1

Enem/Sisu: Gastão Vieira defende auditoria da Polícia Federal

Nesta segunda-feira (27), o deputado federal Gastão Vieira, em entrevista na Rádio Mirante AM e nas redes sociais, defendeu uma auditoria da Polícia Federal após os problemas constatados no Enem (Exame Nacional de Ensino Médio), com a falha na correção de cerca de 30 mil provas e o adiamento na divulgação do resultado do Sisu (Sistema de Seleção Unificada).

“Vão ter que rever tudo, porque ninguém tem mais qualquer confiança no que o Ministério da Educação está fazendo. Acho que temos que colocar a Polícia Federal na investigação sobre o Enem e o Sisu. Eu defendo que somente uma auditoria da Polícia Federal possa esclarecer o que aconteceu no Enem e no Sisu”, disse em entrevista ao Ponto Final, na Rádio Mirante AM.

Nas redes sociais, Gastão voltou a afirmar que o Ministério Público Federal deveria acionar a Polícia Federal. O parlamentar lembrou ainda que o Enem mexe com o sonho de muitas famílias.

A presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), desembargadora Therezinha Cazerta, rejeitou na noite de domingo (26) pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) para derrubar a decisão que suspende a divulgação do resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) assim que as inscrições forem encerradas – às 23h59 deste domingo.
Com a decisão do TRF-3, segue em vigor a liminar (decisão provisória) concedida pela Justiça Federal de São Paulo – que impede que os resultados sejam divulgados na terça-feira (28), data estimada pelo governo. A AGU anunciou que recorrer ao Superior Tribunal de Justiça.

2

Homem esconde marca da Ambev em ambulâncias doadas ao governo…

Cidadão flagrado em vídeo na Praça Pedro II aparece escondendo a logo da cervejaria, que distribuiu as ambulâncias como compensação à redução de impostos dados à cerveja Magnífica, supostamente fabricada no Maranhão

 

Um homem usando camiseta azul clara foi flagrado por um transeunte, nesta terça-feira, 1º, escondendo com adesivos a marca da Cervejaria Ambev em ambulâncias que seriam entregues pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

As ambulâncias foram distribuídas pela empresa como uma contrapartida à redução de impostos oferecida pelo governo maranhense à cerveja Magnífica. (Entenda aqui)

O homem que grava a cena, na Praça Pedro II, diz que o homem já havia coberto de várias outras ambulâncias. No total, seriam distribuídas 10.

– Olha aí, ó, o melhor governador do Maranhão, ó: recebeu umas ambulâncias doadas pela Ambev e o funcionário do governo está cobrindo a marca da Ambev – diz o responsável pela filmagem.

Apesar de o locutor falar em “funcionário do estado”, não há informação se o homem trabalha ou ão para o Palácio dos Leões.

As ambulâncias seriam entregues nesta terça-feira, em solenidade presidida por Flávio Dino…

2

Zemar pode ter sido vítima de armação no caso de suposto estupro de bebê…

Perícia constatou que ex-prefeito de Santa Luzia não abusou de criança, o que resulta em reviravolta no caso, que agora pode se voltar contra os acusadores

 

ZEMAR CHEGOU A SER PRESO SOB FALSA ACUSAÇÃO DE ESTUPRO, que foi descartado pelo laudo da polícia

O ex-prefeito de Santa Luzia, Zemar Dutra, pode ter sido vítima de uma armação que ainda será apurada pela polícia. Zemar foi preso no dia 15, sob acusação de estupro de uma menor de 3 anos.

Mas o laudo pericial mostrou que a acusação não era verdadeira.

Duas mulheres parentes e mais a mãe da criança acusaram o ex-prefeito, informando para a polícia que a menor estava sentindo dores nas partes íntimas, o que resultou na prisão do ex-prefeito.

Perícia feita pelo médico legista George Castro Figueira de Mello, constatou que  a vermelhidão na parte íntima da criança “representa uma vasodilatação ativa, com aumento de fluxo sanguíneo na região, comumente encontrada no contexto de uma resposta inflamatória local. Tal reação pode ter uma ampla diversidade de possíveis etiologias. Processos alérgicos, infecciosos, irritativos (por exemplo, provocados por roupas, urina, produtos de higiene, prurido), ou mesmo traumatismos poderiam explicar este achado.”

O laudo descarta conjunção carnal  “pois trata-se de criança com integridade himenal preservada, com óstio himenal pequeno, o que impossibilita a existência de conjunção carnal sem vestígios robustos […] Desta forma, não há elementos que permitam afirmar ou negar a ocorrência da violência sexual em apuração.”

Provavelmente a defesa do ex-prefeito entrará com outro pedido soltura do seu cliente argumentando o laudo que atesta a inocência de Zemar.

Abaixo, o laudo pericial da polícia:

 

 

1

Após revelação do blog, WTorre reafirma posse de área no Cajueiro

Blog Marco Aurélio D’Eça repercutiu postagem com contestações à regularidade do terreno em que a empresa quer construir o Porto São Luís e de onde expulsou dezenas de famílias;  a nota paga na TV acabou revelando que a perícia nos documentos não foi feita por impossibilidade da Justiça

PARA COMPROVAR A POSSE DESTE TERRENO, WTORRE APRESENTOU DOCUMENTOS que a própria Justiça disse ser impossível de periciar

Uma nota pública da empresa WTorre, assinada em nome do Porto São Luís – que está sendo divulgada desde esta sexta-feira, 16, nas emissoras de rádio e TV – é uma espécie de resposta ao blog Marco Aurélio D’Eça.

Também ontem, este blog repercutiu dois posts do colega Felipe Mota, que contesta a legalidade da venda do terreno do Cajueiro e aponta que a venda da área à WTorre pode ter sido ilegal. (Releia aqui)

À noite, a WTorre divulgou a nota pública em horário nobre.

A empresa reafirma a legalidade da compra da área, diz que sempre dialogou com os moradores do Cajueiro e contesta a legalidade de escrituras apresentadas por eles.

Mas a nota revela, pelo menos, mais um ponto obscuro.

Segundo o documento divulgado na TV, a WTorre revela nunca ter-se negado a ceder seus documentos para perícia, mas revelou que isso nunca foi feito por que a Justiça considerou impossível.

Traduzindo a nota da própria WTorre confessa que não dá pra saber se seus documentos são verdadeiros ou falsos.

Com a palavra o Ministério Público…

6

Ibope se enrola todo pra explicar pesquisa com 8 pontos de margem de erro…

Instituto foi cobrado indiretamente pela coligação “O Maranhão quer Mais” – sobretudo pelos números de São Luís -, reconheceu que o debate da TV Mirante pode não ter sido alcançado no levantamento e chegou a usar como parâmetro para reforçar seus dados pesquisas montadas pelo próprio Palácio dos Leões e já denunciadas por suspeita de fraude

 

Cobrado enfaticamente pela coligação “O Maranhão quer Mais”, pela pesquisa que divulgou na quinta-feira, 4, o instituto Ibope de pesquisas se enrolou mais ainda nas explicações.

Em primeiro lugar, chegou a admitir uma curiosa e estratosférica “margem de erro de 8 pontos percentuais” na amostragem de São Luís, feita com apenas 168 pessoas.

– Em São Luís temos apenas 168 entrevistas, o que não é suficiente para estimar as intenções de votos na capital, uma vez que a margem de erro amostral é de 8 pontos percentuais para mais ou para menos. O cruzamento foi fornecido apenas como um indicativo – tenta explicar o instituto, na troca de correspondência com a TV Mirante.

TODO ENROLADO. Mensagem em que o Ibope justifica o estratosférico resultado de São Luís

Assinado pela analista de atendimento e planejamento Camila Camargo Passarelli, o documento do Ibope admitiu também que uma parte do levantamento foi  feito antes do debate da TV Mirante, na última terça-feira, 2.

– Ou seja, a pesquisa pode não ter pego um possível efeito do debate na capital – admitiu.

SOB SUSPEITAS. Para dar aval aos seus número, Ibope utiliza-se de pesquisas tão suspeitas quanto a dela

Curiosamente, a analista usou dados das pesquisas encomendadas pelo próprio Palácio dos Leões – Exata e Econométrica – para justificar seus números, mesmo diante de todas as suspeitas já oficializadas contra os dois institutos.

O estrago da pesquisa sem critério do Ibope pode interferir diretamente no resultado das eleições.

Um crime eleitoral, portanto…

0

A farsa da pesquisa Econométrica…

Além da assinatura técnica de uma pessoa que já faleceu, levantamento do instituto cai em total descrédito ao se descobrir que um de seus sócios é funcionário do governo e o endereço informado é diferente do endereço comercial

 

Agentes e aliados do governo em frente da Econométrica, em 2014; hoje, a empresa faz para eles o que eles queriam proibir há quatro anos

Editorial

A descoberta de que a responsável técnica pela pesquisa da Econométrica – que aponta Flávio Dino nas alturas – havia falecido pelo menos 15 dias antes de o levantamento começar a ser feito, é apenas o mais grave dos problemas apresentados pelo instituto.

Descobriu-se antes mesmo de o instituto divulgar seu levantamento que um de seus donos era funcionário do próprio governo Flávio Dino há pelo menos quatro anos. (Saiba mais aqui) 

Além disso, o endereço informado nos formulários entregues à Justiça Eleitoral – uma casa simples no Maiobão – é diferente do endereço comercial da empresa, no São Francisco.

Ato de nomeação de Sérgio Zibicueta, sócio da Econométrica, no governo Flávio Dino, em 2015

Mas a imprensa fez e faz o seu trabalho, denunciando coisas como estas.

E a pesquisa seria fatalmente proibida se a Justiça Eleitoral não apenas fingisse que regulamenta as eleições.

Os tribunais eleitorais e seus agentes acabam fomentando a corrupção eleitoral ao deixar a fiscalização nas mãos apenas dos candidatos e adversários.

E também têm culpa no cartório pelas aberrações que surgem no processo eleitoral.

Mas esta é uma outra história…

2

A farsa do concurso da PMMA…

A cada vez que se mexe no assunto surgem mais evidências de que as provas organizadas pelo governo Flávio Dino não passaram de armação para enganar maranhenses

 

O concurso da Polícia Militar do Maranhão, organizado pelo governo Flávio Dino (PCdoB) tem todos os elementos de uma ópera bufa.

O certame foi marcado por irregularidades; e a cada dia surgem novas evidências de que uma possível fraude é apenas um dos inúmeros problemas.

O concurso não tem a menor garantia de que foi feito dentro dos parâmetros de legalidade e honestidade.

É fundamental que o Ministério Público investigue a fundo as provas, as correções, o gabarito e o resultado.

Antes que seja tarde de mais, e a polícia maranhense ganhe gente que não deveria estar em suas fileiras.

0

Fraudes e sinais de fraudes no concurso da PMMA…

Sob o olhar complacente do Ministério Público e da Justiça, governo comunista de Flávio Dino faz vista grossa às denúncias apresentadas pelo deputado Wellington do Curso desde a época da divulgação do edital

 

Wellington tem apontado as irregularidades do concurso da PMMA

Editorial

Há uma cada vez mais acentuada suspeita pairando sobre o concurso da Polícia Militar do Maranhão no governo Flávio Dino (PCdoB).

Desde o início do certamente, ainda com a divulgação do Edital, o deputado Wellington do Curso (PP) vem apresentando documentos que apontam para a possibilidade de manipulação, favorecimento e fraude na realização das provas.

Os comunistas dão de ombros e empurram o concurso à frente, diante do silêncio leniente do Ministério Público, dos órgão de controle e da Justiça.

No concurso de Dino já houve inclusão de local de prova sem previsão no Edital, suspeita de divulgação antecipada de gabaritos e a aprovação de um candidato já preso por fraude em concursos no Piauí.

Candidatos podem ter sido enganados pelo governo comunista

Wellington mostra, agora, outra grave irregularidade: o governo Flávio Dino divulgou o resultado do concurso sem sequer divulgar o gabarito das provas, garantia de que os candidatos alcançaram a nota.

As irregularidades caminham para fazer de mais esta promessa de Dino uma patacoada igual às outras várias de sua campanha em 2014.

Os sinais de fraude neste que é o primeiro concurso do governo comunista se avolumam.

Diante do silêncio de quem deveria tomar providências…

0

Hildo Rocha denuncia fraude em eleição do Cofen…

Parlamentar usou até a tribuna da Câmara Federal para acusar o presidente eleito, Manoel Neri, de “emprenhar” urnas para vencer a disputa

 

Em pronunciamento na tribuna da Câmara Federal, o deputado federal Hildo Rocha, disse que as eleições do Conselho Federal de Enfermagem foram contaminadas por irregularidades.

“Antigamente, os fraudadores emprenhavam urnas. Mas, quem pensa que isso é coisa do passado está equivocado. Na eleição do Cofen a vitória do presidente Manoel Neri foi alcançada por meio desse artifício, as urnas foram emprenhadas digitalmente”, denunciou o parlamentar.

De acordo com Hildo Rocha a fraude não se limitou apenas às eleições do Conselho Federal.

“Tenho em meu poder provas de irregularidades praticadas nas disputas dos conselhos regionais. Por meio de eleições fraudulentas nos Estados, o Sr. Manoel Neri conseguiu eleger somente candidatos que tinham o compromisso de perpetuá-lo no comando do Cofen”, afirmou o deputado.

Dinâmica da fraude

De acordo com Hildo Rocha, houve manipulação das urnas.

“Há registros de inúmeros votos gerados no mesmo IP. Quando os profissionais iam votar recebiam mensagem informando que estes já haviam votado. Isso jamais poderia acontecer. É a prova maior de que houve fraudes”, argumentou o deputado.

Rocha disse que a fraude possibilitou a eleição de chapas completamente descompromissadas com as causas da categoria.

“O objetivo era apenas garantir que os conselhos estaduais elegessem somente pessoas alinhadas com a diretoria do Conselho Federal. Isso gerou descontentamento e motivou os profissionais a denunciarem as irregularidades praticadas pelo presidente do Cofen”, frisou.

Escândalos

Rocha enfatizou que o presidente do Cofen é contumaz na prática de irregularidades.

O parlamentar lembrou que o Cofen foi alvo de auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) que confirmou irregularidades na gestão do Sr. Manoel Neri. A investigação constatou irregularidades em diversos Conselhos estaduais, entre os quais o do Maranhão.

“Como se não bastasse esse escândalo, agora o Sr. Manoel Neri volta a protagonizar outro vexame nacional”, lamentou o deputado.

1

Seap na berlinda…

Além da prisão de um ex-adjunto envolvido em esquemas de corrupção, pasta está sendo denunciada à Justiça por irregularidades em um concurso para agente penitenciário

 

Processo para escolha de agentes está sob suspeita

Não bastasse a denúncia contra o ex-secretário adjunto de Inovação da Secretaria de Administração Penitenciária, Danilo dos Santos Silva- e sua prisão pela Polícia Federal na última terça-feira, 21 – esta pasta do governo Flávio Dino encontra-se na berlinda por motivo tão complicado quanto: a denúncia de fraude em um seletivo para agente penitenciário que já chegou às barras da Justiça.

Mais de 100 agentes questionaram o concurso, que quis reprová-los por causa de uma redação sem tema, o que não estava previsto no edital. Alguns ganharam o direito individual de fazer a etapa física. O governo comunista, no entanto, tem-se recusado a cumprir determinação judicial que manda reenquadrar a maioria dos reprovados nas etapas seguintes do certame, mesmo diante de multa diária de R$ 1,5 mil.

O concurso foi realizado em dezembro.

Dos inscritos, mais de 100 foram reprovados por causa da tal redação. Ao ser denunciada, a empresa responsável pelo concurso informou que já havia recorrigido as provas, induzindo a Justiça a erro. Ocorre que os candidatos apresentaram documento da própria empresa, recusando-se a recorrigir a prova.

Foi o bastante para que o Tribunal de Justiça determinasse a inclusão dos candidatos no TAF.

A partir daí, no entanto, foi a própria Secretaria de Administração Penitenciária quem resolveu bater o pé e recusar-se a fazer os exames.

O resultado é a multa diária de R$ 1,5 mil.

Os candidatos, que foram à Assembleia pedir ajuda dos parlamentares, denunciam que a Seap tem-se recusado a incluí-los nas etapas porque está usando o concurso para enxertar parentes e indicados dos diretores da pasta.

E esta nova denúncia deve ser apurada pela Comissão de Segurança Pública da Assembleia…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão