exemplos, todos eles consumados por eleição consensual. É demasiado leviano negar – ou desconhecer, por ignorância – a história da instituição.

Por raríssimas vezes precisei ser tão enfático numa única nota. Mas meu único compromisso é com a informação. E que fique bem claro: não faço concessão ao blefe.

EM TEMPO: fiz questão de ignorar o nome de Lino Moreira para não dar a ele a importância que ele pensa que tem, quando na verdade não passa de um pulha, puxa-saco dos poderosos e “intelectual fake”.